Após o período de final de ano, Bahia registra recorde na média móvel de casos do coronavírus


Dados são da Secretaria de Saúde do Estado (Sesab)

Thais Paim

Apesar da felicidade e expectativa envolvendo o início da imunização, o alerta para o avanço da pandemia segue ativo. A Bahia registrou recorde em dois dias seguidos na média móvel de casos de Covid-19, segundo dados obtidos por meio do boletim epidemiológico da Secretaria da Saúde do Estado (Sesab). 

 Os números foram estabelecidos na segunda-feira (18) e nesta terça (19), dia do início da vacinação em Salvador e em outros municípios baianos, de acordo com informações da própria secretaria. 

Nesta terça, a média móvel ultrapassou pela primeira vez os quatro mil casos, com 4.066. Na última segunda, foram 3.795. O recorde anterior havia sido registrado apenas em 28 de julho do ano passado, quando a Sesab identificou a média de 3.781 casos.

Sobre o crescimento dos números 

Como a “média móvel de 7 dias” faz uma média entre o número de casos do dia e dos seis anteriores, isso indica que as notificações advindas do período pós-Réveillon estão refletidas nesses dados, momento em que houve registros de aglomerações em diferentes partes do estado.

O indicativo se manteve acima dos dois mil desde o início de dezembro. Contudo, entre 23 e 30 de dezembro, retrocedeu de 3.232 para 1.940. No último dia de 2020, no entanto, o número teve um tímido aumento para 1.978 e, desde então, cresce progressivamente.

Enquanto a média móvel registra picos nunca antes vistos no estado, a imunização começa, mesmo sendo numa porcentagem reduzida da população.

Plano de imunização 

Em Salvador, o plano de imunização segue nesta quarta-feira (20). A campanha terá prosseguimento a partir das 9h, no Hospital Martagão Gesteira. Na unidade hospitalar, serão 273 profissionais imunizados.

A estimativa é que 5,3 mil doses sejam aplicadas nesta quarta, contemplando trabalhadores de 18 unidades de saúde, a exemplo de hospitais de grande porte, UPAs es gripários. Uma equipe formada por 30 vacinadores percorrerá as unidades para efetuar a imunização, que só termina por volta das 18h. 

Segundo o secretário municipal de Saúde (SMS) de Salvador, Leo Prates, o plano é finalizar a primeira parte da campanha até sábado (22). “Já dei a missão aqui ao meu COE [Centro de Operações de Emergência em Saúde Pública] para que a gente termine essa vacinação até sábado com os nove pontos ativos”, resumiu, em entrevista ao programa Bahia Notícias no Ar, da rádio Salvador FM 92,3, nesta terça.

A redação do Enem pode ser o diferencial


Com regras bem específicas a redação do Enem pode ser o terror dos candidatos

Julia Vitoria

Além das perguntas que serão respondidas os candidatos que farão a prova do Enem  neste domingo dia 17 os estudantes também irão encarar a redação, que com critérios de correção bem específicos pode ser o diferencial na nota dos alunos. O professor e fundador do Laboratório de Redação, Adriano Chan fala que não terá grandes mudanças na redação, os estudantes devem partir do tema pressuposto junto aos textos motivadores que não poderão ser copiados e então fazer uma redação dissertativa argumentativa, com uma proposta de intervenção para o problema apresentado no texto.

O professor  fala que é um equívoco o estudante pensar que precisa saber bem o tema, para ele o aluno deve saber ler bem e intérpretar o que está sendo pedido nos textos motivadores e na proposta principal do tema. 

Segundo a professora Tatiana Nunes Câmara, de língua portuguesa e produção textual do Colégio Mopi, a estrutura não altera, o que muda são os argumentos que o estudante usará para compor o texto, ela acredita que quando o estudante sabe a estrutura do texto ele consegue condiz melhor com a redação.

