Sebrae orienta pequenas empresas para faturarem no Dia dos Pais


Segundo os órgãos ligados ao comércio, essa é uma das datas mais esperadas do segundo semestre do ano, pois movimentam a economia no país.

William Gama

O Dia dos Pais está chegando. No próximo dia 14, será comemorado essa data no Brasil. Um estudo realizado pelo Sebrae em 2021, mostrou que 27% dessa homenagem foram dedicados aos pais, enquanto 31%, são dedicados aos maridos, noivos, companheiros e namorados.

Segundo os órgãos ligados ao comércio, essa é uma das datas mais esperadas do segundo semestre do ano, pois movimentam a economia no país. Segundo os empresários do setor, essa é uma data em que as empresas e o comércio devem implementar novas estratégias de marketing e de vendas de seus produtos.

 

Essa data traz novas oportunidades em diferentes setores, pois de acordo com o Sebrae, o ramo de vendas de roupas cresceu (43%); cosméticos, perfumes, colônia pós-barba (21,4%); comidas para ao almoço ou jantar de domingo (10.1%); chocolates (9,1%) e o de bebidas e vinhos chegaram a (9,1%) na demanda da procura desses produtos.

O Sebrae dá dicas para quem deseja superar suas vendas nessa data comemorativa. O planejamento significa organizar, capacitar e preparar as equipes de vendas, para ampliar a oferta dos objetivos através no marketing digital. A presença do digital faz com que aumenta a programação de divulgação dos produtos que são oferecidos pelos estabelecimentos, fazendo com que tenham uma projeção maior desses objetos. 

Organizar os estoques, é uma das principais metas a serem seguidas, pois a gestão de qualidades de estoque das empresas, fazem com que se estabeleça a organização dos itens que se encontram no almoxarifado onde são guardados os produtos da loja.

E isso faz com que otimize tempo na hora de procurar os produtos que são solicitados pelos clientes na hora da compra. Nesse sentido, o Sebrae orienta que os donos de pequenos e grandes negócios estabeleçam regras, para que que possam lograr êxito e bons resultados na hora de fechar negócios com os clientes. 

Fidelização de clientes é necessário

Outro passo importante é estocar uma boa quantidade de produtos que são considerados os carros chefes de vendas, ou seja, são aqueles produtos que nesse período são muitos procurados por diferentes tipos de gostos e de públicos. Os donos de estabelecimentos precisam se programar com o intuito de não deixarem faltar esses produtos nas prateleiras, pois esses itens são considerados os principais atrativos dos clientes.

Outra dica importante que o Sebrae se dirige aos empresários, é que as empresas devem se atenuar na procura não somente de novos clientes, mas, também restabelecer vínculos com antigos clientes, pois esses consumidores estão mais propensos a voltarem a procurarem os estabelecimentos onde um dia realizaram suas compras. 

Um fator muito importante para que se possa ter êxito nas vendas, é ter uma equipe de vendedores qualificados e preparados na hora de realizarem as vendas. Pois esse é um passo relevante na hora de oferecer os itens a clientela. Uma dica que deve ser levada em consideração é a do vendedor conhecer bem os produtos na qual irá oferecer, pois o profissional que domina bem o assunto terá mais chances na hora de usar suas estratégias de vendas na hora de divulgar as qualidades do produto que esta sendo vendido e assim convencer os cliente a realizarem as compras. 

Fonte: Agência Sebrae de Notícias

Aprenda a calcular distribuição do lucro do FGTS


Murillo Torres

Agora é para valer. O Conselho Curador do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço )aprovou no dia de hoje (22), a distribuição de R$ 13,2 bilhões do lucro do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) em 2021. Esse valor será repartido proporcionalmente entre os cotistas. Quanto maior o saldo da conta vinculada ao FGTS, mais o trabalhador terá a receber.

O valor de referência corresponde ao saldo de cada conta em 31 de dezembro de 2021. Quem tiver mais de uma conta receberá o crédito em todas elas, respeitando a proporcionalidade do saldo.

Para saber a parcela do lucro que será depositada, o trabalhador deve multiplicar o saldo de cada conta em seu nome em 31 de dezembro do ano passado por 0,02748761. Esse fator significa que, na prática, a cada R$ 1 mil de saldo, o cotista receberá R$ 27,49. Quem tinha R$ 2 mil terá crédito de R$ 54,98, com o valor subindo para R$ 137,44 para quem tinha R$ 5 mil no fim de 2021.

