Baiana se reinventa após queda da demanda para costura de roupas juninas; conheça essa história


Analice da Paixão precisou mudar de foco para não sofrer grandes perdas em sua renda

Thais Paim

A empreendedora Analice da Paixão, de 46 anos, relembra como o trabalho de costureira foi movimentado no último São João, em 2019. Da sua casa, na zona rural de Serrinha, a 190 quilômetros de Salvador, ela costumava produzir roupas juninas para quadrilhas e quem mais batesse à sua porta.

Com o cenário de pandemia, tudo está diferente. Analice relembra a grande demanda que sempre teve em busca do seu trabalho e conta como foi o início da sua trajetória. “Em 2005 comecei a ser requisitada para coisas de São João. Fizemos uma festa de São João aqui em Mandacaru [zona rural de Serrinha], e um foi falando para o outro, foi o boca a boca, até que um monte de gente foi me conhecendo”, lembra ela.

Mudança e adaptação

Costureira há mais de 10 anos, a paixão aprendida com a mãe deu espaço a outra coisa que ela também herdou: o amor pela plantação. Após sofrer com a redução dos trabalhos de costura, foi esse amor que fez com que Analice não encontrasse problemas financeiros para sobreviver.

Se reinventar para encontrar uma nova fonte de renda trouxe bons frutos para a empreendedora, que afirma: “Graças a Deus não sofremos impacto nesse sentido [econômico]”.

Há dois anos ela decidiu focar na plantação de frutas, verduras e legumes, por meio de uma horta em casa, que cuida junto com o marido. “A agricultura familiar traz vida para o agricultor. A gente que vive na zona rural não tem oportunidade. É uma força e tanto para nós que vivemos da roça”, destaca.

Histórias de mulheres empreendedoras

Com 35 anos de fundada, a Associação Comunitária Agropastoril de Curral Novo e Jacaré, em Juazeiro, no norte da Bahia, nunca havia passado por uma crise como a causada pela pandemia da Covid-19. Para não reviver o cenário do ano passado, a solução encontrada foi a venda dos produtos pela internet.

“Vendemos somente para a Bahia, e no São João tinha muita saída. Mas com a crise, essas vendas pararam e a gente foi para a internet. Foi o que salvou a gente. Temos vendido bastante, até para Salvador, e acredito que nosso faturamento já é 50% maior do que no ano passado”, conta Marineide Arcanjo, que faz parte da associação.

Ainda segundo Marineide, os produtos que mais têm saída são o doce de umbu e o licor tamarindo.

Quem também gera renda com uma iguaria muito apreciada no período de festejos juninos é a Associação das Mulheres Empreendedoras de Buerarema (Ameb). As integrantes produzem balinhas de genipapo no município de Buerarema, no sul da Bahia.

Mesmo sem São João existe a expectativa de maior procura das balinhas para este ano. Elas também produzem licores variados e esperam aumento de vendas neste período junino.

“A nossa demanda, há dois anos, é direcionada para a loja da Cesols, mas a gente quer expandir e ter essa demanda no período junino, caso seja possível”, explica Maria das Graças Silva Santos, presidente da Ameb.

Além desse doce, as mulheres da Ameb produzem geleia de mel de cacau, farinha de Buerarema, balas de cupuaçu, mel de cacau, torrão de cacau no pilão, nibs de cacau e barrinhas de chocolate com semente do cupuaçu, entre outros produtos orgânicos.

Dilma Rousseff é absolvida por prejuízos na compra da refinaria de Pasadena


Marcelo Carvalho

Na última quarta-feira, 14/04, o Tribunal de Contas da União (TCU) absolveu a ex-presidenta Dilma Rousseff pelos prejuízos provocados à Petrobras na compra da refinaria de Pasadena (EUA).

Na ocasião da transação, Dilma era integrante do conselho de administração da Petrobras e votou favoravelmente à compra da refinaria. À época, a ex-presidenta argumentou que não teve acesso a todas as informações necessárias sobre a aquisição.

Na mesma decisão, o TCU condenou o ex-presidente da companhia, José Sérgio Gabrielli, e os ex-diretores Paulo Roberto Costa e Nestor Cerveró, delatores da Lava-Jato. Pela sentença eles terão que pagar uma multa de R$ 110 milhões, além de ficarem oito anos sem exercer cargos públicos.

