Fumaça de queimadas tem potencial cancerígeno revela estudo da USP


Marcelo Carvalho

Além do desastre ambiental e potencial de prejuízo patrimoniais, as queimadas que atingem áreas em diversos estados do Brasil também trazem riscos à saúde das pessoas. Além dos já conhecidos problemas pulmonares e cardíacos, os compostos resultantes das queimadas causam a morte de células e têm potencial cancerígeno. A constatação foi feita por pesquisadores da USP e foram trazidas em reportagem do jornal Estadão.

Pesquisa foi conduzida em Ribeirão Preto, no interior de São Paulo. Os cientistas identificaram elevada concentração de hidrocarbonetos policíclicos aromáticos no ar respirado pela população da cidade.

Para chegar aos resultados, amostras do material particulado do ar e a exposição de células do fígado às substâncias fixadas no extrato da filtragem foram coletadas e filtradas. De acordo com o Estadão, o resultado impressionou as pesquisadoras. Em 72 horas de exposição, houve a morte de parte das células. Em apenas quatro horas, já havia danos ao DNA, revelando o potencial de câncer.

O estudo foi conduzido pela professora Maria Lúcia de Arruda Moura Campos e a pesquisadora Caroline Sacaramboni, ambas da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da Universidade de São Paulo (USP) em Ribeirão Preto.

Conforme a reportagem, os resultados vão compor a tese de doutorado de Caroline e mostram que a concentração desses hidrocarbonetos, uma classe de mais de cem substâncias químicas conhecidas pela sigla HPA, se torna muito elevada quando a cidade está imersa em uma nuvem de neblina e fumaça por causa das queimadas.

Ilhéus: mutirão do Dezembro Laranja será no próximo sábado


Pelo quinto ano consecutivo a Clínica AMO, em Ilhéus, será um dos postos que receberá o mutirão do Dezembro Laranja – iniciativa da Sociedade Brasileira de Dermatologia, que tem como objetivo alertar a população sobre a prevenção e o diagnóstico precoce do câncer de pele, o mais comum no país.

Esta é uma ação nacional, que acontece com médicos dermatologistas voluntários que realizam atendimento gratuito em busca de lesões suspeitas de câncer de pele, assim como prestam esclarecimentos sobre as medidas preventivas. Este ano serão 132 postos de atendimento em diversos estados do Brasil.

Em Ilhéus, serão realizados 100 atendimentos gratuitos e as fichas serão distribuídas por ordem de chegada. A clínica AMO, na Avenida Soares Lopes, 1266, posto do mutirão na cidade, funcionará das 8h às 13h. De acordo com a dermatologista Thaís Saback, coordenadora local da campanha, “quando iniciamos a campanha, em 2014, foram pouco mais de 30 atendimentos. Ao longo dos anos, o evento cresceu, a população aderiu, a conscientização sobre o câncer de pele e o entendimento das atitudes preventivas mudou visivelmente”.

Dicas de prevenção – evitar a exposição solar entre as 10h e 16h, usar chapéus de abas largas, óculos escuros e roupas com filtro UV, preferir locais com sombra, usar o filtro solar em quantidade adequada, FPS 30 no mínimo e reaplicar a cada 2h, são medidas que evitam as queimaduras solares e reduzem o risco do câncer de pele. “Se exponha, mas não se queime”, é o tema da campanha Dezembro Laranja.

Ex-Charmed fala sobre sua luta contra o câncer


Famosa ao interpretar a Brenda, no seriado “Barrados no Baile” e Prue Halliwell na série “Charmed” – sucessos no Brasil e nos EUA, a atriz Shannen Doherty abriu o coração, falando a respeito de sua luta contra o câncer de mama. A atriz foi diagnosticada com a doença em 2015

“Ele se refaz tantas vezes. A pessoa que eu pensei que era, ou ia ser, ou que eu achava que era há seis meses, agora está alguém completamente diferente. Eu percebo que pensei que eu era tão valente e tão graciosa todo esse tempo e realmente eu estava apenas me escondendo”, declarou em entrevista a Chelsea Handler.

Phototastic-31_10_2016_84efc2b4-8cc5-4369-99e6-85cf61e95ddf
Shannen Doherty Fotos: divulgação

Emocionada, a artista revelou que teve dificuldade em aceitar o diagnóstico. “Foi difícil no sentido de repensar quem você é e como você consegue aceitar termos e olhar para o seu marido e pensar: ‘Cara, eu sinto muito’.”

Desde a descoberta do câncer, Shannen se tornou uma militante na luta contra a doença nas redes sociais. Em seu Instagram, ela vem relatando momentos de seu tratamento.