Desfile das escolas de samba este ano pode ocorrer em julho


O Carnaval de Vitória pode  ser realizado em julho devido a situação do país.

Julia Vitoria

Para a segurança de todos a proposta está sendo, esperar a vacina para depois ter o carnaval de Vitória. Sem as condições sanitárias desejáveis as agremiações não querem arriscar as vidas dos foliões. Uma proposta para que os desfiles aconteçam somente em julho.

As agremiações que fazem parte da Liga independente  das Escolas de Samba (LIESEGE) e a Liga Independente das Escolas de Samba do Espírito Santo ( LIESES) chegaram a um consenso que os desfiles podem acontecer durante a pandemia.

Edson Neto presidente das duas ligas fala que eles optaram pelo caminho mais seguro, as escolas já estão com os enredos prontos, faltando apenas a parte do barracão, mas que esse trabalho só pode ser feito mediante a vacinação. Ele também fala que é importante ter um prazo para as escolas se organizarem e planejarem.

À data escolhida ainda manteria a tradição de ser uma semana antes do Carnaval do Rio que ocorrerá dos dias 11 e 12 de julho. Contudo no Rio também esperam a imunização da população.  Uma reunião das ligas das escolas e a Prefeitura  de Vitória deve ocorrer semana que vem. A Secretaria Municipal de Cultura contou que o tema carnaval está sendo discutido e analisado  de acordo com a situação do país de modo a garantir a segurança de todos.

O presidente da Escola de Samba Unidos de Jucutuquara, Rogério Sarmento, afirma que primeiro precisa forcar na imunização de todos e só depois pensar nos desfiles. Ele também fala que se houver a vacinação e com o consentimento do governo e recursos financeiro eles fazem um desfile de qualidade em quarenta dias.

O presidente da Mocidade Unidos  da Glória (MUG) declara que a escola tem se planejado para que o desfile ocorra com segurança para os integrantes da escola e o público. Ele também ressalta que para ter um carnaval de qualidade precisa de quatro vertentes: vacinação, financiamento, material e o tempo.

O Carnaval de Vitória seria este ano dos dias 4 a 6, mas devido a pandemia foram adiados, as cidades do Rio de Janeiro, São Paulo, Salvador e Belo Horizonte adiarão  As festividades no mês de julho. 

Dia 1 de julho serão as escolas do Grupo (B) a desfilar. No dia 2 ,as do Grupo (A) e as escolas do Grupo Especial desfilarão no sábado dia 3 de julho. A apresentações s serão por ordem de sorteio.

Um Carnaval diferente


Júlia Vitória

Desde que a festa de Carnaval começou a ser comemorada aqui no Brasil, nunca foi deixado de comemorar antes da Quaresma, no mês de fevereiro ou no início de março, os festejos sempre acontecem, contudo no próximo ano, devido a pandemia que se alastrou pelo mundo pela primeira vez na história o carnaval pode ser cancelado.

Os governos das maiores cidades do país discutem como será o ano de 2021. Enquanto São Paulo já adiou a data por período indefinido, Brasília não realizará folia, Rio de Janeiro e Salvador, Olinda e Recife ainda discutem como devem agir.

O Carnaval do Brasil

Segundo os pesquisadores, a folia começou na época em que os portugueses chegaram no século XVI. Desde então nunca parou de ser comemorada, já existiram duas tentativas de adiar a festa Momo no país em mil oitocentos e noventa e dois devido a questões sanitárias pois o Brasil enfrentava sérias doenças como a febre-amarela. Em 1912, quando o barão de Rio Branco faleceu e foi dado como herói nacional, contudo nenhuma das tentativas deu certo. 

Buscando evitar a aglomeração na época de fevereiro devido ao calor, no século XIX os governantes decidiram com decreto passar a festa para o fim de junho coincidindo com os festejos de São João e também época de inverno. Porém quando chegou fevereiro todos foram para as ruas e mesmo com o decreto e controle de policiais nada adiantou e a festa de carnaval aconteceu. 

Na segunda tentativa devido a morte do Barão, o governo adiou a festa por dois meses por causa do luto, contudo no sábado de carnaval as pessoas foram para as ruas e o luto acabou, teve os dois festejos e o povo até inventou uma marchinha de carnaval falando sobre os festejos e a morte do Barão. 