Alguns professores ressalta a importância dos estudantes treinaram a redação de de forma manuscrita, devido a pandemia do coronavírus, este ano as aulas foram onlines e os alunos entregaram a redação de forma digitada não treinando a função motora, é importante que o estudante treine bastante para conseguir administrar o tempo, este ano também os estudantes deverão usar máscaras, um dos itens obrigatórios para fazer a prova devido às condições do país. Para a professora  Tatiana escrever de máscara é diferente e os estudantes devem revisar as redações já feitas e pesquisar sobre os temas que estão sendo comentados. 

Os estudantes podem acessar a cartilha de redação do Enem 2020 publicada pelo Inep, nesta cartilha estão os critérios de correção e exemplos de degradação que tiraram nota mil no exame de 2019. As relações passam por cinco competências na hora de serem corrigidas elas são: demonstrar domínio da modalidade escrita formal da língua portuguesa; compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo em prosa; selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista; demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação; e elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos. 

Cada prova é avaliada por todos corretores e se a diferença de pontos for muito alta um terceiro corretor é acionado caso ainda haja muita diferença uma banca de corretores avaliam o texto.

Para participar dos programas do governo com a nota da prova os alunos não podem zerar a redação, os critérios que podem anular a nota são: 

fuga total ao tema;

não obediência ao tipo dissertativo-argumentativo;

Navegar

Busca

Geral

Entretenimento

Economia

Saúde

Trabalho

Polícia

Política

Esportes

Vídeos

Colunas

Cidades

Blogs

ECONOMIA

MAIS NOTÍCIAS 

ESPECIAL

Carreiras e Profissões

Caminhos do Desenvolvimento

Transformação Digital

Nova Previdência

Especial Mercado Imobiliário

Saque do FGTS

Marcas Ícones 2020

SAÚDE

MAIS NOTÍCIAS 

ESPECIAL

Especial Mente e Corpo

POLÍTICA

MAIS NOTÍCIAS 

TRABALHO

MAIS NOTÍCIAS 

FV Currículos

GERAL

MAIS NOTÍCIAS 

Instituto Américo Buaiz

Publicidade Legal

ESPECIAL

Tragédia em Brumadinho

Riquezas de Norte a Sul

Especial Mulher

Especial Torta Capixaba

Especial Educação

Adote uma Causa

Chuva no Espírito Santo

Meio Ambiente

Conflito EUA X IRÃ

Coronavírus

Cidades: O Novo Normal

Helio Dórea – 65 Anos De Colunismo Diário

MULTIVERSO CORPORATIVO

Quero Ser

Quero Ter

Quero Aparecer

Quero Voltar a Vencer

ENTRETENIMENTO

MAIS NOTÍCIAS 

HOTSITES

Mais Doce

ESPECIAL

Conexão Verão

Carnaval 2020

POLÍCIA

MAIS NOTÍCIAS 

ESPORTES

MAIS NOTÍCIAS 

ESPECIAL

Geração Gamer

Circuito Rede Vitória de Tênis

Circuito Rede Vitória de Golf

VÍDEOS

MAIS VÍDEOS 

TV VITÓRIA

ES no Ar

Balanço Geral

Fala ES

Cidade Alerta

Jornal da TV Vitória

FOLHA VITÓRIA

De Olho no Poder

ELEIÇÕES 2020

Pesquisa eleitoral: análise de cenário

COLUNAS

SOCIAIS

Helio Dórea

Andrea Pena

ECONOMIA

Mundo Business

Imóvel Para Você

ENTRETENIMENTO

Resenhando

BLOGS

GERAL

Livre Pensar

Empregos e Concursos

Mídia & Mercado

Pet Blog

Vem Ler Comigo

Direito ao Direito

Bem Pensado

Viva Mais

Educatech

Momento Décor

Gente e Gestão

Virginia Pelles

Português em Dia

Priorize Você!

Economia Circular

Radar

ENTRETENIMENTO

Na Balada

Espaço Gourmet

Folhinha Kids

ECONOMIA

Carro, Moto e Cia

Gestão e Resultados

Faz a Conta

SAÚDE

Mente Sã

Em Forma!

