Evento premiará 10 profissionais das tranças


Marcelo Carvalho

Ferramentas de resgate da cultura e empoderamento estético, as tranças são muito mais que um penteado. Elas possibilitam oportunidades de fortalecimento financeiro para inúmeros profissionais do segmento.

Em Salvador, por exemplo, sempre há uma mãe, filha, tia, prima e amigas reunidas num quarto, sala ou quintal da casa para trançar o cabelo.

Por gerações, trançar o cabelo é um momento de troca de saberes, não só de técnica, mas de vida. Para além de uma questão estética, as tranças possuem historicidade de resistência, identidade e afirmação.

Empreendedora Anna Telles. Foto: divulgação

Para enaltecer o trabalho dos Trancistas, a cabelereira e empresária Anna Telles promoverá o ‘Trancista Master Construindo Uma Nova História’, que premiará 10 profissionais das tranças. O evento acontecerá no dia 2 de outubro no sábado, às 14:30h em Salvador no Novotel Rio Vermelho.

Durante a premiação os trancistas irão participar de networking com ênfase em marketing digital, gestão de negócios, desenvolvimento pessoal e social, com a cabeleleira Anna Telles.

 “A Bahia e o Brasil ainda sofrem com a discriminação racial, precisamos dar ferramentas para esses profissionais serem mais valorizados e se manter no topo do sucesso”, afirma Anna Telles.

Entre as trancistas a receber o prêmio estão : Negra Jhô, Silvia Leite, Mary Fashion, Raquel Cardoso de Souza Silva, Maria Olivia Fragoso, Biel Araújo, Michelle Reis, Denise Melo, Carol Mendez e Quênia Lopes.

O prêmio foi idealizado pela empreendedora, Anna Telles, especialista em aplicação de cabelos orgânicos e cacheados há mais de 15 anos. Anna é a  idealizadora da técnica de aplicação enrolado 3D, representando a Bahia por três anos consecutivos nas duas maiores feira de cabeleireiro do Brasil, Beauty Fair e Hair Brasil, pela marca de orgânico chinesa, mas conhecida do Brasil Rebecca Sleek está confiante que o evento é de suma importância

Live gratuita sobre empreendedorismo em parceria com o Sebrae


“Construindo um Futuro de Sucesso” é o tema da transmissão

Thais Paim

Para quem busca uma oportunidade de saber mais sobre o mundo do empreendedorismo, o Centro Universitário UniMetrocamp e o Sebrae promoveu na última quinta-feira (19), 18h, uma live aberta ao público.

O convidado especial será o Pedro Mello , Fundador da Open Leaders. Quem se interessar em conhecer mais  o tema “Construindo um futuro de sucesso”, poderá acompanhar pelo YouTube do Evento, no link: https://www.youtube.com/watch?v=oLYWvi2_tp0 . Lembrando que não é necessária inscrição prévia.

Sobre a iniciativa

A ação faz parte do lançamento do Projeto do UniMetrocamp Carreiras chamado Startup Way Challenge – uma iniciativa de empreendedorismo, em parceria com o Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas) – para todos os alunos. O Startup Way Challenge, além de estimular a inovação, pretende desenvolver negócios lucrativos.

O desafio do Startup Way Challenge será 100% gratuito para o corpo discente do UniMetrocamp e vai acontecer entre os dias 13 e 24 de setembro, das 17h às 19h. Os alunos que participarem receberão certificado e 30 horas de AAC. As inscrições estão abertas até o dia 13 de setembro e os estudantes da instituição de ensino superior poderão montar grupos/equipes entre 4 e 6 alunos. Mais informações podem ser obtidas por meio do site https://www.sympla.com.br/startup-way-challenge—wyden__1293174.

“Estamos profundamente felizes com esta grande parceria com o Sebrae, pois sem dúvida nenhuma, o Projeto Startup Way Challenge permitirá que os nossos estudantes possam seguir uma trilha de desenvolvimento de uma startup, tirando suas ideias do papel e colocando seus negócios em funcionamento”, afirma Fernanda Vio, Gerente da área de Carreiras e Desenvolvimento do Aluno do UniMetrocamp.

