Coronavírus: Ministério da Saúde solicita estoques de fabricantes de seringas para vacinação


A informação foi confirmada nesta segunda-feira (04)

Thais Paim

A vacina contra o novo coronavírus, que já se tornou realidade em alguns países, ainda é motivo de dúvidas e muita expectativa no Brasil. Na última segunda-feira (04), o Ministério da Saúde anunciou que irá solicitar os estoques excedentes dos fabricantes de seringas e agulhas do país como parte dos preparativos para a campanha de vacinação. 

Recentemente, a baixa quantidade de material para realizar a imunização foi motivo de críticas no governo e o anuncio traz novas expectativas sobre a realidade da vacinação estar mais próxima.

 “Isso, enquanto não se concluiu o processo licitatório normal, que será realizado o mais breve possível. Essa requisição visa a atender às necessidades mais prementes para iniciar o Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação Contra a Covid-19”, afirma a pasta por meio da assessoria de imprensa.

O ministério também declarou que aguarda a informação sobre as quantidades disponíveis em estoque e que pretende iniciar o pregão para compra desses insumos “o mais rápido possível”.

Segundo informações, o pronunciamento sobre a requisição feita pelo ministério acontece depois de uma licitação aberta pela pasta no final de 2020 ter conseguido comprar apenas cerca de 8 milhões de unidades dos insumos, quando o objetivo era conseguir mais de 330 milhões.

Outra medida adotada para tentar controlar a produção e uso desses materiais foi o anuncio de que o governo vai passar a exigir uma licença especial para que fabricantes de seringas e agulhas exportem esses produtos para outros países.