Escolas do ES usam de criatividade para superar obstáculos impostos pela pandemia


As escolas de educação infantil foram as que mais sentiram durante a quarentena, mas com boas estratégias estão conseguindo superar as dificuldades

Júlia Vitória

Com o início da pandemia, diversos setores foram impactados, sendo necessário o isolamento social, medidas de higiene. Um novo normal se iniciou com alguns desafios para o governo. Todos os segmentos como, por exemplo, igrejas e empresas tiveram que se adaptar. As instituições de ensino também precisaram buscar uma nova forma de funcionar junto com alunos e funcionários. 

No estado, desde o último dia 17 de março, as aulas estão suspensas, ou tendo atendimentos online, só voltando a funcionar em outubro, sete meses depois do início da pandemia. A Secretaria de Educação do Estado (Sedu), distribuiu um “Guia da Família”, com informações sobre os retornos dos alunos as escolas, protocolo de higiene, funções dos funcionários sobre a volta híbrida das aulas. 

Foi elaborado um plano de estratégico para a retomada das aulas, pelo sindicato das Empresas Particulares de Ensino do Espírito Santo, o Sinepe-ES, contudo mesmo com todas as medidas de segurança, muitos ainda têm medo de voltar às atividade presencialmente, a insegurança é maior ainda na educação infantil os pais ainda não estão completamente seguros de que podem mandar os filhos de volta para a escola. 

Para o presidente do Sinepe-Es Moacir Lellis, para alguns pais a educação infantil é somente para as crianças brincarem e que elas não entendem essa fase na vida escolar, ele fala que tiveram problemas no período de pandemia, pois os pais acham que estão levando as crianças para brincar, mas esta fase é importante para os pequenos, pois é o período que estão sendo alfabetizados e criando laços se desenvolvendo. 

A falta de entendimento da importância da vida escolar nesta idade, fez com que muitos pais retirassem os filhos da escola, segundo Lellis, no início da pandemia a evasão escolar cresceu muitos, cerca de setenta por cento, mas que com a retomada das aulas presenciais esse os pais voltaram a levar os filhos aumentando a frequência a educação infantil. 

A professora e doutora em educação, Cleonara Maria Schwartz, relata que as brincadeiras têm um fundamento pedagógico. A educação infantil é o primeiro passo para a educação básica através dela que começa a integrar a educação básica com o objetivo de ressaltar a importância para o resto da formação humana daquela criança e do desenvolvimento pessoal, social e emocional.. Segundo a especialista, novas alternativas devem ser criadas para que as crianças não fiquem sem estudar na pandemia. 

Algumas escolas se adaptaram rápido a nova forma de dar aulas, esse foi o caso da escola Americana de Vitória, onde estuda o Theo de dois anos e a Mariana de quatro anos, a mãe deles a servidora pública Júnia de Rezende Lima Perenzi fala que a escola em pouco tempo fez as adaptações necessárias e começou com as aulas online, dando todo o suporte para as famílias. Para as aulas online a mãe sempre buscava algo novo para os filhos e os professores também ficavam a disposição, para auxiliar nas atividades. 

A Escola Americana de Vitória adotou um sistema híbrido deixado os pais decidirem se levavam os filhos ou não, também foi realizado um projeto de ensino individualizado para as crianças menores. 

Em todos os momentos tinha uma psicóloga, pedagoga e os professores par ajudar os pais e os alunos, mas atividades online. Isso ajudou no desenvolvimento das crianças. 

Após ver que as atividades online com muitos alunos não dava certo, a instituição adotou o sistema de ensino individual, para ter uma integração maior entre o aluno e o professor. A diretora enfatiza que neste momento a escola é muito importante e segura para os alunos, sendo que é essencial as crianças começarem a estudar cedo para ter um desenvolvimento mais abrangente. 

A relação de família e escola é bastante importante neste período, a instituição Centro Educacional Vicente Pelicioni (CEVIP) teve uma aproximação fundamental nesse novo normal. A interação entre os pais e funcionários foi o diferencial para que os pais não tirassem seus filhos da escola, a instituição também se adaptou rápido ao novo normal e isso foi essencial para todos. 