POLÍTICA

De Olho no Poder

Esplanada

Guia Eleições 2020

ESPORTES

Corrida de Rua

Louca por Esportes

No Pique

CIDADES

Domingos Martins

Guarapari

CLICARROS

IR PARA O SITE 

GERAL

Enem: conheça os critérios de correção da redação

Com regras específicas de correção, redação pode ser o diferencial

Redação Folha Vitória

13 de Janeiro de 2021 às 06:06

Atualizado 13/01/2021 06:06:33

Foto: Divulgação

No domingo (17), milhões de estudantes de todo o país farão a primeira prova da edição impressa do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020. Além de responder às questões objetivas de linguagens e ciências humanas, os participantes farão a prova de redação, a única parte subjetiva do exame. Com critérios específicos de correção, a redação pode ser o diferencial na nota dos estudantes.

“A primeira coisa é que a prova não vai ter grandes mudanças na redação”, diz o professor e fundador do Laboratório de Redação, Adriano Chan. Na prova, os estudantes devem, a partir do tema proposto e dos textos motivadores – que não podem ser copiados – escrever um texto em prosa do tipo dissertativo-argumentativo. Os participantes devem defender uma tese, ou seja, uma opinião a respeito do tema proposto, apoiada em argumentos consistentes. Devem também elaborar uma proposta de intervenção social para o problema apresentado no desenvolvimento do texto.

“É um equívoco o aluno acreditar que precisa saber bem do tema. Tem que saber ler bem o que está na proposta, identificar os desafios que estão na proposta em relação ao tema principal. Isso é muito importante. Não é achar qualquer problema, mas um problema dentro do universo proposto e relacionar esse desafio com o conteúdo adquirido e aprendido”, afirma Chan.

“A estrutura não muda, o que vai alterar é a argumentação que o estudante vai ter que construir em função do tema. Eu acredito que quando o aluno conhece bem a estrutura da redação, o tema que vier ele vai conseguir fazer”, diz a professora Tatiana Nunes Câmara, de língua portuguesa e produção textual do Colégio Mopi.

Para os professores, os estudantes devem, na reta final para a aplicação do exame, treinar a escrita, em papel, como será feito no dia da prova, usando máscara de proteção facial, item obrigatório este ano por causa da pandemia do novo coronavírus. “[Com as aulas sendo realizadas de forma remota], geralmente o estudante tem de entregar a redação digitada e não está treinando a questão do exercício motor de escrever a redação. É importante que o aluno faça o treino da escrita no papel, até para que não seja pego de surpresa em relação ao tempo”.

“Escrever de máscara é diferente. Recomendo treinar a redação de máscara, contando o tempo”, acrescenta Tatiana. “Seria interessante agora revistar as redações que fizeram e foram corrigidas pelos professores, para que possam dar uma olhada na estrutura e nas orientações. Acho que também vale a pena observar temas que as pessoas têm falado ou assuntos que estão mais em voga, fazer uma espécie de retomada desses enfoques temáticos”, sugere.

Correção

Para ajudar no preparo para a prova, os estudantes podem acessar a cartilha da redação do Enem 2020, divulgada pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Na cartilha, estão detalhados os critérios de correção da redação e como é feita essa correção. Estão disponíveis também exemplos de redação que tiraram a nota máxima, nota 1 mil, na edição do Enem de 2019.

Este ano, o Inep divulgou também, de forma inédita, as apostilas de capacitação dos corretores de redação, elaboradas para a edição de 2019. Assim, é possível saber o que os corretores levam em consideração na hora de atribuir notas às provas.

As redações do Enem são avaliadas em cinco competências, cada uma vale 200 pontos: demonstrar domínio da modalidade escrita formal da língua portuguesa; compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo em prosa; selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista; demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação; e elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.

Cada prova passa por dois corretores. Caso haja uma diferença de mais de 100 pontos em relação à nota total da prova ou de mais de 80 pontos em relação a alguma das competências, o texto passa, então, por um terceiro corretor. Se a diferença persistir, a prova é avaliada por uma banca composta por três professores, que atribuiu a nota final do participante.

