Evento on line comemora Dia do Super-Herói Brasileiro


O dia 24 de outubro será marcado no calendário brasileiro como um dia de vitórias e homenagens para o setor de histórias em quadrinhos brasileiras. Por iniciativa do ator e quadrinhista Elyan Lopes, em conjunto com um grupo de autores nacionais, foi criado o Dia do Super-Herói Brasileiro. A data foi escolhida por marcar a estreia do seriado As Aventuras do Capitão 7, exibido pela TV Record de 1954 a 1966.

Primeiro super-herói brasileiro, o Capitão 7 foi uma criação de Rubens Biáfora e adquirido os direitos pelo ator mineiro Ayres Campos, que também foi seu intérprete na TV. Embora com os poucos recursos da época, o seriado foi um grande sucesso e migrou para os quadrinhos em 1959, publicado pela Editora Continental/Outubro. Ao mesmo tempo em que homenageia o pioneiro super-herói, a data pretende chamar a atenção para o gênero, que, embora seja muito rico e diverso, encontra pouco reconhecimento pelo público e mídia especializada.

Visando aumentar a exposição desses personagens, a data será celebrada com um evento on line no dia 13 de dezembro de 2020, à partir das 10h, no canal Elyan Meu Heroi no YouTube (http://youtube.com/elyanmeuheroi). “Este ano, excepcionalmente, estamos comemorando em dezembro, mas a partir de 2021, o evento será na data correta”, comenta Lopes. Estão previstas muitas atrações como lançamentos, discussões, homenagens e a entrega do Troféu Dia do Super-Herói Brasileiro aos destaques 2020, lançamento do ano e do Super-Herói BR do Ano.

Primeiro Super Heroi Brasileiro

Esta escolha se deu via votação on line nas plataformas digitais criadas por Lopes e contou com a participação de todos os seguidores. “O Capitão 7 também foi o escolhido para ser a figura do nosso troféu por seu pioneirismo”, explica o quadrinhista. “É uma forma de homenagear o autor deste que foi o primeiro super-herói genuinamente brasileiro e que acabou esquecido pela mídia”, comenta.

Mas não pense que as super-heroínas foram deixadas de lado! O autor Emir Ribeiro será homenageado por sua criação mais icônica, a heroína Velta. Outro que também receberá uma homenagem é Lancelott Martins, criador do personagem Catalogador dentre outros e responsável pelo site HQ Quadrinhos (http://hqquadrinhos.blogspot.com), que divulga publicações de super-heróis BR.

Para que o evento aconteça, o grupo busca a colaboração de patrocinadores. “Nossa ideia inicial era fazer um evento físico, mas por conta da pandemia de Covid-19, isso se tornou inviável neste primeiro momento. Mesmo sendo on line, temos alguns custos a cobrir, como a confecção do troféu, por exemplo, e precisamos da ajuda de todos que se interessem em valorizar e incentivar a produção nacional e seus respectivos artistas”, explica Lopes.

Para isso, está sendo criada uma campanha no Catarse a fim de arrecadar fundos que cubram essas despesas. O financiamento coletivo é aberto a todos os interessados, mas as empresas que desejarem patrocinar o evento terão seus nomes e logomarcas associados ao material promocional. Os interessados podem acessar o link www.catarse.me/diadosuperheroibr e colaborar com as cotas disponíveis.

Mais informações: www.diadosuperheroibrasileiro.com.br

Teatro: muito mais que uma forma de entretenimento


Em pleno, Dia Nacional do Teatro, atores refletem sobre sua paixão por esse tipo de arte e a importância da mesm para a sociedade.

O diretor Anselmo Soares Farias Foto: divulgação
O diretor Anselmo Soares Farias Foto: divulgação

Uma das manifestações artísticas mais antigas da humanidade está sendo homenageada hoje: o teatro! Esta forma de arte surgiu na Grécia Antiga, sendo muito importante para o desenvolvimento da cultura grega, servindo inclusive de influência e inspiração para outros povos da antiguidade, principalmente os romanos.

Em terras brasileiras o teatro surgiu no século XVI, com o objetivo de espalhar a crença religiosa. Só em 1808, com a chegada da Família Real Portuguesa, que o teatro passou a ser visto como uma forma de entretenimento. Para se ter uma ideia, naquela época era hábito os reis convidarem companhias de teatro estrangeiras para fazer as suas apresentações para a nobreza.

Em seu projeto de pesquisa, realizado para a Universidade de Brasília – Instituto de Artes Cênicas, o ator, diretor e produtor cultural, Anselmo Soares Farias analisa que, embora tenha se originado como uma expressão acessível de identidade cultural, em tempos recentes o teatro passa a ter um corte socioeconômico que não é uma característica sua, mas de todas as demais expressões artísticas. “Não somente as plateias são selecionadas a partir de sua capacidade de pagar para ter acesso a grandes espetáculos com grupos e atores renomados; como também uma parcela considerável de pessoas só tem acesso ao teatro por meio de grupos amadores que atuam de forma mambembe, despendendo esforços que vão desde sua organização até a produção”, declara Farias.

Elyan Lopes(E) na peça Três Reportagens Malditas, de Plínio Marcos. Foto|: divulgação
Elyan Lopes(E) na peça Três Reportagens Malditas, de Plínio Marcos. Foto: divulgação

Mas, quem apenas assiste a uma apresentação teatral talvez nem imagine os desafios que são enfrentados para que uma peça, finalmente, entre em cartaz. O ator e quadrinista, Elyan Lopes sabe bem o que é isso. “É sempre muito difícil encontrar empresas dispostas a investir nesse tipo de projeto”, lamenta.

O ator Frank Araújo. Foto: divulgação
O ator Frank Araújo. Foto: divulgação

Segundo o ator, que fez este ano uma participação na novela “Malhação” da Rede Globo, uma das estratégias utilizadas é buscar o apoio logístico de pequenas empresas como, por exemplo, restaurantes e lojas que vão oferecer itens de figurino. “Pequenos empresários são mais receptivos a esse tipo de parceria”, avalia Lopes.

Para muitos, a paixão pelo teatro é algo difícil de se explicar com palavras. “O teatro é algo magnífico. Ele faz a gente se desenvolver todos os dias, despertando emoções diversas. Você pode ter 15, 20, 30 anos, mas a cada apresentação que faz é uma emoção diferente”, declara o ator Frank Araújo.

Segundo Araújo, que também é modelo e empreendedor, o teatro é uma espécie de terapia, que prepara o indivíduo para qualquer situação da vida. “O teatro é vida, é alma, é uma sementinha que é plantada diariamente por quem representa”, finaliza.

O teatro é uma das manifestações artísticas mais completas e encantadoras. Nós do Carvalho News parabenizamos a todos os profissionais que contribuem para que o espetáculo literalmente aconteça: figurinistas, coreógrafos, aderecistas, iluminadores, cenógrafos, auxiliares de camarins, atores, atrizes, diretores…