BH recebe Mini Feira da HQ


Nos próximos dias 14/12 (16:00H às 20:00H) e 15/12 (14:00H às 18:00H), será realizada na Casa dos Quadrinhos, a segunda edição Mini Feira da HQ BH. O evento é gratuito e consta como parte da Temporada FIQ 2019.

A Mini Feira conta com a presença de quadrinistas e ilustradores mineiros, com o intuito de divulgar suas obras e permitir que o público conheça o trabalho local e possa comprar direto dos próprios autores. Além de quadrinhos, estarão disponíveis prints, scketbooks, pôsteres e originais.Nuna-Universe

Artistas e lançamentos confirmados para venda e autógrafos:

Vitor Cafaggi: Com o Jogo do Valente, na sexta, dia 14;

Eddie Vieira: Estátuas do Universo dos Quadrinhos;

Cristiano Seixas, André Melo, Cristiano Bolson e Júlio Ferreira: Quadrinho Os Caras do Fahrenheit, no sábado dia 15;

Flávia Carvalho: “O Monstruário, a apavorante coleção de selos” e o quadrinho “Sereinha”;

Alexandre Tso: Quadrinhos  “CURVA DE RIO” e “EMBATE”;

Nuna Universe: Com o Card Game Sashira;

Felipe Assumpção: Gibi – Genô vs Gertrú #01, Sketchbook Eu Desenho Vacas #01, hqs e coletânea de tiras do Bota e prints autorais;

Júlia Oliveira: HQ “DOR”;

Alec Drummond: Quadrinho “Pela Última Vez”;

Ryot: Hq “EMBATE”;

Jane Oliveira: Zine “Memórias de Acesso Remoto” e o quadrinho “Antologia Grimório”;

Senhoritas de Patins: Quadrinhos “Ada e Love” , “DiAHrio de Viagem” e “Gibi de Menininha”;

Valdo Alves: Hq “My Soul 2”;

Bella Santana: Hq “Francisco”;

Carol Cunha e Nanako Nagase: Quadrinho “Catrinomicon”;

Bruna Lima e Bruno Wolf, do Studio Mootant: Livro de tirinhas “O Aprendiz e o Feiticeiro”;

Droom: Quadrinho de mesmo nome “Droom”;

Lucas Libanio,

Ivo Esteves e mais convidados a serem divulgados

 Entrada franca. Sujeito à lotação do espaço.

Dias: 14 e 15 de dezembro de 2018 Horário:  14/12 (16:00H às 20:00H) e 15/12 (14:00H às 18:00H)

Local: Espaço Cultural Casa dos Quadrinhos – Av. João Pinheiro, 277 – Funcionários Informações: 31- 3224 0040

Site: http://www.casadosquadrinhos.com.br/

Facebook: https://www.facebook.com/escoladeartesvisuais/

Lagarto Negro e Capitão R.E.D são lançados pela Editora Kimera


Criada em 2011, com o principal objetivo de publicar obras de autores independentes com qualidade gráfica, a Editora Kimera aposta agora em uma linha de publicações de histórias em quadrinhos com super-heróis brasileiros. As revistas escolhidas para iniciar esta linha são CAPITÃO R.E.D. e LAGARTO NEGRO, com lançamento marcado para a Bienal do Livro 2017 no Riocentro.

Os autores Elenildo Lopes e Gabriel Rocha estarão autografando as revistas CAPITÃO R.E.D. e LAGARTO NEGRO nos dias 01 e 09 de setembro, às 13h e 14h no Estande P16 localizado no Pavilhão Verde da Bienal do Livro.

 

OS PERSONAGENS

O policial Ellano foi escolhido para comandar o Distrito de Emergência e Risco assumindo a identidade de CAPITÃO R.E.D. Trata-se de um programa em parceria do governo do Estado do Rio de Janeiro com a ONU para combater o crime na região.

