Fiocruz promete 5 milhões de vacinas contra Covid-19 para esta semana


Marcelo Carvalho

A Fundação Oswaldo Cruz (FioCruz) anunciou que entrega, até a próxima sexta-feira, 5 milhões de vacinas contra a Covid-19 ao Programa Nacional de Imunizações (PNI). Nesta quarta-feira, foram entregues cerca de 2,2 milhões de doses da vacina AstraZeneca/Oxford, das quais 215 mil seguirão diretamente para o estado do Rio de Janeiro.

Para a próxima sexta-feira, 16, está prevista a entrega de 2,8 milhões de doses do imunizante, totalizando 5 milhões na semana. Segundo a Fiocruz, o cronograma pactuado com o Ministério da Saúde segue o esquema de entregas semanais e está sujeito à logística de distribuição definida pela pasta.

Caixa libera pagamento do auxílio emergencial para nascidos em maio


Marcelo Carvalho

A Caixa Econômica realiza nesta quinta-feira mais uma etapa de pagamentos do auxílio emergencial 2021. Beneficiários nascidos em maio irão receber os recursos nas contas poupanças digitais referentes à primeira parcela do programa. Além disso, o banco também libera o benefício para 236 mil pessoas que foram aprovadas na semana passada. Já nesta sexta-feira, o benefício será liberado para as famílias do Bolsa Família. Desses novos beneficiários, o banco libera o pagamento para os nascidos entre janeiro e maio. Os que nasceram depois de maio entram no calendário normal de repasses.

Mais de 70 representações de ‘fura-fila’ em vacinação são apresentadas ao MP/BA


Ao todo 46 municípios estão envolvidos

Thais Paim

De acordo com o Ministério Público da Bahia (MP-BA), o órgão já recebeu 74 denúncias de supostos casos de “fura-fila”, por agentes públicos e cidadãos comuns, da vacinação da Covid-19. Os dados foram calculados até a terça-feira (26) e levam em conta o início da imunização no estado. 

Ao todo, 46 municípios baianos registraram possíveis casos de “fura-fila”. 

O Grupo de Trabalho para acompanhamento das ações de enfrentamento do novo coronavírus (GT Coronavírus) do MP informou que os agentes podem ser acusados de cometerem ato de improbidade administrativa, infração sanitária, e crimes de abuso de autoridade, de expor a perigo a vida de outra pessoa, peculato e de concussão. 

Conforme definido pelo Ministério da Saúde, os grupos prioritários na primeira etapa da vacinação são:

Pessoas com 60 anos ou mais vivendo em instituições como abrigos ou casas de repouso, funcionários desses locais

Pessoas com deficiência que residem em instituições e respectivos trabalhadores

Indígenas vivendo nas terras da respectiva comunidade

E trabalhadores da saúde em atividade nos locais de atendimento de pacientes com Covid-19, com prioridade para aqueles na linha de frente do enfrentamento da doença.

O MP informou que a população pode denunciar pelo número 08006424577 ou pelo e-mail [email protected].

Parte da polêmica foi iniciada após o prefeito de Candiba ter se vacinado, sem fazer parte dos grupos incluídos na primeira fase da imunização. 

Em Nota Técnica, o GT ressalta que estão incluídos na primeira fase da vacinação apenas profissionais de saúde, população indígena aldeada em terras demarcadas, povos e comunidades tradicionais e pessoas com mais de 75 anos abrigados em instituições de longa permanência.

Ampliação do aeroporto de Ilhéus deve atender mais de 1,2 milhões de viajantes


Julia Vitória

O aeroporto de está  sendo ampliado se 3.400 metros quadrados para 4. 500 metros quadrados, o ambiente que agora contará com um estacionamento para carros e pátio para as aeronaves, mostram o crescimento da cidade. Com as mudanças, o aeroporto terá capacidade de receber 1,2 milhões de viajantes por ano. 

Segundo o prefeito da cidade, Mário Alexandre, a ampliação do terminal aeroviário é importante para o crescimento da cidade e também para o turismo e geração de empregos, pois com a circulação maior de turistas o aeroporto mais pessoas irão trabalhar, ele também disse que o aeroporto tem uma fila de jatinhos e com a ampliação terá mais aeronaves no local e os turistas aproveitando a cidade, que gerará mais desenvolvimento para Ilhéus.