Fonte: Hora Campinas

Caso de sucesso: startup atrai o maior investimento já feito em novas empresas no Brasil


Cenário do empreendedorismo feminino tem conquistado vários avanços 

Thais Paim

 A startup brasileira Pipo Saúde, comandada pela economista Manoela Mitchell, atraiu cerca de R$ 100 milhões em investimentos para o negócio. É um dos maiores da história do mercado para empresas que estão começando e representa mais uma conquista feminina nos negócios. 

A Pipo é uma healtech que administra uma plataforma de gestão de benefícios de saúde das empresas. Com a pandemia, o negócio cresceu na plataforma virtual e se mostrou promissor. A grana levantada por eles para desenvolver o negócio é um aporte de um grupo conhecido por investir em cases de saúde e tecnologia.

E só tem peixe grande nesse grupo aí, como o ex-CEO e fundador do Peixe Urbano Julio Vasconcelos, empresas como Thrive Capital, Monashees, Kaszek e OneVC e investidores como o cofundador do Nubank, David Vélez, do sócio-gestor da GGV Capital, Hans Tung, e do ex-sócio da XP Investimentos Henrique Loyola. 

Sobre a empresa 

A empresa tem se mostrado a mais eficiente do segmento auxiliando empresas de até mil funcionários a administrarem os benefícios de planos de saúde de seus funcionários e já tem mais de 100 clientes corporativos. A intenção é estender suas operações com o surgimento de novos clientes. 

“O que nos motivou foi ver o quanto era difícil para as empresas e seus funcionários lidarem com os planos de saúde. Nascemos então para ajudar as empresas, mas além disso, queremos ajudar as pessoas, porque sabemos que saúde é a coisa mais importante da vida delas“, avaliou.

Motivações e surgimento da parceria 

Manoela foi criada pela mãe, que trabalhou muito para lhe dar educação. Com esse incentivo e o sonho de criança de se tornar Presidente do Brasil nas atividades escolares, ela se formou em Economia pela USP, passou a atuar no mercado financeiro e decidiu empreender com os dois colegas.

“Como empreendedora gosto muito de desmistificar a ideia de que empreender é ter uma ideia na fila da padaria que vai mudar o mundo. Empreender é muito sobre o processo: enxergar um problema, testar, aprender e fazer tudo de novo, por muitas e muitas vezes. Não é a toa que demorou quase 18 meses pra Pipo”, contou.

As características de mulher forte e decidida lhe ajudaram muito nesse processo. “Eu sempre tive uma personalidade autêntica e diferente”, conta. Manu se inspirou somente na Cris Junqueira, CEO do Nubank, e hoje alcançou esse resultado massa para o empreendedorismo feminino.

Fonte: Razões para acreditar 

Especialistas afirmam que cenário do empreendedorismo feminino ainda exige prudência


Brasil tem avançado em emancipação social

Thais Paim

Mesmo com dados que apontam as mulheres sendo maioria no Brasil, representando 51,4% da população, ainda assim, o recorte do empreendedorismo é um pouco diferente: as mulheres representam apenas 25,4% dos empreendedores do país, de acordo com o Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas).

Apesar do cenário ainda não ser o ideal, foi registrado um crescimento de 40% no empreendedorismo feminino no ano de 2020, de acordo com dados disponibilizados pela Rede de Mulheres Empreendedoras. Negócios voltados para alimentação, beleza, estética e moda estão entre os investimentos escolhidos.

Desta forma, o Brasil alcançou o sétimo lugar no ranking “Proporção de Mulheres à Frente de Empreendimentos Iniciais”, divulgado pelo GEM (Global Entrepreneurship Monitor). O estudo analisou 49 países, considerando empreendimentos com menos de 42 meses de existência. 

Desafios no empreendedorismo feminino 

Wanessa Marques, Diretora Contábil da Learmachs, escritório internacional especializado em operações globais sediado no Brasil, Estados Unidos e Chile, acredita que está em curso no Brasil um processo de emancipação econômica e social por parte das mulheres. “Se antes as mulheres enfrentavam desafios e preconceitos empreendendo, ou só apareciam em sociedade por necessidades de terceiros, o cenário mudou”, aposta a executiva. 