A relação escola e família dura mais de 24 horas, e a escola está adotando um protocolo rígido para receber os alunos em segurança. Desde a primeira semana, diante da atual situação mundial a escola elaborou roteiros que são enviados para os alunos. e se o aluno não participar das atividades a equipe pedagógica entra em contato sempre se preocupando com o bem estar dos pais e alunos da instituição.

As inscrições para a 12ª Olimpíada de História do Brasil estão abertas


As inscrições para a 12ª Olimpíada Nacional em História do Brasil (ONHB 2020) estão abertas. Interessados em participar têm até o dia 24 de abril para realizar as inscrições. Porém, os candidatos inscritos até 9 de março são beneficiados com desconto na taxa de participação. As inscrições têm o valor variado conforme o prazo e o tipo da escola (pública ou particular).

Confira, abaixo, o cronograma de inscrição e respectivos valores:

– Até 9 de março: escola pública – R$38 / escola particular – R$78

– De 10 de março a 24 de abril: escola pública – R$58 / escola particular – R$118

Os candidatos interessados devem formar equipes compostas por três estudantes e um professor de História para que possam participar da competição que possui seis etapas on-line (sendo de uma semana cada). As provas serão realizadas entre o período de 4 de maio e 13 de junho, com atividades compostas por tarefas sobre História e temas interdisciplinares que abordem as áreas de Geografia, Antropologia, Urbanismo, Literatura e Atualidades.

A expectativa da organização da olimpíada é que cerca de 800 concorrentes participem da etapa final da ONHB 2020, que será realizada na sede da Unicamp, em Campinas/SP, nos dias 15 e 16 de agosto. O primeiro dia contará com uma dissertação, já o segundo será composto pela divulgação do resultado e entrega de medalhas.

Alunos, educadores ou demais funcionários dos colégios podem efetuar a inscrição através do site www.olimpiadadehistoria.com.br.

Sobre a olimpíada – Um projeto de extensão da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), a Olimpíada Nacional em História do Brasil (ONHB) contempla o 8º e 9º do ensino fundamental e ensino médio e é destinada a estudantes e professores das redes públicas e privadas do país. Mais informações podem ser consultadas no regulamento da Olimpíada.

Sisu recebe inscrições a partir de 21 de janeiro


As inscrições para o Sistema de Seleção Unificada (Sisu) poderão ser feitas de 21 a 24 de janeiro de 2020. O calendário do processo seletivo do primeiro semestre do ano que vem foi divulgado pelo Ministério da Educação (MEC) no Diário Oficial da União.

O resultado da seleção será divulgado no dia 28 de janeiro e a matrícula dos selecionados deverá ser feita de 29 de janeiro a 4 de fevereiro. Aqueles que não forem selecionados poderão participar da lista de espera também entre os dias 29 de janeiro e 4 de fevereiro.

O Sisu oferece vagas em instituições públicas de ensino superior. A seleção é feita com base no desempenho no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Para participar é preciso ter obtido nota acima de zero na redação do exame.

Para o primeiro semestre de 2020 valerão as notas do Enem 2019. Os resultados das provas, que foram aplicadas nos dias 3 e 10 de novembro serão divulgados em janeiro na página https://enem.inep.gov.br/participante/#!/ e no aplicativo do Enem. Para acessar, é preciso informar CPF e senha. Ao todo, 3,9 milhões de candidatos participaram de pelo menos um dia de prova do Enem.

As regras e a quantidade de vagas que serão oferecidas no ano que vem pelo Sisu ainda não foram divulgadas. No primeiro semestre deste ano, foram ofertadas 235,5 mil vagas em 129 instituições públicas de todo o país.