O percentual do lucro que seria repassado aos trabalhadores foi definido hoje pelo Conselho Curador e equivale a 99% do lucro de R$ 13,3 bilhões obtido pelo FGTS em 2021. A distribuição do lucro elevará o rendimento do FGTS neste ano para 5,83%, inferior à inflação oficial de 10,06% pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) no ano passado. Essa é a primeira vez desde 2017 em que os rendimentos do FGTS não conseguirão repor as perdas com a inflação.

Mesmo perdendo da inflação, o FGTS rendeu mais que a caderneta de poupança. No ano passado, a poupança rendeu apenas 2,94%, influenciada pela taxa Selic (juros básicos da economia), que ficou em 2% ao ano na maior parte de 2021 e só foi aumentada a partir de agosto do ano passado.

Pela legislação, o FGTS rende 3% ao ano mais a taxa referencial (TR). Como a TR em 0,209%, o rendimento mínimo corresponde a pouco mais de 3% a cada ano. Com a distribuição de lucros, a remuneração do Fundo de Garantia é ampliada.

Consultando o saldo

Para verificar o saldo do Fundo de Garantia, o trabalhador deve consultar do extrato do fundo, no aplicativo FGTS, da Caixa Econômica Federal. Até recentemente, o banco oferecia a opção de consulta pelo site da instituição, mas todo o atendimento eletrônico relativo ao FGTS foi migrado exclusivamente para o aplicativo, disponível para smartphones e tablets dos sistemas Android e iOS.

Quem não puder fazer a consulta pela internet deve ir a qualquer agência da Caixa pedir o extrato no balcão de atendimento. O banco também envia o extrato do FGTS em papel a cada dois meses, no endereço cadastrado. Quem mudou de residência deve procurar uma agência da Caixa ou ligar para o número 0800-726-0101 e informar o novo endereço.

Pronampe disponibiliza linha de crédito para as pequenas empresas e MEI


Foi publicada a Portaria nº 191 da Receita Federal, onde estabelece as novas regras para quem deseja a concessão desses financiamentos

William Gama

O Programa Nacional de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Pronampe) está disponibilizando recursos de crédito para as micro e pequenas empresas e aos microempreendedores individuais (MEI) que desejar obter o empréstimo ainda este ano.

Na última quinta-feira (30), foi publicada a Portaria nº 191 da Receita Federal, onde estabelece as novas regras para quem deseja a concessão desses financiamentos. Essa publicação aborda todas as questões que orientam o passo a passo que facilitará aos credores na hora de escolher a linha de crédito que se encaixará melhor de acordo com o perfil de cada cliente. 

Para obter o crédito, é necessário que o cliente compartilhe informações sobre o andamento do faturamento da empresa, através do Portal do Centro Virtual de Atendimento (Portal e-CAC). O portal está disponível no site da receita https://www.gov.br/receitafederal/pt-br.

Após entrar na página, deve clicar em autorizar compartilhamento de dados, que está na aba de serviços “Outros”. Realizado esses procedimentos, o empreendedor estará apto a fazer as negociações de solicitações de novos empréstimos com a instituição financeira que o empresário desejar. 

Nova linha de crédito

O Pronampe estima que com a aprovação dessa nova linha de crédito, irá proporcionar aproximadamente R$ 50 bilhões em novas operações de créditos para os pequenos empreendedores até 2024. Essas concessões serão realizadas pelas instituições financeiras que são conveniadas ao programa.

O Banco do Brasil através do Fundo de Garantia de Operações (FGO) irá gerenciar essas transações. Os recursos obtidos através desse tipo de financiamento poderão ser utilizados para investir na compra de máquinas, realizar reformas ou utilizar em capital de giro. Poderá ser também utilizado no pagamento de funcionários e de contas da empresa. O prazo total para o pagamento do empréstimo que for realizado será de 48 meses. 

A renovação do Pronampe trouxe novas oportunidades, onde o programa se estendeu aos MEI. Esse público representa 57 % dos empreendedores brasileiros. Outra novidade dessa edição em 2022, é a liberação de empresas que possuem renda bruta anual de mais de R$ 300 milhões, para que elas possam participar do programa.

Nas edições anteriores, só podiam participar empresas com receita total de até R$ 4,8 milhões para obter as linhas de financiamento do programa. Com essas mudanças, novos pequenos empreendedores poderão aderir ao programa e tentar obter o benefício.  