A especialista cita a chamada “sociedade limitada” (Ltda.) como um modelo que, historicamente, envolveu as mulheres no âmbito empresarial.  Criado em 1919 no Brasil, e, dentre as suas regras, estava a obrigatoriedade da presença de dois sócios na direção da empresa. “Ao longo de mais de 100 anos, isso levou à ocorrência de um fenômeno bastante particular e próprio do Brasil: a criação de empresas por parte do marido, com sua esposa figurando como sócia, notadamente com uma participação inferior”, afirma.

Muitos anos depois, a lei continua a mesma, embora o empreendedorismo tenha evoluído, principalmente entre o público feminino. 

Para apoiar o público feminino que está começando a jornada empreendedora, a Learmachs disponibiliza uma consultoria específica, focando nos cenários operacionais em que as mulheres podem ser as únicas proprietárias da empresa. 

A especialista ainda explica: “A mulher empreendedora pode possuir sozinha, empresas como a empresa individual de responsabilidade limitada, a sociedade limitada unipessoal, e até mesmo a sociedade anônima. Basta conhecer esses formatos de empresas e escolher o melhor para o negócio.” 

De acordo com a Learmachs, e segundo dados oficiais da Receita Federal, o país possui mais de 45 milhões de CNPJs – e, destes, mais de 2/3 são sociedades limitadas. “Quase metade destas empresas são familiares, com o marido e a esposa figurando como sócios. E isso precisa mudar”, pontua.Fonte: Terra 

Confira 3 erros que todo empreendedor deve evitar


Apesar de não existir uma receita infalível, alguns cuidados podem ser adotados 

Thais Paim

Todo empreendedor provavelmente já se fez essa pergunta: como criar uma empresa de sucesso e ganhar dinheiro? A receita infalível não existe, mas quem carrega anos de experiência no mercado pode ter algumas dicas muito úteis para ensinar. 

Quando decidimos empreender e, assim, arriscar nossa pele em um ambiente muitas vezes hostil e desconhecido, percebemos que contamos muito mais com nosso feeling para a sobrevivência nos negócios do que propriamente com um manual de instruções pronto.

Quer dizer então que as boas práticas não existem no empreendedorismo? Claro que existem. E elas são muito úteis. Porém, se apostarmos todas as nossas fichas em experiências alheias é provável que tenhamos mais fracassos do que acertos.

O motivo? No ambiente empreendedor, o sucesso acaba sendo supervalorizado, enquanto os erros são varridos para baixo do tapete. Afinal, ninguém gosta de perder e admitir isso em público.

Pensando nisso, reunimos 3 erros mais comuns entre empreendedores.

1 – Sociedade baseada na amizade

É muito importante empreender ao lado de pessoas que conhecemos e confiamos, como amigos e familiares. Afinal, trazemos para perto de nós pessoas de nossa convivência diária. Contudo, se a sociedade estiver baseada apenas nesse critério, nem a sociedade nem a amizade provavelmente vai durar muito tempo.

Não deixe de avaliar a competência dessas pessoas. 

2 – Negócios aleatórios

Quando escolhemos uma carreira profissional, geralmente procuramos áreas que refletem nossas habilidades, gostos e valores. Nos negócios, a lógica deve ser a mesma. Empreender por empreender pode provocar grandes prejuízos pessoais e financeiros. Invista seu tempo e seu dinheiro em algo que possa ser rentável e satisfatório.

3 – Terrenos desconhecidos

Se você não sabe onde está pisando, provavelmente terá de delegar a administração da empresa para alguém que saiba. Delegar é bom, mas ceder a gestão a outras pessoas pode ser um tiro no pé. Por isso, antes de se arriscar em terrenos desconhecidos, procure aprender tudo a respeito desse novo segmento. Pesquise, estude, prepare-se.