Durante as duas guerras mundiais o carnaval também não parou, foi enviado alguns militares para a Europa, mas somente no fim da folia de mil novecentos e dezoito. Na época chegou a se discutir o cancelamento da festa, porém foi realizada mesmo assim. Já na segunda guerra mundial o Brasil teve mais participação e mesmo com as ordens do governo a festa aconteceu. 

A festa de mil novecentos e dezenove é tida como a maior de todos os tempos, a gripe chegou e matou milhões, mas com o fim dela o povo foi para as ruas comemorarem o fim daquela terrível era. 

A gripe espanhola ficou três meses no Brasil, diferentemente da covid-19 que ainda é uma ameaça para o mundo, o conselho dos especialistas é não ter folia em fevereiro de dois mil e vinte e um. Prefeitos de várias cidades recebem todos os anos muito fluxo de turistas para as festas de carnaval e tem tentado achar uma data em comum para que ninguém saia prejudicado. São Paulo foi a segunda capital a receber mais foliões no ano de dois mil e vinte e foi a primeira a confirmar o adiamento. 

Os pesquisadores alertam que devido ao histórico de não obedecer os decretos os Brasileiros podem sair às ruas para comemorar. 

Os prejuízos de não ter o carnaval em dois mil e vinte e um podem ir além dos financeiros, é claro que as cidades que mais recebem foliões podem sofrer mais impactos financeiros já que a festa rende bastante para esses locais. Mas o Brasil é conhecido como a terra do Carnaval desde a época colonial e sem ele isso pode gerar um grande impacto para a identidade do Brasil.

Segunda edição do “Meu corpo não é sua fantasia” foi lançada hoje


Após ter se consolidado em 2019 em uma primeira edição com sucesso absoluto, a campanha “Meu Corpo não é Sua Fantasia” retorna no Carnaval de 2020 com o objetivo de levar para um número ainda maior de pessoas o alerta contra o assédio sexual e a meu corpoviolência contra a mulher. Projeto da Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher, presidida pela vereadora Ireuda Silva (Republicanos), a campanha neste ano será lançada na próxima quarta-feira (12), às 14h, em frente à Câmara Municipal.

Como no ano passado, a campanha percorrerá os circuitos da folia momesca em Salvador, com camisetas, faixas, cartazes e panfletos, levando a mensagem de alerta, conscientização, sororidade e empoderamento. “Uma das armas mais eficazes para se combater o assédio é a solidariedade, tanto das próprias mulheres quanto dos homens. Quem presenciar casos do tipo precisa se sentir no dever de ajudar a vítima, que muitas vezes não está em condições psicológicas de tomar as providências necessárias”, defende Ireuda.

Arrastão da quarta de cinzas está proibido


A Câmara Municipal de Salvador adotou medida que deve causar muita polêmica. Por motivos religiosos, vereadores soteropolitanos aprovaram a suspensão do arrastão da Quarta-feira de Cinzas, tradição de 24 anos da cidade.

Segundo a Folha de São Paulo, o projeto veta qualquer tipo de atividade carnavalesca a partir das 5h da manhã de quarta. Algo impensável diante da quantidade de pessoas que procuram a folia da metrópole baiana. O PL ainda depende da sanção do prefeito ACM Neto (DEM), que tem até 15 dias para tomar uma decisão.

A ideia de suspender o carnaval na Quarta-feira de Cinzas por motivos religiosos é do vereador Henrique Carballal (PV). Ele argumenta que a data representa o início da Quaresma e por isso não pode ser palco de uma festa profana.

Para quem não sabe, a Quaresma, diz a tradição Católica, é um período dedicado ao resguardo. Ela acontece durante 40 dias e antecede a Páscoa.

Carballal justificou a medida. “Não sou nenhum fundamentalista religioso, gosto do carnaval. Mas o que vinha acontecendo era um exagero”, salienta.

O arrastão é uma instituição da Quarta-feira de Cinzas de Salvador. A data criada em 1995 por Carlinhos Brown é um respiro e também oportunidade para a diversão de trabalhadores, como ambulantes, que não conseguiram curtir os outros dias de folia.