Também foi dispensada a apresentação de certidões de regularidade fiscal, do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), Relação Anual de Informações Sociais (Rais). Essas medidas foram tomadas, para evitar que esses microempreendedores não tivessem restrições mínimas na hora de fazer a sua solicitação de crédito.

Outra medida permitida a partir de quem realizar o contrato desse tipo de crédito em 2022, é que as empresas poderão demitir funcionários. Antes, esse tipo de procedimento para o empresário ou microempresas que aderissem ao financiamento, não poderia fazer desligamentos de seus empregados. 

Fonte: Agência Sebrae de Notícias (ASN)

William Gama é formado em Jornalismo pela Universidade Católica de Pernambuco (UNICAP) e Mestrando em História (UNICAP). Gosta de produzir matérias de diferentes nichos em Mídias e Redes Sociais. Instagram: williamgama.J

Ilhéus: cidade está entre as 15 com melhores índices econômicos no país


Marcelo Carvalho

Grande notícia para Ilhéus. O município figura entre os 15 municípios brasileiros de médio porte com melhores indicadores econômicos. A informação consta no Anuário ‘As Melhores Cidades do Brasil 2022’. O levantamento publicado pela Revista IstoÉ tem como base a pesquisa desenvolvida pela agência Austing Rating, em parceria com a Editora Três.

A cidade ocupa a 13ª colocação no ranking de indicadores econômicos voltados aos investimentos e à criação de postos de trabalho com carteira assinada. Mesmo com a pandemia, o município manteve a linha de crescimento, registrando de 2020 até os primeiros dois meses deste ano saldo positivo de 1.667 vagas com carteira assinada, conforme dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged).

Somado ao aumento expressivo de contratações formais, a Prefeitura apurou que aproximadamente 700 novas empresas foram constituídas e registradas na Junta Comercial do Estado da Bahia (Juceb). O destaque ficou para o comércio, setor de serviços e a construção civil. A cidade também aparece na 49ª posição nos indicadores fiscais, no que se refere à capacidade de arrecadação tributária.

Gestão bem sucedida

A pesquisa considera dados públicos de 5.565 municípios brasileiros e tem como finalidade classificar e mapear o nível de desenvolvimento das cidades, nos indicadores Sociais, Fiscais, Econômicos e Digitais. O anuário apresenta um panorama real dos municípios brasileiros nos pilares ligados diretamente às políticas públicas, bem como reconhece as gestões mais bem-sucedidas no país.

Para o prefeito de Ilhéus, Mário Alexandre, a publicação demostra o comprometimento do trabalho desenvolvido há pouco menos de seis anos à frente do Executivo municipal, além de ratificar a importância socioeconômica que a cidade possui na região sul da Bahia.

“Esse reconhecimento de uma das revistas mais respeitadas do país é motivo de orgulho e satisfação. Isso mostra que o nosso planejamento tem dado bons frutos. Trabalhamos diuturnamente para melhorar a qualidade de vida do nosso povo e vamos continuar crescendo, atraindo investimentos, gerando emprego e renda para tornar Ilhéus um lugar melhor para viver e ser feliz”, comemorou o prefeito.

Prefeito de Ilhéus, Mário Alexandre. Foto: divulgação

O gestor atribui os resultados positivos à parceria firmada com o Governo do Estado, responsável por executar projetos em diversas áreas, com enfoque na saúde, infraestrutura e educação. Somente entre 2017 e o primeiro semestre de 2022, a cidade recebeu investimentos que ultrapassam a ordem dos R$ 300 milhões.

A publicação da Revista IstoÉ revela a criatividade e a boa gestão dos prefeitos, que mesmo com os impactos da pandemia e a falta de recursos federais conseguem colocar os municípios em posição de destaque.

“O nosso maior objetivo é transformar a nossa cidade através do trabalho. Com o apoio do nosso governador Rui, de toda a equipe do Estado, dos nossos senadores e deputados, nós conseguimos colocar em prática um projeto de gestão pautado no desenvolvimento social, econômico, mas acima de tudo, um projeto que devolve a dignidade à nossa gente. Estamos no caminho certo”, acrescentou Mário Alexandre.

