O novo clipe de Thainá Lopes traz elementos como amor próprio e representatividade


Julia Vitoria

A música Menina da cantora Thainá  Lopes foi gravada no bairro Jesus de Nazaré em Vitória. A cantora se inspirou em palavras como reconhecimento e valorização para compor a música. A canção inteiramente capixaba veio para falar sobre a força da mulher e valorizar  as belezas das periferias. A música também lembra a importância da aceitação própria.

Com um refrão de não sair da cabeça e o balanço envolvente, a música é inspirada no estilo pop. A representatividade falou alto no clipe, várias mulheres de estilo, cores e energia diferentes comporam a gravação. A cantora fala que o objetivo  principal com a música é que as mulheres e meninas vejam o clipe, escutem a música e se reconheçam. 

Delicadeza e força

Thainá queria que a música fosse envolvente, fácil de decorar e que permitisse uma coreografia, para todos dançarem, e se reconhecer, contudo a canção não só aborda assuntos de não-binarismo, mas também que todos têm delicadeza e força sem a obrigação de gêneros definidos.

A nova música veio ao mercado no mesmo tempo em que a Anvisa autorizou o uso emergencial das vacinas contra o novo coronavírus no Brasil, a cantora relata que a música foi feita para ser um vírus musical do bem que de uma maneira positiva contagiasse a todos. 

No clipe ela transmite coragem às meninas e mulheres que ainda se prendem há um padrão fugindo de sua própria essência, isso acaba fazendo com que não tenham um posicionamento e muitas vezes com o psicológico frágil. A cantora espera que neste ano de 2020 as pessoas possam ser infectadas pelo vírus do bem, nada liberdade de expressão e vivência.

Ela ainda espera que através de suas músicas as mulheres possam ter inspiração e viverem felizes de dentro para fora.  O clipe da música será lançado hoje no dia 21, mas quem ainda ficar curioso para conhecer as músicas da cantora, suas músicas estão nas plataformas digitais.

BBB: o time camarote parou o Twitter na terça


De Rapper a sertanejo, o Big Brother desse ano promete muito

André Lucas

O reality show ainda nem começou e já está parando o Twitter. Só os anúncios de ontem já fizeram o povo explodir de tanta ansiedade.  Os participantes do Grupo Pipoca até conseguiram chamar a atenção durante um tempo, porém o Camarote roubou a cena. 

Confira agora os famosos que participarão do BBB 21

Karol Conká.  

A rapper de 35 anos foi a primeira confirmada no Time Camarote do BBB21! Karol Conká também é apresentadora do programa “Prazer, Feminino” no GNT junto com Marcela McGowan, do BBB20. Ela está solteira e já separou vários looks para usar no BBB. 

Pocah. 

A funkeira Pocah tem 26 anos e já anunciou que é competitiva: “O que tiver que ser feito, eu vou fazer para chegar à final”. Mais cedo, Pabllo Vittar já tinha dado um spoiler que fez os fãs imaginarem que Pocah estaria no programa! 

Projota. 

Projota, Rapper de 35 anos já se apresentou no BBB três vezes, e agora volta ao programa como participante. Jogador de xadrez, diz ser calculista e declara que tem a capacidade de prever movimentos, se a emoção não atrapalhar. Sua fraqueza é a saudade da esposa e da filha, mas quer usar isso para manter o foco no jogo. 

Fiuk. 

Os rumores se confirmaram: Fiuk está no BBB21! Ator e cantor de 30 anos,  o filho do cantor Fábio Jr. disse que ficou emocionado com o convite para participar do programa, e que essa era uma vontade antiga: “É uma daquelas coisas que nunca parei para pensar se era possível, mas sempre quis!  

Lucas penteado.

Ator, cantor e poeta, Lucas Penteado, de 24 anos,  é tataraneto de um dos fundadores da Vai Vai. Seu primeiro papel na televisão foi em “Malhação – Viva a Diferença”, em 2017, interpretando o personagem Fio. Ele já avisou: vai se irritar com quem falar em racismo reverso ou vitimismo.   