O desfile recebe nomes de peso como Léo Santana, Psirico, Ivete Sangalo, Daniela Mercury e o próprio Brown.  Resta ver o que o prefeito de Salvador vai decidir.

Economia

Ponto alto do calendário de Salvador, o carnaval movimentou R$ 1,8 bilhão em oito dias de festa em 2019. A alta de 3,3% em relação ao ano passado foi divulgada pela Secretaria Municipal de Cultura e Turismo (Secult), órgão da prefeitura de Salvador.

O setor hoteleiro também saiu ganhando em 2019. A ocupação dos hotéis atingiu 95%, sendo 100% em regiões próximas ao circuito Barra-Ondina ou do Campo Grande.

Dicas para aproveitar melhor o seu período de carnaval


Que o Carnaval é uma das maiores festas populares todos nós já sabemos. O evento atrai milhares de pessoas de várias partes do mundo, movimentando a economia e o turismo. Mas, esse período exige que tenhamos atenção especial em relação a segurança e a saúde. Afinal, é importante que tudo inicie e termine bem para que as lembranças dessa folia sejam as melhores possíveis.

Separamos algumas dicas que podem ser úteis para ter um carnaval mais agradável. Anote aí

  • Beba bastante água. Entre uma cerveja e outra, não se esqueça de beber água para amenizar os efeitos do álcool. Seu corpo agradece e você garante a folia no dia seguinte. Imagina que chato perder um dia de carnaval para a ressaca…
  • Use e abuse do filtro solar. Passe o protetor antes de sair de casa e reaplique caso esteja exposto ao sol. Você não quer as queimaduras estragando seus looks divos carnavalescos. Dica: a purpurina gruda na pele logo depois de passar o filtro.
  • Guarde bem seus pertences. Celular no bolso jamais, mochila nas costas nunca. Uma tendência dos últimos carnavais é a pochete, que voltou em formatos diferentes.
  • Cartões e bilhetes do metrô. Se você pretende curtir o carnaval de rua nas grandes cidades, carregue seus cartões de metrô e ônibus com saldo suficiente para durar o feriado inteiro. Assim você circula com mais facilidade, evitando filas e transtornos com dinheiro e troco.
  • Confira a programação de blocos antes de sair de casa, assim você já sabe para onde ir e tem um plano B, C, D… Vale a pena consultar os amigos entendidos de carnaval sobre os blocos que têm mais o seu estilo, para saber se enchem muito, se têm um clima mais “família”, o tipo de música que tocam etc.
  • Respeite seu corpo e faça paradas estratégicas para descansar e se alimentar. Entre um bloco e outro, procure restaurantes, casa de amigos, shopping com ar-condicionado.
  • Se alimente bem. Para segurar um dia inteiro de folia, saia de casa alimentado e escolha pelo menos um momento para comer, seja uma refeição, um sanduíche ou churrasquinho.
  • Marque pontos de encontro. Isso vale para encontrar os seus amigos com facilidade e principalmente para famílias que vão levar as crianças para blocos. Ao chegar no local, combine um ponto de fácil acesso para se encontrarem caso alguém se perca do grupo.
  • Azaração. A paquera durante a folia ainda é valida, mas lembre-se, respeita a opinião do outro. E, atenção marmanjos, quando a mulher diz não, é não mesmo.

Itabuna: Cláudia Leite, Banda Vingadora e Harmonia do Samba são atrações do Carnaval Antecipado


Ao destacar que tem um compromisso com Itabuna e o projeto de fazer o maior governo da sua história, marcado pela realização de obras como a passarela da Ilha do Jegue, construção de uma nova ponte sobre o rio Cachoeira e conclusão das obras do Teatro Municipal de Itabuna, o prefeito Fernando Gomes anunciou que a parceria com o governo do estado é decisiva para a realização do Carnaval Antecipado de Itabuna, no período de 18 a 21 de janeiro. O prefeito também anunciou entre as atrações da festa Harmonia do Samba, Cláudia Leitte, Durval Lélys, Babado Novo, Duas Medidas, Vingadora, Fabrício Pancadinha, Lordão, além de Sinho Ferrary e Verônica Santos de Souza, da banda Di Rólex, que participaram da entrevista coletiva no Centro Administrativo Firmino Alves.

