Atritos com Índia e China atrapalham importação da vacina.


MRE e diplomatas estão trabalhando para resolver os impasses

André Lucas

Um grande esforço está sendo feito no Itamaraty para “resolver” os atritos criados pelo presidente da República, Jair Bolsonaro, com os líderes da China e Índia, em relação à vacina e aos insumos. 

Embaixadores que acompanham de perto as negociações dizem que o Brasil errou demais na comunicação. A análise no MRE ( Ministério das Relações Exteriores) concluiu que o governo brasileiro fez muito anúncio sem estar com o produto. 

 Apesar de o ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, ser considerado da chamada ala ideológica do governo, ele tenta estabelecer uma parceria entre os países para que a vacina possa chegar ao Brasil nos “ próximos dias”. 

Apesar do esforço de Araújo, os dois embaixadores de cada um dos países estão sendo considerados os principais representantes do país nas conversas sobre o impasse. 

Vacina indiana

No caso da Índia, o diplomata André Aranha Corrêa do Lago tem chegado a um entendimento e afirmou às autoridades brasileiras que acredita no fim do impasse, ou seja na entrega das duas milhões de doses das vacinas já adquiridas pelo Brasil. A instrução do diplomata é não anunciar nada enquanto não estiver com a vacina para não repetir o mesmo erro. 

Na China o problema é mais complexo, além dos esforços internos e comerciais, ainda existe um trabalho para melhorar a relação entre o governo de Pequim e o governo de Jair Bolsonaro.  

Diplomacia brasileira entra em ação

O embaixador do Brasil em Pequim, Paulo Estivallet de Mesquita, conversa com os líderes chineses para quebrar o bloqueio das importações dos IFAs (Ingrediente Farmacêutico ativo) que serão usados para a fabricação das vacinas contra o Covid 19. 

Diplomatas dizem que as turbulência são por causa do Bolsonaro e sua conduta ofensiva contra os chineses, e também por seus apoiadores, principalmente da área ideológica que já acusaram a China de ser culpada pelo covid 19, e também insinuou que a China faria uma vacina insegura propositalmente. 

O que os diplomatas fazem é tentar separar a postura do Governo Federal e as relações entre Diplomatas que atuam na negociação. Evitando assim que o Governo de Pequim direcione ofensivas aos representantes brasileiros por frases erradas do Presidente. 

Nesta terça-feira, dia 19 de Janeiro, a OMC (Organização Mundial do Comércio, o representante da Índia foi claro e disse que estamos todos vivendo um grande pesadelo, o mundo estar em um impasse, Não tem vacina suficiente para todo mundo. 

O Brasil comprou sua vacina da Oxford/AstraZeneca. Mas o produto é fabricado na Índia. O problema é que, com um governo nacionalista, Nova Déli dificultou a exportação dos imunizantes para permitir que sua campanha de vacinação fosse iniciada. 

Além disso, os Indianos anunciaram que vão distribuir a Vacina Primeiramente para seus aliados e vizinhos na região, uma jogada geopolítica muito bem planejada. 

Nova Déli ainda colocou dúvidas sobre a capacidade do mecanismo da OMS (Organização Mundial da Saúde) de distribuir vacinas para poder ser uma solução.  

O projeto de democratizar vacinas conta com uma forte rejeição por parte dos países ricos, detentores das patentes. 

O Brasil, desde o começo do projeto, foi o único país em desenvolvimento a declarar abertamente que era contra a proposta, abandonando anos de liderança internacional para garantir o acesso a remédios aos países mais pobres. 

Há 20 anos, foi a ação internacional do Brasil que levou a OMC a estabelecer regras para permitir um maior acesso a remédios. Naquele momento, a luta era para enfrentar a aids.

Missão em Wuhan: China volta atrás e diz que foi tudo um “mal entendido”


Após impedir a entrada de uma equipe especializada da OMS, a China anunciou, sem nenhum detalhe, que a equipe vai ao país essa semana

André Lucas

Uma equipe especializada da organização mundial dos médicos, chegará em Wuhan com voo vindo de Cingapura nesta quinta-feira, segundo informações do governo chinês. 

O chefe da OMS, Tedros Adhanom, disse que quer trabalhar junto com a China na missão de entender a origem do vírus e como ele chegou ao corpo humano. 