Nego Di. 

O humorista e influenciador,  Nego Di, de 26 anos,  teve uma infância difícil e já serviu o Exército. Já foi taxista, garçom, cozinheiro e abriu a própria barbearia. Hoje, está na expectativa do que o reality vai significar em sua vida: “É um grande marco na minha vida. Vou começar a viver os melhores anos a partir dali”. 

Carla Diaz  

Carla Diaz de 30 anos, é atriz e está na TV desde os sete anos de idade, quando participou de “Chiquititas”. Ela interpretou Suzane Von Richthofen nos filmes “A Menina Que Matou Os Pais” e “O Menino Que Matou Meus Pais”, que já estão prontos para o lançamento. No BBB, ela tem uma meta: “Estou muito focada para ganhar R$ 1,5 milhão”. 

Rodolfo.

O cantor sertanejo Rodolffo de 32 anos, da dupla Israel & Rodolffo, é ex-marido de Rafa Kalimann, vice-campeã do BBB 20. Ele confessa que pediu conselhos à ex antes de se candidatar e está com grandes expectativas: “Acho que vou ser um bom jogador. Gosto de observar o comportamento humano”.  

O time camarote é esse, a diversidade de estrelas e personalidades pode fazer desse o melhor BBB de todos os tempos vamos aguardar o dia 25 de janeiro para começar essa nova temporada de Big Brother Brasil.

Um bom compositor precisa estar com a antena ligada 24hs


Também é preciso estudar a vida, as pessoas, os acontecimentos

Marcelo Carvalho

Ele é um dos responsáveis pelo sucesso de uma música. Seja ela do idioma que for. Estamos falando do compositor. Este músico, atua com a criação artística e publicitária. Sim ele pode criar jingles para comerciais.

Compor pode ser uma habilidade nata, mas há cursos específicos! Tanto a nível universitário, bacharelado em composição. Quanto em especialização – lato sensu, nível técnico e ainda cursos livres.

O cantor e compositor, Marcelo Mira, um dos fundadores da banda Alma Djem, defende que o compositor tem que estudar o tempo todo. “Não é estudar no banco de uma escola. É estudar a vida, as pessoas, os acontecimentos. Ele deve estar com a antena ligada 24 horas”, esclarece.

Cantos e compositor Marcelo Mira, da Banda Alma Djem. Foto: divulgação

Mira também destaca a importância de estudar música e o seu instrumento. Além de ler, que é fundamental para aprimorar a escrita. “Também é muito bom estar sempre cercado de bons compositores com quem se aprende bastante”, garante.

A primeira composição do músico foi aos sete anos de idade. Depois disso, Mira ficou um bom tempo sem criar nada. Mas esse panorama iria mudar mais cedo ou mais tarde. “Sempre tive o sonho de me tornar um artista. Daí quando montei a minha banda, a Alma Djem, percebi que teria de voltar a compor… Então aos 23 anos compus ‘Amar Novamente’, que até hoje é um dos grandes sucessos da banda”, conta Mira, que a partir daí não parou mais.

Sobre processo de composição, Mira é direto. “Ou vem a inspiração ou eu paro o que to fazendo para compor, ou a gente marca um dia com os parceiros e vai na transpiração mesmo”. Segundo o músico, geralmente com parceiros se consegue compor duas ou três músicas numa sessão. “Gravo muitas ideias no celular também. Aí vou ouvindo de vez enquanto”, revela ele, que já compôs para Wanessa Camargo, Cláudia Leitte, Ricky Martin, Natiruts, Falamansa, Biquini Cavadão, Jorge e Mateus, Marcos e Belucci, Thiago Brava, Gabriel Elias, Planta e Raiz, Maskavo entre outros.