Projeto insere alunos da rede pública no mercado de trabalho formal


A Organização Internacional do Trabalho (OIT), em parceria com Ministério Público do Trabalho (MPT) e o Ministério da Economia, inauguram nesta quarta-feira (4) o projeto de Aprendizagem Profissional Inclusiva (API), que dará a alunos da rede pública do município goiano de Cristalina oportunidade de entrar no mercado forma de trabalho de uma forma diferenciada.

O programa, cujo objetivo é facilitar a entrada de estudantes no primeiro emprego, é focado em jovens em situação de vulnerabilidade social. O projeto visa combinar aquisição de experiência de trabalho com cursos oferecidos dentro do ambiente das empresas. Esses ambientes vão preparar os jovens aprendizes para a realidade competitiva do mercado.

A primeira turma de aprendizes é formada por 18 jovens de 15 a 21 anos, que receberão ofertas de carreiras técnicas nas empresas. “A etapa de Cristalina servirá como um projeto piloto. Esses jovens sabem que carregam uma responsabilidade. Se o programa der certo, será levado para outros municípios interessados.”

A Aprendizagem Profissional Inclusiva é financiada por termos de ajuste de conduta firmados pelo governo de Goiás e que agora são convertidos em obras sociais de benefício público. “Sem mudar nada da legislação, conseguimos fazer um módulo inclusivo que diminui a desigualdade das oportunidades de estudo. Mas é preciso [ter] apoio das empresas também, que devem aceitar construir um ambiente propício para receber esses futuros profissionais”, afirmou a coordenadora nacional do Programa de Princípios e Direitos Fundamentais do Trabalho da OIT, Maria Cláudia Falcão.

Veja dicas para ter um bom exame no Enem


A hora da verdade para os estudantes que prestarão as provas do Enem está chegando. As provas do Exame Nacional do Ensino Médio serão realizadas nos dias 3 e 10 de novembro e, nessa reta final de preparação é importante manter o foco.

Separamos algumas dicas que podem ser úteis para os nossos estudantes, que buscam uma vaga em uma das universidades do país. O Carvalho News deseja boa sorte a todos!

Durma bem: o sono tem um papel fundamental na consolidação das aprendizagens cotidianas.

  1. Alimente-se adequadamente: para o bom funcionamento de nosso corpo e mente, é necessário consumir alimentos saudáveis – tais como frutas, verduras, grãos e proteínas. Para fortalecer sua memória, invista no consumo de ovos, peixes ricos em ômega 3 e frutas que contenham vitamina C.
  2. Evite situações estressantes, baladas e viagens na véspera do exame: esta carga de imprevisibilidade pode gerar impactos sobre os quais não temos controle e você não quer perder o exame para o qual tanto se dedicou, não é mesmo? Outra dica: se o seu deslocamento será de uma cidade para outra, é melhor ir no dia anterior à prova e se hospedar em um local próximo à realização de sua prova.
  3. Revise os principais conteúdos: para isso, o aluno pode utilizar esquemas e mapas mentais feitos ao longo do ano. Caso você não tenha esse hábito, existem diversos sites, portais e blogs que disponibilizam gratuitamente estes recursos para todos.
  4. Planeje seu deslocamento: é fundamental pensar a maneira como você vai chegar ao local da prova e o tempo de deslocamento – considerando o trânsito carregado deste dia. Independentemente do meio de transporte que escolher, planeje-se para chegar com uma hora de antecedência, pois imprevistos podem acontecer, inclusive, nas vias de acesso ao seu local de prova.
  5. Prepare seu lanche: você precisará de alimentos que não te causem trabalho e nem sonolência. O ideal é levar uma garrafa de água e alimentos leves, como castanhas e frutas. Balas, chicletes e chocolate apenas para o caso de uma crise de hipoglicemia.
  6. Entenda o tema da redação: para garantir que você compreendeu corretamente a proposta, é necessário ler o tema e ficar atento às palavras-chave.
  7. Planeje seu texto: faça um planejamento, organizando e hierarquizando as informações e os argumentos, relacionando-os a um repertório sociocultural. Verifique sua tese, selecione argumentos para defendê-la e elabore uma proposta relacionada a ela.
  8. Elabore uma proposta de intervenção: é fundamental que o candidato seja capaz de elaborar uma proposta de intervenção pertinente à discussão desenvolvida no texto, apresentando uma ação concreta, o modo como ela será executada e os efeitos – buscando o máximo de detalhamento.
  9. Revise o seu texto: é muito importante reler o texto, garantindo a ortografia e a pontuação correta, além de uma boa conexão entre as ideias, ou seja, a coesão textual.