Se tornando um empreendedor


Andie Carolina

A palavra empreendedorismo nunca foi tão falada no Brasil como nos últimos dois anos. Apesar de perfis empreendedores existirem desde os primórdios da humanidade, foi justamente no auge da pandemia do Covid-19 que os novos empreendedores tomaram conta do país.

Para se ter uma ideia, em 2020, após pesquisas do Sebrae em parceria com o Instituto Brasileiro de Qualidade e Produtividade, foi revelado que 53% dos brasileiros cogitavam abrir o próprio negócio como uma tentativa de driblar a alta do desemprego.

Espírito de Empreendedor

E com toda certeza, esse desejo não mudou. Afinal, a crise econômica continua, assim como continua a todo vapor o espírito empreendedor que já faz parte do DNA brasileiro. Mas antes de saber como empreender, é importante conhecer o que o empreendedorismo significa, de fato:

Uma pessoa empreendedora é aquela que tem a facilidade de enxergar problemas e soluções, oportunidades e caminhos para a criação de novos recursos em prol da sociedade, ou seja, a implementação de algo que faça diferença na vida das pessoas.

Um exemplo muito comum na pandemia foram os indivíduos que iniciaram pequenos negócios com o intuito de confeccionar máscaras de proteção. Desta forma, eles conseguiram uma nova fonte de renda, com algo que sanou uma das maiores necessidades do público naquele momento.

Pensando nisso, podemos concluir que para se dar bem no mundo do empreendedorismo algumas características são indispensáveis, como por exemplo, o otimismo, a autoconfiança, a coragem, a persistência e a resiliência.

Isso porque, este meio não é fácil, e para conquistar o lugar ao Sol, a palavra de ordem é ter consciência que desistir não é uma opção. E mesmo que não exista uma linha reta a ser percorrida quando o assunto é empreender, alguns passos podem ajudar no processo.

Confira a seguir quais são eles:

  • Defina a atividade: não cometa o erro de entrar para um segmento que você até gosta, mas não entende absolutamente nada do assunto. O ideal é procurar algo que você já tenha afinidade, como um hobby, por exemplo, e transformá-lo na sua área de atuação. Afinal, nada melhor do que trabalhar com algo que a gente se sente à vontade, não é mesmo?
  • Busque ser diferente: você não precisa reinventar a roda para ser empreendedor. São pouquíssimos os negócios que nasceram de uma ideia totalmente original. O que é fundamental, no caso, é buscar um ponto que te faça diferente dos seus concorrentes. Pense, por exemplo, na Netflix e na Amazon Prime Video. Ambas são plataformas de outra em vários quesitos, como preço, qualidade do catálogo de conteúdo e outras vantagens para os assinantes.
  • Estude: não adianta gostar e entender um pouco do ramo escolhido, nem saber exatamente qual será o seu diferencial, se não houver consciência da necessidade de estudar. É muito importante que você procure materiais de especialistas da área, que esteja bem-informado sobre tudo o que está acontecendo no setor que escolheu, que participe de feiras, workshops, palestras, eventos, etc. Com isso, além de aprender, você também construirá o seu networking, tão necessário para crescer qualquer negócio.

Outro ponto muito importante para quem deseja se tornar um empreendedor de sucesso, é saber que muitos erros aconteceram ao longo da jornada, e alguns dos mais comuns, são:

  • Não aceitar críticas: ninguém amadurece ouvindo apenas elogios. As críticas são tão fundamentais quanto para o crescimento do seu negócio. Do momento que em que você não aceita receber nenhum feedback negativo, insere o seu serviço ou produto em uma bolha, tornando-o incapaz de sofrer melhorias que poderiam ser a chave para o tão sonhado sucesso.
  • Querer dinheiro fácil: muitos novos empreendedores esquecem que é muito provável que uma ideia demore meses ou até anos para finalmente gerar um bom lucro diante do que foi investido. E ainda tem aqueles que só focam no ganho, sem pensar que no fundo, ser dono de um negócio também significa ter muitos gastos. É neste momento que, infelizmente, muitos quebram ou então, acabam desistindo.
  • Trabalhar em excesso: é muito forte a crença de que, para ser bem-sucedido dentro do próprio negócio, o empreendedor precisa trabalhar quase 24 horas por dia, sete dias por semana, inclusive aos feriados. Mas isso nunca esteve tão longe da realidade! Na verdade, é essencial tirar um tempo para descansar, cuidar da saúde, ter um momento de lazer, etc. Afinal, para ultrapassar as inúmeras dificuldades de ser o seu próprio chefe, você precisa estar em sua melhor forma física, mental e emocional. E uma outra dica é: você não precisa estar envolvido em todos os processos do seu negócio. Não tenha medo de delegar funções.