O encontro do prefeito com jornalistas teve a participação do vice-prefeito Fernando Vita; dos secretários de Governo Maria Alice Araújo; de Administração, Dinailson Oliveira; de Sustentabilidade Econômica e Meio Ambiente, Jorge Vasconcelos; de Saúde, Lísias São Mateus; de Segurança, Transporte e Trânsito, Cláudio Dourado, além do presidente da Câmara de Itabuna, Chico Reis e da Fundação Ester Gomes, Sérgio Gomes; dos vereadores Beto Dourado, Manoel Raimundo Alves Júnior, o Nel do Bar; Alex Alves Melo, o Alex da Oficina; Charliane Souza da Silva, Edmilson Cabral, Gidevaldo Lauro dos Santos, Zico; José Erivânio Sobreira dos Santos, Babá Cearense e o líder do governo na Câmara, Robson Santos Sá, o Robinho.

carnaval Itabuna 2018dadad
Muitas atrações no Carnaval Antecipado

Lembrando que o Carnaval Antecipado será para a família itabunense e deve atrair milhares de foliões da região Sul da Bahia, o prefeito Fernando Gomes destacou que sem a ajuda do governo do estado a festa não seria possível, uma vez que o município enfrenta problemas com a falta de recursos. O estado contribui com as grandes atrações anunciadas para a folia, que teriam um custo estimado de R$ 1 milhão e também com a segurança da festa, que terá reforço de policiais da Caerc, Rondesp, Cavalaria e da Polícia Rodoviária Estadual e Federal.

Ele anunciou ainda que o governador Rui Costa visitará Itabuna nos dias 19 e 20 de janeiro, devendo participar da inauguração da Passarela da Ilha do Jegue e da folia momesca. Além de apoiar o Carnaval antecipado, o governador assinou um protocolo liberando recursos para retomada das obras do Teatro Municipal, em fase de licitação nos próximos dias e volta a Itabuna em abril, para inauguração da barragem do Rio Colônia em fase de conclusão. O governo do estado também deve iniciar no próximo mês a duplicação da BR 415, trecho Ilhéus-Itabuna.

Na entrevista coletiva o prefeito Fernando Gomes falou das dificuldades enfrentadas pelo governo que teve de renegociar uma dívida de R$ 70 milhões com o FGTS e teve de pagar R$ 2,8 milhões de multa por dívidas deixadas pelos seus antecessores, o que comprometeu este mês o pagamento do salário dos servidores. Também anunciou a construção da nova ponte sobre o rio Cachoeira, com quatro pistas e um custo estimado de R$ 18 milhões já incluídos no orçamento da União.

Um outro projeto importante, segundo ele, é o estudo da Fundação Getúlio Vargas para concessão da Emasa, o que viabilizaria o projeto de despoluição do rio Cachoeira, “que não pode morrer”. Para o Carnaval Antecipado, o prefeito destacou que além da parceria com o governo do estado, a prefeitura também enviou ofício para a Bahiagás e para empresas privadas como a Rota e distribuidoras de bebidas que podem investir no apoio ao evento.

Itabuna: ambulantes se cadastram para o Carnaval Antecipado de Itabuna


Representantes da Secretaria de Indústria, Comércio e Sustentabilidade Econômica e da Fundação Itabunense de Cultura e Cidadania (FICC) se reuniram na manhã desta terça-feira (19), com os vendedores ambulantes. O encontro na Usemi, serviu para orientar e informar aos presentes a cerca de locais, número de vagas disponíveis e também para esclarecer dúvidas daqueles que vão trabalhar no Carnaval Antecipado de Itabuna, que acontece entre os dias 18 a 21 de janeiro do próximo.

O encontro também deu início ao cadastramento dos barraqueiros que deverá ser feito por etapa, para evitar filas e tumultos, conforme justificou o diretor do Departamento da Indústria e Comércio da secretaria, Tarcíso Soares. Ele adiantou que a prefeitura disponibilizará espaço para 300 vendedores com isopor, 100 barracas para coquetéis e 30 toldos.