“Não há razoabilidade e proporcionalidade em igualar responsabilidades daqueles que agiram com deslealdades com os outros envolvidos, cuja má-fé não ficou demonstrada nesses autos tampouco em outras instâncias nas quais se apura o caso Pasadena”, afirmou o relator do caso, o ministro Vital do Rêgo, em sua decisão.

Caso Tom Veiga parece estar longe do fim


Roberto Cabrini investiga o caso em reportagem do programa Domingo Espetacular, da Rede Record

O ‘Domingo Espetacular’ deste domingo (11), traz detalhes da disputa pela herança de Tom Veiga e os novos elementos que levantaram suspeitas sobre a morte do intérprete do Louro José. O jornalista Roberto Cabrini investiga a relação conturbada de um dos humoristas mais queridos do Brasil com a terceira e última mulher, Cybelle Herminio, e a questiona sobre as denúncias da família e de funcionários de Tom de que o teria agredido. E ainda: uma entrevista exclusiva com Alessandra Veiga, que também foi casada com Tom e é mãe dos dois filhos caçulas do artista. Tom ainda deixou mais dois filhos da união com Cristina Rilco.

Auxílio emergencial terá uma nova rodada


Marcelo Carvalho

Após uma reunião, o ministro da Economia, Paulo Guedes, e os presidentes da Câmara, Arthur Lira (PP-AL) e do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), afirmaram que o auxílio emergencial será viabilizado por meio de uma ‘cláusula de calamidade’ a ser incluída em medidas de ajuste fiscal defendidas pela equipe econômica.

“É fundamental que haja cláusula de calamidade pública para que possamos fazer flexibilização necessária para o auxílio”, afirma Pacheco, em pronunciamento à imprensa. O parlamentar acredita que o benefício e a vacinação só deixarão de ser prioridades após o fim da pandemia de Covid-19.

“Nessa reunião externamos ao ministro Guedes e ao ministro Ramos (Eduardo Ramos, ministro da Secretaria de Governo) o que é o desejo e expectativa do Congresso em relação a esse momento. A prioridade absoluta é vacina e auxílio emergencial, que só deixarão de ser prioridade quando a pandemia acabar”, garante Pacheco.

Guedes tem cobrado do Congresso a aprovação de medidas de corte de gastos como compensação para uma nova rodada do auxílio emergencial. Nesta quinta-feira, ele indicou que o programa pode durar até quatro meses com uma mensalidade de R$ 250.

Pacheco disse ser “fundamental” que o Congresso também faça sua parte e há um cronograma de reformas, citando como exemplo a reforma tributária. Ele afirmou que a expectativa é que o auxílio seja pago a partir de março.

A “cláusula de guerra” que permitirá ao governo gastar mais durante a pandemia em 2021 e abrirá caminho para o auxílio emergencial deve ser inserida no Pacto Federativo, proposta por meio da qual Guedes pretende fazer um ajuste fiscal com corte de gastos.

Pacheco disse que irá submeter o assunto à reunião de líderes da próxima quinta-feira, além de conversar com o relator da proposta, o senador Márcio Bittar (MDB-AC).

Já o presidente da Câmara afirmou que o Congresso irá cumprir uma “agenda básica, mínima” após o carnaval.

Em tentativa de limpar a imagem, Pazuello vai para Manaus sem data para voltar


Enquanto o ministro recebe críticas até dos aliados do governo, a PGR faz denúncia ao STF sobre sua conduta

André Lucas

O ministro da saúde, Eduardo Pazuello, vem sofrendo muita  rejeição, e aliados já aconselham que ele abandone o cargo, em meio a tanta pressão, o ministro foi para Manaus, cidade que está sofrendo com alta de casos e falta de oxigênio. 

Os “conselheiros” que articularam essa viagem de Pazuello, segundo informações da Folha De São Paulo, o Planalto está tentando limpar o desgaste da imagem dele. 

Além disso, os pedidos de impeachment são baseados entre outros argumentos, na tese de que o governo federal não estar agindo para combater o vírus, e nem para resolver os problemas gerados pela covid, como as mais de 200 mil mortes no país, ou as pessoas que ficaram sem renda por causa da crise. O ministro da saúde ir pessoalmente até o local indica uma importância para o Planalto, o que teoricamente contradiz a tese do descaso do governo Bolsonaro. 