Lagarto Negro mantém sua identidade real em segredo. Recrutado por uma ONG, ele trabalha num projeto privado de combate ao crime organizado nas ruas do Rio de Janeiro.

OS AUTORES

Gabriel Rocha começou a publicar seus quadrinhos em jornais de bairro da cidade de Niterói, entre 1992 e 1993. Chegou a ilustrar matérias para o Jornal do Brasil antes de se voltar para o trabalho com animações na área do EAD e e-learning. Criou o personagem Lagarto Negro, um super-herói brasileiro, que comemora 20 anos em 2018 com o planejamento de publicações através do selo de quadrinhos da Editora Kimera.

O publicitário e ator Elenildo (Elyan) Lopes iniciou com os quadrinhos em 2007, criando um site voltado ao tema: www.meuheroi.com.br. Em 2012, o site virou selo editorial com o lançamento da revista Capitão R.E.D. nas bancas e lojas do Rio de Janeiro e Região metropolitana. Recebeu o Prêmio da Academia Brasileira das Histórias em Quadrinhos (ABRAHQ) e um Troféu Angelo Agostini com o lançamento da HQ Protocolo: A Ordem.

AS REVISTAS

Lagarto Negro Especial – 36 páginas, em cores, formato americano (17cm x 26cm), papel couchê.

Capitão R.E.D. Especial – 36 páginas, em cores, formato americano (17cm x 26cm), papel couchê.

Página oficial da Editora Kimera: http://www.editorakimera.com

Projeto Alfa – A Primeira Ordem busca recursos


Uma mega operação que reúne os maiores e clássicos super-heróis conta com seu apoio para ter início

Contagem regressiva para os fãs de quadrinhos terem em mãos mais um excelente produto.  Estamos nos referindo ao álbum Alfa – A Primeira Ordem que já está na fase de capitação de recurso no site Catarse. Para colaborar com essa iniciativa ousada, basta acessa o link https://www.catarse.me/ALFA. Lá você encontrará algumas opções de apoio ao projeto, que variam entre R$ 20 e R$ 500. O interessante é que além de fazer parte de uma iniciativa que fortalecerá inda mais a indústria de quadrinhos nacionais, você também terá acesso a brindes diferenciados como, por exemplo, revista autografada, pôsteres e artes exclusivas, revistas impressas e digitais dos heróis da liga.

pacote CarvalhoNews-01

O Blog Carvalho News tem orgulho de ser um dos sites parceiros deste projeto. E como tal, emprestou seu nome a um dos pacotes. O herói escolhido para representar nosso pacote é o Capitão R.E.D., por ser um personagem moderno, humano com quem o blog possui mais empatia. O PCT Carvalho News tem o valor de R$ 45, dando direito a 01 revista Alfa – A Primeira Ordem impressa, 01 Edição digital ALFA, Pôster digital Alfa, nome nos agradecimentos e frete incluso para todo o Brasil. A estimativa de entrega é para o mês de agosto deste ano. O PCT Carvalho News conta com 100 apoios disponíveis. Se eu fosse você trataria logo de reservar ao menos um deles.

pacote45

 

De acordo com o responsável pelo projeto, Elenildo Lopes, autor do personagem Capitão R.E.D., para imprimir a revista são necessários R$ 20 mil. “Temos até 21 de abril para atingir essa meta”, conta Lopes que está esperançoso. Segundo ele, esse montante cobre a impressão, produção, pagamento dos artistas e direitos dos personagens, logística de entrega e emissão de brindes além da taxa do site Catarse.

