Ilhéus: Iemanjá recebe homenagem simbólica


Marcelo Carvalho

A tradicional homenagem à rainha das águas, neste ano de 2021, em Ilhéus, está sendo simbólica neste 2 de fevereiro, sem o grande cortejo devido à Covid-19. Os terreiros de candomblé da cidade rendem as honrarias à Iemanjá simbolicamente, com os rituais de costume no interior das casas e entrega dos balaios, mas sem aglomerações. Integrada ao calendário turístico e cultural de Ilhéus, a iniciativa é apoiada pela prefeitura. Os devotos devem seguir os devidos cuidados e prevenção com o uso de máscara, álcool em gel e distanciamento social. 

“Esse ano, infelizmente, devido a pandemia, não realizamos o grande cortejo e festa de Iemanjá”, disse pai Toninho do Ilê Axé Ballomi. Na zona norte o balaio fundamental vai sair do terreiro com os presentes, a oferenda e o prato de Iemanjá. “No próximo ano, com a graça de Deus e de Iemanjá, possamos fazer uma belíssima festa em agradecimento por nossa vitória sobre a doença e tudo o que vamos conquistar ao longo de 2021. Paz e saúde para todos nós”, completou, ao agradecer à prefeitura pelo apoio prestado. 

O prefeito Mário Alexandre destacou que apesar do momento difícil que todos passam em razão da Covid-19, a cultura continua viva no município, mas que deve ser manifestada sem aglomerar, respeitando a segurança das pessoas, com a devida proteção contra o coronavírus. “Com fé em Deus no próximo ano teremos uma bela festa com um grande cortejo, como de costume. Mas por enquanto não podemos aglomerar. Vamos continuar nos cuidando, prevenindo a doença e fazendo as práticas religiosas sem aglomeração”, disse o gestor.

Eike faz oferenda generosa à Iemanja


O empresário carioca Eike Batista, para superar os problemas financeiros que vem sofrendo, apelou para os orixás do candomblé. No último dia 2 de fevereiro, ele presenteou a rainha do mar com uma oferenda de R$ 700 mil, conforme informações do jornal ‘Extra’.

De acordo com a publicação, em conversa com um vidente, Eike foi aconselhado a “fazer as pazes com Iemanjá”. “Falei com ele que tudo o que havia tirado do mar teria que ser devolvido e agradecido. Tudo que ele explorou nos últimos anos estava ligado ao oceano”, disse um vidente, que preferiu não se identificar. Segundo ele, Eike seria filho ”Iemanjá com Oxossi”.

Conforme informações do jornal, no “barquinho” oferecido à sereia, Eike teria colocado 700 moedas de ouro, perfumes importados, garrafas de champanhe, flores e uma imagem de Iemanjá. “Ele vai voltar a ser o homem mais rico do Brasil em questão de meses”, profetizou o vidente.

Eike Batista quer voltar a ser bilionário
Eike Batista quer voltar a ser bilionário    Foto: divulgação