Fonte: Valor Investe 

WhatsApp lança programa para capacitar gratuitamente 10 mil empreendedores


Iniciativa é uma parceria com o Centro Integrado de Estudos e Programas de Desenvolvimento Sustentável (CIEDS)

Thais Paim

O Centro Integrado de Estudos e Programas de Desenvolvimento Sustentável (CIEDS) e o WhatsApp lançaram uma grande oportunidade para quem busca uma capacitação. O programa Conecta+ Brasil pretende dar suporte a profissionais formais e informais de comunidades e periferias do país.

O lançamento foi realizado na última sexta-feira (23). Lembrando que as inscrições são gratuitas e estão abertas para empreendedores de todo o Brasil. 

Sobre a iniciativa 

O objetivo é apoiar a retomada econômica de um dos grupos mais afetados pela pandemia. O programa vai trabalhar conteúdos sobre empreendedorismo, boas práticas comerciais, além das ferramentas gratuitas do WhatsApp Business. A estimativa é de que cerca de 10 mil empreendedores sejam atendidos.

“Num momento em que já se discute o pós-pandemia, é muito importante levarmos em consideração os mais afetados pela crise. O Conecta+ Brasil tem esse objetivo de capacitar trabalhadores de todos os tipos, para que eles também sejam protagonistas nessa fase de retomada”, comenta Vandré Brilhante, presidente do CIEDS. “Acreditamos que o empreendedorismo vai além de abrir um negócio, tem também o potencial de ser um forte agente de mudança”, completa.

Além da capacitação para um uso mais abrangente das funcionalidades do WhatsApp Business, os participantes também vão poder participar de treinamentos exclusivos voltados para o cenário empreendedor como inovação, criatividade, finanças pessoais e finanças para negócios, a fim de otimizar o desenvolvimento destes pequenos negócios.

Dados e cenário atual 

Pesquisa realizada pela Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) mostra que 66% das micro e pequenas empresas brasileiras ainda estão em um nível analógico ou emergente, buscando tecnologias e melhorias para seu modelo de negócio.

 “Um programa como esse permitirá que as empresas tenham mais possibilidades para engajar-se com seus clientes, entrando no mundo tão importante da economia digital”, afirma Igor Calvet, presidente da ABDI.

Para o presidente do Sebrae Carlos Melles, o programa é importante para o cenário dos empreendedores no Brasil. “As pesquisas nos mostram a força do WhatsApp como ferramenta fundamental para os pequenos negócios nesta pandemia. O aplicativo ajudou os donos de micro e pequenas empresas a manter contato com clientes e fechar vendas. A utilização do WhatsApp pelo empreendedor foi transformadora e muito positiva”, ressalta Melles.

Fonte: IstoÉ 

Empresária Gracielle Gatto conta sua história de superação e sucesso


Dificuldades e falta de financiamento não foram empecilhos para realizar o seu sonho 

Thais Paim

Fazem 23 anos desde o nascimento de uma empresa que iria revolucionar o mundo da beleza no Brasil, um sonho que se tornou realidade, mas essa história não foi tão fácil assim e precisa ser contada do começo. 

No ano de 1977 nascia na cidade de Santos uma menina chamada Gracielle Gatto em uma família humilde de 7 filhos. Apesar de poucos recursos, a sede de conhecimento sempre foi uma característica muito forte na vida dela. Desde o primeiro emprego aos 10 anos em uma padaria já se podia notar que ela perguntava demais e essas perguntas foram suas amigas e inimigas de caminhada.

História e desafios 

Essa sede de conhecimento e crescimento a levou por alguns caminhos, a busca por seus sonhos e o desejo de conquistar uma vida melhor sempre foi permeada por princípios e valores ensinados por seus pais que se solidificaram em seus passos. Em 1990 ela começava a se aproximar do encantador mundo da beleza ao cobrir desfiles e ensaios como fotógrafa, quando então decidiu se tornar cabeleireira.

De uma inquietação sobre as questões envolvendo o mundo da beleza, nasceu a Hair School International 1998. Unindo conteúdo científico à prática de embelezar pessoas, e empoderando profissionais que até então se sentiam em uma profissão menor ou de menor importância. A revolução Hair School foi além de meros cursos, ela mostrou aos profissionais que eles podiam mais. 