Feliz Dia Mundial do Compositor 

Hoje, 15 de janeiro, é comemorado o Dia Mundial do Compositor. Trata-se de uma homenagem mais do que justa para esses artistas que utilizam de sua técnica, criatividade e sensibilidade para escrever canções que emocionam e animam multidões de pessoas.

A comemoração surgiu no México, em comemoração à fundação da Sociedade de Autores e Compositores do México (SACM), em 1945.  No entanto, esta data somente foi oficialmente celebrada no mundo a partir de 1983.

Dia do Compositor Brasileiro

Segundo Marcelo Mira os compositores que mais o impressionam são Chico Buarque, Tom Jobim, Gilberto Gil, Caetano Veloso e Herbert Viana. Nosso país é mesmo um verdadeiro celeiro de excelentes compositores e música de qualidade. Para homenagear esses gênios da música nacional, se comemora em 7 de outubro o Dia do Compositor Brasileiro. O Carvalho News felicita a todos os compositores!

McCartney III é o novo disco de Paul McCartney


Músicos e críticos avaliam o novo disco do cantor que gravou sozinho num estúdio caseiro durante a pandemia

Julia Vitoria

Em 1990 o cantor Paul McCartney se apresentou pela primeira vez no Brasil. Nessa época o cantor já tinha duas décadas de carreira depois de sair do que foi considerado o fim da mais importante banda de rock os Beatles, o cantor também já tinha lançado dois discos com seu sobrenome e este ano lançou o terceiro McCartney III, esse é o 18° disco individual do artista. Os discos McCartney saiu em 1970, logo depois de deixar os Beatles; e McCartney II é de 1980, quando desfez a Wings, sua segunda banda. 

O artista não tinha planos de gravar ano passado, pois iria sair em turnê, contudo devido a pandemia teve que ficar em casa com a família no sul da Inglaterra em quarentena, e para passar o tempo acabou com as novas canções, algumas delas baseadas em canções antigas. Que nunca tinham sido lançadas. O disco compõe 11 faixas variando entre o rock e baladas que foram gravadas em um estúdio caseiro. E em maior parte gravou ao vivo os vocais, guitarra  e piano também completou com baixo e bateria.

Em declaração ele disse que começou a gravar com o instrumento que compôs a canção e depois foi adicionando o demais, na abertura do novo cd tem um instrumental Long tailed winter bird à qual adicionou as falas: “Você sente a minha falta?/ Você consegue me sentir?/ Você confia em mim?” Entre as outras faixas do set list estão: Find may way, Petty boys, Women and wives, Deep deep felling, Seize the day e Winter bird/ When winter comes, que fecha o set list.

O Guitarrista e fundador da Let it Beatle, banda brasiliense cover dos Beatles, Rodrigo Karashima só elogia o novo disco de Paul McCartney ele fala que o cantor poderia está apenas colhendo os frutos de seu gigantesco sucesso e legado pelo mundo mas que ao compor é gravar novas músicas aos 78 anos mostra que suas habilidades de compositor continuam afiadas. E assim como os outros discos McCartney (1970) e McCartney II (1980) ele adotou um conceito instrumental livre de padrões.

Ele ainda completa falando que só de abrir o disco em uma faixa de 5 minutos como Long tailed winter bird já se ouve o instrumental e já não tem qualquer padrão de música pop atual Assim como Deep deep feeling, com mais de oito minutos de climas dark e melancólico. Ele também fala que novo álbum segue as pegadas dos anteriores, e mesmo a voz não sendo a mesma ele fala que se tem alguém que ele queira que continue fazendo música é  Paul McCartney. 

O vocalista e guitarrista da Friends,Sergei Quintas é fã dos Beatles e lembra do lançamento do disco Help e ao ouvir a música Yesterday se encantou com a beleza melancólica e rica com o instrumental tendo violinos, violas e violoncelos em arranjo de George Martin, ele fala que ali ele viu que tinha um fenômeno musical que duraria por anos,  Quintas fala que cantou as músicas por cinquenta anos com o grupo Friends e depois os Beatles acabaram.

Ao ouvir o disco de Paul ele ficou surpreendido pois para ele nada supera o anos dourados dos Beatles ou a carreira solo de McCartney,  mas que o trabalho com melhor qualidade e o melhor atual da tecnologia onde o artista foi cantor, compositor maestro e Tudo mais exibindo um talento que transborda.

De onde veio a inspiração para criar a personagem Lady Whistledown


Julia Vitoria

Os usuários da Netflix e os fãs da autora Julia Quinn ganharam um presentão de Natal. A série de livros mais famosa da autora, ganhou espaço no streaming e fez o maior sucesso, a série Os Bridgetons trás o encanto do século de 19. A série foi bem recebida nos quatro cantos do mundo, os fãs da autora esperaram por muito tempo para que a família bridgerton aparecesse em filme ou série e esse presente foi recebido de braços abertos pelos telespectadores. 

Com oito capítulos a série produzida por Shonda Rhimes, mostra as relações da alta sociedade londrina no século 19, a primeira temporada é uma adaptação do primeiro livro da série: o Duque e eu, com os protagonistas Daphne Bridgerton e Simon Basset, contudo quem rouba a cena muitas vezes é a amada Lady Whistledown, bom amada pelos leitores, odiada pelos personagens. A autora das crônicas da Lady Whistledown trás escândalos e um humor ácido, envolvendo todas as famílias da alta sociedade londrina e até mesmo a rainha. A família bridgerton é considerada perfeita, mas ao se ver vuiva a matriarca e viscondessa Violet, se ver na obrigação de guiar os filhos para a vida adulta e o temido mercado de casamentos da época. Seu primogênito Anthony assume o posto de Visconde. E junto com a mãe eles têm que lidar com uma série de acontecimentos que deixam a vida da família perfeita de cabeça para baixo, alguns deles por causa da Lady Whistledown.

Na época a sociedade se interessava por notícias envolvendo a alta sociedade, e qualquer escândalo envolvendo uma nobre família ou a dama que debutava aquela temporada, ganhava a atenção do público.  Para a historiadora Catherine Curzon, autora de The Daughters of George III: Sisters and Princesses afirma que os leitores podiam acompanhar de perto o que acontecia nos bailes, de roupas e acessórios a outros assuntos diversos. Para ela existiu no século 18 uma autora parecida com a Lady Whistledown, seria Crackenthorpe, conhecida como “a senhora que sabe tudo” ela foi autora anônima por trás de Female Tatler, publicado entre 1709 e 1710. Por meio de um humor ácido ela escrevia seus textos para as mulheres com a intenção de educar, mesmo que fosse pelo humor. A antiga revista Town and Country (de 1769 a 1796) era a mais influente nesse âmbito, o perfil era os escândalos e a revista crescia  cada vez mais. 

Lideraram as manchetes por muito tempo A duquesa de Devonshire, Georgiana Cavendish, e a atriz Elizabeth Farren também mais tarde o

Mary Robinson e seu amante, o príncipe de Gales, mais tarde conhecido como príncipe Regente e, por fim, George IV, também foram alvos da revista. 

Os nomes não eram publicados, em vez disso os escritores usavam códigos para disfarçar as identidades de sujeitos que eram fáceis de ver. Já para quem não tinha dinheiro para comprar a gravura na vitrine tinha sempre um exemplar que trazia as manchetes mais chocantes, isso ajudava a fofoca a se espalhar.

Banda capixaba de rock lança trabalhos autorais


A banda Capitão  Morgan assina contrato com a midas music  e coloca canções nos streamings

Julia Vitória

Formado há sete anos na região de Santa Teresa a banda capixaba Capitão Morgan, tem se empenhado bastante para que o rock nacional volte aos holofotes isso move o grupo capixaba, que assinou o Midas Music, gravadora do produtor musical Rick Bonadio, os integrantes Rodson Rudio (guitarra e vocal), Bruno Novelli (baixo) e Anderson Marques (bateria), agarraram a oportunidade.

O produtor musical midas tem o apelido inspirado no personagem da mitologia grega onde tudo que tocava virava outro, Rodson Rudio ficou surpreso e emocionado com a atenção que obtiveram do produtor, para ele o Bonadio tem um olhar especial para o mercado. Quatro músicas já estão nas plataformas de streaming, São elas: Descompasso, vícios, o agora e olhos fechados, trazem como tema a beleza da mulher a superação, o recomeço e despedidas e encontro dos casais. 

Rick Bonadio, produtor musical da Banda Capitão Morgan. Foto: divulgação

Ao mandarem seu trabalhos para gravadora foram recebidos pelo braço direito do produtor que gostou bastante do som do capitão Morgan, a banda começou a compor músicas autorais a pouco tempo mais especificamente em 2017, antes só tocavam os clássicos de artistas dos anos 80 e 90, e algumas de grupos modernos como  Kings of Leon e Colplay. Parando vocalista esse tempo tocando músicas não autorais ajudou no desenvolvimento da banda e a descobrir o que o público gosta de escutar.

A banda está em fase de lançamento porém com a pandemia isso atrasou um pouco, o segmento musical. Esse tempo ajudaram a trabalhar mais concentrados, em setembro lançaram a primeira música e em novembro lançaram a última. A gravadora os ajudou muito com o novo projeto, ganhando um novo público e conhecendo mais a banda.

Banda capixaba, Capitão Morgan. Foto: divulgação

Com uma breve turnê pela Europa eles conheceram a Itália, Inglaterra e Holanda, eles fizeram intercâmbio com as bandas desses países e apesar de terem sido  apresentações pequenas ajudaram a banda a adquirir mais experiência. Ainda quando tocavam músicas cover nos shows eles colocavam algumas de suas autorias que foram bem aceitas pelo público, e quando deram por conta tinham o mesmo números de covers e músicas autorais.

Tendo uma boa relação com os produtores eles se reúnem para  contar histórias das composições, e analisam que o sol ganhou qualidade. para a banda o artista deve confiar no produtor e uma liberdade para ter músicas de qualidades desejáveis. Para o futuro eles continuarão  produzindo novas músicas voltarão  a São Paulo para gravarem novas músicas e levar show para o público.

Capitão Morgan é uma banda de rock diferenciada, reunindo alguns elementos da música eletrônica eles acreditam que isso chamou a atenção dos produtores. Eles tocam a 15 anos a noite, tiveram alguns outros projetos autorais e isso faz diferença no mercado. Mesmo tocando rock eles não tem um estilo mas ainda sim conseguem  manter a essência do rock.

Vai ficar em casa? Veja os melhores filmes em streaming para assistir nesse fim de ano


Seleção promete muita emoção 

Thais Paim

Esse fim de ano promete ser diferente de todos que já vimos e a pandemia do coronavírus e o distanciamento social tem uma parcela bem grande de responsabilidade nisso. 

Então se você é um dos muitos que em 2020 acompanhará a chegada de um novo ano em casa e sem muitos festejos, essa seleção de filmes promete alegrar o seu fim de ano e tornar ainda melhor a experiência no conforto da sua casa. 

Todo o conteúdo selecionado está disponível na NetflixAmazon e Disney +

Veja a lista completa abaixo: 

SOUL

Disponível no Streaming do: Disney +

Diretores: Pete Docter e Kemp Powers

Elenco: Jamie Foxx, Tina Fey, Alice Braga e Angela Bassett.

Soul é o filme mais maduro da Pixar. O estúdio te devastou emocionalmente com filmes sobre aventureiros geriátricos (Up) e brinquedos (Franquia Toy Story) e agora aborda algo um pouco mais intangível: a vida após a morte. Comentários na internet prometem muitas lágrimas durante a animação. 

SOUND OF METAL

Disponível no Streaming da: Amazon Prime Video

Diretor: Darius Marder

Elenco: Riz Ahmed, Olivia Cooke e Paul Raci.

Um dos melhores filmes do ano é Sound of Metal, que está no streaming da Amazon Prime. O drama independente é estrelado por Riz Ahmed como um baterista que repentinamente perde a audição e é forçado a mudar de vida.

A VOZ SUPREMA DO BLUES

Disponível no Streaming da: Netflix

Diretor: George C. Wolfe

Elenco: Viola Davis, Chadwick Boseman, Glynn Turman, Colman Domingo e Michael Potts

A Voz Suprema do Blues conta uma história ocorrida na Chicago de 1927, onde o clima fica tenso quando a pioneira Mãe do Blues se reúne com sua banda em um estúdio de gravação. O filme é baseado na peça teatral de August Wilson.

MANK

Disponível no Streaming da: Netflix

Diretor: David Fincher

Escritor: Jack Fincher

Elenco: Gary Oldman, Amanda Seyfried, Lily Collins, Tom Pelphrey e Charles Dance

David Fincher aborda a Hollywood dos anos 1930 em seu filme original para Netflix. Mank, conta a história tumultuosa de Herman J. Mankiewicz, roteirista da obra-prima icônica de Orson Welles, “Cidadão Kane” e sua luta contra Welles pelo crédito do texto do grandioso longa. 

SMALL AXE

Disponível no Streaming da: Amazon Prime Video

Diretor: Steve McQueen

Elenco: John Boyega, Sheyi Cole, Shaun Parkes, Kenyah Sandy e Letitia Wright.

Small Axe é uma antologia de cinco filmes do diretor Steve McQueen. Cada um dos cinco filmes é baseado em histórias reais de opressão e de orgulho.

MULAN

Disponível no Streaming da: Disney +

Diretora: Niki Caro

Elenco:  Liu Yifei, ‎Donnie Yen‎, ‎Jason Scott Lee e Jet Lee.

Mulan se afasta do conteúdo original para contar uma história mais fiel a lenda. Essas mudanças fazem o longa funcionar como uma releitura da clássica animação, o que pode frustrar alguns fãs. Mas entre os acertos e erros de narrativa o saldo é positivo e deve agradar.

Você sabia? A critica gosto musical de usuários; veja como usar


Algoritmo avalia informações do Spotify 

Thais Paim

Se você gosta de música e está procurando algo diferente para se distrair, essa novidade pode ser interessante para você. Agora, além de tocar um solo de baixo infinito no YouTube, exibindo todo o seu talento artístico, a inteligência artificial (IA) também está avaliando o gosto musical dos usuários do Spotify. 

Segundo avaliações, apesar de possuir uma forma irônica e até mesmo cruel em alguns momentos, o algoritmo é montado com uma base em comentários de críticos especializados e publicações de música.

Desenvolvido pelo site The Pudding, o algoritmo é intitulado de “How Bad Is Your Spotify?” (algo como “Quão ruim é o seu Spotify?”, em tradução livre) e foi treinado em uma base de dados composta por mais de dois milhões de indicadores de “música objetivamente boa”, segundo informações fornecidas pela própria empresa.

As informações usadas no treinamento da IA foram obtidas de fontes como a plataforma americana Pitchfork e o jornalista, crítico musical e youtuber Anthony Fantano. Ela também se baseou em recomendações de lojas de discos e outras fontes de análises musicais, para produzir combinações e criar as suas próprias avaliações.

Durante a análise das canções e artistas mais tocados das suas playlists, o programa pode fazer algumas perguntas em tom sarcástico, como por exemplo “Você está bem por escutar tal artista?”, sempre zombando das suas preferências. 