Motivos para nota zero

Para participar de programas como o Sistema de Seleção Unificada (Sisu), que oferece vagas em instituições públicas de ensino superior, e o Programa Universidade para Todos (ProUni), que concede bolsas de estudo em instituições privadas de ensino superior, é necessário não ter tirado zero na redação. A redação receberá nota zero se apresentar uma das características a seguir:

 fuga total ao tema;

não obediência ao tipo dissertativo-argumentativo;

extensão de até sete linhas manuscritas, qualquer que seja o conteúdo, ou extensão de até dez linhas escritas no sistema Braille;

cópia de texto(s) da Prova de Redação e/ou do Caderno de Questões sem que haja pelo menos oito linhas de produção própria do participante;

impropérios, desenhos e outras formas propositais de anulação, em qualquer parte da folha de redação;

números ou sinais gráficos sem função clara em qualquer parte do texto ou da folha de redação;

parte deliberadamente desconectada do tema proposto;

assinatura, nome, iniciais, apelido, codinome ou rubrica fora do local devidamente designado para a assinatura do participante;

 texto predominante ou integralmente escrito em língua estrangeira;

folha de redação em branco, mesmo que haja texto escrito na folha de rascunho; e texto ilegível, que impossibilite sua leitura por dois avaliadores independentes.

Neste ano, cerca de 5,8 milhões de estudantes estão inscritos para realizar a prova, devido a pandemia foram criadas duas provas, impressas e digitais, impressas serão aplicadas nos dias 17 e 24 de janeiro e as digitais nos dias 31 e 7 de fevereiro.

As medidas de segurança para a prova contará com o número reduzido se estudante por sala isso de máscaras obrigatórias sendo que o estudante pode ter risco de ser eliminado caso não use e o álcool em gel ficará disponível em todos os ambientes de aplicação da provas.

Plano nacional de imunização e a previsão de começar a vacinação


Governo divulga o PNI nessa terça e prevê para final de fevereiro o início da vacinação

André Lucas

Na última quarta-feira dia 16, o governo federal apresentou o Plano Nacional de Vacinação (PNI). Enquanto países de primeiro mundo já começaram a vacinar a população como, por exemplo, os Estados Unidos e Reino unido, no Brasil a vacinação estar prevista para março do ano que vem.

A vacina levantou debates longes do campo técnico e científico. Está sendo discutido no Superior Tribunal Federal (STF) se a vacina deve ou não ser obrigatória e se os estados e municípios tem autonomia para elaborar o próprio plano de imunização ou essa competência é exclusiva do governo federal.

O STF está começando essa semana a julgar pautas relacionadas ao coronavírus. Uma é a obrigatoriedade da vacina, e se os pais tem o direito de não permitir que os filhos tomem a vacina por motivos religiosos, filosóficos, ou políticas. Outra questão é se os estados e municípios têm autonomia para desenvolver o próprio plano de vacinação com aquisição de vacinas e logística de distribuição. As sessões acontecerão essa semana.

O STF já tinha se envolvido no Plano Nacional de Imunização antes, quando o projeto foi apresentado sem data de iniciação e sem um cronograma bem definido do processo de distribuição. A ministra Carmem Lúcia deu 48 horas para o governo apresentar datas.

O Ministro da Saúde Eduardo Pazuello tentou minimizar o cenário de críticas e cobranças argumentando que a presa é angústia e ansiedade e que não era necessário esse sentimento agora. 

Ministro da Saúde, general Eduardo Pazuello. Foto: divulgação

“O povo brasileiro tem a capacidade de ter o maior programa de imunização do mundo. Somos os maiores fabricantes de vacina da América Latina. Para que essa ansiedade e essa angústia? Somos referência na América Latina e estamos trabalhando”, afirmou Pazuello.

Já sobre a logística o ministro informou: “a logística é simples. Apesar de o nosso país ser deste tamanho, nós temos estrutura, nós temos companhias aéreas, Força Aérea Brasileira, e toda a estrutura já planejada”

Pazuello ainda informou que a partir da data que determinada vacina conseguir registro na Anvisa, 5 dias depois o governo vai comprar e distribuir. 