O impacto causado foi aumentando exponencialmente, cidades, estados e países foram alcançados pelas respostas que a Hair School trazia. Muitos profissionais foram transformados no Brasil e em muitos países da América Latina. Mas o crescimento não parou por aí.

A empreendedora Gracielle Gatto. Foto: acervo pessoal

Conquistas e sucesso 

Em 2017 esse sonho atravessou o Atlântico. Não apenas em mais uma das viagens de Gracielle Gatto, afinal, conhecer novas culturas e viajar é uma de suas paixões. Mas desta vez para ficar.  Nascia assim a Hair School International em Portugal. 

Não existem fronteiras quando temos dedicação para realizar nossos sonhos a história da Gracielle representa muito isso. Mas essa história não se encerra por aí. 

Algumas das suas várias perguntas continuavam sem resposta, afinal, um bom profissional, mesmo com todo o conteúdo científico e técnicas precisa de ferramentas. E mais uma vez o mercado não atendia a essa demanda de maneira eficaz. Não poderia ser de qualquer maneira, afinal o mercado já está saturado de “mais do mesmo”. 

Após essa longa gestação, no momento mais improvável, enquanto o mundo e o mercado desabavam em meio à pandemia, nascia então a Gatto Rosa! Uma linha que veio trazer toda a expertise de longos anos e tecnologia avançada em ativos cosméticos. A cereja do bolo, a peça que faltava no quebra-cabeça para atender os profissionais em todas as suas necessidades!

Fonte: Criativa Online 

Veja como se inscrever no curso de empreendedorismo para pessoas trans


Aulas começam na próxima segunda-feira (26) 

Thais Paim

Começa nesta segunda-feira (19) o curso gratuito de empreendedorismo voltado à população trans. Se você se interessou pela oportunidade é só se inscrever através da internet. Lembrando que as aulas acontecem até sexta (23), das 19h às 22h, no canal do Youtube da Agência Besouro.

A coordenadora dos Direitos da Diversidade Sexual e de Gênero, Camila Rodrigues, explica um pouco sobre a iniciativa. “O objetivo do projeto é tirar as boas ideias do papel e fazer com que a comunidade trans conquiste, cada vez mais, sua autonomia”. 

A proposta do curso é usar a vivência de cada um dos participantes para a criação de um negócio com baixo ou nenhum custo. Ao final das 11 etapas do método, o aluno está pronto para tirar o negócio do papel. Nas aulas, são abordados temas como: produto/serviço, ações de divulgação, pesquisa de mercado, projeção de vendas, fluxo de caixa e comunicação.

O material didático inclui apostila, matriz e cartões, que auxiliam na visualização e organização da abertura e manutenção do negócio. Após o curso, o novo empreendedor e a nova empreendedora contam com acompanhamento por 90 dias (mentoria), para tirar dúvidas e assegurar a continuidade do negócio.

As aulas são uma parceria da coordenação dos Direitos da Diversidade Sexual e de Gênero da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social (SMDS), com o programa IGM Impulsiona, do Instituto General Motors (IGM), e executado pela Agência Besouro.

Fonte: G1 

Quer empreender na área da música? Curso ensina a construir a marca pessoal no universo musical


Lançamento acontece após a 2ª Semana do Empreendedorismo 

Thais Paim

Apesar das oportunidades abertas pela indústria musical, como em toda profissão, para alcançar o sucesso, é essencial conhecer algumas técnicas tanto da área musical como de comunicação e divulgação do produto.

Na 2ª Semana do Empreendedorismo Musical foi possível conhecer um pouco sobre esse cenário no ano de 2020 e ouvir dos convidados o debate sobre alguns desses temas. O evento que ocorreu do dia 12 a 16 de julho foi transmitido pelo Instagram de Guga Gonçalves, o organizador do evento.

Gustavo, que também é empreendedor musical e dono do Blog Empreendedorismo Musical, contou um pouco sobre a experiência: “O evento foi bem bacana, os nossos convidados trouxeram discussões muito importantes, mostraram que existem problemas, existem desafios, mas que tudo é superável. Os convidados contaram um pouco das suas experiências, os obstáculos que precisaram enfrentar e também os cases de sucesso. E essa era a proposta do nosso evento, compartilhar quem são os caras que fazem o negócio acontecer e faz o mercado girar”. 