Se você não leva críticas muito a sério e gosta de algo divertido e sarcástico, pode ser interessante fazer o teste. Após avaliar suas músicas, gêneros e outros indicadores, a ferramenta apresenta a crítica ao perfil do usuário, com muitas piadas e ironias.

Quão ruim é o seu Spotify?

Apesar de ser em inglês, o serviço é gratuito e qualquer usuário do streaming de música pode entrar na brincadeira e ter as suas preferências sonoras avaliadas pela inteligência artificial. 

Se você ficou curioso e quer testar, basta acessar o site How Bad Is Your Spotify, clicar em “Find Out” e fazer login com os dados do serviço.

Ainda segundo a empresa, o bot terá acesso apenas às informações referentes ao que você ouve na plataforma, sem autorização para publicar e nem fazer qualquer tipo de modificação na conta do usuário.

É válido lembrar que a ferramenta só tem o idioma inglês disponível no momento.

Advogados de Dani Calabresa pedem que Ministério público investigue o caso


Outras duas mulheres foram até a Ouvidoria da Mulher denunciar Marcius Melhem por assédio sexual

André Lucas

As acusações de assédio só vieram a publico em dezembro do ano passado em uma reportagem do portal UOL afirmou que Marcius Melhem, ator e diretor da parte de humor da emissora Rede Globo de televisão, estava sendo acusado de assédio moral por  diversas atrizes Globais. 

As notícias de assédio sexual vieram depois , a revista  Piauí, em uma super reportagem assinada pelo jornalista João Batista Jr, ouviu 43 pessoas que estavam envolvidas no caso. Duas delas se dizem vítimas de assédio sexual, sete, de assédio moral; e três, dos dois tipos de assédio: moral e sexual. 

Um dos casos relatados por uma das moça que mais chamou a atenção, foi num bar no Rio de Janeiro em 2017 em uma festa de confraternização da equipe do zorra total. Nessa ocasião o ator e diretor teria tentado beijar a atriz Dani calabresa 2 vezes, uma no palco do karaokê, em quanto o elenco do zorra brincava o Marcius tentou agarrar a atriz, a segunda tentativa foi na porta do banheiro quando a atriz saía do banheiro, Melhem agarrou ela segurou seus braços e tentou beijar a boca dela, Dani fechou os lábios e virou o rosto, mas deu tempo do diretor de humor lamber a Buchecha dela e ainda botar a genital para fora das calças.  Dani diz que conseguiu sair de perto dele e foi para o salão do bar, onde se encontrou com os colegas de profissão e teve um crise de choro. Em uma entrevista a CNN a atriz disse:

“Escutei longamente as vítimas, eu escutei os seus relatos e o que eu posso dizer é que Marcius Melhem foi um chefe que instrumentalizou a sua posição hierárquica para coagir suas funcionárias, que tomou sim as atitudes de coração, de prejudicar a carreira delas, de se vingar quando era rejeitado, e de usar sua posição hierárquica pra assediá-las sexualmente. Ele chegou a ser violento em alguns episódios”

Os advogados de Dani Calabresa pedem que o ministério publico investigue o agora ex ator e diretor da Globo por crimes sexuais, e que a atriz seja indenizada após ser constrangida pelas conversas em mensagem e áudio vazadas pelo ex diretor do núcleo humorístico da Globo.      

Melhem reuniu e divulgou diversas mensagens e áudios de conversas entre 2017 e 2019,para mostrar a relação de amizade que existe entre eles. “Estou mostrando coisas que expõem a relação amistosa que temos. Não é expor uma suposta vítima. Estou mostrando que eu e a suposta vítima tínhamos uma relação no período que a revista diz que ela estava traumatizada comigo. É só para contrapor uma narrativa falsa” disse o ex ator e diretor.

Nesta terça feira dia 22 de dezembro, outras duas atrizes que se dizem vítimas de assédio foram prestar depoimento na ouvidoria das mulheres no conselho nacional do ministério público. Elas foram ouvidas pela promotora Gabriela Manssur sobre as denúncias de crimes sexuais feitas contra ele.  