O álbum Alfa – A Primeira Ordem terá 52 páginas, formato 16 cm X 25 cm (pouco menor que o formato americano) e impressão colorida em papel couché brilho 115 g. O detalhe importante é que a história contará com a participação de mais de 20 super-heróis brasileiros, incluindo clássicos como Capitão 7 (o primeiro super-herói nacional), Raio Negro, Homem-Lua, Capitão Gralha e Flama.

book2013
Elenildo Lopes, criador do Capitão R.E.D. Foto: divulgação

Na trama, um enorme caos se instalou no País após a invasão alienígena mostrada no álbum Protocolo – A Ordem e os heróis como Capitão R.E.D., Lagarto Negro, Jaguara, Jou Ventania e Velta procuram soluções e respostas para apresentar à população. Ao mesmo tempo, o vilão Aeris, um antigo inimigo dos heróis da Era de Ouro como Capitão 7 e seus amigos, ameaça ressurgir em nossos dias, obrigando a união dos clássicos personagens com a equipe atual, formando a liga Alfa – A Primeira Ordem.

O blog Carvalho News felicita a equipe de Alfa – A Primeira Ordem pela iniciativa e convoca aos leitores que apreciam o universo dos quadrinhos a abraçarem o projeto.  Para colaborar com o projeto pelo PCT Carvalho News, clique aqui.

 

A volta do Capitão 7


A revista Alfa – A Primeira Ordem, história em quadrinhos que reunirá um time de super-heróis brasileiros na mesma aventura ganhou um reforço de peso para o elenco de personagens participantes da saga. Trata-se de ninguém menos que o Capitão 7, o primeiro super-herói brasileiro, criado em 1954 e considerado a versão tupiniquim do Superman.

O Capitão 7 foi interpretado pelo cantor de rádio e campeão de boxe Ayres de Campos, que personificou o herói no programa de TV As Aventuras do Capitão 7, exibido pela Rede Record (de onde o herói tirou o 7 de seu nome, numa alusão ao número do canal, em São Paulo).  Posteriormente, virou uma revista em quadrinhos, em 1959, que durou mais de 50 edições.Capitão_7 Jaime Cortez

O herói também virou marca de uma fábrica de fantasias infantis na década de 1960, após o término do seriado. Com o tempo, o Capitão 7 perdeu sua popularidade, mas nunca caiu em total esquecimento. Com a morte de seu criador em 2003, os direitos do personagem foram licenciados raríssimas vezes – a última delas foi em 2006, para a revista Triplik, publicação oficial das marcas de roupas infantis Lilica Ripilica e Tigor T. Tigre, escrita e desenhada por Danyael Lopes.

Dez anos depois, o Capitão 7 retorna como convidado da revista Alfa, A Primeira Ordem. Segundo Elenildo Lopes, o idealizador do projeto, a participação do Capitão 7 é fruto de negociações com os herdeiros de Ayres Campos. “Sempre foi um sonho reunir oficialmente os super-heróis clássicos com os dessa nova geração e agora ele se torna realidade.” comemora Lopes.

unnamed

A HQ é uma reformulação de um projeto antigo chamado apenas A Ordem, que esteve no site Catarse em 2014 para captação de recursos, mas não conseguiu o montante desejado. A ideia foi reformulada e volta com um novo nome: Alfa – A Primeira Ordem. A trama reúne os maiores e mais clássicos super-heróis brasileiros atuando em conjunto numa saga cósmica, diferente de Protocolo: A Ordem, lançada em 2016, onde os heróis se reuniram para conter uma invasão espacial. Porém, os eventos serão uma sequência desta história.

O projeto Alfa entrará no Catarse em breve e a previsão de lançamento é para o segundo semestre de 2017. A presença de Capitão 7 na história, com certeza será um fator que despertará o interesse dos leitores, pois o personagem é um dos mais importantes da mitologia de super-heróis brasileiros – talvez o mais importante, já que é o pioneiro – e faz parte da história da televisão e da infância de muita gente.

Criador do Capitão R.E.D., lança novos projetos em quadrinhos nacionais


Reunião de super-heróis brasileiros e superequipe sombria estão entre os planos futuros.

14284862_1377306838965251_574432211_o

O roteirista Elenildo Lopes não para. Depois de criar o herói brasileiro Capitão R.E.D. em 2012 e lançar neste ano o projeto inédito Protocolo: A Ordem, que reúne mais de 20 super-heróis nacionais numa mesma história, o autor lança novos projetos para balançar o mercado nacional de quadrinhos.