 

Lista de espera do ProUni aceita inscrições até amanhã


Começa hoje (15) e vai até amanhã (16) o prazo para participar da lista de espera do Programa Universidade para Todos (ProUni). A adesão deve ser feita através da página http://siteprouni.mec.gov.br/ .

Podem participar da lista de espera os candidatos que não foram selecionados na primeira opção de curso feita na hora da inscrição em nenhuma das duas chamadas regulares do programa.

Além disso, podem participar aqueles que foram selecionados para a segunda opção, mas cuja turma não foi formada. Esses estudantes concorrem a vagas para a primeira opção de curso.

Podem concorrer a vagas para a segunda opção de curso aqueles cujas turmas da primeira opção não foram formadas ou as bolsas da primeira opção não foram disponibilizadas. A relação dos candidatos em lista de espera será divulgada no dia 18.

Todos os candidatos participantes da lista terão que comparecer, entre os dias 19 e 22 de julho, às respectivas instituições para apresentar a documentação para comprovação das informações prestadas na inscrição.

A lista de espera será usada pelas instituições de ensino para preencher as vagas que, após a primeira e a segunda chamadas, permanecerem disponíveis. Ao todo, serão ofertadas para o segundo semestre deste ano 169.226 bolsas de estudos em instituições particulares de ensino superior, sendo 68.087 bolsas integrais, de 100% do valor da mensalidade, e 101.139 parciais, que cobrem 50% do valor da mensalidade.

As bolsas integrais são destinadas a estudantes com renda familiar bruta per capita de até 1,5 salário mínimo.

As bolsas parciais contemplam os candidatos que têm renda familiar bruta per capita de até 3 salários mínimos. O ProUni é voltado para  candidatos que não tenham diploma de curso superior e que tenham participado do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2018.

Além disso, os estudantes precisam ter cursado o ensino médio completo em escola pública ou em instituição privada como bolsistas integrais.

É preciso ter obtido ainda nota mínima de 450 pontos na média aritmética das notas nas provas do Enem. Também podem se inscrever no programa estudantes com deficiência e professores da rede pública.

ProUni recebe inscrições


Na próxima terça-feira (11) serão abertas as inscrições para o Programa Universidade para Todos (ProUni) do segundo semestre de 2019. O programa oferta bolsas de estudo em instituições particulares de ensino superior.

O prazo para participar da seleção vai até 14 de junho. A inscrição deverá ser feita pela internet, no site do ProUni. É preciso informar o número de inscrição no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2018 e a senha.

Podem se inscrever candidatos que não tenham diploma de curso superior e que participaram do Enem 2018. É necessário ter obtido uma nota mínima de 450 pontos na média aritmética nas provas do Enem. Outra exigência é a de que o aluno não tenha tirado zero na redação.

Cada estudante precisa ter cursado o ensino médio completo em escola pública ou em instituição privada como bolsista integral. Também podem participar do programa estudantes com deficiência e professores da rede pública.

Bolsas

As bolsas de estudo ofertadas são parciais e integrais. Sendo as últimas destinadas a estudantes com renda familiar bruta per capita de até 1,5 salário mínimo. Já as bolsas parciais contemplam os candidatos que têm renda familiar bruta per capita de até 3 salários mínimos.

Resultado

A divulgação do resultado da primeira chamada está prevista para 18 de junho deste ano. Já a segunda chamada será no dia 2 de julho. O candidato pré-selecionado deverá comparecer à respectiva instituição de ensino superior para comprovação das informações no período de 18 a 25 de junho, caso tenha sido selecionado na primeira chamada e de 2 a 8 de julho na segunda. A lista de espera, caso as vagas não sejam ocupadas, fica disponível no site para consulta pelas instituições de ensino no dia 18 de julho.