O ministério da saúde divulgou uma nota dizendo que o ministro não tem data para voltar, e ficará na cidade o quanto for necessário. 

A ala militar dentro do grupo de apoiadores do Bolsonaro são os que mais tem interesse na saída do ministro, para os militares o ministro mancha não só sua imagem, mas de toda as forças militares, o fato de ser um general do exército, faz dele um símbolo, se um general é ridicularizado, todo o exército é ridicularizado junto. 

Apesar de estar incomodado com a conduta de Eduardo Pazuello, o Presidente Bolsonaro, diz em suas entrevistas que que não pertence trocar o ministro.  O Planalto elaborou um plano para limpar a barra do ministro, se chama “Plano de reação ao desgaste”, o ministro da comunicação, Fábio Farias está comandando o plano, que inclui a divulgação de dados das medidas que o governo toma para combater a pandemia. 

Segundo divulgações do ministério da saúde, o Ministro enviou 132,5 mil doses de imunizantes da AstraZeneca ao estado do Amazonas, para integrar o plano de imunização. 

Na nota à imprensa, a pasta faz questão de salientar que a Saúde está cumprindo sua determinação de dar prioridade ao Amazonas na imunização.  A meta é imunizar 1,5 milhão de pessoas no estado até o final do ano, mas a expectativa do governo do Amazonas é que a meta seja cumprida ainda no primeiro trimestre”, ressaltou a nota emitida pela imprensa.  

Denúncia contra Pazuello

O procurador geral da Republica, Augusto Aras, fez um pedido ao STF para abrir inquérito contra o ministro da saúde, com a denúncia de descaso e irresponsabilidade em relação à crise na cidade de Manaus. U

ressalta ainda que uma eventual omissão seria passível de responsabilização cível, administrativa ou criminal.

“Mostra-se necessário o aprofundamento das investigações a fim de se obter elementos informativos robustos para a deflagração de eventual ação judicial”, disse. 

O documento salienta ainda que chama a atenção, entre as aparentes prioridades da pasta, a entrega de 120 mil unidades de hidroxicloroquina como tratamento ao coronavírus, “quase a mesma quantidade de testes” para detecção da doença. Aras explica que apesar do produto ter sido produzido pelas forças armadas, foi gasto dinheiro público para produzir, e sem eficácia, o dinheiro público foi gasto à toa. 

O Espírito Santo recebeu milhões do governo federal por causa da lei Kandi


Julia Vitoria

O governo do Estado do Espírito Santo recebeu 115 milhões do governo federal em compensação pela Lei Kandir. O pagamento é em relação ao ano passado e o estado deve receber ainda este mês a parcela de janeiro de 2021 equivalente a R$11,99 milhões.

A Lei Complementar nº 87/1996, conhecida como Lei Kandir, prevê a isenção do pagamento do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) sobre as exportações de produtos primários, como itens agrícolas, semielaborados ou serviços.

Feita pelo então ministro do Planejamento Antônio Kandir, no governo de Fernando Henrique Cardoso, a medida de isenção fiscal tem o objetivo de dar maior competitividade ao produto brasileiro no mercado internacional.

Ao longo do ano está previsto para que o estado receba R$144 milhões, deste total  75% equivalente a R$108 milhões, ficará com o governo do estado e os outros 25% que equivale a R$32 milhões irão ser divididos entre os municípios seguindo o Índice de Participação dos Municípios (IPM).

Segundo a lei complementar 176/20, dentre os anos de 2020 a 2037 o governo federal irá  repassar cerca de 58 bilhões para os Estados e municípios que compensará perdas de desoneração e exportação, do total a ser recebido pelos estados 4 bilhões será entregue a cada ano de 2020 a 2030 a partir de 2031 os valores irão diminuir e o estado receberá 500 milhões até 2037.

Bruno Pires Dias Secretário de Estado da Fazenda disse sobre a importância desta compensação do governo Federal, ele fala também que a lei gerou um grande débito da União com os estados e que o  valor para pelo governo federal colocará fim em uma situação que se arrasta por anos.