O evento abordou temas como produção musical, negócios musicais, educação musical, mulheres na música e comércio musical. 

De acordo com o organizador do evento, as lives tiveram mais de 1 hora, porque o assunto rendeu bastante e também registrou um grande engajamento nas redes sociais. 

“O José Celso Guida falou sobre o motivo de tantas músicas serem lucrativas e outras não, quais são as partes que muita gente não conhece de burocratização da música, da gestão das músicas, como funciona para comprar ou vender músicas para uma peça publicitária de televisão ou para um filme, como funciona a gestão e distribuição de direito autoral de cada um”, explicou Guga Gonçalves.

Além disso, ele está lançando um curso de Empreendedorismo Musical para estudantes, profissionais e empreendedores da música, onde ele ensina tudo sobre construção de uma marca pessoal, para que o profissional obtenha demandas constantes dos trabalhos ou serviços que irá oferecer no fascinante universo do mercado musical. 

O curso será realizado em 10 encontros semanais feitos pelo Zoom, terá início dia 3 de agosto e contará com módulos de planejamento, neuro music, personal branding, produção multimídia, fotografia, áudio, roteiro, edição, tráfego Online e ferramentas do Facebook e de Produtividade. O curso também ficará gravado para quem desejar assistir em outras ocasiões. Ao final, os inscritos receberão um certificado de conclusão digital.

Para se inscrever basta acessar o link: https://bit.ly/3iudHp4

Fonte: A Cidade ON 

Programa Brasil Mais oferta 6.600 vagas para quem é pequeno empreendedor


Ciclo de acompanhamento de empresas com foco em inovação e produtividade terá início a partir de 1º de julho

Thais Paim

Se você é um pequeno empreendedor e pensa em adquirir mais conhecimento sobre o assunto: essa oportunidade é sua! O Sebrae está com inscrições gratuitas para o programa Brasil Mais em todo o estado de São Paulo e estão sendo ofertadas 6.600 vagas para todas as regiões do estado.

Para basta ser ME (microempresas) ou EPP (Empresas de Pequeno Porte).

Sobre o programa

O Brasil Mais é uma iniciativa do governo federal e executada pelo Sebrae, visando aumentar a produtividade e competitividade das empresas brasileiras com a promoção de melhorias rápidas, de baixo custo e alto impacto.

Ficou interessado(a) e deseja participar? As inscrições podem ser feitas até o dia 30 de junho pelo site e para mais informações Ligue 0800 570 0800.

O programa oferece aos empreendedores participantes o acompanhamento de um agente de local de inovação gratuitamente que faz diagnóstico inicial e traça um plano de inovação para o negócio.

Adriano Nakamura, gestor estadual do programa explica um pouco de como funciona o processo e a necessidade da realização do projeto. “Entre as principais melhorias relatadas pelas empresas participantes estão produtividade, gestão de indicadores, aplicação de ferramentas para inovação, Interação com o ecossistema de inovação e inovação em processos, produtos, serviços e métodos de marketing”, destaca.

O programa já atendeu, entre 2020 e início de 2021, mais de 12 mil empresas. Foi o caso de Hairton Oliveira, dono da Essencial Certificadora que conseguiu aumento de 100% em seu faturamento desde a participação no programa. “Descobrimos ferramentas que nos ajudaram a estabelecer nosso posicionamento e bolamos estratégias para nosso cliente principal. Implementamos um fluxo de relacionamento com esses clientes e nosso crescimento tem sido exponencial”, comemora.

Para quem deseja participar, a empreendedora Martha Gabriel vai realizar uma apresentação online com o tema “Criatividade para superar desafios” no dia 21 de junho, às 17h, que será transmitida pelo YouTube e Facebook do Sebrae-SP.

O programa Brasil Mais é coordenado pelo Ministério da Economia , com gestão operacional da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) e execução pelo Senai (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial) e pelo Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas).