Na Bahia, diabéticos ficam sem insulina após atraso do Ministério da Saúde


Ainda não há uma previsão para o abastecimento 

Thais Paim

Setembro começou difícil para os pacientes portadores de Diabetes mellitus e dependentes de insulina do tipo glulisina na Bahia. O motivo? Até o momento não há certeza e nem previsão de recebimento das canetas com o hormônio.

Assim como outros medicamentos, as canetas de insulina são enviadas pelo Ministério da Saúde para o estado, e ainda não há uma sinalização por parte da pasta federal para o abastecimento do medicamento neste mês. 

Histórico de reabastecimento 

Em julho, a Secretaria de Saúde do Estado (Sesab) confirmou que os estoques de insulina na Bahia chegaram a ficar zerados. 

Segundo informações da Sesab, em 19 de agosto chegaram 5.580 insulinas do tipo glulisina, completando um quantitativo para atender as pendências de julho e agosto. “Mas para o mês de setembro ainda nada nos foi enviado”, destacou a pasta estadual.

A secretaria ainda sinalizou que tem feito cobranças e enviado notificações ao Ministério da Saúde cobrando a regularização do fornecimento por meio de planejamento trimestral.

Outros médicos 

A questão dos atrasos nas entregas de fármacos não é exclusiva da insulina. Na semana passada aumentou para 22 o número de medicamentos com estoque zerado ou em iminência de falta para pacientes da Bahia por falta de distribuição do Ministério da Saúde.

Um mês antes, pacientes baianos com HIV/Aids, meningite e anemia falciforme estavam com seus respectivos tratamentos ameaçados e alguns já prejudicados por falta de estoque de alguns medicamentos no estado. Na época eram 18 os fármacos nesta. 

Fonte: Bahia Notícias 

Prazo para regularização do MEI encerra na próxima terça-feira (31)


Marcelo Carvalho

Os Microempreendedores Individuais (MEIs) com impostos atrasados têm até a próxima terça-feira para regularizarem suas dívidas. Para quitar o débito,  o contribuinte acessar o site do Simples Nacional até 31 de agosto. Clique aqui.

A partir de setembro, os débitos não regularizados serão encaminhados para inscrição em dívida ativa da União. Fique atento ao prazo e fuja da inadimplência.

Sebrae oferta cursos sobre empreendedorismo através do Whatsapp e Telegram


Quase 60 mil usuários já utilizaram esse novo serviço 

Thais Paim

Os cursos online oferecidos pelo Sebrae por meio de aplicativos de mensagens estão se destacando e conquistado um número cada vez maior de donos de negócios. Desde janeiro até início de agosto deste ano, foram quase 60 mil usuários que realizaram em torno de 80 mil matrículas. 

Para quem tem interesse de se inscrever, o acesso aos cursos está disponível no site do Sebrae.

Atualmente são oferecidos 29 cursos para acesso pelo Whatsapp e Telegram. Todos têm certificado com verificação de autenticidade e são 100% gratuitos. Ao concluir o curso, o documento é emitido em até 1 hora e entregue direto pelo próprio aplicativo.

A praticidade dessa nova modalidade de curso tem chamado a atenção dos usuários e vem registrando uma grande adesão. 

Além de contribuir para a atualização dos conhecimentos sobre gestão da microempreendedora individual, Juliana Recuche, o curso também a ajudou na hora de buscar um empréstimo para ampliar o negócio. Com uma vasta experiência no ramo da confeitaria, ela faz doces, bolos e salgados para vender na cidade de Dois Córregos, no interior de São Paulo. 

“Fui indicada pelo banco a fazer os cursos do Sebrae e os certificados fizeram parte dos documentos exigidos. Mesmo tendo formação em administração, os conteúdos foram bons para relembrar assuntos e me atualizar”, declarou.

Com fácil acesso pelo celular, o técnico em Contabilidade, Eladio Andrade, de Cajazeiras, na Paraíba, fez quase todos os cursos disponíveis. Ele conta que o interesse surgiu a partir da demanda de alguns clientes que são Microempreendedores Individuais (MEI) com interesse no enquadramento no Simples Nacional. 