Gás de cozinha dispara e chega a 90 reais no sudeste


Petrobrás faz reajuste de 6% no preço, é 11° em 9 meses

André Lucas

O ministro da Economia, Paulo Guedes, durante o primeiro mandato afirmou diversas vezes. Que o gás de cozinha “ vai chegar” a metade do preço, porém atualmente o preço do gás em alguns  lugares está chegando a 110 reais, no Rio de Janeiro chega a 85 reais, em São Paulo a 90 reais.  

O ministro nunca citou um preço específico, apenas a porcentagem sobre o produto,  durante o período de 2019 o preço médio do produto era de 69,24 centavos, segundo o INPE, 50% disso dá cerca de 35 reais. 

Anunciar um gás de cozinha até 35 reais, é mais um argumento do que uma promessa, Guedes sempre foi abertamente a favor de privatizações e defende com a privatização da Petrobras a concorrência aumenta e com isso os preços despencam.  

no ano passado, a Petrobras vendeu a Liquigás, uma subsidiária que atuava no engarrafamento, distribuição e comercialização de gás liquefeito de petróleo (GLP). 

Entretanto, nesse caso, a privatização não garantiu mais concorrência porque mudaram apenas os controladores da empresa, sem a entrada de novos participantes no mercado. Além disso, o governo não tomou medidas adicionais para estimular a competição no setor, com a entrada de mais companhias.  

Venda da Petrobrás não reduzirá preço do gas de cozinha

Adriano Pires, analista de energia da CBIE, explicou que mesmo com a venda da Petrobras o preço do gás não irá despencar, o primeiro motivo é o fato da Petrobrás ser a única produtora do GLP e a outra parcela é importada, o que também aumenta o preço. 

Outra questão é o fato do GLP ter como insumo base o petróleo, que é vendido a preço de mercado internacional, “ nenhuma empresa vai vender barato para tomar prejuízo.      

Além de o preço do gás variar de acordo com os mercados, o dólar em alta encarece ainda mais o preço do produto importado para o Brasil. 

Em dezembro de 2019, o preço médio do botijão de gás chegou a R$69,24, passou para R$74,74 em dezembro de 2020 e já alcançou R$75,77 em janeiro de 2021, conforme dados da ANP. Esse é o preço médio, mas há picos, como os R$105 em MT.    

No dia 6 de janeiro de 2021, a Petrobrás anunciou mais um reajuste no preço, de 6%, esse é o 11° reajuste em 9 meses, consideravelmente alto.  

José Luiz Rocha, presidente da abragas, sociedade que reúne os revendedores de botijão, diz que não existe alternativas para fugir dessa situação é que a culpa estar na produção e distribuição do produto, Estamos na mão de um monopólio na produção do GLP e de um oligopólio entre as distribuidoras”, sem concorrência o preço dispara. 

Rocha também falou que os empresários enxergam o gás como uma energia barata, mesmo com a alta dos preços se comparado com outras fontes o GLP “ sai mais em conta.” O empresário diz lamentar a alta do preço que afetam a renda dos trabalhadores, “ pesa no bolso trabalhador, compromete quase 10% do salário mínimo. 

O presidente da Associação Brasileira dos Revendedores de Gás Liquefeito do Petróleo (Asmirg), Alexandre Borjaili, estima que o preço do gás de cozinha vendido aos brasileiros pode bater a casa dos 150 reais, ou mesmo  200 reais, em uma hipótese drástica,  neste ano. “Se persistirem esses aumentos consecutivos, sem limites, a previsão é de que o gás de cozinha chegue logo a R$150.”

STF emite nota desmentindo Bolsonaro


No texto o supremo esclarece que não proibiu nenhuma medida do governo federal contra a covid 19

André Lucas

O STF informou, na última segunda-feira, que é mentira que é mentira que o supremo tenha vetado as ações de Bolsonaro contra a covid 19. 

Em nota, o STF informa que “não é verdadeira a afirmação que circula em redes sociais” nesse sentido. Apoiadores do governo, além do próprio presidente Jair Bolsonaro, vêm fazendo afirmações do tipo para rebater cobranças sobre a atuação da União no combate à pandemia. 

Desde que o STF analisou ações que discutiam a competência de estados e municípios para tomar providências para combater a Covid-19, no ano passado, o presidente Bolsonaro tem dito que foi impedido pelo tribunal de tomar ações mais efetivas contra a pandemia. A alegação também tem sido veiculada por parlamentares bolsonaristas e apoiadores do presidente.