Como mencionado acima, empreender demanda dinheiro. Então, para finalizar esse artigo, é importante mencionar a opção de conseguir um empréstimo para investir no seu negócio. O ideal é priorizar as opções que oferecem as menores taxas de juro e flexibilidade nos prazos de pagamento. Algumas modalidades de empréstimo disponíveis no mercado são:

  • Crédito Pessoal: talvez, a opção mais conhecida, por ser disponibilizada por praticamente todas as instituições financeiras diretamente para a pessoa física a solicitar o empréstimo, o que facilita, devido a não existir a necessidade de um CNPJ vinculado ao nome do solicitante.
  • Microcrédito: modalidade oferecida para quem geralmente já trabalha como MEI e PJ.
  • Investidores-Anjos: empréstimo concedido por pessoas que investem em empresas iniciantes quantias que vão de 20 mil a 600 mil reais. A vantagem para os Investidores-Anjos é receber 50% dos lucros obtidos pela empresa investida durante 5 anos.
  • Financiamento Coletivo: se o seu negócio é voltado para alguma causa social, o financiamento coletivo pode ser a sua melhor saída. Há plataformas como a Catarse e Apoia-se, que são destinadas para a arrecadação de fundos para negócios relacionados a projetos sociais. Mas fique atento, pois esses iniciativas precisam ganhar bastante projeção nas redes sociais, por exemplo. E claro, também é responsabilidade do empreendedor arcar com as taxas cobradas por essas e outras plataformas com o mesmo fim.

Agora que você já sabe todos esses detalhes sobre o empreendedorismo, que tal finalmente tirar o seu sonho do papel? Aventure-se!

Turismo ecológico: um respiro da urbanidade


Segmento cresce 25% ao ano, utilizando patrimônios naturais de forma sustentável, incentivando a evolução da economia combinada com a preservação do meio ambiente.

Isabelle Carvalho

Em meio à rotina estressante na cidade grande, buzinas, obras, trânsito caótico, quem não gostaria de um escape? Um final de semana com mais contato com a natureza tem se popularizado cada vez mais e é fácil entender porquê. Cercar-se de árvores, silêncio, comida caseira e cores pode ser a solução para recuperar as energias perdidas no cotidiano urbano. 

Economia forte e consciência ambiental

Segundo dados da Organização Mundial do Turismo (OMT), o chamado turismo ecológico é uma das áreas do turismo que mais cresce no mundo, com um aumento de 25% ao ano. Tal segmento utiliza de patrimônios naturais de forma sustentável, incentivando a evolução da economia combinada com a preservação do meio ambiente. Através dessa atividade, é possível formar cidadãos mais conscientes e conectados com a natureza. 

Chapada dos Guimarães (MT), um dos locais preferidos para o turismo ecológico. Foto: divulgação.

No turismo tradicional, não há uma interação das pessoas com os lugares, é uma participação mais observativa. Em contrapartida, no turismo ecológico, a graça é se envolver e se tornar parte do ecossistema visitado. Existem diversas práticas que podem ser realizadas, como acampamento, ciclismo, caminhada, rapel, escalada, mergulho, entre outras. Diversas cidades, que contam com essas paisagens mais rústicas, têm investido em se tornarem destinos que atraem perfis de viajantes mais aventureiros ou apenas quem deseja escapar da rotina. 

O turismo ecológico pode alavancar bastante a economia de tais regiões. Dados estimam que em 2019 parques naturais brasileiros receberam mais de 13 milhões de visitantes. Com a chegada dos turistas nessas áreas, haverá mais gastos com alimentação, hospedagem, passeios e outros serviços. Além de gerar empregos. 

Outro impacto muito relevante quando falamos em ecoturismo é a influência dos visitantes nas comunidades locais. Entende-se que parte do dinheiro gerado pela atividade seja devolvido a esses ambientes através de esforços de conservação, como reflorestação e repovoamento de espécies ameaçadas de extinção. E a partir do momento que os habitantes locais veem que seus espaços podem ser fonte de renda, eles mesmos vão se dedicar a proteger esses ambientes. Esses moradores estarão, então, sempre bem-informados, compreendendo melhor o lugar que se encontram e suas necessidades e especificidades.