Anteriormente, Tedros Adhanom disse estar “ desapontado” com a China, isso porque o governo proibiu a entrada dos agentes no país asiático. A declaração teve efeito e autoridades Chinesas voltaram atrás, e afirmaram que foi tudo um grande mal entendido. 

“De acordo com o plano atual, eles voarão de Cingapura a Wuhan em 14 de janeiro”, disse o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores Zhao Lijian em uma entrevista coletiva regular em Pequim na terça-feira.   

O porta-voz se negou a responder se o a agentes ficaram de quarentena assim que chegasse, e não deu mais nenhuma informação de detalhes sobre a missão. 

O coronavírus foi detectado pela primeira vez na cidade central de Wuhan no final de 2019 e desde então se espalhou pelo mundo, infectando mais de 90.500.000 pessoas e matando quase 2 milhões até agora. 

Muito pouco se sabe sobre a origem, evolução e propagação do vírus, a China se mostra muito sensível sobre a suspeita de acobertar o vírus, e consequentemente facilitar a disseminação da Covid 19. 

Os primeiros casos de Covid-19 no mundo foram reportados pelas autoridades chinesas à OMS em 31 de dezembro de 2019. Esses registros vieram da cidade de Wuhan, a primeira a sofrer um surto do coronavírus. Todos os primeiros diagnósticos estavam relacionados, inicialmente, a um mercado que vende animais selvagens mortos para o consumo humano. 

No entanto, os cientistas ainda não conseguiram confirmar se realmente o coronavírus “saltou” de um animal para o homem nesse estabelecimento ou se o patógeno já circulava antes a partir de outra origem — o mercado, nessa hipótese, teria servido como um superdisseminador da Covid-19 pela aglomeração de pessoas. 

Após meses de impasse, Uma equipe de especialistas da Organização Mundial da Saúde (OMS) recebeu permissão para viajar à China nesta semana para realizar uma investigação sobre as origens do coronavírus Sars-Cov-2, o causador da covid-19. A informação foi confirmada nesta segunda-feira (11/01) pela Comissão Nacional de Saúde Chinesa.  

A decisão veio após dias de negociações, entre a Organização Mundial da Saúde e o governo chinês, que primeiramente se frustrou com as proibições da China. 

Nos primeiros dias de janeiro os membros da comissão já tinha saído de seus Países em direção a China, porém foram atrasados porque segundo o chefe da organização, Tedros Adhanom Ghebreyesus, a China não entregou os documentos dando permissão a equipe para entrar no país. 

A missão, considerada como prioritária para a OMS, é formada por especialistas ligados à entidade e à Organização da ONU para Alimentação e Agricultura (FAO) e à Organização Mundial da Saúde Animal, com integrantes de Estados Unidos, Japão, Rússia, Reino Unido, Holanda, Dinamarca, Austrália, Vietnã, Alemanha e Catar. 

China não permite que comitê de especialistas da OMS faça expedição em Wuhan


No Brasil o caso serviu para alimentar teorias da conspiração

André Lucas

A relação entre China e OMS não é das melhores atualmente. Segundo a Organização Mundial da Saúde, o governo chinês vetou a ida de um comitê com especialistas para uma expedição no país, com o objetivo de entender como o vírus passou para seres humanos. 

O diretor-geral da Organização Mundial de Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus, afirmou nesta terça-feira (5) que está “muito decepcionado” com a China porque o país ainda não autorizou a entrada de uma equipe de especialistas internacionais para analisar as origens do coronavírus. 

“Hoje soubemos que as autoridades chinesas ainda não finalizaram as permissões necessárias para a chegada da equipe na China. Tenho mantido contato com altas autoridades chinesas e, mais uma vez, deixei claro que a missão é uma prioridade para a OMS”, declarou Ghebreyesus.

O primeiro caso do novo corona vírus, foi detectado no dia 31 de dezembro de 2019 na cidade de cidade de Wuhan. O surto ocorreu pouco tempo depois em um mercado de comercialização de animais selvagens mortos para consumo humano.  Inicialmente todos os estudos apontavam que essa era a origem do vírus nos seres humanos. 

 Porém ao longo das pesquisas surgiram duvidas se realmente o vírus veio dos animais ou se o vírus já circulava antes, e o mercado funcionou apenas como um disseminador em massa do vírus, por conta da aglomeração que existe no local. 