Lopes aproveitou as Olimpíadas realizadas no Rio de Janeiro para anunciar seu mais novo super-herói, Velox, que também é um atleta olímpico. A novidade no personagem é que ele é o primeiro personagem solo assumidamente homossexual nos quadrinhos brasileiros. Passado o furor esportivo, o criador arregaça as mangas e anuncia seus planos futuros.

Para começar, ele retoma o antigo projeto A Ordem, que esteve em captação de recursos no Catarse no ano de 2014, mas não alcançou o valor estipulado. “Mesmo não atingindo a quantia proposta, tivemos um bom alcance midiático em todo o Brasil. Por isso, o projeto foi reformulado e relançado em 2015 como a HQ Protocolo: A Ordem. Desta vez, superamos a meta”, relembra Lopes.

Com a boa aceitação da revista, o autor decidiu tirar sua ideia original da gaveta, rebatizando-a como A Primeira Ordem. “Novamente, a revista trará a reunião dos maiores e mais clássicos super-heróis brasileiros atuando em conjunto numa novíssima saga cósmica. Mas a história se passará após os eventos em Protocolo: A Ordem” explica ele. Inicialmente, a publicação terá 80 páginas, mas esse número pode subir para 100, dependendo da arrecadação atingida.

A revista será impressa em formato americano (16 cm x 25 cm), capa cartonada com brilho e papel com gramatura de 170g. Dependendo do valor arrecadado, o miolo pode ser colorido ou em preto e branco. O editor e idealizador do projeto será o próprio Elenildo Lopes e contará com diversos autores e seus respectivos personagens (Veja lista em anexo).

A previsão é que A Primeira Ordem seja lançada para captação de recursos em novembro deste ano no site Catarse (www.catarse.me) e, caso a meta seja atingida, a distribuição acontecerá no segundo semestre de 2017. Em um segundo momento, também estão previstos o lançamento de um jogo RPG (Role-playing Game) de A Primeira Ordem, bem como a tradução da HQ para a língua inglesa.

Um segundo projeto do autor é o lançamento da superequipe Liga Apocalíptica, que reúne alguns dos maiores e mais clássicos super-heróis sobrenaturais brasileiros. “Seria algo semelhante à Primeira Ordem, mas bem mais sombria e sobrenatural. São projetos diferentes”, define Lopes. A Liga Apocalíptica está prevista para 2017.

 

Autores participantes da HQ A Primeira Ordem com seus respectivos personagens

A seguir, uma lista dos autores confirmados no projeto A Primeira Ordem e suas respectivas criações (lista sujeita a alterações):

Rodrigo Dos Santos e Alan Pavan – Anjo Urbano
Denilson Reis – Bruce
Pedro Campos – Capitão 7
Gian Danton – Capitão Gralha
Elenildo Lopes – Capitão R.E.D
Jorge Araujo – Ciclone
Alcivan Gameleira – Corcel Negro
Daniell Abrew – Corrupião
Eloyr Pacheco – Escorpião de Prata
Mike Deodato Jr. – Flama
Heraldo Wilson – Ginasta
João Luiz Vital – Homem Trator
Altemar Domingos – Jaguara
Lincoln Nery – Jou Ventania
Gabriel Rocha – Lagarto Negro
Alan Yango – Maximus

Gedeone Malagola – Raio Negro
Luís Carlos Nunes – Supraion
Emir Ribeiro – Velta
Wellington Santos – Vulto
Equipe técnica:
Editor: Elenildo Lopes

Selo editorial: MeuHerói
Argumentos: Elenildo Lopes e Gian Danton
Roteiristas: Gian Danton e Alexandre Magno
Desenhista: Marcio Abreu

Cores: Daniel de Oliveira

HQs continuam a encantar brasileiros


O tempo passa, mas algumas coisas não mudam. A paixão do brasileiro por histórias em quadrinhos, por exemplo, é uma delas.  Esse passatempo possui mais de 18,3 milhões de leitores ativos no Brasil. Quem revela é o Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística (IBOPE). Mas, quem são esses mestres das HQs em nosso país? Saiba as razões lendo a reportagem abaixo.