 

Gruta do Lago Azul, Bonito (MT). Foto: Ichiro Guerra Rico

Bonito, Floresta Amazônica e Jalapão

O Brasil é um dos destinos mais procurados por viajantes brasileiros e também estrangeiros. Há muitos locais maravilhosos para se conhecer, que aliam paisagens de tirar o fôlego e culturas ricas e diversas. Veja abaixo alguns dos lugares mais populares para quem deseja embarcar no turismo ecológico:

Bonito, no Mato Grosso do Sul, é perfeito para quem busca uma imersão total na natureza. São paisagens paradisíacas do pantanal, como cachoeiras, cavernas submersas e corredeiras. 

A Floresta Amazônica, no Amazonas, é outra experiência marcante pois abriga uma infinidade de espécies da fauna e flora, isso sem falar na cultura local que é extremamente rica e interessante. 

O Jalapão, no Tocantins e a Chapada Diamantina, na Bahia, são outros dois destinos de sucesso entre os viajantes. São cenários deslumbrantes da natureza que reúnem praias, cachoeiras e grutas de uma beleza extraordinária. Que tal experimentar o turismo ecológico na sua próxima viagem? 

Para ouvir está notícia clique no link abaixo https://carvalhonews.com.br/wp-content/uploads/2022/05/Soar-turismo-ecologico-um-respiro-da-urbanidade-ix0t6-speed-1.1x-1.mp3

A jornalista

Isabelle Carvalho é carioca, tem 27 anos, sendo formada em Jornalismo pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Também é graduada em Cinema. Além de possuir especialização em Jornalismo Cultural, é apaixonada por cultura, cinema, ciência e atualidades.

Confira 3 erros que todo empreendedor deve evitar


Apesar de não existir uma receita infalível, alguns cuidados podem ser adotados 

Thais Paim

Todo empreendedor provavelmente já se fez essa pergunta: como criar uma empresa de sucesso e ganhar dinheiro? A receita infalível não existe, mas quem carrega anos de experiência no mercado pode ter algumas dicas muito úteis para ensinar. 

Quando decidimos empreender e, assim, arriscar nossa pele em um ambiente muitas vezes hostil e desconhecido, percebemos que contamos muito mais com nosso feeling para a sobrevivência nos negócios do que propriamente com um manual de instruções pronto.

Quer dizer então que as boas práticas não existem no empreendedorismo? Claro que existem. E elas são muito úteis. Porém, se apostarmos todas as nossas fichas em experiências alheias é provável que tenhamos mais fracassos do que acertos.

O motivo? No ambiente empreendedor, o sucesso acaba sendo supervalorizado, enquanto os erros são varridos para baixo do tapete. Afinal, ninguém gosta de perder e admitir isso em público.

Pensando nisso, reunimos 3 erros mais comuns entre empreendedores.

1 – Sociedade baseada na amizade

É muito importante empreender ao lado de pessoas que conhecemos e confiamos, como amigos e familiares. Afinal, trazemos para perto de nós pessoas de nossa convivência diária. Contudo, se a sociedade estiver baseada apenas nesse critério, nem a sociedade nem a amizade provavelmente vai durar muito tempo.

Não deixe de avaliar a competência dessas pessoas. 

2 – Negócios aleatórios

Quando escolhemos uma carreira profissional, geralmente procuramos áreas que refletem nossas habilidades, gostos e valores. Nos negócios, a lógica deve ser a mesma. Empreender por empreender pode provocar grandes prejuízos pessoais e financeiros. Invista seu tempo e seu dinheiro em algo que possa ser rentável e satisfatório.

3 – Terrenos desconhecidos

Se você não sabe onde está pisando, provavelmente terá de delegar a administração da empresa para alguém que saiba. Delegar é bom, mas ceder a gestão a outras pessoas pode ser um tiro no pé. Por isso, antes de se arriscar em terrenos desconhecidos, procure aprender tudo a respeito desse novo segmento. Pesquise, estude, prepare-se.

Fonte: Valor Investe 

Inscrições para curso online e gratuito sobre educação financeira estão abertas; veja como participar


Oportunidade é apenas para mulheres 

Thais Paim

A Jornada da Independência Financeira Feminina tem como foco mulheres com pouco ou nenhum conhecimento em finanças e tem o objetivo de ajudar e educar essas mulheres na gestão de gastos e na melhor utilização de recursos. 