“Eu precisava entender melhor o universo dos MEI e vi que o Sebrae oferecia diversos cursos sobre o assunto. Comecei fazendo um e quando percebi tinha feito quase todos. Fiquei surpreso com a facilidade e rapidez com que obtive os conhecimentos que procurava”, comentou. 

O gerente de Soluções do Sebrae, Diego Demétrico, explica que os cursos disponibilizados pelos aplicativos foram pensados para atender quem precisa de praticidade e não tem muito tempo. Com o uso de tecnologia de Inteligência Artificial e chatbots, os cursos oferecem vídeos, áudios, imagens e textos curtos que podem ser baixados e assistidos em qualquer hora e lugar.  

“Essa solução foi desenvolvida pelo Sebrae com um grande arcabouço tecnológico para facilitar a vida dos empreendedores. Nossas pesquisas apontam que muitos querem se capacitar para alavancar os negócios, mas não têm tempo suficiente. Ao mesmo tempo, observamos o potencial que os aplicativos apresentam ao serem usados por muitos brasileiros”, explicou.

Fonte: Economic News Brasil

Live gratuita sobre empreendedorismo em parceria com o Sebrae


“Construindo um Futuro de Sucesso” é o tema da transmissão

Thais Paim

Para quem busca uma oportunidade de saber mais sobre o mundo do empreendedorismo, o Centro Universitário UniMetrocamp e o Sebrae promoveu na última quinta-feira (19), 18h, uma live aberta ao público.

O convidado especial será o Pedro Mello , Fundador da Open Leaders. Quem se interessar em conhecer mais  o tema “Construindo um futuro de sucesso”, poderá acompanhar pelo YouTube do Evento, no link: https://www.youtube.com/watch?v=oLYWvi2_tp0 . Lembrando que não é necessária inscrição prévia.

Sobre a iniciativa

A ação faz parte do lançamento do Projeto do UniMetrocamp Carreiras chamado Startup Way Challenge – uma iniciativa de empreendedorismo, em parceria com o Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas) – para todos os alunos. O Startup Way Challenge, além de estimular a inovação, pretende desenvolver negócios lucrativos.

O desafio do Startup Way Challenge será 100% gratuito para o corpo discente do UniMetrocamp e vai acontecer entre os dias 13 e 24 de setembro, das 17h às 19h. Os alunos que participarem receberão certificado e 30 horas de AAC. As inscrições estão abertas até o dia 13 de setembro e os estudantes da instituição de ensino superior poderão montar grupos/equipes entre 4 e 6 alunos. Mais informações podem ser obtidas por meio do site https://www.sympla.com.br/startup-way-challenge—wyden__1293174.

“Estamos profundamente felizes com esta grande parceria com o Sebrae, pois sem dúvida nenhuma, o Projeto Startup Way Challenge permitirá que os nossos estudantes possam seguir uma trilha de desenvolvimento de uma startup, tirando suas ideias do papel e colocando seus negócios em funcionamento”, afirma Fernanda Vio, Gerente da área de Carreiras e Desenvolvimento do Aluno do UniMetrocamp.

Fonte: Hora Campinas

Após grande polêmica, projeto proíbe planos de saúde de exigir consentimento de marido para inserção de DIU


Mulheres denunciaram casos através das redes sociais

Thais Paim

Um projeto de lei protocolado na Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA) determina a proibição a profissionais de saúde e operadoras de planos ou seguro de saúde de exigir o consentimento de cônjuge ou de companheiro para realizar ou autorizar a inserção de dispositivo intrauterino (DIU). O PL foi proposto pelo deputado Jurandy Oliveira (PP).

O projeto também inclui implante contraceptivo ou de injeção anticoncepcional. Além disso, pela proposta, em caso de não cumprimento da lei, acarretará ao responsável infrator desde multa até cassação de alvará de licença, interdição ou suspensão temporária da atividade, entre outras sanções. 

Na justificativa da proposição, o parlamentar ampara-se em outros dispositivos da Constituição do Estado da Bahia (Artigo 233), que exaltam a proteção e defesa da saúde como direito de todos e dever do Estado, bem como a Constituição Federal, que garante a igualdade de homens e mulheres em direitos e obrigações. 

Deputado Jurandy Oliveira. Foto: divulgação

“Infelizmente, é possível constatar na sociedade brasileira uma profunda discriminação da mulher em vários aspectos. A desigualdade de gênero persiste no mercado de trabalho em geral, na política, no esporte e na imprensa, só para citar alguns. Nessa linha, a sociedade tem percebido, cada vez mais, a importância de ações que previnam, enfrentem e combatam a crescente violência contra a mulher”, argumenta o deputado.

Ele anota ainda reportagens da imprensa local, nas quais se relata a exigência de planos de saúde de consentimento de maridos para autorizarem o procedimento de inserção de DIU em mulheres casadas. “Exigir autorização do marido para esse tipo de procedimento prejudica a autonomia e independência da mulher, na medida em que quebra a confidencialidade existente entre médico e paciente. A participação dos homens nesse processo decisório representa a alienação da autonomia reprodutiva das mulheres, podendo agravar a condição de mulheres que vivem em contexto de violência”, defende Jurandy Oliveira.

Fonte: Assembleia Legislativa da Bahia

Caso de sucesso: startup atrai o maior investimento já feito em novas empresas no Brasil


Cenário do empreendedorismo feminino tem conquistado vários avanços 

Thais Paim

 A startup brasileira Pipo Saúde, comandada pela economista Manoela Mitchell, atraiu cerca de R$ 100 milhões em investimentos para o negócio. É um dos maiores da história do mercado para empresas que estão começando e representa mais uma conquista feminina nos negócios. 

A Pipo é uma healtech que administra uma plataforma de gestão de benefícios de saúde das empresas. Com a pandemia, o negócio cresceu na plataforma virtual e se mostrou promissor. A grana levantada por eles para desenvolver o negócio é um aporte de um grupo conhecido por investir em cases de saúde e tecnologia.

E só tem peixe grande nesse grupo aí, como o ex-CEO e fundador do Peixe Urbano Julio Vasconcelos, empresas como Thrive Capital, Monashees, Kaszek e OneVC e investidores como o cofundador do Nubank, David Vélez, do sócio-gestor da GGV Capital, Hans Tung, e do ex-sócio da XP Investimentos Henrique Loyola. 

Sobre a empresa 

A empresa tem se mostrado a mais eficiente do segmento auxiliando empresas de até mil funcionários a administrarem os benefícios de planos de saúde de seus funcionários e já tem mais de 100 clientes corporativos. A intenção é estender suas operações com o surgimento de novos clientes. 

“O que nos motivou foi ver o quanto era difícil para as empresas e seus funcionários lidarem com os planos de saúde. Nascemos então para ajudar as empresas, mas além disso, queremos ajudar as pessoas, porque sabemos que saúde é a coisa mais importante da vida delas“, avaliou.

Motivações e surgimento da parceria 

Manoela foi criada pela mãe, que trabalhou muito para lhe dar educação. Com esse incentivo e o sonho de criança de se tornar Presidente do Brasil nas atividades escolares, ela se formou em Economia pela USP, passou a atuar no mercado financeiro e decidiu empreender com os dois colegas.

“Como empreendedora gosto muito de desmistificar a ideia de que empreender é ter uma ideia na fila da padaria que vai mudar o mundo. Empreender é muito sobre o processo: enxergar um problema, testar, aprender e fazer tudo de novo, por muitas e muitas vezes. Não é a toa que demorou quase 18 meses pra Pipo”, contou.

As características de mulher forte e decidida lhe ajudaram muito nesse processo. “Eu sempre tive uma personalidade autêntica e diferente”, conta. Manu se inspirou somente na Cris Junqueira, CEO do Nubank, e hoje alcançou esse resultado massa para o empreendedorismo feminino.

