A redação do Enem pode ser o diferencial


Com regras bem específicas a redação do Enem pode ser o terror dos candidatos

Julia Vitoria

Além das perguntas que serão respondidas os candidatos que farão a prova do Enem  neste domingo dia 17 os estudantes também irão encarar a redação, que com critérios de correção bem específicos pode ser o diferencial na nota dos alunos. O professor e fundador do Laboratório de Redação, Adriano Chan fala que não terá grandes mudanças na redação, os estudantes devem partir do tema pressuposto junto aos textos motivadores que não poderão ser copiados e então fazer uma redação dissertativa argumentativa, com uma proposta de intervenção para o problema apresentado no texto.

O professor  fala que é um equívoco o estudante pensar que precisa saber bem o tema, para ele o aluno deve saber ler bem e intérpretar o que está sendo pedido nos textos motivadores e na proposta principal do tema. 

Segundo a professora Tatiana Nunes Câmara, de língua portuguesa e produção textual do Colégio Mopi, a estrutura não altera, o que muda são os argumentos que o estudante usará para compor o texto, ela acredita que quando o estudante sabe a estrutura do texto ele consegue condiz melhor com a redação.

Alguns professores ressalta a importância dos estudantes treinaram a redação de de forma manuscrita, devido a pandemia do coronavírus, este ano as aulas foram onlines e os alunos entregaram a redação de forma digitada não treinando a função motora, é importante que o estudante treine bastante para conseguir administrar o tempo, este ano também os estudantes deverão usar máscaras, um dos itens obrigatórios para fazer a prova devido às condições do país. Para a professora  Tatiana escrever de máscara é diferente e os estudantes devem revisar as redações já feitas e pesquisar sobre os temas que estão sendo comentados. 

Os estudantes podem acessar a cartilha de redação do Enem 2020 publicada pelo Inep, nesta cartilha estão os critérios de correção e exemplos de degradação que tiraram nota mil no exame de 2019. As relações passam por cinco competências na hora de serem corrigidas elas são: demonstrar domínio da modalidade escrita formal da língua portuguesa; compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo em prosa; selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista; demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação; e elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos. 

Cada prova é avaliada por todos corretores e se a diferença de pontos for muito alta um terceiro corretor é acionado caso ainda haja muita diferença uma banca de corretores avaliam o texto.

Para participar dos programas do governo com a nota da prova os alunos não podem zerar a redação, os critérios que podem anular a nota são: 

fuga total ao tema;

não obediência ao tipo dissertativo-argumentativo;

Navegar

Busca

Geral

Entretenimento

Economia

Saúde

Trabalho

Polícia

Política

Esportes

Vídeos

Colunas

Cidades

Blogs

ECONOMIA

MAIS NOTÍCIAS 

ESPECIAL

Carreiras e Profissões

Caminhos do Desenvolvimento

Transformação Digital

Nova Previdência

Especial Mercado Imobiliário

Saque do FGTS

Marcas Ícones 2020

SAÚDE

MAIS NOTÍCIAS 

ESPECIAL

Especial Mente e Corpo

POLÍTICA

MAIS NOTÍCIAS 

TRABALHO

MAIS NOTÍCIAS 

FV Currículos

GERAL

MAIS NOTÍCIAS 

Instituto Américo Buaiz

Publicidade Legal

ESPECIAL

Tragédia em Brumadinho

Riquezas de Norte a Sul

Especial Mulher

Especial Torta Capixaba

Especial Educação

Adote uma Causa

Chuva no Espírito Santo

Meio Ambiente

Conflito EUA X IRÃ

Coronavírus

Cidades: O Novo Normal

Helio Dórea – 65 Anos De Colunismo Diário

MULTIVERSO CORPORATIVO

Quero Ser

Quero Ter

Quero Aparecer

Quero Voltar a Vencer

ENTRETENIMENTO

MAIS NOTÍCIAS 

HOTSITES

Mais Doce

ESPECIAL

Conexão Verão

Carnaval 2020

POLÍCIA

MAIS NOTÍCIAS 

ESPORTES

MAIS NOTÍCIAS 

ESPECIAL

Geração Gamer

Circuito Rede Vitória de Tênis

Circuito Rede Vitória de Golf

VÍDEOS

MAIS VÍDEOS 

TV VITÓRIA

ES no Ar

Balanço Geral

Fala ES

Cidade Alerta

Jornal da TV Vitória

FOLHA VITÓRIA

De Olho no Poder

ELEIÇÕES 2020

Pesquisa eleitoral: análise de cenário

COLUNAS

SOCIAIS

Helio Dórea

Andrea Pena

ECONOMIA

Mundo Business

Imóvel Para Você

ENTRETENIMENTO

Resenhando

BLOGS

GERAL

Livre Pensar

Empregos e Concursos

Mídia & Mercado

Pet Blog

Vem Ler Comigo

Direito ao Direito

Bem Pensado

Viva Mais

Educatech

Momento Décor

Gente e Gestão

Virginia Pelles

Português em Dia

Priorize Você!

Economia Circular

Radar

ENTRETENIMENTO

Na Balada

Espaço Gourmet

Folhinha Kids

ECONOMIA

Carro, Moto e Cia

Gestão e Resultados

Faz a Conta

SAÚDE

Mente Sã

Em Forma!

POLÍTICA

De Olho no Poder

Esplanada

Guia Eleições 2020

ESPORTES

Corrida de Rua

Louca por Esportes

No Pique

CIDADES

Domingos Martins

Guarapari

CLICARROS

IR PARA O SITE 

GERAL

Enem: conheça os critérios de correção da redação

Com regras específicas de correção, redação pode ser o diferencial

Redação Folha Vitória

13 de Janeiro de 2021 às 06:06

Atualizado 13/01/2021 06:06:33

Foto: Divulgação

No domingo (17), milhões de estudantes de todo o país farão a primeira prova da edição impressa do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020. Além de responder às questões objetivas de linguagens e ciências humanas, os participantes farão a prova de redação, a única parte subjetiva do exame. Com critérios específicos de correção, a redação pode ser o diferencial na nota dos estudantes.

“A primeira coisa é que a prova não vai ter grandes mudanças na redação”, diz o professor e fundador do Laboratório de Redação, Adriano Chan. Na prova, os estudantes devem, a partir do tema proposto e dos textos motivadores – que não podem ser copiados – escrever um texto em prosa do tipo dissertativo-argumentativo. Os participantes devem defender uma tese, ou seja, uma opinião a respeito do tema proposto, apoiada em argumentos consistentes. Devem também elaborar uma proposta de intervenção social para o problema apresentado no desenvolvimento do texto.

“É um equívoco o aluno acreditar que precisa saber bem do tema. Tem que saber ler bem o que está na proposta, identificar os desafios que estão na proposta em relação ao tema principal. Isso é muito importante. Não é achar qualquer problema, mas um problema dentro do universo proposto e relacionar esse desafio com o conteúdo adquirido e aprendido”, afirma Chan.

“A estrutura não muda, o que vai alterar é a argumentação que o estudante vai ter que construir em função do tema. Eu acredito que quando o aluno conhece bem a estrutura da redação, o tema que vier ele vai conseguir fazer”, diz a professora Tatiana Nunes Câmara, de língua portuguesa e produção textual do Colégio Mopi.

Para os professores, os estudantes devem, na reta final para a aplicação do exame, treinar a escrita, em papel, como será feito no dia da prova, usando máscara de proteção facial, item obrigatório este ano por causa da pandemia do novo coronavírus. “[Com as aulas sendo realizadas de forma remota], geralmente o estudante tem de entregar a redação digitada e não está treinando a questão do exercício motor de escrever a redação. É importante que o aluno faça o treino da escrita no papel, até para que não seja pego de surpresa em relação ao tempo”.

“Escrever de máscara é diferente. Recomendo treinar a redação de máscara, contando o tempo”, acrescenta Tatiana. “Seria interessante agora revistar as redações que fizeram e foram corrigidas pelos professores, para que possam dar uma olhada na estrutura e nas orientações. Acho que também vale a pena observar temas que as pessoas têm falado ou assuntos que estão mais em voga, fazer uma espécie de retomada desses enfoques temáticos”, sugere.

Correção

Para ajudar no preparo para a prova, os estudantes podem acessar a cartilha da redação do Enem 2020, divulgada pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Na cartilha, estão detalhados os critérios de correção da redação e como é feita essa correção. Estão disponíveis também exemplos de redação que tiraram a nota máxima, nota 1 mil, na edição do Enem de 2019.

Este ano, o Inep divulgou também, de forma inédita, as apostilas de capacitação dos corretores de redação, elaboradas para a edição de 2019. Assim, é possível saber o que os corretores levam em consideração na hora de atribuir notas às provas.

As redações do Enem são avaliadas em cinco competências, cada uma vale 200 pontos: demonstrar domínio da modalidade escrita formal da língua portuguesa; compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo em prosa; selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista; demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação; e elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.

Cada prova passa por dois corretores. Caso haja uma diferença de mais de 100 pontos em relação à nota total da prova ou de mais de 80 pontos em relação a alguma das competências, o texto passa, então, por um terceiro corretor. Se a diferença persistir, a prova é avaliada por uma banca composta por três professores, que atribuiu a nota final do participante.

Motivos para nota zero

Para participar de programas como o Sistema de Seleção Unificada (Sisu), que oferece vagas em instituições públicas de ensino superior, e o Programa Universidade para Todos (ProUni), que concede bolsas de estudo em instituições privadas de ensino superior, é necessário não ter tirado zero na redação. A redação receberá nota zero se apresentar uma das características a seguir:

 fuga total ao tema;

não obediência ao tipo dissertativo-argumentativo;

extensão de até sete linhas manuscritas, qualquer que seja o conteúdo, ou extensão de até dez linhas escritas no sistema Braille;

cópia de texto(s) da Prova de Redação e/ou do Caderno de Questões sem que haja pelo menos oito linhas de produção própria do participante;

impropérios, desenhos e outras formas propositais de anulação, em qualquer parte da folha de redação;

números ou sinais gráficos sem função clara em qualquer parte do texto ou da folha de redação;

parte deliberadamente desconectada do tema proposto;

assinatura, nome, iniciais, apelido, codinome ou rubrica fora do local devidamente designado para a assinatura do participante;

 texto predominante ou integralmente escrito em língua estrangeira;

folha de redação em branco, mesmo que haja texto escrito na folha de rascunho; e texto ilegível, que impossibilite sua leitura por dois avaliadores independentes.

Neste ano, cerca de 5,8 milhões de estudantes estão inscritos para realizar a prova, devido a pandemia foram criadas duas provas, impressas e digitais, impressas serão aplicadas nos dias 17 e 24 de janeiro e as digitais nos dias 31 e 7 de fevereiro.

As medidas de segurança para a prova contará com o número reduzido se estudante por sala isso de máscaras obrigatórias sendo que o estudante pode ter risco de ser eliminado caso não use e o álcool em gel ficará disponível em todos os ambientes de aplicação da provas.

Inep: locais de prova do Enem 2020 são divulgados hoje


As provas impressas estão marcadas para 17 e 24 de janeiro

Thais Paim

Depois da espera devido aos adiamentos por conta da pandemia do novo coronavírus, os inscritos para o Exame Nacional do Ensino Médio 2020 (Enem) vão poder acessar o cartão de confirmação de inscrição a partir desta terça-feira (5).

As informações contidas no documento são, entre outras orientações: o local do exame, o número de inscrição, a data e o horário em que a prova será aplicada.

Para quem não sabe onde acessar, basta entrar na Página do Participante, no site do Enem. Lembrando que as provas impressas já estão previstas para ocorrer nos dias 17 e 24 de janeiro. Por sua vez, a aplicação da versão digital ocorrerá em 31 de janeiro e 7 de fevereiro.

Além disso, o cartão também registra que o participante deve contar com determinado atendimento especializado, assim como tratamento pelo nome social, caso essas solicitações tenham sido feitas e aprovadas.

A recomendação do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) é de que o participante leve o documento nos dias de aplicação da prova. Ao todo, 5.783.357 inscrições foram confirmadas.

Como é comum acontecer nas primeiras horas, diversos candidatos relataram nas redes sociais que estavam com dificuldade para visualizar o local de prova através do site. Alguns têm tido uma maior facilidade para ter acesso às informações pelo aplicativo oficial do Enem. 

O cronograma do Enem e suas alterações após pandemia da Covid-19:  

O uso de máscaras de proteção passou a ser obrigatório durante toda a aplicação do exame.

Haverá possibilidade de reaplicação da prova. O participante que estiver com Covid-19 ou outras doenças infectocontagiosas nos dias de realização do Enem vai ter a opção de realizar o exame em 23 e 24 de fevereiro de 2021.

Se necessário, a reaplicação pode ser solicitada após o candidato comunicar a condição de saúde por meio da Página do Participante antes da aplicação do exame.

Além da Covid, são consideradas doenças infectocontagiosas para pedir a reaplicação: coqueluche, difteria, doença invasiva por Haemophilus influenza, doença meningocócica e outras meningites, varíola, Influenza humana A e B, poliomielite por poliovírus selvagem, sarampo, rubéola, e varicela.

Se os sintomas aparecerem somente na véspera ou no dia da prova o candidato não deve comparecer para a realização do exame.

Enem será em novembro


O Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) deste ano já tem datas fixadas: 3 e 10 de novembro. Segundo cronograma divulgado, recentemente, pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Pelo calendário, as inscrições estarão abertas de 6 a 17 de maio.

Entre 1º e 10 de abril os estudantes poderão pedir isenção da taxa de inscrição. Nesse mesmo período, o Inep vai receber as justificativas dos que faltaram às provas em 2018. O edital do Enem, conforme o instituto, será publicado no próximo mês.