Na última semana, quando a crise do oxigênio em Manaus se acentuou, o presidente voltou a usar o argumento. Em uma entrevista à Rádio Jovem Pan, voltou a dizer que as decisões do STF o impedem de tomar outras providências contra a pandemia. 

Na entrevista o presidente da República Jair Bolsonaro, diz que o aumento de casos em Manaus tem relações com a temperatura na região, e que apesar do STF o governo estar focado em atuar na recuperação do sistema de saúde da região, e estar enviando cilindro de oxigênio.  

Na rede bandeirante o presidente deu entrevista ao Datena na última sexta feira dia 15 de janeiro, o presidente disse , “Vou repetir aqui: que moral tem João Doria e Rodrigo Maia em falar em impeachment se eu fui impedido pelo STF de fazer qualquer ação contra a pandemia?”  

O discurso do presidente reverberou na sua base. Diante da discussão sobre o colapso de saúde em Manaus na semana passada, bolsonaristas passaram a eximir o presidente de culpa sob o argumento de que o Supremo o proibiu de agir contra a doença.

O STF, porém, afirma que esse discurso não é verdadeiro. Na nota, a corte menciona “afirmação que circula nas redes sociais” sobre o tema. 

A decisão descrita por Bolsonaro como medida que proíbe o governo federal de agir, na verdade apenas permite que estados e municípios possam tomar decisões de forma autônoma, na luta contra o covid 19. 

Na prática isso não interfere em nada nas decisões vindas do Planalto, que continua tendo sua autoridade intacta como um dos três poderes fundamentais para a existência da república e democracia. 

Cabelos bonitos e saudáveis e uma estima alta


Marcelo Carvalho

Primeiramente, no “vale tudo” para manter a auto estima em dia, cuidar da saúde e do bem estar dos cabelos é essencial para homens e mulheres. Nessa tarefa um bom cabeleireiro pode ajudar e muito.

Além disso, o profissional capilar, que pode atuar em salões de beleza ou mesmo de forma autônoma, alia talento, criatividade, bons produtos, simpatia para literalmente dar “um tapa” no visual da clientela.

Porém, engana-se quem acredita que a vida deste “artista” não possui desafios. “A carreira requer muito comprometimento e dedicação, além de um olhar atento às tendências”, esclarece o cabeleireiro Fábio Silva.

O amazonense revela que aprendeu a profissão aos 13 anos. ” Foi minha primeira profissão”, conta ele que após um período decidiu atuar como modelo e dançarino, indo trabalhar na distante China. “Fiquei lá por dois anos”, lembra.

Ao retornar ao Brasil, Silva decide voltar a retomar a profissão que tanto amava e monta o seu próprio negócio. “Estou há 13 anos na profissão, auxiliando os clientes a manterem sua estima elevada”, comemora.

Nesse interim, o profissional garante que esse trabalho lhe traz uma sensação muito boa. “É gratificante fazer o que se gosta e conseguir tirar dali o seu próprio sustento”, afirma.

O empresário, Fábio Silva, em frente ao seu salão Lufaro Studio Hair. Foto: arquivo pessoal

O Sucesso na Profissão

Celso Kamura, Anh Cotran, Marco Antonio de Braggi, Marcos Proença, bem como, Rodrigo Cintra são algumas das nossas referências quando o assunto é cabelos. Eles são os famosos hair stylists, que além de fazer os mesmos cortes e procedimentos que o cabeleireiro, trabalham como consultores de imagem.

Nesse sentido, os cabeleireiros conhecem os cortes e procedimentos existentes e os aplicam nos clientes, normalmente, como são solicitados.

Por isso. mesmo é importante buscar inovações e aperfeiçoamento profissional para ficar sempre a par das novas técnicas e produtos lançados e produtos lançados. “Tem que amar verdadeiramente a profissão, pois o cabeleireiro cria arte e trabalha com a sensibilidade, a autoestima e até mesmo os sonhos das pessoas”, finaliza Silva.

Uma das “obras” do cabeleireiro Fábio Silva. Foto: arquivo pessoal

Saiba Mais

Origem do Dia do Barbeiro

Essa data comemorativa foi instituída através da Lei nº 12.592, de 18 de janeiro de 2012. No seu artigo 5º, consta que a mesma deve ser comemorada no dia da promulgação da lei.

