Bebê que foi capa do disco ‘Nevermind’ processa Nirvana por exploração sexual


Spencer Elden está pedindo uma indenização de US$ 150 mil

Thais Paim

Spencer Elden, que apareceu aos 4 meses de idade na capa do disco “Nevermind”, do Nirvana, está processando a banda e afirma que foi explorado sexualmente quando ainda era criança. A notícia tem provocado uma grande polêmica entre os fãs.  

O jornal “The Guardian”, afirmou que o processo aberto na Califórnia, nos EUA, cita diversas partes e conta com 15 réus, incluindo membros da banda, Courtney Love – viúva de Kurt Cobain -, e a gravadora que lançou e distribuiu o disco nas últimas três décadas. O álbum foi lançado em 1991.

Spencer Elden, que atualmente tem 30 anos, pede uma indenização de US$ 150 mil (cerca de R$ 787 mil) de cada uma das partes e quer que seu caso seja analisado por um júri.

Sobre o caso 

Os advogados de defesa alegam que houve “exploração sexual infantil comercial, desde quando Elden era menor de idade até os dias atuais”. Ainda segundo eles, a imagem fez com que Elden se assemelhasse a “um trabalhador do sexo – agarrando-se por uma nota de um dólar”.

No processo, Elden alega produção de pornografia infantil com sua imagem, que o mostra nadando nu em direção a uma nota de um dólar. Segundo ele, sofreu danos permanentes com a capa, incluindo “sofrimento emocional extremo e permanente com manifestações físicas”.

O processo cita também que Elden nunca foi pago para aparecer na capa e que seus pais não assinaram uma autorização de direito de imagem. 

História da foto

“Nevermind” foi lançado em 24 de setembro de 1991 após diversos ensaios para definir quem seria o bebê da foto. Apesar de Elden ter sido o escolhido, tinha mais meninas nos testes — e o pai do eleito era amigo do fotógrafo.

A foto foi feita especialmente para a capa. Informações prévias davam conta de que os pais de Elden receberam US$ 250 na época para o ensaio exclusivo.

           

De novo na piscina

Em 2008, o site da MTV norte-americana divulgou uma foto de Spencer Elden, então com 17 anos, repetindo a imagem da capa. Elden voltou a mergulhar em uma piscina atrás de uma nota de um dólar, mas, desta vez, usando um calção de banho.

Na época, Elden disse que “era estranho pensar que tanta gente já me viu pelado – me sinto como a maior estrela pornô do mundo”.

Fonte: G1 

Projeto de lei (RJ) pode obrigar clientes a se identificar com nome e CPF em motéis


Um projeto de lei que visa coibir a exploração sexual deve impor a identificação com nome e CPF para clientes de motéis no Rio. Encaminhado para Comissões municipais, o PL nº 427/2017, do vereador Jones Moura (PSD), cria a Política Pública de Combate ao Turismo Sexual e ao Abuso e à Exploração Sexual que prevê multa de R$ 500 mil e cassação de alvará para os estabelecimentos que descumprirem a obrigação de identificação.

De acordo com o PL, além dos motéis, todos os estabelecimentos hoteleiros passam a ser obrigados a identificar seus hóspedes e, ainda, armazenar os dados pelo prazo de cinco anos. Outro ponto será a obrigação de que os locais também apresentem os dados a fiscais ou autoridades policiais que o requiram. Os estabelecimentos que descumprirem essas determinações estarão sujeitos a multa de R$ 15 mil por ocorrência.

motel demy2

A proposta é que, a partir da aprovação, a Prefeitura do Rio passe a adotar uma série de medidas de combate ao turismo e exploração sexuais. Também estão previstas ações de apoio às vítimas, como levantamento quantitativo dos casos, com registro em um banco de dados, e realização de visitas domiciliares, para identificar e intervir na situação de pessoas submetidas à exploração sexual.

Ilhéus: prefeitura no combate ao abuso e exploração sexual contra crianças e adolescentes


A Prefeitura de Ilhéus, através da Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS), realizou, na última quarta-feira, 22, ação educativa de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual contra Crianças e Adolescentes nos receptivos dos navios cruzeiros aportados na cidade. A mobilização organizada pela SDS teve a participaçãodo Centro Especializado de Assistência Social – Serviço de Proteção e Atendimento a Famílias e Indivíduos (CREAS/PAEFI) e do Centro de Referência em Assistência Social (CRAS) e parceria com o Conselho Municipal dos Direitos da Criança e Adolescentes (CMDCA) e o Conselho Tutelar do Município de Ilhéus.

Durante toda a manhã foram distribuídos folhetos e adesivos (praguinhas) para os cerca de 3.800 turistas que visitavam a cidade. A abordagem também se estendeu a profissionais ligados ao turismo, como taxistas e guias, bem como pessoas que circulavam na região situada entre o Porto do Malhado e a Praça Dom Eduardo, em frente à Catedral de São Sebastião, no centro da cidade.

Na ação, personagens fantasiados de Colombina e Pierrot e voluntários da SDS utilizando perucas sensibilizavam e interagiam com o público por meio de brincadeiras educativas alusivas ao carnaval. Na oportunidade, a secretária de Desenvolvimento Social, Soane Galvão, afirmou o compromisso da gestão de assegurar cada vez mais as garantias e direitos das crianças e adolescentes. “Antecipamos a ação que é realizada nacionalmente, no mês de maio, devido ao número expressivo de denúncias registradas no município, através do Disque 100, cuja média chegou a 15 ocorrências numa semana. Logo, é preciso envolver toda a sociedade nessa luta”, acrescentou.

Prefeitura de Ilhéus realiza ação de combate ao abuso sexual 2
Ilhéus realiza ação de combate ao abuso sexual           Foto: Ascom Prefeitura de Ilhéus

Em Ilhéus, as mobilizações itinerantes serão realizadas nos meses de março a maio, nas escolas municipais e estaduais e pontos turísticos, locais estratégicos para a conscientização quanto à importância da denúncia e o frequente combate e prevenção ao crime. A próxima abordagem ocorrerá no dia 8 de março, data em que se comemora o Dia Internacional da Mulher, e o ponto escolhido para a ação será o Porto do Malhado. Outras mobilizações estão sendo planejadas, cujo ponto alto dacampanha se dará no dia 18 de maio, o “Dia D”, conhecido como Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual contra Crianças e Adolescentes.

A proposta é intensificar o combate ao crime sexual e a ação surgiu por conta de uma inquietação, por parte do município, devido às denúncias que se tornam conhecidas no CRAS, CREAS, Ministério Público e Conselho Tutelar, afirmou a coordenadora do CREAS/PAEFI, Lidyane Marques.

No Brasil, estima-se que 500 mil crianças e adolescentes são exploradas sexualmente, cuja maioriatem idade entre 7 e 14 anos. Nas rodovias federais, são mais de dois mil pontos de exploração de meninos e meninas. Através do“Disque 100”, é possível denunciar qualquer situação de violência contra a criança e o adolescente no país. O serviço funciona 24 horas por dia, todos os dias da semana. Apenas sete em cada 100 casos são denunciados, por isso a importância da divulgação do telefone e da campanha de conscientização que a SDS faz.

Diferença entre abuso e exploração sexual – Abuso Sexual pode ocorrer  dentro ou fora da família e acontece quando o corpo de uma criança ou adolescente é usado para a satisfação sexual de um adulto, com ou sem uso da violência física. Já exploração sexual é o uso de crianças e adolescentes em atividades sexuais remuneradas, ou seja, em troca de dinheiro.