Marcius Melhem teve a oportunidade de se defender, em entrevista na rede Record de televisão:

“Se isso tivesse mesmo acontecido, a festa teria acabado. Imagina, uma atriz que sai chorando e é amparada por colegas. Não existiu nada, a gente brincou no palco e até aí tudo bem. Se você olhar o grupo de atores no dia seguinte, todos estão apenas comemorando. Eu e Dani trocamos mensagens. Não teve nenhum constrangimento. O que aconteceu comigo e Dani Calabresa só falo na Justiça, porque não vou expor ninguém. Eu nunca agarrei a Dani. Essa narrativa não é nem fantasiosa, ela é falsa. Eu nunca imobilizei ninguém na vida, é essa descrição que está me causando problemas. Eu nem sei quantos braços eu tenho para agarrar, bater a cabeça de alguém na parede e abrir o zíper”.

Harry Styles, sucesso para todas as idades


O cantor Harry Styles, que fez parte da ex-banda One Direction, hoje faz sucesso com sua carreira solo

Julia Vitória

Sendo de família modesta e cresceu tendo  como influência musical Fred Mercury, nasceu em Redditch, um município da Inglaterra, sua família não tinha nenhuma característica artística, mesmo assim Harry faz a alegria dos fãs hoje com suas músicas. O cantor de 26 anos nasceu em 1 de fevereiro de 1994, e aos 15 anos começou a trabalhar em uma padaria, contudo logo se inscreveu num programa de talentos chamado: The x Factor, e isso mudou sua vida. Com um apresentação a capela da música Isn’t She Lovely, impressionou os jurados, porém só foi até a segunda fase do programa. 

One Direction esteve no Brasil no ano de 2014. Foto divulgação.

Depois de ser eliminado, a jurada do programa  Nicole Scherzinger deu a ideia de montar uma banda com os cinco garotos eliminados nascendo assim a One Direction. A boyband teve um sucesso estrondoso e chegou a final do programa em terceiro lugar, em dois mil e cinco eles resolveram dar uma pausa por tempo indeterminado. Até o ano da pausa a banda fazia sucesso por onde passa chegando a lançar um disco por ano.  Alguns dos integrantes como Zayn e Harry começaram suas carreiras solos.

Sobre o seu primeiro single, ele revelou que não queria que não soasse como nada que a One Direction pudesse gravar. Seu segundo álbum também arrancou críticas positivas, de um trabalho nostálgico, mas com personalidade. Tendo uma sonoridade mais animada que seu Primeiro trabalho  

O cantor Harry Styles, carreira solo vitoriosa. Foto: divulgação.

Harry passou um responde dedicando a família e amigos, mas em dois mil e dezesseis começou seu primeiro projeto solo, gerando várias críticas positivas e recebendo certificado de platina em seu Primeiro  single solo, Harry também se aventurou nos cinemas estreitando em um filme de guerra chamado: dunkirk. Seu segundo álbum lançado em dois mil e dezenove, estreou no topo do Billboard sendo a maior estreia de um cantor inglês masculino nos EUA. Em dois mil e vinte com seu quarto single alcançou o topo novamente.

Estando no melhor momento de sua carreira, ele lançou no final de novembro o clipe da música golden uma das favoritas dos fãs sendo  gravada na Itália, apesar do lançamento ter sido em novembro o clipe foi gravado no final de setembro sendo dois dias de gravações os moradores aproveitaram para tirar fotos do cantor. O clipe era esperado pelo público e no dia 26 a espera acabou, o cantor revelou em entrevista que a música sempre foi uma fonte de alegria para  ele e que o clipe era para animar algumas pessoas.

Mesmo com o fim da banda Harold continua sendo o queridinho dos fãs, fazendo sucesso arrasando corações.