Pacientes trazidos de Manaus já estão em condições de receber alta


Oito pacientes que chegaram na semana passada com covid já podem receber alta do hospital.

Julia Vitoria

Na última semana, 36 pacientes que estavam com coronavírus chegaram no Espírito Santo de Manaus, os pacientes foram transferidos devido ao colapso no sistema de saúde, com falta de oxigênio e sem leitos para os pacientes com Covid-19. A última atualização da Secretaria de Estado de Saúde na terça dia 25 de janeiro  dos  36 pacientes internados no hospital Jayme dos Santos Neves, 18 ainda se encontravam na unidade de tratamento intensivo (UTI) e os outros 18 já estavam na enfermaria, oito desses pacientes já estão em condições de receber alta. Até o final da semana passada, 27 pacientes estavam na unidade de tratamento intensivo e segundo a Sesa não tem registro de transferência de paciente pediátrico com covid para o estado.

15 estados estão recebendo pacientes do Amazonas os deslocamentos dos pacientes foi feito com os aviões da Força Aérea Brasileira (FAB), só no Espírito Santo são 150 leitos disponíveis para os pacientes que chegarem no estado do Amazonas, segundo a secretaria de Estado da saúde, a chegada desses pacientes não afetará os atendimentos no estado do Espírito  Santo.

Na Bahia, empresas avaliam compra de vacinas contra Covid-19 e doação de 50% ao SUS


Possibilidades são analisadas após aval do governo 

Thais Paim

O Governo Federal deu o aval para que empresas possam importar, por conta própria, vacinas contra a Covid-19 para imunizar seus funcionários e com isso, algumas empresas da Bahia já estão se movimentando para adquirir o imunizante. 

A ideia é que a compra não beneficie apenas os funcionários e que a vacina adquirida, uma outra seja doada para o SUS.

O vice-presidente da Associação Comercial da Bahia, Paulo Cavalcanti, revelou que, além dessa medida, estão em análise outras questões sobre o tema. “Quem vai dar a vacina, você importa e precisa ter agulha e aonde vai tomar. Armazenar também. Questão logística. São esses detalhes”, afirmou ele. 

Alguns questionamentos sobre o processo de imunização e a participação das empresas nesse momento importante também foram mencionados por ele: 

“Como vai ser a operação? Você importa e o SUS fica com metade. Quem vai aplicar a vacina? Essas são as discussões. Temos total intenção e estamos analisando as possibilidades dessa negociação. Tem a questão do lote ideal para importação. Quando vai para a associação você tem que ver o orçamento das empresas. Tem empresas grandes e fortes que podem contribuir”, disse.

A compra das vacinas pelo setor privado já vem causando controvérsias. O prefeito de Salvador, Bruno Reis (DEM), afirmou não concordar que o setor privado adquira e comercialize a vacina contra a Covid-19. Segundo ele, “só vai ter acesso quem conseguir pagar”.

FIEB ainda aguarda deliberação

Por sua vez, a Federação das Indústrias do Estado da Bahia (FIEB) disse que a discussão ainda não foi debatida juntos aos associados, e caso haja deliberação sobre a aquisição de vacina por parte do empresariado, só então a FIEB definirá o seu papel e como poderá contribuir com o processo. 

Especialistas afirmam que vazamento de 220 milhões de CPFs pode ter sido o mais danoso do país


Mais de 40 milhões de números de CNPJ também foram divulgados 

Thais Paim

O dfndr lab, laboratório especializado em segurança digital da startup PSafe, revelou que houve um vazamento de dados de proporções gigantescas no Brasil. A listagem aponta que mais de 223 milhões de CPFs foram divulgados. Junto deles estão informações detalhadas de cidadãos brasileiros: nome, endereço, renda, imposto de renda, fotos, participantes do Bolsa Família, scores de crédito e muito mais. 

Segundo as informações divulgadas, os dados teriam sido compilados em agosto de 2019. Então, mesmo que o volume de números de CPF seja maior do que o da população brasileira, é válido lembrar que também foram incluídas na base informações pessoas que já morreram. Além disso, mais de 40 milhões de números de CNPJ, com informações atrelados a eles, também foram disponibilizados. Tudo está à venda em fóruns na internet.

