Planejando uma viagem da maneira correta


João Pedro Neri

Clique para ouvir a notícia.

As férias! Esperado momento que, depois de meses de trabalho, vem como um prêmio para descansar, pôr as atividades pessoais em dia ou simplesmente passear. Porém, planejar uma viagem não é tarefa fácil. Escolher o destino, a agência, qual hotel ficar, ver se cabe no bolso… As vezes até parece mais atrativo ficar em casa.

Definindo o destino

A viagem começa antes mesmo da compra das passagens. Ler sobre os destinos, conhecer as cidades e países que são parte da sua excursão e entender mais sobre a cultura e língua são parte importante do processo, te preparando para suas próximas férias mesmo que elas não aconteçam imediatamente.

Uma técnica bastante usada é fazer uma lista de lugares que gostaria de conhecer, e aí então pesquisar sobre eles, com direito a marcar possíveis pontos turísticos que te interessam, checar se o lugar é seguro e, obviamente, ver qual cabe melhor no seu bolso. Aí então, fazer um balanço de qual compensa mais baseando-se em preço, conforto e, é claro, diversão durante a viagem.

Fernando de Noronha. Foto: divulgação

Planejando a viagem

Com o destino já escolhido, se deve definir quanto tempo ficará fora. Se há disponibilidade de vários dias, é interessante ir para lugares com catálogo turístico extenso, visto que não irão “se esgotar” as atividades legais daquela viagem. Já se for uma excursão de poucos dias, deve se embarcar já com os pontos turísticos em mente, para não perder tempo ou ficar em dúvida de qual visitar.

O orçamento de ninguém é ilimitado e muitas vezes precisamos adiar viagens dos sonhos devido ao alto custo. Ter ideia do quanto você poderá gastar ajudará a eliminar alguns destinos da sua lista de prioridade. Pesquisar sobre cada roteiro turístico, avaliar preços de passeios, passagens aéreas, alimentação e hospedagem também é fundamental para ter ideia do que é possível dentro do orçamento.

A agência

A escolha da agência certa é tarefa importante, principalmente para evitar estresse devido a letras miúdas no contrato. As mais famosas no mercado são confiáveis, porém têm um preço mais salgado, enquanto as desconhecidas podem se tornar reais dores de cabeça no que diz sentido a confiabilidade, com golpes e falcatruas. O ideal é encontrar o meio termo. Hoje, há alguns indexadores de busca, como o Hurb, que te sugere o melhor pacote de agência com base no seu destino.

Documentação e vacinas

Passaporte e visto são fatores que limitam a escolha de destinos de muita gente. Tirar o passaporte é bem fácil e não há mistério nisso. Já o visto, dependendo do destino, pode ser um processo extenso, trabalho e até mesmo as vezes difícil. De toda forma, caso seus objetivos sejam claros, o visto deve conseguir ser adquirido para então prosseguir a viagem.

Alguns destinos do mundo exigem dos viajantes, além da documentação, algumas vacinas. Verifique se esse é o caso, garanta já a vacina e lembre-se de levar o Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia (CIVP) no dia da viagem.

E aí, bora viajar?

Como se pode ver, planejar uma viagem definitivamente não é tão fácil assim. É claro que podem acontecer imprevistos, mas seguir os passos acima deve poupar bastante dor de cabeça, principalmente em relação à documentação e problemas com agência. De toda forma, ainda é algo que vale a pena, visto que podemos relaxar, colecionar memórias e ainda conhecer lugares lindos mundo afora. E você, já decidiu onde serão suas próximas férias?

João Pedro Nieri é paulista de Mogi Mirim, tem 20 anos e é graduando em jornalismo pela UNESP. Ele ama escrever, além de ser fã de futebol, basquete e tênis de mesa. Instagram: joaopnieri

Empreendedorismo digital: veja o que você precisa saber para começar o seu negócio


Detalhes podem fazer toda a diferença na hora de colocar os planos em prática

Thais Paim

Para quem sonha em abrir o próprio negócio, talvez esse seja um ótimo momento. Com o atual cenário, o Brasil encerrou 2020 com o maior número de empreendedores de sua história: foram registrados cerca de 11.316.853 MEIs no Portal do Empreendedor. 

Esses números podem indicar um cenário positivo para o setor, especialmente para o empreendedorismo digital. Devido ao distanciamento social e a aceleração digital dos negócios, as empresas passaram a focar suas operações de vendas e relacionamento com o cliente pelos canais online, uma das únicas formas de conciliar a manutenção de seus negócios sem colocar em risco a saúde de seus funcionários e consumidores. 

Dados importantes 

Um levantamento realizado pela Big Data Corp., divulgado em agosto do ano passado, o comércio online cresceu 40,7% de 2019 a 2020, chegando a 1,3 milhão de lojas virtuais. A alta é relativamente maior do que o crescimento de 37,6% reportado de 2018 até o ano consecutivo.

Além disso, a curva ascendente de acessos à internet pelos brasileiros também tem estimulado a abertura de novos negócios online, bem como a migração de serviços que, até então só existiam em pontos físicos, para os canais digitais.

É importante ter em mente que além de uma boa ideia e um projeto que seja promissor, é importante se ambientar com as ferramentas para empreender no meio digital. Questões como ter o seu próprio site, contratação de hospedagem e domínio, otimizações de SEO, entre outros, são imprescindíveis para que o negócio seja bem sucedido. Especialmente para os novos empreendedores.

Tenha seu próprio site 

Por mais que as redes sociais estejam em alta, a criação de um site próprio não só ajuda na meta de ganhar mais visibilidade no meio online, como também passa mais credibilidade à empresa.

Basta se colocar no lugar de um consumidor: é muito mais seguro (e confiável) contratar um serviço de uma empresa que tenha uma página própria na web do que uma companhia presente apenas no Facebook, não é mesmo?

De acordo com um levantamento do Sebrae, 40% das empresas têm perfis em redes sociais e 70% usam WhatsApp, mas somente 27% possuem site (e domínio) próprio.

As redes sociais são grandes aliadas 

Após a criação do seu próprio site, a participação nas mais diversas redes sociais pode ser uma grande aliada para o empreendedorismo digital.

Vale ficar atento às novas tendências e investir na produção de conteúdo voltada para o seu segmento. Os engajamentos no setor também são úteis: como os algoritmos das plataformas costumam direcionar assuntos de interesse dos usuários, a chance de expandir o seu alcance ao participar das tendências do setor também serão grandes.

Domínio e hospedagem

O domínio virtual nada mais é do que o endereço físico de uma página de web — sim, aquele digitado na URL dos navegadores. É ele que vai ajudar na fidelização de sua empresa com o consumidor.

As terminações mais populares são “.com”, “.net” ou “.org”, por exemplo. Mas existem diversas opções personalizadas como “.tech” ou “.design”, que podem ser um diferencial em meio à concorrência do empreendedorismo digital.

Esses domínios personalizados também ajudam o usuário a identificar mais facilmente sobre o que é o seu negócio: se é sobre produtos de arte, por exemplo, há a opção “.art”; se for uma agência, há o “.ag”; se for um comércio, há o “.biz” – do inglês “business”; entre outros.

Já a hospedagem são os servidores responsáveis por manter a sua página ativa na internet e possibilitar o armazenamento de todos os seus dados, como fotos, vídeos, textos, arquivos, páginas de web e diversos outros.

Certamente essas dicas te ajudarão a impulsionar o seu negócio, mas claro, isso também dependerá de todo o planejamento feito — além de demandar muito esforço e uma “pitada” de paciência.