O CN já fez um artigo mostrando o desempenho de cada uma das vacinas presente no país. Veja agora as informações atualizadas.

Pfizer:

A vacina estar no último estágio. Nessa quarta feira a empresa protocolou os resultados e dados da fase 3 e entregou a Anvisa. Segundo o site da Agência reguladora os documentos estão sendo analisados. A Pfizer tem um acordo com o Brasil pré assinado, de vender 8,5 milhões de doses no primeiro semestre e mais  61,5 no segundo.

Coronavac:

No dia 23 de dezembro o protocolo com a fase 3 será entregue a Anvisa. O anúncio veio do Instituto Butantan. Hoje o Instituto ofereceu uma proposta para o Ministério da saúde, ainda sem nenhuma resposta. A parceria com o governo de São Paulo vai muito bem, mas o governo federal não parece “confortável” em negociar a vacina chinesa.

“Nada será despendido agora para comprarmos uma vacina chinesa que eu desconheço, mas parece que nenhum país do mundo está interessado nela”, expressou Jair Bolsonaro.

AstraZeneca

Ultima informação sobre o desempenho da vacina Oxford é o grande índice de eficácia comprovado na fase 2 no mês passado nenhuma notícia nova para repassar.      

A previsão do governo federal é no final de fevereiro começar distribuição. O PNI estar disponível na íntegra caso seja de seu interesse. 

Coronavírus: relatório divulgado por pesquisadores da Ufal indica formação de segunda onda a partir de Maceió


Capital segue liderando o número de casos em Alagoas

Thais Paim

Nesta segunda-feira (14) foi divulgado um relatório realizado por pesquisadores da Universidade Federal de Alagoas que aponta o início de uma segunda onda de contágio do novo coronavírus a partir de Maceió, capital do estado. 

Segundo informações, os dados utilizados avaliaram a transmissão do vírus em Alagoas e prevê intensificação da contaminação nas próximas semanas. A análise é do Observatório Alagoano de Políticas Públicas para o Enfrentamento da Covid-19.

A incidência de casos da última semana na capital ultrapassou o número de novos casos no restante do estado. Segundo os pesquisadores, esse fenômeno também foi observado nas primeiras semanas da pandemia em Alagoas.

Em trecho do documento eles afirmam que: “Mantido esse comportamento, podemos repetir o fenômeno observado no primeiro semestre, quando a doença se espalhou pelo território alagoano a partir da capital. Além disso, é provável que nas próximas semanas continuemos a registrar aumento no número de óbitos, como observado em outras partes do mundo que registraram segunda onda da Covid-19”.

Segundo os pesquisadores, após o final da 50ª Semana Epidemiológica (6 a 12 de dezembro), Maceió vai seguir liderando o aumento de casos em Alagoas.

Arapiraca, segunda maior cidade do estado, vinha apresentando alta na semana anterior, mas apresentou uma queda no número de casos nesta semana. 

Sobre as mortes provocadas pelo coronavírus, houve registro de aumento na última semana. “O que pode ser interpretado como mais uma evidência do descontrole da transmissão”, aponta trecho do relatório.

O relaxamento das medidas de prevenção, o aumento de aglomerações e uma maior movimentação de pessoas provoca alerta. De acordo com os pesquisadores, “espera-se um aumento do número de novos casos nas próximas semanas no estado. Em média, cada 10 infectados transmitirão o vírus para 13 pessoas. 

Aumento de casos suspeitos

Nas últimas duas semanas, houve aumento no número de casos suspeitos. No último domingo (13), eram 8.163. Esse crescimento seria resultado da grande dificuldade enfrentada pelo Brasil no combate à pandemia, que é a política de testagem, de acordo com os pesquisadores. 

De acordo com o Observatório, a falta de testagem prejudica a avaliação da pandemia e as ações de enfrentamento. Mesmo com um baixo número de testes feitos, os resultados positivos também são utilizados na avaliação. 