Até o momento, não se sabe a origem do vazamento, mas indícios já apontam de que as informações pertencem à base de dados do Serasa – o Estadão teve acesso a parte dos dados e encontrou documentos e menções ao birô de avaliação de crédito. Uma das bases de dados supostamente pertence ao Mosaic, serviço do Serasa. 

Vazamento de informações

A empresa nega origem do vazamento e informou que está investigando o caso. Em nota, ela diz: 

“Estamos cientes de alegações de terceiros sobre dados disponibilizados na dark web. Conduzimos uma extensa investigação e neste momento nenhum dos dados que analisamos indicam que a Serasa seja a fonte. Muitos dos dados analisados incluem elementos que não temos em nosso sistema e os dados atribuídos à Serasa não correspondem aos dados em nossos arquivos.”

Especialista 

Para Bruno Bioni, fundador e professor do Data Privacy Brasil, esse pode não ser apenas o maior, mas também o mais danoso vazamento de dados do Brasil. Segundo o especialista, o evento pode ser comparado ao caso Equifax, birô de crédito americano que viu os dados de 145 milhões de pessoas vazarem em 2017, o que rendeu um acordo de US$ 650 milhões com a Federal Trade Comission (FTC), agência responsável nos EUA por representar o direito do consumidor em casos de vazamento de dados.

Bioni defende a necessidade de que seja pensado um plano de contingência – para ele, o caso será o primeiro grande teste da Autoridade Nacional de Proteção de Dados (ANPD). Embora as multas da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) possam ser aplicadas apenas a partir de agosto, ele aponta caminhos de atuação da agência. 

O Impeachment de Bolsonaro ganha força


Carreatas de esquerda e direita em 15 capitais diferentes pedem o impedimento do presidente

André Lucas

Os pedidos de  impeachment do Presidente Jair Bolsonaro que começou  nas redes sociais, foi para as ruas do país inteiro, no último sábado, dia 23 de janeiro, manifestações de esquerda e direita  espalhadas em 15 capitais e diversas cidades brasileiras, aumentaram a pressão no congresso para votar o impedimento do Presidente da República.  

Por conta da pandemia, as manifestações foram diferentes das tradicionais marchas em vias principais, o ato aconteceu em carreatas, as pessoas colocavam bandeiras nas janelas dos carros e buzinavam. 

A algumas semana o impeachment ganha força e espaço na internet, a hashtag #ForaBolsonaro ficou entre os principais assuntos do país,  insatisfação com o atual governo só aumentou dos últimos seis meses para cá. 

Os grupos políticos Povo Sem Medo, Fórum Pelos Direitos e Liberdades Democráticas e o Acredito influenciaram as carreatas no sábado em Belém, Maceió, Salvador, João Pessoa, Teresina, Recife, Fortaleza, São Paulo, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, Brasília, Campo Grande, Porto Alegre, Curitiba e Florianópolis, além de outras cidades ao redor do Brasil.  

O que chama muita atenção para as manifestações deste ano são os movimentos de lados completamente opostos irem às ruas juntos com o mesmo objetivo. O MBL por exemplo, que apoiou a campanha de Bolsonaro, participou do ato. 

 No domingo, dia 24 de janeiro, cerca de 300 pessoas invadiram a Praça dos três poderes e fizeram uma concentração no local. De máscara e respeitando o distanciamento social, os manifestantes usaram cartazes que faziam críticas à má conduta do governo federal no combate contra a pandemia. 

Os movimentos como o vem pra rua e MBL, fizeram manifestações em 2016 e derrubaram Dilma Rousseff, hoje repetem o ato e com o mesmo objetivo, só que dessa vez o alvo é outro. 

Com suas tradicionais camisas verdes e amarela, os militantes de direita denunciavam o despreparo e má vontade política para combater o coronavírus, o repúdio e desrespeito aos familiares das vítimas fatais ao minimizar a pandemia, a campanha em defesa de medicamentos sem comprovação científica como a cloroquina e o envolvimento de pessoas próximas em casos de corrupção, como o filho Flávio Bolsonaro e Fabrício Queiroz.  