 

22ª OBA tem 800 mil participantes


Nesta sexta-feira, cerca de 800 mil estudantes brasileiros do ensino fundamental e médio fizeram as provas da 22ª edição da OBA (Olimpíada de Astronomia e Astronáutica). Ao todo, quase 8,5 mil escolas foram cadastradas. O gabarito será divulgado amanhã (18).

Dividida em quatro níveis (três para alunos do fundamental e uma para o ensino médio), a Olimpíada é composta por uma prova com dez perguntas: sete de astronomia e três de astronáutica.

“Estamos felizes com essa etapa vencida. Agora, a bola está com os professores, que têm que corrigir as provas, digitar nomes e notas dos alunos. Depois, isso vem para nós classificarmos os estudantes”, explica o coordenador nacional da OBA, João Canalle, professor e astrônomo da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ).

Os melhores classificados na OBA representam o país nas olimpíadas Internacional de Astronomia e Astrofísica e Latino-Americana de Astronomia e Astronáutica.

A OBA é coordenada por uma comissão formada por membros da Sociedade Astronômica Brasileira (SAB) e da AEB, e conta com o apoio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e da Universidade Paulista (Unip).

Protestos em prol da Educação são mais uma preocupação para Bolsonaro


Inferno astral? Não há como negar, a situação do presidente Jair Bolsonaro não anda nada boa. E, no dia de hoje, seu governo teve de enfrentar um protesto que mobilizou milhares de manifestantes m várias cidades do Brasil.  O ato foi motivado pelos cortes do capitão reformado, na educação, anunciados anteriormente pelo ministro da pasta Abraham Weintraub na educação.

Presidente Bolsonaro critica manifestações Foto: divulgação
Presidente Bolsonaro critica manifestações Foto: divulgação

Os cortes foram anunciados logo depois da decisão do governo federal em não financiar mais os cursos de sociologia e filosofia, a justificativa apresentada foi de que os estudos sobre estas pontos não trariam retornos efetivos à sociedade.

Houve protestos em pontos das cidades do Rio de Janeiro, Niterói, na Região Metropolitana, bem como de Duque de Caxias e Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. Além das 63 universidades geridas pelo Ministério da Educação no Brasil atualmente, as unidades de ensino fundamental e médio como o Colégio Pedro II e os IFFs de Educação em Ciência e tecnologia, também serão afetados.

Em terras gaúchas, as escolas da rede pública  e a universidades do Rio Grande do Sul aderiram parcialmente ao movimento. Na UFRGS ( Universidade Federal do Rio Grande do Sul) professores e alunos se mobilizaram e as aulas foram suspensas em parte das unidades. Estudantes e professores da Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre também se mobilizaram, com panfletagem e debates sobre o contingenciamento de recursos. Pelo interior do estado, houve paralisação de atividades e protestos nas universidades federais de Pelotas (UFPel), do Rio Grande (Furg), de Santa Maria (UFSM) e em institutos federais.

O Masp foi o ponto de concentração do movimento em SP. Foto: reprodução Facebook
O Masp foi o ponto de concentração do movimento em SP. Foto: reprodução Facebook

Em São Paulo, concentraram em frente ao vão livre do Museu de Arte de São Paulo (Masp) e os dois sentidos da via foram interditados por volta das 14h. O ato contou com a adesão de estudantes, crianças, idosos e sindicatos relacionados à educação. Vários cartazes fazeram referência à fala de Weintraub sobre “balbúrdia” em universidades.

O grupo ocupou todas as faixas da Avenida Sete de Setembro, o que deixou o trânsito bastante congestionado no local. De acordo com a Transalvador, os carros ficaram atrás do protesto e avançavam conforme o grupo andava.