“Neste sentido, este indicador também corrobora com a hipótese de expansão da transmissão em Alagoas, já que cerca de 60% dos testes RT-PCR realizados pelo Laboratório Central (Lacen) em dezembro tiveram resultado positivo. Para fins de comparação, entre a 31ª e 35ª SE essa proporção foi de aproximadamente 20”, aponta o relatório.

Outro assunto que os pesquisadores fazem alerta é para a participação da população na prevenção e a manutenção das práticas de prevenção: 

 “Neste contexto, apesar de todos os avanços no tratamento da COVID-19, milhares de pessoas continuam morrendo diariamente pelo mundo. Deste modo, até que tenhamos atingido uma imunidade coletiva, a partir de um robusto programa de vacinação que deverá durar meses, nossas únicas armas na luta contra o novo coronavírus continuam sendo as medidas de proteção amplamente divulgadas nesses últimos meses: higienização das mãos, uso da máscara e distanciamento social. Assim, espera-se que o poder público se empenhe nas conscientização, regulamentação e fiscalização do cumprimento dos protocolos. Mas, acima de tudo, espera-se que cada cidadão e cidadã alagoana faça sua parte”, orientaram os pesquisadores.

Federais devem retomar aulas presenciais em janeiro, determina MEC


Decisão foi publicada no diário oficial desta quarta-feira (02)

Por: Thais Paim

Após vários meses de suspensão das aulas presenciais devido à pandemia do novo coronavírus, o Ministério da Educação (MEC) determinou que as aulas presenciais nas universidades e institutos federais de ensino sejam retomadas a partir de 4 de janeiro de 2021.

A decisão foi publicada no Diário Oficial da União através de portaria. No texto, é revogada a permissão de que aulas online possam ser consideradas como dias letivos, o que segue sendo permitido até dezembro de 2020.

Segundo a portaria, o MEC determinou que é de responsabilidade das instituições o fornecimento de todos os recursos necessários para que os alunos acompanhem as aulas. O retorno também está condicionado aos protocolos de biossegurança e prevê que ferramentas de tecnologia sejam utilizadas com o objetivo de complementar possíveis conteúdos que foram perdidos durante a pandemia.

Segundo informações do G1, a Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes) ainda não se posicionou e irá aguardar a realização de reunião com os reitores. A entidade informou que atualmente, todas as 69 universidades e 41 institutos federais de ensino estão com aulas remotas.

A previsão é de que a volta às atividades presenciais coloque em circulação mais de 2,3 milhões de pessoas, entre alunos, professores e técnicos, de acordo com dados do MEC.

Apesar das universidades e institutos federais possuírem autonomia para realizar seus próprios calendários e reorganizar seus currículos, agora não possuem mais autorização para que as aulas on-line sejam equivalentes às presenciais.

Em 2020, o MEC se absteve de protagonizar uma articulação com as redes de ensino tendo como objetivo minimizar os impactos da pandemia. Na rede federal, o apoio foi anunciado em julho: o governo confirmou que forneceria chips e pacote de dados a 400 mil alunos de baixa renda das universidades.

O texto da portaria afirma que “práticas profissionais de estágios ou as que exijam laboratórios especializados, a aplicação da excepcionalidade”, precisam obedecer às Diretrizes Nacionais Curriculares aprovadas pelo Conselho Nacional de Educação (CNE). Além disso, determina que está proibida “a aplicação da excepcionalidade aos cursos que não estejam disciplinados pelo CNE”.

A portaria desta quarta-feira se refere apenas às instituições federais de ensino. As redes públicas estaduais e municipais ainda seguem sem definição sobre o tema.

Voluntário de testes da Coronavac morreu de suicídio


A morte do voluntário na fase 3 dos testes da vacina produzida pela chinesa Sinovac foi decorrente de suicídio, apontou um laudo médico emitido pelo Instituto Médico-Legal (IML) e obtido pela TV Cultura no início da tarde desta terça-feira.
O óbito causou a interrupção dos testes nesta segunda-feira pela Anvisa – que, antes de avisar ao próprio governo de São Paulo, informou à imprensa de que os testes estavam suspensos em decorrência de “eventos adversos graves”, mas sem especificar o que havia ocorrido.