A luta contra a corrupção era uma das principais bandeiras dos grupos de direita que apoiavam o governo atual.  um dos argumentos para defender a derrubada de Dilma, e para sustentar o “antipetismo”, vital para a Vitória do candidato de direita. 

Com o envolvimento do filho Flávio em “rachadinha” com Fabrício Queiroz, o outro filho Carlos  envolvido com funcionários fantasmas, e os 89 mil na conta bancária da esposa (tudo investigado pelo MP), o presidente vê sua imagem manchada pela corrupção. 

Os pedidos de impeachment no congresso

Ao todo já existem 61 pedidos de impeachment protocolados, esperando apenas que o presidente da Câmara coloque a pauta para ser votada entre os parlamentares. Semana que vem, dia 1° de fevereiro, é o dia das eleições na Câmara dos deputados federais, que podem ser definitivas para decidir se o Impedimento vai para a pauta ou não. 

Arthur Lira é o candidato do Presidente da República para ficar na cadeira, caso ganhe é provável que não permita que a matéria entre em pauta, e salve o atual presidente de perder o cargo. Do outro lado Baleia Rossi já prometeu que caso vença as eleições na Câmara, vai analisar os pedidos com “equilíbrio”, e ainda criticou seu oponente, “ será que ele vai engavetar os pedidos sem cumprir o seu papel ? “.  

Enquanto o impedimento não progride, a Hashtag #ForaBolsonaro continua em alta, a pressão no congresso aumenta, e segundo muitas pesquisas feita neste fim de semana como por exemplo Atlas e Datafolha, mostram que cerca de 47,5% do povo é a favor. 

Rondônia vive colapso na saúde e culpa nova cepa do covid 19


Enquanto isso, estudos na Inglaterra mostram aumento de 30% na letalidade da nova mutação

André Lucas

O prefeito de Porto Velho, Hildon Chaves, anunciou neste sábado que o sistema de saúde do estado de Rondônia está em caos por conta da pandemia do Covid 19. 

Não tem mais vaga para atender novos pacientes que chegam o tempo todo ao hospital. Os profissionais da saúde suspeitam que a variante do coronavírus registrada em Manaus, seja responsável pelo agravamento dos casos mais rápidos que na primeira onda. 

O Prefeito conta que mesmo construindo mais 50 leitos para os pacientes de covid, não está sendo suficiente para atender os novos casos. 

A explosão de casos é assustadora, em 1° de janeiro  o estado registrava 270 casos, nesse fim de semana já está chegando a 1500, a tendência é o número continuar crescendo. 

O prefeito confirmou as informações de que os pacientes estão piorando de estado muito mais rápido que na primeira onda, informação passada antes pelos médicos da cidade. Hildon  admitiu que o grande aumento de casos aconteceram por conta do relaxamento das medidas de segurança que aconteceram no fim do ano passado. 

Ontem, a Secretaria de Estado da Saúde anunciou que antecipou e disponibilizou mais 21 leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) (11 no Hospital de Campanha e dez já existentes no Centro de Reabilitação) para reforçar o atendimento de pacientes com covid-19. A capacidade ocupada da rede era ontem superior a 95%. 

O mutação do vírus. 

O CN (Carvalho News), vem cobrindo as notícias da mutação desde o começo, quando o vírus foi identificado pela primeira vez em Londres. Menos de 2 meses depois e a nova mutação do vírus estar aqui, o primeiro ministro da Inglaterra anunciou neste fim de semana que o novo vírus tem até 30% de mais letalidade que o da primeira onda. 

A afirmação parte de resultados ainda não confirmados de um estudo feita pela NERVTAG (sigla em inglês para Grupo de Aconselhamento para Ameaças de Vírus Respiratórios Novos e Emergentes), que repassou as informações para o governo, a pesquisa ainda estar em estágio Preliminar. 

 Outros estudos já haviam mostrado que essa nova variante pode se espalhar com mais facilidade do que outras versões do vírus. 

“Além de se espalhar mais rápido, agora parece que há evidências de que a nova variante pode estar associada com uma taxa maior de mortalidade”, explicou o Primeiro Ministro Britânico. 

O NERVTAG analisou matematicamente tendências na mortalidade de pacientes infectados com a nova variante do Sars-CoV-2 e com a antiga. A conclusão inicial foi de que a nova linhagem aparenta ser 30% mais mortal do que a antiga. 