Os vendedores deverão se instalar no mesmo espaço definido pela prefeitura, na festa do início deste ano, numa extensão que se inicia nas imediações do Shopping Jequitibá até a Câmara de Vereadores. Os trabalhadores ambulantes também receberão crachá com fotos, segundo o diretor.

O presidente da Associação dos Vendedores Ambulantes, Cleones de Sandes Andrade, declarou que o cadastro que está sendo feito pela Prefeitura com um mês de antecedência, foi uma iniciativa louvável porque evitará tumultos e vai priorizar os vendedores residentes em Itabuna, que já mantém tradição de comercializarem bebidas e comidas no período do Carnaval Antecipado no município. “Essa iniciativa mostra organização e a preocupação com o bem estar da categoria”.

vendedor-ambulante-salvador-bahia-carnaval-2016
Foto: divulgação

Cleones informou que no carnaval do ano passado foram cadastrados cerca de 400 ambulantes, e acredita que este ano o número aumente em função da grande demanda. Ele assegura, entretanto, que com organização bem elaborada pela prefeitura, há espaço para aqueles que desejam trabalhar e faturar uma renda extra, num período em que muitas famílias estão desempregadas.

A vendedora Cristina Nascimento, foi outra que também saiu satisfeita do encontro ao comentar que uma festa bem organizada tem tudo para dar certo, porque permite que os vendedores se preparem melhor e atendam exigências importantes e necessárias para os que vão trabalhar durante a festa.

Flávio Campello


Ele é o atual campeão do Carnaval Paulista, pela Acadêmicos do Tatuapé. Em março, último, mudou-se para a Acadêmicos do Tucuruvi. Flávio foi reverenciado com o prêmio do troféu nota 10 do ‘Diário de SP’ como o melhor carnavalesco do ano. Ele possui vasta experiência em carnavais das cidades do Rio de Janeiro, Vitória, Belo Horizonte, Porto Alegre e São Paulo. Para 2018, o carnavalesco prepara o enredo “Uma noite no museu” e garante “o enredo é uma aposta, um sonho de uns 5 anos, e a Tucuruvi me deu a chance de transformar em realidade”. Flávio recebeu gentilmente a reportagem do Blog Carvalho News e falou sobre carnaval, a profissão de carnavalesco, seu dia a dia e muito mais! Que tal conhecer melhor esse grande vencedor?