TV Santa Cruz cancela debate com candidatos à Prefeitura de Itabuna


Mais um debate foi cancelado! A TV Santa Cruz havia programado um debate com os candidatos à Prefeitura de Itabuna. O evento seria realizado no dia 31 de outubro, mas foi suspeso pela emissora.

O comunicado enviado às campanhas dos candidatos convidados , a afiliada da Globo justificu a decisão por “questões sanitárias”.foto-sede-tv-stacruz-nova

Na mesma nota a TV Bahia reafirmou que não teria como garantir a segurança contra a disseminação do novo coronavírus a todos os envolvidos no encontro, incluindo desde os candidatos e suas equipes, como também os profissionais que atuam na emissora. Com a decisão, o debate do 1º turno pela TVE, no dia 24 de outubro, é o único até então confirmado.

Nota na íntegra

“Em função das questões sanitárias e dos desafios impostos pela pandemia do novo coronavírus informamos que não realizaremos o debate do primeiro turno com os candidatos à Prefeitura de Itabuna. A medida é necessária uma vez que não conseguiríamos salvaguardar todos os envolvidos no processo, tanto os nossos funcionários quanto as equipes da campanha eleitoral”.

Teatro: muito mais que uma forma de entretenimento


Em pleno, Dia Nacional do Teatro, atores refletem sobre sua paixão por esse tipo de arte e a importância da mesm para a sociedade.

O diretor Anselmo Soares Farias Foto: divulgação
O diretor Anselmo Soares Farias Foto: divulgação

Uma das manifestações artísticas mais antigas da humanidade está sendo homenageada hoje: o teatro! Esta forma de arte surgiu na Grécia Antiga, sendo muito importante para o desenvolvimento da cultura grega, servindo inclusive de influência e inspiração para outros povos da antiguidade, principalmente os romanos.

Em terras brasileiras o teatro surgiu no século XVI, com o objetivo de espalhar a crença religiosa. Só em 1808, com a chegada da Família Real Portuguesa, que o teatro passou a ser visto como uma forma de entretenimento. Para se ter uma ideia, naquela época era hábito os reis convidarem companhias de teatro estrangeiras para fazer as suas apresentações para a nobreza.

Em seu projeto de pesquisa, realizado para a Universidade de Brasília – Instituto de Artes Cênicas, o ator, diretor e produtor cultural, Anselmo Soares Farias analisa que, embora tenha se originado como uma expressão acessível de identidade cultural, em tempos recentes o teatro passa a ter um corte socioeconômico que não é uma característica sua, mas de todas as demais expressões artísticas. “Não somente as plateias são selecionadas a partir de sua capacidade de pagar para ter acesso a grandes espetáculos com grupos e atores renomados; como também uma parcela considerável de pessoas só tem acesso ao teatro por meio de grupos amadores que atuam de forma mambembe, despendendo esforços que vão desde sua organização até a produção”, declara Farias.

Elyan Lopes(E) na peça Três Reportagens Malditas, de Plínio Marcos. Foto|: divulgação
Elyan Lopes(E) na peça Três Reportagens Malditas, de Plínio Marcos. Foto: divulgação

Mas, quem apenas assiste a uma apresentação teatral talvez nem imagine os desafios que são enfrentados para que uma peça, finalmente, entre em cartaz. O ator e quadrinista, Elyan Lopes sabe bem o que é isso. “É sempre muito difícil encontrar empresas dispostas a investir nesse tipo de projeto”, lamenta.

O ator Frank Araújo. Foto: divulgação
O ator Frank Araújo. Foto: divulgação

Segundo o ator, que fez este ano uma participação na novela “Malhação” da Rede Globo, uma das estratégias utilizadas é buscar o apoio logístico de pequenas empresas como, por exemplo, restaurantes e lojas que vão oferecer itens de figurino. “Pequenos empresários são mais receptivos a esse tipo de parceria”, avalia Lopes.