Fonte: Razões para acreditar 

Veja como ficou o calendário de pagamento das parcelas extras do auxílio emergencial


Informação foi divulgada na última quinta-feira (12) 

Thais Paim

Após ser encerrado em julho, a Caixa Econômica Federal divulgou nesta quinta-feira (12) o calendário da quinta, sexta e sétima rodadas do auxílio emergencial. O governo decidiu prorrogar por mais três meses e o benefício será depositado até outubro. 

O ministro da Cidadania, João Roma, afirmou que as três parcelas extras custarão mais R$ 20 bilhões aos cofres públicos, segundo o ministro da Cidadania, João Roma.

Ainda segundo informações, o governo quer começar a pagar o Auxílio Brasil, programa que substituirá o Bolsa Família, em novembro. Até o momento, o valor ainda não foi anunciado. 

“O programa termina quando começar o Auxílio Brasil, em novembro. E já está acertado com a equipe econômica um aumento de, pelo menos, 50% em relação ao Bolsa Família”, afirmou o presidente Jair Bolsonaro. 

Regras para recebimento do auxílio 

A quinta parcela do auxílio emergencial começa a ser paga no próximo dia 18. Recebem primeiro os beneficiários do Bolsa Família que migraram temporariamente para o auxílio.

Depois, o calendário segue com os demais beneficiários. Como nas parcelas anteriores, o pagamento será escalonado de acordo com o mês de nascimento do titular. Além disso, o banco esclarece que não haverá novo cadastro. Os beneficiários que já receberam as parcelas anteriores e que cumprem os requisitos vão receber as parcelas extras.

Confira abaixo os valores das parcelas mensais: 

beneficiários de famílias com um único integrante — R$ 150;

beneficiários de famílias com dois ou mais membros — R$ 250;

beneficiários de famílias chefiadas pelas mulheres — R$ 375.

Calendário – beneficiários do Bolsa Família

Para quem recebe Bolsa Família, o calendário de pagamento das parcelas extras será pelo número final do cartão do beneficiário:

NIS TERMINADO EM 1

5ª parcela – 18/08

6ª parcela – 17/09

7ª parcela – 18/10

NIS TERMINADO EM 2

5ª parcela – 19/08

6ª parcela – 20/09

7ª parcela – 19/10

NIS TERMINADO EM 3

5ª parcela – 20/08

6ª parcela – 21/09

7ª parcela – 20/10

NIS TERMINADO EM 4

5ª parcela – 23/08

6ª parcela – 22/09

7ª parcela – 21/10

NIS TERMINADO EM 5

5ª parcela – 24/08

6ª parcela – 23/09

7ª parcela – 22/10

NIS TERMINADO EM 6

5ª parcela – 25/08

6ª parcela – 24/09

7ª parcela – 25/10

NIS TERMINADO EM 7

5ª parcela – 26/08

6ª parcela – 27/09

7ª parcela – 26/10

NIS TERMINADO EM 8

5ª parcela – 27/08

6ª parcela – 28/09

7ª parcela – 27/10

NIS TERMINADO EM 9

5ª parcela – 30/08

6ª parcela – 29/09

7ª parcela – 28/10

NIS TERMINADO EM 0

5ª parcela – 31/08

6ª parcela – 30/09

7ª parcela – 29/10

Calendário – público geral

Nascidos em janeiro

5ª parcela – 20/08

6ª parcela – 21/09

7ª parcela – 20/10

Nascidos em fevereiro

5ª parcela – 21/08

6ª parcela – 22/09

7ª parcela – 21/10

Nascidos em março

5ª parcela – 21/08

6ª parcela – 23/09

7ª parcela – 22/10

Nascidos em abril

5ª parcela – 22/08

6ª parcela – 24/09

7ª parcela – 23/10

Nascidos em maio

5ª parcela – 24/08

6ª parcela – 25/09

7ª parcela – 23/10

Nascidos em junho

5ª parcela – 25/08

6ª parcela – 26/09

7ª parcela – 26/10

Nascidos em julho

5ª parcela – 26/08

6ª parcela – 28/09

7ª parcela – 27/10

Nascidos em agosto

5ª parcela – 27/08

6ª parcela – 29/09

7ª parcela – 28/10

Nascidos em setembro

5ª parcela – 28/08

6ª parcela – 30/09

7ª parcela – 29/10

Nascidos em outubro

5ª parcela – 28/08

6ª parcela – 01/10

7ª parcela – 30/10

Nascidos em novembro

5ª parcela – 29/08

6ª parcela – 02/10

7ª parcela – 30/10

Nascidos em dezembro

5ª parcela – 31/08

6ª parcela – 03/10

7ª parcela – 31/10

Fonte: G1 

Doença ‘prima’ do Ebola faz vítima na Guiné e preocupa a OMS


Informação da morte foi confirmada pelas autoridades de saúde 

Thais Paim

O primeiro caso de Marburg na África Ocidental foi confirmado pelas autoridades de saúde da Guiné. A doença é altamente infecciosa da mesma família do vírus que causa o Ebola e provocou grande alerta. 

A Organização Mundial da Saúde (OMS) disse que o vírus precisava ser “interrompido em seu caminho”. Segundo informações, a doença do vírus de Marburg é transmitida às pessoas por morcegos frugívoros e se espalha entre humanos por meio da transmissão de fluidos corporais. 

O último grande surto em Angola foi em 2005 e os casos são extremamente raros. 

É uma doença grave, geralmente fatal. Entre os sintomas estão dor de cabeça, febre, dores musculares, vômitos com sangue e sangramento.

De acordo com os médicos ainda não existe tratamento para Marburg, mas eles afirmam que beber bastante água e tratar sintomas específicos aumenta as chances de sobrevida do paciente.

Amostras retiradas do paciente guineense, que já morreu, foram testadas em laboratórios do país e deram resultado positivo para o vírus de Marburg. Ele foi identificado em Guéckédou na semana passada, a mesma região onde foram encontrados casos recentes de ebola, em um surto que acabou recentemente.

Posicionamento da OMS 

A diretora da OMS para a África, a botsuanense Matshidiso Moeti, disse que o vírus tem potencial para se “espalhar por toda parte”. Mas aproveitou a oportunidade para elogiar “o estado de alerta e a rápida ação investigativa dos profissionais de saúde da Guiné”.

Autoridades tentam agora encontrar pessoas que possam ter estado em contato com o homem que morreu.

Quatro contatos de alto risco, incluindo um trabalhador de saúde, foram identificados, além de 146 outros que poderiam ter sido expostos ao vírus, diz a epidemiologista Krutika Kuppalli, que tem acompanhado o caso, à BBC.

Os sistemas implantados na Guiné e nos países vizinhos para controlar os recentes surtos de Ebola estão sendo retomados em resposta ao vírus de Marburg.

Na África, surtos anteriores e casos esporádicos foram notificados em Angola, República Democrática do Congo, Quênia, África do Sul e Uganda, afirma a OMS.

O vírus matou mais de 200 pessoas em Angola em 2005, o surto mais mortal já registrado, de acordo com a OMS.

Especialistas afirmam que cenário do empreendedorismo feminino ainda exige prudência


Brasil tem avançado em emancipação social

Thais Paim

Mesmo com dados que apontam as mulheres sendo maioria no Brasil, representando 51,4% da população, ainda assim, o recorte do empreendedorismo é um pouco diferente: as mulheres representam apenas 25,4% dos empreendedores do país, de acordo com o Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas).

Apesar do cenário ainda não ser o ideal, foi registrado um crescimento de 40% no empreendedorismo feminino no ano de 2020, de acordo com dados disponibilizados pela Rede de Mulheres Empreendedoras. Negócios voltados para alimentação, beleza, estética e moda estão entre os investimentos escolhidos.

Desta forma, o Brasil alcançou o sétimo lugar no ranking “Proporção de Mulheres à Frente de Empreendimentos Iniciais”, divulgado pelo GEM (Global Entrepreneurship Monitor). O estudo analisou 49 países, considerando empreendimentos com menos de 42 meses de existência. 