O mundo dos quadrinhos é mesmo envolvente. Poucos de nós nunca embarcou numa viagem alucinante lendo as aventuras dos Vingadores, Liga da Justiça (Super Amigos para os maiores de 35 anos), Batman, Super Homem e X Men. Claro que tem os que preferem a Turma da Mônica, Tio Patinhas, Mickey Mouse, Mangás etc.

Neicy Velloso Foto: divulgação
Neicy Velloso Foto: divulgação

Os alunos da Escola Superior de Administração, Marketing e Comunicação (Esamc) de São Paulo realizaram um estudo bastante interessante sobre os leitores de brasileiros de histórias em quadrinhos (HQ). Segundo a pesquisa, 85% desse público é masculino, a maioria já completou o Ensino Médio (52%), outros 25% possuem formação universitária e 3,7% possuem ou fazem pós-graduação. Outro detalhe que chama atenção é, 61% dos leitores preocupam-se com o português das revistinhas. E, 8,1% começaram a ler os gibis como parte do processo de alfabetização, e 19,2% foram influenciados por desenhos animados e filmes. Estes dados foram colhidos e analisados pelos alunos Adriana Mesquita, Fernanda Segala, Francisco Lima, Maria Carolina Giacomelli e Rodolfo Scachetti, do curso de Comunicação Social.

A verdade é que os HQs agradam pessoas de idades variadas. A estudante Milene Kelly Avelar Santos admite que lê os gibis desde muito pequena. “Prefiro os da Turma da Mônica, pois vejo os desenhos desde pequena e acho muito engraçado”, justifica.

JWilson inker alta
José Wilson Magalhães   Fotos: divulgação

O personal Trainer, Neicy Velloso não esconde que é grande apreciador das HQ da Marvel e DC Comics. “Leio desde os seis anos de idade e sou fã do trabalho de Stan Lee, John Bucena e Jack Kirb”, derrete-se ele que também desenha nas horas vagas.

Às vezes não nos damos conta, mas o Brasil está muito bem servido de talentos no mercado dos quadrinhos.  O arte-finalista e professor de Arte Final, José Wilson Magalhães é um deles. Prestes a completar 29 anos de carreira, o profissional iniciou no estúdio Ely Barbosa.  “Comecei trabalhando numa fotocopiadora (máquina de xerox), e ali fui aprendendo como se produzia quadrinhos, aprendi letras, arte-final, cor, desenho, roteiro. Acabei optando por arte-final e me especializei, depois fui para a Editora Abril, redação Disney, onde até hoje faço trabalhos como freelancer”, conta ele, que fez arte-final de super-heróis para os Estados Unidos, ilustrações de livros didáticos para diversas editoras, livros infantis em parceria com o autor Luiz Carlos Sales, da Contos e Encantos Editora. Atualmente, Magalhães ensina desenho a nanquim em escolas de arte e centros culturais.

IMG_7064
Marcio Fiorito

O carioca Márcio Fiorito não iniciou sua carreira como desenhista.  “Para mim, tudo relacionado a quadrinhos era apenas um hobby, uma diversão, coisa de criança mesmo. Não era uma carreira viável”, acreditava. Ele se formou em Jornalismo e trabalhou com Publicidade e Marketing. Após  alguns anos, desiludido com o mercado e conhecendo mais sobre os bastidores dos quadrinhos, Fiorito resolveu trocar de carreira e realizar um sonho de infância. “Virei ilustrador de livros e passei alguns anos trabalhando apenas com isso, até decidir tentar a sorte nos quadrinhos. De lá pra cá (pelos idos de 2006) me tornei quadrinista “full-time” e sigo fazendo trabalhos para várias editoras estrangeiras”, conta com orgulho.