As análises da origem da contaminação é importante para entender o vírus, e para prevenir não só de uma mutação do vírus mas também de uma  nova pandemia no futura, a partir dos dados coletados na análise os cientistas podem criar novas estratégias para agir em ocasiões futuras. 

Existe uma teoria nascida no Estado Unidos da América, de que o vírus contaminou um ser humano pela primeira vez em um laboratório em Wuhan. Um cientista teria se contaminado e espalhado o vírus na cidade. 

Em diversas ocasiões o governo Chinês já negou essa teoria, e acusou o Governo Estadunidense de inventar mentiras para acusar a China. O laboratório da cidade de Wuhan tambem nega a possibilidade disso ter acontecido. 

A repercussão do caso no Brasil alimentou teorias da conspiração

No Brasil o que não falta é teoria da conspiração. Na internet o assunto é muito debatido e pessoas tem certeza absoluta de que o vírus foi criado pela China. Aqui no País até o Presidente da República alimenta as teorias, além de chamar o vírus de chinês, ele já culpou o País asiático pelo vírus diversas vezes. 

Elba Ramalho é a cancelada da vez. Foto: divulgação

Mas o assunto da vez foi a cantora Elba Ramalho, que afirmou em um vídeo acreditar que o vírus foi criado na china para acabar com os cristãos.  

“Para muitas pessoas, é apenas uma pandemia, para nós, o Senhor sabe e eu sei, é muito mais coisa por trás dessa pandemia e que vem ainda com o intuito de nos destruir. Nós somos o incômodo, o calo dos comunistas. Somos nós cristãos, mas nós somos também a resistência e vamos permanecer fiéis, porque Deus vai nos proteger” 

Depois da péssima repercussão e criticas disparadas, a cantora pediu desculpa e afirmou ter sido mal interpretada. 

“Fui mal interpretada, existia um contexto de cunho espiritual, as pessoas não entenderam! Sinto muito! Um grande mal entendido! Minhas sinceras desculpas”.

Mourão afirma que Huawei vai participar do leilão do 5G


Depois de acordo com EUA, Brasil tinha o compromisso de barrar a Huawei do leilão, mas o vice presidente da República afirma que país vai permitir a empresa chinesa de participar

André Lucas

Em entrevista ao jornal Valor Econômico, o vice presidente Hamilton Mourão disse que a ideia de permitir a participação da Huawei no leilão do 5G “começa a tomar forma”. Mourão falou sobre a necessidade do país quando assunto é rede digital, afirmando que não existe intenção do governo de barrar a Huawei do leilão.

“No nosso governo não tem. O presidente não falou isso para mim em nenhum momento. Nós somos um país que precisa, somos um país muito pouco integrado digitalmente. Você sai daqui de Brasília, anda 50 km na estrada e não fala mais no telefone. Temos um marco de telecomunicações [Lei Geral de Telecomunicações, 1997] que é da década de 1990. Ele não atende mais. As operadoras têm que expandir a rede, mas elas são obrigadas a investir em telefonia fixa, orelhão. Tem que mudar o marco”, afirma Mourão.

A guerra comercial entre EUA e China vem redesenhando os polos da guerra fria, e o Brasil se encontra no meio dessa disputa. O governo de Jair Bolsonaro se aproximou muito do EUA na gestão de Donald Trump. Foram reduzidos os impostos sobre o aço norte-americano, a entrada de estadunidenses sem visto, entre outras medidas. E, em troca o presidente Trump viabilizou a entrada do Brasil na OTAN (organização do Tratado do Atlântico do Norte), além de facilitar o crédito ao Brasil durante a pandemia.

Do outro lado, a China, maior compradora do Brasil, adquire mais de 28% de todas nossas exportações. Isso é mais de um quarto das exportações brasileiras. Se juntarmos EUA ( segundo maior comprador), Países Baixos (terceiro maior comprador), Argentina (quarta maior compradora), Japão (quinto maior comprador) e Chile (sexto maior comprador), não chega a receita da China de mais de 63 bilhões de reais. E é no meio dessa situação que o Brasil se encontra nesse cenário de guerra comercial entre as duas potências mundiais. 

