Inep: locais de prova do Enem 2020 são divulgados hoje


As provas impressas estão marcadas para 17 e 24 de janeiro

Thais Paim

Depois da espera devido aos adiamentos por conta da pandemia do novo coronavírus, os inscritos para o Exame Nacional do Ensino Médio 2020 (Enem) vão poder acessar o cartão de confirmação de inscrição a partir desta terça-feira (5).

As informações contidas no documento são, entre outras orientações: o local do exame, o número de inscrição, a data e o horário em que a prova será aplicada.

Para quem não sabe onde acessar, basta entrar na Página do Participante, no site do Enem. Lembrando que as provas impressas já estão previstas para ocorrer nos dias 17 e 24 de janeiro. Por sua vez, a aplicação da versão digital ocorrerá em 31 de janeiro e 7 de fevereiro.

Além disso, o cartão também registra que o participante deve contar com determinado atendimento especializado, assim como tratamento pelo nome social, caso essas solicitações tenham sido feitas e aprovadas.

A recomendação do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) é de que o participante leve o documento nos dias de aplicação da prova. Ao todo, 5.783.357 inscrições foram confirmadas.

Como é comum acontecer nas primeiras horas, diversos candidatos relataram nas redes sociais que estavam com dificuldade para visualizar o local de prova através do site. Alguns têm tido uma maior facilidade para ter acesso às informações pelo aplicativo oficial do Enem. 

O cronograma do Enem e suas alterações após pandemia da Covid-19:  

O uso de máscaras de proteção passou a ser obrigatório durante toda a aplicação do exame.

Haverá possibilidade de reaplicação da prova. O participante que estiver com Covid-19 ou outras doenças infectocontagiosas nos dias de realização do Enem vai ter a opção de realizar o exame em 23 e 24 de fevereiro de 2021.

Se necessário, a reaplicação pode ser solicitada após o candidato comunicar a condição de saúde por meio da Página do Participante antes da aplicação do exame.

Além da Covid, são consideradas doenças infectocontagiosas para pedir a reaplicação: coqueluche, difteria, doença invasiva por Haemophilus influenza, doença meningocócica e outras meningites, varíola, Influenza humana A e B, poliomielite por poliovírus selvagem, sarampo, rubéola, e varicela.

Se os sintomas aparecerem somente na véspera ou no dia da prova o candidato não deve comparecer para a realização do exame.

Ação pública questiona a manutenção do Enem 2020


Questionado por órgãos como o Tribunal de Contas da União, além de entidades civis e gestores públicos de todo o país, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) tem até amanhã para se pronunciar sobre a ação movida pela APLB Sindicato para a suspensão do calendário do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio). A entidade, que representa os trabalhadores em educação da Bahia, ingressou com pedido de liminar no Tribunal Regional Federal da 1ª Região.

Com inscrições abertas desde o último dia 11 e encerramento previsto para sexta-feira, o Enem tem provas presenciais agendadas para os dias 1º e 8 de novembro e sua versão digital marcada para 22 e 29 do mesmo mês. O objetivo da APLB Sindicato é suspender todo o calendário anunciado para o exame, por conta da pandemia de Covid-19 que interrompeu as aulas na rede pública e alterou a dinâmica de ensino nas escolas particulares em todo o Brasil.

“Se com aula normal, esses meninos (da rede pública) já eram mal preparados para o Enem em relação à escola privada, com a pandemia isso agravou. Os meninos das melhores escolas privadas, cada um tem seu computador, tem pais com capital cultural que acompanham, estão tendo aula remota preparatória”, analisa o presidente da APLB Sindicato, Rui Oliveira. Ele explica que a entidade tomou essa iniciativa devido ao seu compromisso social de defender a educação.

Enem 2020 está confirmado


O ministro Gurgel de Faria, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), negou o pedido da União Nacional dos Estudantes (Une) e da União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (Ubes) para adiar a data do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

Na segunda-feira, as entidades entraram com um pedido de liminar no STJ solicitando a adequação do calendário do Enem à “realidade do atual ano letivo” e que o MEC consulte as secretarias de estado de educação sobre o tema. O ministro argumenta que o STJ não tem competência para julgar o mandado de segurança uma vez que ele diz respeito a atos do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), responsável pelo exame.

O magistrado citou também que não foi anexado o edital do exame no processo, o que impossibilitaria apreciação da ação. Nessa modalidade processual todas as provas devem vir junto com a petição inicial.

No pedido, as entidades argumentaram que a suspensão de aulas em todos os estados do país pode aprofundar desigualdades e prejudicar os estudantes: “Considerando o contexto da falta de aula e reorganização dos períodos letivos em decorrência das medidas de isolamento derivadas da pandemia, que poderia colocar em uma situação de ainda maior desigualdade os estudantes de escola pública, que não vêm tendo aulas, em relação àqueles de escolas particulares que mantém a atividade letiva virtualmente”.

As inscrições para o Enem 2020 começaram na segunda-feira. De acordo com o cronograma, as provas presenciais ocorrerão em 1 e 8 de novembro. A prova virtual, por sua vez, será aplicada nos dias 22 e 29 de novembro.