Acontece que a lei foi promulgada no dia 18, mas se tornou comum considerá-la no dia seguinte. Isso porque no artigo 6º consta que a lei entra em vigor na data da sua publicação, o que aconteceu em 19 de janeiro.

Enfim, o mesmo acontece com as comemorações relativas aos dias do barbeiro, esteticista, manicure, pedicure, depilador e maquiador.

Cursos de Cabeleireiro

https://www.institutoloreal.com.br/curso/curso-de-cabeleireiro-intensivo/

https://www.institutomix.com.br/cursos/cursos-de-beleza

https://mundodecursos.com.br/curso-cabeleireiro-senac/

Os benefícios de sorrir


Julia Vitoria

Em primeiro lugar, rir é o melhor remédio. Estudos comprovam que essa simples ação ajuda a amenizar o estresse e aumentar a imunidade. Contudo, você sabia que rindo 15 minutos por dia pode emagrecer até dois quilos? Alguns ainda dizem que rir por um longo tempo faz com que ganhamos mais um dia de vida.

Além disso, quando sorrimos liberamos o hormônio da felicidade. Em outras palavras, é por isso que quando estamos alegres temos tendência a sorrir mais. Para esconder uma lágrima ou demonstrar alegria, esse ato é altamente importante e tem um dia especial.

A celebração do riso

O Dia Internacional do Riso é comemorado em 18 de janeiro. Esse dia foi criado pelo médico  indiano Madan Kataria, no ano de 1995. Ele também criou um movimento terapêutico para tratar a depressão sem precisar de remédios. O método também  começou a ser comemorado para celebrar a paz mundial, sendo levado para o mundo através de mensagens de irmandade e amizade por causa  da risada.  Esse movimento foi chamado de Yoga do Riso.

Médico  indiano Madan Kataria criador do movimento Yoga do Riso. Foto: divulgação

Esse processo é realizado através de respirações de risadas incontroláveis porém não reais/ Porém isso só acontece porque o cérebro  não  consegue distinguir as risadas verdadeiras das falsas e isso ajuda no tratamento. 

Benefícios comprovados

A risada pode trazer muitos benefícios. Ela auxilia na prevenção de doenças, promove um bem-estar, ajuda também o organismo a realizar algumas atividades do dia a dia, a psicóloga Roberta Luchi dos Santos declara que é comprovado cientificamente que rir libera endorfina e serotonina, que nos trazem sensação de bem estar.

Além disso, também comprovado que quando sorrimos o mesmo procedimento que libera endorfina, diminui o hormônio cortisol. Que é responsável pelos sentimentos negativos. “Consequentemente, rir nos deixa mais felizes e dispostos a lidar com desafios da vida” afirma a psicóloga. 

Uma boa risada pode diminuir o estresse, queimar calorias e ajudar na circulação sanguínea, além de melhorar dores, a qualidade do sono, fortalecer o sistema imunológico e melhorar a autoestima. O ser humano se depara com diversas situações que o deixam para baixo e o riso e a alegria são fundamentais para  uma vida saudável,o bom humor pode transformar situações e até mesmo melhorar a qualidade de vida de toda a família. Quando a pessoa sorrir ela movimenta 12 músculos faciais, e dar uma gargalhada exercita até 22 músculos, o que contribui e muito para o rejuvenescimento facial

.

O riso é muito importante, ainda mais nas emoções, mas hoje em dia as pessoas estão agindo mais com a lógica. Vivemos em um mundo de muita informação ao mesmo tempo, o que acaba não tendo um equilíbrio no dia a dia, contudo quando sorrimos podemos voltar a ter esse equilíbrio isso porque ao realizar este ano ativam os o lado direito do cérebro e acabamos tendo uma libertação emocional o que ajuda a ter novamente um equilíbrio e no bem estar de cada um.

Como resultado, precisamos sorrir pelo menos dez minutos por dia porque o cérebro precisa deste tempo para ser ativado e liberar os hormônios que nos trazem felicidade. De fato rir é o melhor remédio mesmo, além de nos proporcionar uma ótima sensação ele ainda ajuda na nossa saúde. Então fica a dica ria cada vez mais.