O curso é on-line e totalmente gratuito, beneficiando até 10 mil mulheres. As inscrições podem ser feitas no site do curso e tem previsão para que as aulas sejam realizadas entre os dias 1 de julho e 6 de agosto.

A Aline Rezende, CEO da PouPay+, será responsável por ministrar o curso que contará com sete módulos com uma hora de duração cada. A palestrante possui experiência em carreira, empreendedorismo, coaching e inteligência emocional. A especialista irá começar os trabalhos pelo reconhecimento do perfil financeiro e dos padrões pessoais das participantes.

Sobre o curso 

Temas como identificar os gastos, gestão financeira, recursos para investimentos, planejamento financeiro profissional e alcance de objetivos financeiros também serão abordados nos módulos. 

As aulas serão liberadas semanalmente, sempre às 8h das segundas-feiras, ficando disponíveis para acesso a todas as mulheres cadastradas durante o período do curso, permitindo que voltem ao conteúdo a qualquer momento e revejam as aulas para tirar dúvidas ou reforçar o aprendizado.

Curso é exclusivo para mulheres. Foto: divulgação

PouPay+

A formação é uma realização da PouPay+, fintech responsável pelo aplicativo homônimo de gestão financeira exclusivo para mulheres. Para realizar a sua inscrição é só acessar academia.poupay.app.

A PouPay+ é a primeira assistente financeira inteligente desenvolvida exclusivamente para ajudar mulheres a atingirem a liberdade e independência financeira. Mesclando os conceitos de inteligência artificial e open banking, o aplicativo auxilia na organização mais efetiva de finanças, na economia de gastos e na realização de pagamentos com descontos exclusivos e organizações de metas financeiras de curto, médio ou longo prazo.

Fonte: WSCOM 

Posse de Biden é hoje e medidas importantes já foram anunciadas


EUA volta a OMS, reata  o acordo da França e paralisa a construção do muro

André Lucas

Hoje, dia 20 de janeiro, marca a posse do presidente dos Estados Unidos, sobre ameaças de invasão e vandalismo. O evento aconteceu no Capitólio em Washington. Com a segurança muito reforçada e a proibição dos desfiles por conta da pandemia. A cerimônia de posse será bem diferente daquelas comuns em outros tempos. A cerimônia será às 14:00 ( horário de Brasília).

Os assessores do novo Presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, anunciaram hoje  de manhã, que o presidente vai assinar mais de 10 decretos para mudar a política internacional elaborada pelo antecessor Donald Trump. 

 As principais medidas via decreto são relacionadas diretamente à questão ideológica do último presidente, Biden vai interromper a construção do muro com o México na fronteira, vai anular a saída do país da  OMS(organização Mundial dos Médicos), e reatar o acordo de Paris sobre o clima. 

A saída da OMS

 Em maio de 2020, Trump entrava em atrito com a OMS, ele não estava satisfeito com a postura do órgão internacional em relação ao combate a covid 19, e também não gostava da forma como a China era tratada. Trump queria que a China fosse considerada culpada e punida pelo vírus, algo que a OMS nunca faria e por isso ele anunciou a saída dos EUA da organização. 

O acordo de Paris

Em novembro do ano passado, Donald Trump anunciou a saída do país do Tratado Internacional de Controle do Clima. O antigo governo falava sobre a saída a mais de 3 anos, porém só durante as eleições do ano passado que a saída oficial foi anunciada. Biden dizia que, caso tivesse vitória nas urnas, colocaria o país de volta no acordo.  

O muro com o México

Todos que acompanharam as eleições de 2016, e a trajetória de Trump até a derrota em 2020, já ouviram falar sobre o desejo de construir um muro na fronteira do país com a américa latina para impedir a entrada dos imigrantes no país. Uma dos principais motivos que sustentam o rótulo de xenófobo de Donald Trump, é a construção desse muro e os discursos de ódio contra imigrantes. Falando em imigrantes, Biden acabará com o veto migratório aplicado por Trump, que afeta cidadãos de 11 países com populações muçulmanas significativas (Eritreia, Irã, Quirguistão, Líbia, Mianmar, Nigéria, Somália, Sudão, Síria, Tanzânia e Iêmen) e inclui restrições aos de Venezuela e Coreia do Norte.