No dia 10 de setembro Keith Krach, secretário de Crescimento Econômico, Energia e Meio Ambiente do Departamento de Estado dos EUA, participou presencialmente de um acordo com o Brasil para modernizar o sistema de rede digital e telecomunicações brasileira, o governo norte americano promete financiamento de 1 bilhão US$ para o investimento. Uma das pautas do acordo era o Brasil aderir o plano chamado de Clean network, programa do governo norte – americano para manter seguro os sistemas de redes e telecomunicações, o programa Barra a Huawei. Joshua Hodges diretor do Conselho de segurança nacional dos Estados Unidos disse para a imprensa brasileira: 

“É importante ter transparência, o que a China e a Huawei não apoiam. Os Estados Unidos se preocupam que eles utilizem dados e tecnologia para o benefício do Estado e não das pessoas”

O secretário das relações bilaterais e regionais nas Américas, Pedro Miguel da Costa Silva, chegou a anunciar que o governo estava de acordo com a política norte americana. 

“O Brasil apoia os princípios contidos na proposta do Clean Network [Rede Limpa] feita pelos EUA, inclusive na OCDE, destinados a promover no contexto do 5G e outras novas tecnologias um ambiente seguro, transparente e compatível com os valores democráticos e liberdades fundamentais”. 

Mas ao que parece, com a queda de Donald Trump os planos mudaram, e o governo brasileiro voltou atrás. Também vale ressaltar a pressão das operadoras para o Brasil aceitar a Huawei.

Ministério da Saúde disponibilizará manual para produção de máscaras de pano reutilizáveis


O jeito é improvisar! O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, informou ontem que disponibilizará na internet um manual para a produção de máscaras de pano reutilizáveis. Segundo ele, há um problema de fornecimento do equipamento, em razão da alta demanda surgida com o novo coronavírus. Assim, o conselho é: faça sua própria máscara e deixe as feitas pela indústria para os profissionais de saúde. O principal fabricante é a China, mas vários países estão competindo entre si para ter acesso à produção. Mandetta também pediu que as pessoas que têm máscaras produzidas pela indústria estocadas em casa as doem para unidade de saúde.

Coronavírus deixa 4.800 em estado grave na China


Segundo informações oficiais, o número de mortes confirmadas na China, pelo coronavírus, subiu para 636, após o registro de 73 novos falecimentos. Uma atualização diária do balanço da Comissão Nacional de Saúde da China indica que, nas últimas 24 horas, apenas na província de Hubei, epicentro do surto do coronavírus, 69 pessoas morreram. Segundo o relatório, também foram diagnosticados 3.143 novos casos da doença, elevando a 31.161 a quantidade de portadores do vírus no país. Entre os contaminados no território chinês, mais de 4.800 estão em estado grave. Fora da China, há dois óbitos confirmados: um nas Filipinas e outro em Hong Kong, elevando o número de mortos no mundo pela doença para 638.

O número de diagnósticos positivos deve crescer significativamente, pois a comissão afirma que há mais de 26.000 pessoas com suspeita de terem contraído o vírus.

As autoridades chinesas estão lutando para conter o surto. Apesar dos apelos para que milhões de pessoas não deixem suas casas e evitem ambientes fechados em um número crescente de cidades, os hospitais estão sobrecarregados com o crescente número de doentes.

Em Zhumadian, província limítrofe com Hubei, apenas uma pessoa por casa pode sair a cada cinco dias. Também foram oferecidas compensações econômicas para quem denunciar pessoas procedentes de Hubei.

Paralisada pelas restrições e o virtual isolamento do mundo, a economia chinesa pode sofrer as consequências durante muito tempo.

A epidemia do coronavírus surgiu na capital da província de Hubei, em Wuhan, em dezembro, e depois se espalhou para o resto da China e mais de duas dezenas de países, levando a Organização Mundial da Saúde a declarar uma emergência global.

Várias companhias aéreas suspenderam os voos para a China continental. United Airlines e American Airlines também cancelaram os voos para Hong Kong e a Indonésia bloqueou milhares de turistas chineses em Bali ao suspender as conexões aéreas.

Bambu chinês da sorte, uma planta muito especial


As plantas além de alegrarem qualquer tipo de ambiente, colaboram para torna-los ainda mais bonitos e agradáveis. Uma dela em especial está se tornando muito popular ao longo dos anos. Estamos nos referindo ao Bambu Chinês da Sorte.