Um exemplo para que os dados sejam compreendidos melhor,  a cada 100 pessoas contaminadas pelo Covid na primeira onda, 10 morriam; na nova cepa a cada 100 pessoas contaminadas, morrem 13, um aumento de 30% (números fantasias, apenas por exemplo).  

A notícia boa é que que agora não existe nada que indique ineficácia das vacinas as contra o novo vírus, pelo menos o planejamento da OMS e dos governos europeus é que as vacinas de Oxford e Pfizer funcionem contra o novo vírus. 

Veja o que muda nas indenizações do seguro DPVAT e como solicitar


Nova gestão traz mudanças nos formatos de solicitações e pagamentos

Thais Paim

A novidade é que a Caixa Econômica Federal assumiu em 2021 a gestão dos recursos e pagamentos das indenizações do DPVAT (Seguro de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Via Terrestre (DPVAT) e com isso, algumas alterações foram necessárias. 

Para quem não sabe, o seguro DPVAT foi criado há quase 50 anos com o objetivo de indenizar cidadãos envolvidos em acidentes de trânsito, sejam eles motoristas, passageiros ou pedestres.

Após a alteração de gestão, o seguro passa por modificações nos formatos de solicitações e pagamentos das indenizações. Vale lembrar, que embora o pagamento do DPVAT esteja suspenso em 2021, o seguro continua existindo e funcionando. 

Entenda como funciona o DPVAT e o que muda para 2021: 

Quem tem direito?

Qualquer vítima de acidente de trânsito envolvendo veículos automotores (carros, motos, ônibus e caminhões), sejam motoristas, passageiros ou pedestres, e seus beneficiários. As indenizações são pagas independentemente da apuração de culpados e do reconhecimento do veículo.

São cobertos casos de morte, invalidez permanente total ou parcial, e reembolso de despesas médicas e hospitalares da rede privada por danos físicos causados pelos acidentes de trânsito.

Qual o valor das indenizações?

R$ 13.500 em caso de morte;

até R$ 13.500 em caso de invalidez permanente, variando conforme a lesão da vítima (100% para total; 75% para as perdas de repercussão intensa; 50% para as de média repercussão; 25% para as de leve repercussão);

até R$ 2.700, considerando os valores gastos pela vítima em seu tratamento.

Como solicitar e receber a indenização?

Depende da data em que o sinistro ocorreu. Todas as indenizações são pagas individualmente, sem importar quantas vítimas se envolveram no acidente, e os pedidos devem ser feitos em até 3 anos a partir do diagnóstico.

Acidentes ocorridos até 2020

Caso o acidente tenha acontecido até o dia 31 de dezembro de 2020, a solicitação deve ser feita à Seguradora Líder, antiga responsável pelo DPVAT. O processo pode ser realizado pelo aplicativo Seguro DPVAT, pela central telefônica da seguradora ou em um dos pontos físicos de atendimento. Neste caso, o pagamento é feito diretamente na conta corrente ou poupança do beneficiário em até 30 dias após a aprovação do pedido.

Veja os canais no link https://www.seguradoralider.com.br/.

Acidentes ocorridos a partir de janeiro de 2021

Para acidentes ocorridos a partir do dia 1º de janeiro de 2021, os pedidos deverão ser feitos nas agências da Caixa, mediante a apresentação de toda a documentação requerida por lei. Um aplicativo, chamado de App DPVAT, deve ser lançado em breve.

Sob responsabilidade da Caixa, o pagamento será feito em até 30 dias após a aprovação da solicitação, em uma Conta Poupança Social Digital da Caixa, no aplicativo Caixa Tem. Caso o beneficiário não possua este tipo de conta, o banco afirmou que fará a abertura gratuitamente.

A Caixa lançou uma página sobre o DPVAT, para tirar dúvida dos beneficiários, e também disponibilizará o telefone 0800 726 0207. Qualquer informação que não esteja constando aqui, pode ser consultada através dos canais informados. 

Mais detalhes sobre as informações que devem constar em documentações e relatórios, além de possíveis variações pela diferença de cobertura pelas instituições, podem ser consultados nos sites da Seguradora Líder e da Caixa.