Para muitos, a paixão pelo teatro é algo difícil de se explicar com palavras. “O teatro é algo magnífico. Ele faz a gente se desenvolver todos os dias, despertando emoções diversas. Você pode ter 15, 20, 30 anos, mas a cada apresentação que faz é uma emoção diferente”, declara o ator Frank Araújo.

Segundo Araújo, que também é modelo e empreendedor, o teatro é uma espécie de terapia, que prepara o indivíduo para qualquer situação da vida. “O teatro é vida, é alma, é uma sementinha que é plantada diariamente por quem representa”, finaliza.

O teatro é uma das manifestações artísticas mais completas e encantadoras. Nós do Carvalho News parabenizamos a todos os profissionais que contribuem para que o espetáculo literalmente aconteça: figurinistas, coreógrafos, aderecistas, iluminadores, cenógrafos, auxiliares de camarins, atores, atrizes, diretores…

Servidores do INSS prometem não retornar as atividades presenciais a partir de amanhã


A reabertura das agências do INSS em plena pandemia do corona vírus é o principal motivo da greve dos servidores deste instituto que se iniciará amanhã. Representantes do funcionalismo em plenária da Federação Nacional dos Servidores da Previdência Social (Fenasps), que ocorreu na última sexta-feira, aprovaram a decretação de greve sanitária em defesa da vida, a partir de amanhã em todo o país, para evitar a retomada do atendimento presencial nas unidades, suspenso até 14 de setembro. Desta forma, o retorno gradual a partir desta data pode ficar comprometida. A retomada de atividades presenciais amanhã visava a preparação para atendimento a partir do dia 14.

A orientação da federação é que os servidores permaneçam em home office. Os participantes da plenária alegam que a decisão de decretar a paralisação foi tomada “diante da intransigência da direção do INSS para reabrir agências no um momento em que o país ainda se encontra com altos indicadores de contaminação.

A determinação para servidores é que não retornarem aos locais de trabalho a partir de amanhã, como o instituto havia estabelecido. “Será mantido o trabalho remoto enquanto perdurar a pandemia”, informa nota da Fenasps.

Os participantes da plenária também indicaram que servidores do grupo de risco, bem como os que coabitam com idosos, para protocolarem autodeclaração para permanecerem em home office. O encontro determinou ainda que os sindicatos estaduais instaurem comandos de greve para organizar a paralisação.

A entidade solicitou que servidores denunciem aos sindicatos estaduais casos de assédio moral em relação ao retorno ao trabalho presencial. Nessas situações, serão apresentados requerimentos aos ministérios públicos do Trabalho e Federal, para que façam vistoria nas unidades do INSS. Além disso, pediu que servidores ativos que testaram positivo, seja em exames feitos pelo SUS ou plano de saúde, comuniquem os resultados aos sindicatos.

Itabuna: três lojas foram multadas neste sábado por aglomeração


Fiscais da Secretaria Municipal de Indústria e Comércio, multaram três lojas neste sábado por descumprirem o Decreto 13.738, que proíbe a abertura de estabelecimentos comercias aos sábados e domingos.

De acordo com Edvalado Alves, diretor de Indústria e Comércio, as lojas foram autuadas. “Foram duas lojas de acessórios e uma de confecções”, disse.

A fiscalização acontece desde a quinta-feira, 09, primeiro dia de reabertura do comércio. “Na quinta e na sexta-feira, 10, nosso trabalho foi também de orientação. Pedimos para os lojistas usarem álcool em gel, máscara e evitarem aglomeração nos espaços”, explicou Edvaldo Alves.

Toque de recolher
Na noite de deste sábado,11, fiscais de Indústria e Comércio, Polícia Militar e Guarda Municipal estarão realizando uma blitz para fechar os bares que estão infringindo o Artigo 7, do Decreto N. 13.738 , que determina o toque de recolher das 18h às 5 horas do dia seguinte. “Só é permitido o funcionamento de farmácias e hospitais”, disse Edvaldo Alves.