O vegetal é utilizado há milênios para energizar e harmonizar os ambientes. Segundo teoria chinesa, o Bambu atrai prosperidade, sorte, fortuna e ativa energia na casa se for preciso.

Uma das principais vantagens da planta é ser durável e prática, perfeita para ambientes internos. Pode ser colocada na mesa da sala, do escritório ou num móvel próximo a entrada da casa. Outro detalhe interessante é que o Bambu pode durar anos com manutenção mínima, ou seja, uma troca de água por semana e sem exposição direta à luz do sol.

bambu3O especialista em Feng Shui, Márcio Torres, explica que o bambu da sorte tem o poder de transmutar as energias do local, ativando as que se encontram estagnadas. “O bambu chinês deve ser decorado com componentes que representem cada um dos cinco elementos: terra, fogo, metal, água e madeira”, explica.

Segundo Torres, o caule da planta representa a madeira, e a água com a qual ele cresce simboliza a água. Para denotar a terra, é necessário coloca-lo nas pedras. Para garantir que o metal também seja representado, escolha um vaso de cerâmica que tenha uma moeda ou um simples vaso de vidro. “O vidro ou a moeda no vaso de cerâmica significa o metal”, esclarece, finalizando “Por fim, amarre uma fita vermelha envolta do vaso para representar o elemento do fogo”.

bambu2

Curiosidades

O número de hastes tem diferentes significados:
– 2 hastes amor e sorte em dobro;
– 3 hastes – fu (felicidade), Soh (vida longa), Lu (prosperidade);
– 5 hastes prosperidade (cobre todas as áreas que podem lhe trazer prosperidade: emocional, intuição, mental, física, espiritual);
– 6 hastes prosperidade e vantagens para trazer fortunas;
– 7 hastes traz boa saúde;
– 8 hastes como o som da palavra oito em chinês crescimento, também ligado a fertilidade;
– 9 hastes grande sorte;
– 10 uma vida plena;
– 21 hastes simbolizam benção divina (grande saúde e prosperidade).

*Obs: Nunca presenteie com apenas 1 haste ou 4, seu significado está ligado a morte.

 

Rainha Elizabeth chama autoridades chinesas de “grosseiras”


A Rainha Elizabeth II foi ouvida em vídeo descrevendo as autoridades chinesas como “muito grosseiras” durante uma conversa com uma autoridade de polícia em um evento no Palácio de Buckingham em comemoração ao seu aniversário de 90 anos.

O vídeo mostra a rainha chegando na festa no jardim do Palácio e sendo apresentada à policial Lucy D’Orsi, que supervisionou as operações de segurança durante a visita de Estado do presidente da China Xi Jinping ao Reino Unido em outubro. Na ocasião, a oficial disse à rainha que tinha sido um “tempo de teste”. Elizabeth disse então que “eles foram muito grosseiros com o embaixador”.

O governo chinês e o Palácio de Buckingham disseram que a primeira visita de Estado do presidente chinês Xi Jinping ao Reino Unido em outubro tinha sido bem sucedida.

Esse tipo de comentário, que se tornou público nesta quarta-feira, é incomum porque a monarca sempre teve o cuidado com suas orientações políticas durante o seu longo reinado. O jornal The Guardian disse que a discussão foi registrada pelo cameraman oficial do Palácio.

650x375_rainha-elizabeth-china_1634546
Presidente chinês, Xi Jinping, e Rainha Elizabeth II fazem brinde durante banquete no Palácio de Buc Foto: Agência Reuters

Seus comentários vieram depois que primeiro-ministro britânico, David Cameron, também foi flagrado por uma câmera que estava ligada, dizendo a rainha que “os líderes de alguns países ‘fantasticamente’ corruptos” estavam vindo para a Inglaterra para uma conferência anticorrupção que o país está sediando. Ele acrescentou que a Nigéria e o Afeganistão são “possivelmente, os dois países mais corruptos do mundo”.

Um porta-voz da Downing Street disse nesta na quarta-feira que “tanto o presidente Buhari da Nigéria e quanto o presidente Ghani do Afeganistão reconheceram a escala do desafio de enfrentar a corrupção em seus países”, e que ambos os líderes foram convidados para a cúpula “porque eles estão liderando a luta contra a corrupção em seus países”. Fonte: Associated Press e Dow Jones Newswires.