Em Salvador (BA) nem mesmo a chuva conseguiu esfriar o ânimo dos manifestantes, que marcharam do Campo Grande  a Praça Castro Alves, um trajeto de cerca de 2,5 quilômetros. O ato encerrou por volta das 13h.

Universitários africanos protestam em Salvador. Fotos: reprodução Facebook.
Universitários africanos protestam em Salvador. Fotos: reprodução Facebook.

Também participaram do protesto entidades de classe, como a Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), Sindicato dos Trabalhadores em Educação na Bahia (APLB), Sinpro (Sindicatos dos professores das escolas particulares, União Nacional dos Estudantes (UNE), Associação dos Professores Universitários da Bahia (Apub) e Sindicato dos Trabalhadores Técnico e Administrativos da Universidade Federal (Assufba).  Manifestações em prol da Educação foram realizadas em todos os estados do país e no Distrito Federal. Em São Paulo, Porto Alegre e no Rio de Janeiro, os movimentos ainda ocorrem.

Questionado sobre o impasse provocado por sua medida, Bolsonaro afirmou que não gostaria de contingenciar verbas, mas que foi necessário. O governante avaliou os manifestantes como “uns idiotas úteis… uns imbecis”. Vale destacar que o Ministério da Educação e Cultura (MEC) bloqueou 24,84% dos gastos não obrigatórios dos orçamentos das instituições federais. Essas despesas incluem contas de água, luz e compra de material básico, além de pesquisas.  As verbas obrigatórias (86,17%), que incluem salários e aposentadorias, não serão afetadas.

Inscrições no UPT iniciam hoje


prouniIngressar em uma universidade é uma das principais metas de muitos estudantes brasileiros. Um auxílio para alcançar esse objetivo é o  pré-vestibular do programa estadual Universidade para Todos, promovido no Estado da Bahia. As inscrições iniciam hoje, 23 de abril e vão até 2 de maio, exclusivamente pela internet.

O cursinho é feito em parceria com as Universidades Estaduais da Bahia (Uneb), da Santa Cruz (Uesc), de Feira de Santana (Uefs) e dos Sudoeste da Bahia (UESB), sendo totalmente gratuito.

O programa é voltado a estudantes matriculados, em 2019, no 3º ano do Ensino Médio Regular estadual ou municipal ou suas modalidades correspondentes; matriculados, em 2019, no 4º ano da Educação Profissional integrada ao Ensino Médio da rede estadual ou municipal ou suas modalidades correspondentes e egressos do Ensino Médio estadual ou municipal do Estado da Bahia.

No ato da inscrição, o candidato deve fazer opção para um único município, local de funcionamento e turno que deseja cursar, bem como preencher integralmente o formulário de inscrição. O candidato informará, obrigatoriamente, o número do seu Cadastro de Pessoa Física (CPF) e criará uma senha de seis a oito dígitos, o que dará origem a um nome de usuário para acesso ao endereço de inscrição.

Além de poder fazer alterações sobre a inscrição pelo sistema, o candidato também poderá tirar dúvidas sobre o processo pelo telefone 0800 285 8000, de segunda a sexta-feira, das 8h30 às 12h e das 13h30 às 18h ou pelo email: [email protected]

A seleção dos candidatos será feita a partir das notas de português e matemática informadas no ato da inscrição. A lista dos contemplados será divulgada no dia 10 de maio no site da Secretaria de Educação. A matrícula está prevista para o período de 21 a 24 de maio, no turno e local para o qual o estudante optou para cursar, com a apresentação dos documentos expressos no edital, entre os quais os documentos pessoais e os históricos escolares do Fundamental II e do Ensino Médio.

As aulas estão previstas para começar no dia 27 de maio e seguem até o mês de dezembro. Além das aulas, os estudantes têm acesso aos projetos complementares, como seminários, oficinas, simulados, revisão para o Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) e orientação vocacional.

Saiba mais

Inscrições on line                  http://www.educacao.ba.gov.br/

Edital                                     http://dovirtual.ba.gov.br/egba/reader2/