Veja também: O mundo das HQs exige empenho e dedicação

O colorista Carlos Lopez afirma que sempre laborou com arte, “já trabalhei em gráficas e agencias de publicidade” declara. A oportunidade de colorir uma HQ surgiu por volta de 2005 e, desde então, o profissional tem atuado como colorista. Lopez atua no mercado americano de quadrinhos desde 2006. Ele já trabalhou em várias editoras desde as menores até as maiores, e desde 2014 trabalha com a Marvel Comics. “Já colori personagens como Hulk, Homem de Ferro, Capitão América entre outros”, revela.

carlos lopez
Carlos Lopez

Formado em Design (Programação Visual e Projeto de Produto), Rafael Oliveira sempre direcionou sua carreira para ilustração e quadrinhos. Segundo ele, desde quando era criança ficava copiando os desenhos das hqs e sonhava em trabalhar como quadrinista. Mas só em 2013, quando publicou suas  primeiras hqs que resolveu se dedicar fortemente ao universo dos quadrinhos. Oliveira trabalhou como designer gráfico no Jornal da Cidade, em Bauru, onde fazia peças gráficas para serem publicadas, algumas ilustrações e hqs para o caderno infantil. “Trabalhando no jornal tive que aprender a ser rápido para desenvolver as ilustrações e isso me ajuda até hoje”, avalia. Desde 2015, o design atua como ilustrador freelancer e quadrinista. Entre um job e outro, procuro desenvolver algum projeto autoral de quadrinhos. Tenho como meta pessoal publicar um novo trabalho autoral a cada ano.

Publicados em 2013, “O Pagamento” e “Esperança” são os primeiros quadrinhos autorais de Oliveira. Em 2014, foi a vez de “A Busca”, junto com o coletivo Red Door HQs, “Feira Livre” e “Red Door HQs – Vol. 1”. Também em 2014, em parceria com o amigo e roteirista Alex Mir, ocorreu a participação no hq “Clássicos Revisitados – Monstros Noir”, com a história Capelobo, lançado pela editora Quadrinhópole.  No ano de 2015,  “Momentos” e, novamente junto ao coletivo, publicamos “Red Door HQs – Vol. 2”. “Para esse ano, estou envolvido em alguns projetos e trabalhando no roteiro da minha próxima hq”, adianta Oliveira.

12247196_10206742701180322_8545732505150894221_n
Rafael Lopes

Apaixonado pelos Cavaleiros do Zodíaco, Elyan Lopes (nome artístico de Elenildo Lopes) é autor, ator, publicitário e quadrinista. Formado em Produção publicitária propaganda e marketing e atualmente cursando a Faculdade de Artes Cênicas na Casa de Artes Laranjeiras.  “Entrei no ramo das HQs em 2007 lançando o site Meu Herói (www.meuheroi.com.br), que após quatro anos se tornou selo editorial), declara.

Em 2012, Lopes lançou seu primeiro herói ‘o Capitão R.E.D – Distrito de Risco e Emergência’ nas bancas de jornais e lojas do RJ e vizinhanças. Em 2014, ele cria o projeto junto com vários autores chamado: A Ordem que reúne mais de 30 autores, com os maiores heróis e super-heróis brasileiros incluindo o Capitão R.E.D em sua superaventura.  A revista foi lançada no site de financiamento coletivo Catarse, entretanto, a meta estabelecida não foi atingida. Em 2015, o projeto foi reformulado conseguindo enfim seu objetivo.

“Em maio, lançaremos a revista, agora batizada de Protocolo: A Ordem, em um evento simultâneo no RJ e SP. Ela possui 100 páginas coloridas em papel de ótima qualidade em tamanho 16×25.”, revela Lopes e acrescenta “Esse ano ganhamos um prêmio da ABRAHQ – Academia Brasileira de Quadrinhos por Melhor Talento por esse projeto”, orgulha-se.