IMG-20170525-WA0004
Flávio Campello Fotos: divulgação

Blog Carvalho News – Como iniciou a sua relação com o carnaval?
Flávio Campello – Tudo começou ainda na infância, quando eu acompanhava meus pais na quadra e barracão da Imperatriz, pois ambos sempre foram fascinados pelo carnaval e pelo desfile das escolas de samba, e eram envolvidos no carnaval. Eram foliões natos… verdadeiros apaixonados pelo carnaval.
Blog Carvalho News – Há alguma diferença entre o carnaval do Rio de Janeiro e o de São Paulo?
Flávio Campello – Hoje não consigo enxergar uma diferença… ambos apresentam belíssimos espetáculos…
CN – Qual a sua formação acadêmica?
Flávio Campelo – Sou formado em artes cênicas, e história. Duas paixões realizadas.
CN – O que é necessário para se tornar um carnavalesco de sucesso?
Flávio Campelo – Sem dúvidas, ser um apaixonado pelo carnaval, viver o carnaval o ano inteiro, sempre buscando inspirações em todas as manifestações de arte. Precisa amar o que faz…
CN – Qual a sua inspiração para a criação de um enredo?
Flávio Campelo – As inspirações surgem assistindo um filme, documentário, lendo algum livro, revistas, jornais, às vezes até ouvindo uma música. Tudo em nossa vida pode ser carnavalizado…
flaviodivulgação
CN – Qual a função de um carnavalesco numa escola de samba?
Flávio Campelo – Hoje a maior função de um carnavalesco é a de um diretor e produtor de espetáculo. Precisamos ter noção do roteiro, criação, execução e produção e coordenação de equipes que fazem parte da produção desse espetáculo… Considero o carnavalesco um diretor geral e produtor dessa maior festa popular do mundo…
CN – O que mudou em sua vida, após a conquista do Carnaval de São Paulo de 2017?
Flávio Campelo – O título é a maior de todas as realizações. Pois todos nós trabalhamos o ano inteiro em busca do resultado, da perfeição… o titulo coroa o nosso trabalho e nos inspira a continuar.
CN – Como é o dia a dia de um carnavalesco?
Flávio Campelo – Acordar e dormir pensando no projeto, no barracão, no atelier… pois essa é a missão! Vivemos 24 horas por dia em prol desse sonho, e buscando maneiras de realizarmos esse sonho…
CN – Quais os profissionais que influenciaram seu trabalho ao longo dos anos?
Flávio Campelo – Sem dúvidas, a professora Rosa Magalhães. Lembro do desfile do Salgueiro, de 1990, e achei aquele desfile lindo. E a partir desse desfile eu passei a acompanhar o trabalho da Rosa, e ficava torcendo para um dia vê-la na Imperatriz, e não demorou muito, em 1992, aconteceu. Desde então, passei a me inspirar no trabalho da mestra. Além da Rosa, temos tantas outras referências… Renato Lage, Max Lopes, Joaozinho 30, Ney Ayan, Fernando Pinto, Viriato Ferreira… na atualidade, Alex de Souza, Paulo Menezes, Paulo Barros, Alexandre Louzada…Todos profissionais que merecem o nosso respeito!
IMG-20170525-WA0001
CNPode adiantar algo sobre a Acadêmicos do Tucuruvi em 2018?
Flávio Campelo -Pra começar, a realização de um sonho… o enredo é uma aposta, um sonho de uns 5 anos, e a Tucuruvi me deu a chance de transformar em realidade.
Já estamos a todo vapor no barracão das alegorias e no atelier das fantasias… tudo está fluindo de uma forma feliz e natural. Acredito num desfile imponente, pois é um enredo muito rico em possibilidades. E isso me fascina! Estou numa fase muito feliz…
CN – O que costuma fazer nos períodos de folga?
Flávio Campelo – Gosto muito de ir ao cinema, teatro, museus… nas férias, uma boa viagem para renovar as energias e voltar 100%….

Rio: Liesa quer impedir que novos acidentes ocorram no Sambódromo


A Liga Independente das Escolas de Samba do Rio de Janeiro (Liesa) vai se reunir logo após o carnaval para debater, entre outras questões, o acidente com o carro alegórico da Paraíso do Tuiuti, que deixou pelo menos 20 vítimas ontem (26), das quais três em estado que inspira cuidados. A agremiação abriu o desfile das escolas do Grupo Especial, na Marquês de Sapucaí.

O diretor de Carnaval da Liesa, Elmo José dos Santos, disse hoje (27) que cada escola vai fazer um relatório de sua passagem no Sambódromo e o plenário da Liga tomará as medidas necessárias para que isso não volte a ocorrer. “Nós fazemos um balanço de tudo o que ocorreu e o plenário procura dar um contraveneno nas coisas erradas que ocorrem”, afirmou.

paraiso-do-tuiuti-alexandre-durao-g1
Acidente com carro da Paraíso do Tuiuti deixa carnaval mais triste Foto: Alexandre Durão

Elmo Santos reiterou que a Liesa está sensibilizada e solidária com as vítimas. Lembrou, porém, que no momento do acidente, estava chovendo, o que propiciou que a roda maluca do carro alegórico fosse escorregando para um lado, o que dificultou a manobra para fazer a curva em direção à entrada na Marquês de Sapucaí. Além disso, ficam pessoas no meio da pista, “que também não deveriam estar ali, principalmente próximas à grade, porque não tem nem para onde correr na curva do carro”.

A diretoria da Liga vai conversar para que o incidente não se repita. Uma das ideias é impedir que o público tenha acesso a esse local, onde os carros alegóricos se posicionam, ”principalmente do lado do Setor 1, que não tem nem calçada. Ali é o lugar onde o carro faz a curva. É um risco desnecessário que as pessoas correm quando, na verdade, deveriam estar em cima da calçada, do outro lado”.

Segundo Santos, está todo mundo na Liesa chateado com o problema. “Não queremos isso. Isso nunca aconteceu no carnaval. Mas vamos tomar as providências”, garantiu.