Combate a pandemia

Biden em suas primeiras  medidas de seu governo para lidar com a pandemia do novo coronavírus, entre elas tornar obrigatório o uso de máscara em propriedade federal e instalar um coordenador de resposta à covid-19 para supervisionar os esforços da Casa Branca para distribuir vacinas e suprimentos médicos. Os Estados Unidos são o país mais atingido pela doença com mais de milhões de casos registrados e 401.77 mortes, segundo dados da Universidade Johns Hopkins.  

O que muda na relação com o Brasil

Na prática o que sustentava a relação entre EUA e Brasil era a relação de “amizade” entre Bolsonaro e Trump, que tinham suas linhas ideológicas bem alinhadas. Com a derrota de Trump nas últimas eleições e a chegada de Biden que é bem contrário a esses pensamentos, o esperado é um afastamento dos dois países, e uma queda na intensidade das atividades econômicas entre os dois países.

Saída da Ford do país


Especialistas discutem se a saída está relacionada ao ambiente econômico brasileiro ou a estratégia da própria montadora

André Lucas

A tanto tempo no Brasil, a Ford impressionou a todos ao anunciar a saída do Brasil. O fechamento das três fábricas da montadora pegou o mercado financeiro de surpresa, que não esperava uma decisão tão repentina. 

Apesar da queda das vendas  e consequentemente a queda dos empregos, que  são elementos de efeito direto da pandemia do corona vírus, especialistas apontam um começo de uma desindustrialização. 

O presidente da Ford na América do Sul, Lyle Watters, explicou que mesmo após reduzir todos os custos possíveis para equilibrar a balança, até mesmo parar de fabricar os caminhões tão tradicionais da marca, mesmo assim as condições econômicas não favorecem a atividade industrial. Segundo ele, seria necessário reduzir “muito mais” para transformar a operação sustentável e rentável. 

O economista Mauro Rochlin em entrevista ao jornal UOL explicou que é muito difícil saber ao certo o que motivou a decisão da empresa,  mas ele acredita ter muito mais relação com a estratégia global da multinacional, do que com o cenário atual brasileiro. 

“Causa estranheza, porque o Brasil ainda é um mercado consumidor muito importante. A perspectiva para 2021 é de venda de cerca de 2,5 milhões de veículos. Não é pouco. Não consigo enxergar, em termos macroeconômicos, o que poderia levar a empresa a se decidir pela saída.” 

O professor de economia, Emerson Marçal, da FGV explicou que não vê a saída da fábrica como um sinal da desindustrialização do país, apesar de perceber uma desconfiança do mercado internacional em relação ao mercado brasileiro. 

“É difícil falar em desindustrialização por causa da decisão de uma empresa, por mais importante que ela seja. Mas é uma decisão simbólica, importante. É uma empresa que está aqui há muito tempo”. Se realmente, e deve ser o caso, eles estão fechando porque essas fábricas [da Ford] não são as mais competitivas, as [montadoras] que ficaram aqui devem ter unidades mais competitivas, então elas vão ocupar esse espaço. O mercado não deixou de existir”, afirmou o professor. 

Emerson Marçal diz que o livre mercado pode ser um problema para a montadora, que perdeu a força de competitividade. Desde a criação do Mercosul a indústria automotiva ficou de fora das regras de livre comércio do bloco econômico. Porém, a partir de 2029 o Brasil e Argentina começaram a comercializar livremente peças e automóveis,  por causa do acordo feito em 2019 entre os dois países sul americanos. 

O professor de economia acredita que isso pode ser o motivo para a empresa fechar suas fábricas no Brasil e manter outras no Uruguai e na Argentina. 

Já Antônio Corrêa de Lacerda, diretor da FEA (Faculdade de Economia, Administração, Contábeis e Atuariais) da PUC-SP e presidente do Conselho Federal de Economia, A saída da empresa estar ligada diretamente ao ambiente frágil e quebrado da economia brasileira.  

“O Brasil vive há anos um processo agudo de desindustrialização, desnacionalização de empresas e desmobilização de cadeias industriais. Estamos “reprimarizando” nossa economia, cada vez mais dependente de commodities” 

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, aproveitou para criticar o governo de Jair Bolsonaro, em relação às pautas econômicas e soluções frustradas para combater a crise no país.  Ainda falou sobre a decisão de juntar pastas para a formação do ministério da economia. 

“Houve perda de interlocução com o setor privado e desempoeiramento de temas de extrema relevância, como política industrial, por exemplo”.