Desafios no empreendedorismo feminino 

Wanessa Marques, Diretora Contábil da Learmachs, escritório internacional especializado em operações globais sediado no Brasil, Estados Unidos e Chile, acredita que está em curso no Brasil um processo de emancipação econômica e social por parte das mulheres. “Se antes as mulheres enfrentavam desafios e preconceitos empreendendo, ou só apareciam em sociedade por necessidades de terceiros, o cenário mudou”, aposta a executiva. 

A especialista cita a chamada “sociedade limitada” (Ltda.) como um modelo que, historicamente, envolveu as mulheres no âmbito empresarial.  Criado em 1919 no Brasil, e, dentre as suas regras, estava a obrigatoriedade da presença de dois sócios na direção da empresa. “Ao longo de mais de 100 anos, isso levou à ocorrência de um fenômeno bastante particular e próprio do Brasil: a criação de empresas por parte do marido, com sua esposa figurando como sócia, notadamente com uma participação inferior”, afirma.

Muitos anos depois, a lei continua a mesma, embora o empreendedorismo tenha evoluído, principalmente entre o público feminino. 

Para apoiar o público feminino que está começando a jornada empreendedora, a Learmachs disponibiliza uma consultoria específica, focando nos cenários operacionais em que as mulheres podem ser as únicas proprietárias da empresa. 

A especialista ainda explica: “A mulher empreendedora pode possuir sozinha, empresas como a empresa individual de responsabilidade limitada, a sociedade limitada unipessoal, e até mesmo a sociedade anônima. Basta conhecer esses formatos de empresas e escolher o melhor para o negócio.” 

De acordo com a Learmachs, e segundo dados oficiais da Receita Federal, o país possui mais de 45 milhões de CNPJs – e, destes, mais de 2/3 são sociedades limitadas. “Quase metade destas empresas são familiares, com o marido e a esposa figurando como sócios. E isso precisa mudar”, pontua.Fonte: Terra 

Confira 3 erros que todo empreendedor deve evitar


Apesar de não existir uma receita infalível, alguns cuidados podem ser adotados 

Thais Paim

Todo empreendedor provavelmente já se fez essa pergunta: como criar uma empresa de sucesso e ganhar dinheiro? A receita infalível não existe, mas quem carrega anos de experiência no mercado pode ter algumas dicas muito úteis para ensinar. 

Quando decidimos empreender e, assim, arriscar nossa pele em um ambiente muitas vezes hostil e desconhecido, percebemos que contamos muito mais com nosso feeling para a sobrevivência nos negócios do que propriamente com um manual de instruções pronto.

Quer dizer então que as boas práticas não existem no empreendedorismo? Claro que existem. E elas são muito úteis. Porém, se apostarmos todas as nossas fichas em experiências alheias é provável que tenhamos mais fracassos do que acertos.

O motivo? No ambiente empreendedor, o sucesso acaba sendo supervalorizado, enquanto os erros são varridos para baixo do tapete. Afinal, ninguém gosta de perder e admitir isso em público.

Pensando nisso, reunimos 3 erros mais comuns entre empreendedores.

1 – Sociedade baseada na amizade

É muito importante empreender ao lado de pessoas que conhecemos e confiamos, como amigos e familiares. Afinal, trazemos para perto de nós pessoas de nossa convivência diária. Contudo, se a sociedade estiver baseada apenas nesse critério, nem a sociedade nem a amizade provavelmente vai durar muito tempo.

Não deixe de avaliar a competência dessas pessoas. 

2 – Negócios aleatórios

Quando escolhemos uma carreira profissional, geralmente procuramos áreas que refletem nossas habilidades, gostos e valores. Nos negócios, a lógica deve ser a mesma. Empreender por empreender pode provocar grandes prejuízos pessoais e financeiros. Invista seu tempo e seu dinheiro em algo que possa ser rentável e satisfatório.

3 – Terrenos desconhecidos

Se você não sabe onde está pisando, provavelmente terá de delegar a administração da empresa para alguém que saiba. Delegar é bom, mas ceder a gestão a outras pessoas pode ser um tiro no pé. Por isso, antes de se arriscar em terrenos desconhecidos, procure aprender tudo a respeito desse novo segmento. Pesquise, estude, prepare-se.

Fonte: Valor Investe