No ano passado, 5,5 milhões de pessoas se inscreveram para fazer o Enem, mas 4,1 milhões compareceram aos dois dias de provas. Nos dois domingos de exame, os estudantes precisam desenvolver conhecimentos de linguagens, incluindo redação, ciências humanas, ciências da natureza e matemática.

Os resultados do Enem podem ser usados em processos seletivos para vagas no ensino superior público, pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu), para bolsas de estudo em instituições privadas, pelo Programa Universidade para Todos (ProUni), e para obter financiamento do curso pelo Fundo de Financiamento Estudantil (Fies).

Em 2019 o Sisu ofereceu 235,4 mil vagas, distribuídas em 129 universidades públicas de todo o país. Além de universidades brasileiras, os estudantes podem se inscrever em 37 instituições portuguesas que têm convênio com o Inep.

 

Mulheres são nota mil em redação no Enem 2018


 

meninas no enem
Das redações nota mil 76% são escritas por mulheres Foto: George Magaraia

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), responsável pelo Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) informou que 55 redações obtiveram no 1000 no último exame. Segundo o instituto, 42 destes textos foram produzidos por mulheres.

O Enem foi aplicado nos dias 4 e 11 de novembro a mais de 4,1 milhões de estudantes em todo o país. O tema da redação foi Manipulação do Comportamento do Usuário pelo Controle de Dados na Internet.

A maior parte dos estudantes com a nota máxima é da Região Sudeste, que concentrou 33 dos melhores textos – 14 eram do Rio de Janeiro e 14 de Minas Gerais. A Região Nordeste aparece em segundo lugar, com 14 textos nota mil. Em relação aos municípios, o Rio de Janeiro lidera com cinco redações, seguido por Fortaleza, com quatro.

 

Aprenda a proteger-se dos raios


Cristo foi atingido por raio na noite desta quinta-feira
Cristo Redentor (RJ) atingido por um raio              Foto: divulgação

Eles são fenômenos naturais fantásticos, mas podem causar mortes, prejuízos e um grande terror em parte da população. Adivinhou o que é? Estamos falando sobre os raios que são um espetáculo grandioso.

São 3,15 bilhões de raios que caem durante um ano no mundo. O Brasil ocupa a primeira colocação, entre os países com maior incidência desses fenômenos, com 57,8 milhões de descargas. As demais nações da lista são República Democrática do Congo com 43,2 milhões, Estados Unidos com 35 milhões, Austrália com 31,2 milhões e China com 28 milhões, respectivamente.

Entre os estados brasileiros, o Amazonas é o recordista de descargas elétricas, com 11 milhões por ano. Em seguida vem o Pará com 7,38, Mato Grosso com 6,81 milhões, Rio Grande do Sul com 5,18 milhões e Mato Grosso do Sul com 4,24 milhões. Os raios podem ser positivos ou negativos. As primeiras são mais destruidoras e perigosas, pois possuem o dobro das consideradas negativas.

O que os diferencia uma da outra é o local da nuvem onde se originam. Os negativos saem da parte baixa da nuvem, onde se concentra a essa energia. Já os positivos saem do topo da nuvem, onde ficam as partículas carregadas positivamente. No Brasil as descargas são positivas.

Raios são extremamente perigosos. Para se ter uma ideia, o estudo do INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) revelou que 111 pessoas morrem por ano no Brasil, atingidos por esses fenômenos naturais. São Paulo está no topo da lista com 26 mortes nesse quesito.

Abaixo seguem algumas dicas que irão auxiliar na sua segurança, quando houver tempestades elétricas.

Fora de casa

  • Evite contato com cercas de arame, grades, tubos metálicos, linhas telefônicas, de energia elétrica ou estruturas metálicas.
  • Afaste-se de tratores e máquinas agrícolas, motocicletas, bicicletas e carroças; se estiver num carro com chapas metálicas, fique dentro dele com as janelas fechadas.
  • Afaste-se de campos abertos, pastos, campos de futebol, piscinas, lagos, praias, árvores isoladas, postes e lugares altos.

Dentro de casa

  • Evite tomar banho, usar chuveiro ou torneira elétrica.
  • Afaste-se de fogões, geladeiras e canos.
  • Evite ligar aparelhos e motores elétricos, pois eles podem queimar.
  • Afaste-se de tomadas e não use o telefone.
  • Desligue da tomada os aparelhos eletrônicos como som, computador e televisão. Para os aparelhos de televisão existem dispositivos protetores que são instalados nas tomadas e podem ser encontrados nas casas de material elétrico. Fax, computadores e secretárias eletrônicas requerem proteção especial. Basta consultar as lojas especializadas em eletroeletrônicos.
  • Por fim, aguente firme, pois o sufoco, geralmente, não dura mais de dez minutos.