Bebê que foi capa do disco ‘Nevermind’ processa Nirvana por exploração sexual


Spencer Elden está pedindo uma indenização de US$ 150 mil

Thais Paim

Spencer Elden, que apareceu aos 4 meses de idade na capa do disco “Nevermind”, do Nirvana, está processando a banda e afirma que foi explorado sexualmente quando ainda era criança. A notícia tem provocado uma grande polêmica entre os fãs.  

O jornal “The Guardian”, afirmou que o processo aberto na Califórnia, nos EUA, cita diversas partes e conta com 15 réus, incluindo membros da banda, Courtney Love – viúva de Kurt Cobain -, e a gravadora que lançou e distribuiu o disco nas últimas três décadas. O álbum foi lançado em 1991.

Spencer Elden, que atualmente tem 30 anos, pede uma indenização de US$ 150 mil (cerca de R$ 787 mil) de cada uma das partes e quer que seu caso seja analisado por um júri.

Sobre o caso 

Os advogados de defesa alegam que houve “exploração sexual infantil comercial, desde quando Elden era menor de idade até os dias atuais”. Ainda segundo eles, a imagem fez com que Elden se assemelhasse a “um trabalhador do sexo – agarrando-se por uma nota de um dólar”.

No processo, Elden alega produção de pornografia infantil com sua imagem, que o mostra nadando nu em direção a uma nota de um dólar. Segundo ele, sofreu danos permanentes com a capa, incluindo “sofrimento emocional extremo e permanente com manifestações físicas”.

O processo cita também que Elden nunca foi pago para aparecer na capa e que seus pais não assinaram uma autorização de direito de imagem. 

História da foto

“Nevermind” foi lançado em 24 de setembro de 1991 após diversos ensaios para definir quem seria o bebê da foto. Apesar de Elden ter sido o escolhido, tinha mais meninas nos testes — e o pai do eleito era amigo do fotógrafo.

A foto foi feita especialmente para a capa. Informações prévias davam conta de que os pais de Elden receberam US$ 250 na época para o ensaio exclusivo.

           

De novo na piscina

Em 2008, o site da MTV norte-americana divulgou uma foto de Spencer Elden, então com 17 anos, repetindo a imagem da capa. Elden voltou a mergulhar em uma piscina atrás de uma nota de um dólar, mas, desta vez, usando um calção de banho.

Na época, Elden disse que “era estranho pensar que tanta gente já me viu pelado – me sinto como a maior estrela pornô do mundo”.

Fonte: G1 

Quer empreender na área da música? Curso ensina a construir a marca pessoal no universo musical


Lançamento acontece após a 2ª Semana do Empreendedorismo 

Thais Paim

Apesar das oportunidades abertas pela indústria musical, como em toda profissão, para alcançar o sucesso, é essencial conhecer algumas técnicas tanto da área musical como de comunicação e divulgação do produto.

Na 2ª Semana do Empreendedorismo Musical foi possível conhecer um pouco sobre esse cenário no ano de 2020 e ouvir dos convidados o debate sobre alguns desses temas. O evento que ocorreu do dia 12 a 16 de julho foi transmitido pelo Instagram de Guga Gonçalves, o organizador do evento.

Gustavo, que também é empreendedor musical e dono do Blog Empreendedorismo Musical, contou um pouco sobre a experiência: “O evento foi bem bacana, os nossos convidados trouxeram discussões muito importantes, mostraram que existem problemas, existem desafios, mas que tudo é superável. Os convidados contaram um pouco das suas experiências, os obstáculos que precisaram enfrentar e também os cases de sucesso. E essa era a proposta do nosso evento, compartilhar quem são os caras que fazem o negócio acontecer e faz o mercado girar”. 

O evento abordou temas como produção musical, negócios musicais, educação musical, mulheres na música e comércio musical. 

De acordo com o organizador do evento, as lives tiveram mais de 1 hora, porque o assunto rendeu bastante e também registrou um grande engajamento nas redes sociais. 

“O José Celso Guida falou sobre o motivo de tantas músicas serem lucrativas e outras não, quais são as partes que muita gente não conhece de burocratização da música, da gestão das músicas, como funciona para comprar ou vender músicas para uma peça publicitária de televisão ou para um filme, como funciona a gestão e distribuição de direito autoral de cada um”, explicou Guga Gonçalves.

Além disso, ele está lançando um curso de Empreendedorismo Musical para estudantes, profissionais e empreendedores da música, onde ele ensina tudo sobre construção de uma marca pessoal, para que o profissional obtenha demandas constantes dos trabalhos ou serviços que irá oferecer no fascinante universo do mercado musical. 

O curso será realizado em 10 encontros semanais feitos pelo Zoom, terá início dia 3 de agosto e contará com módulos de planejamento, neuro music, personal branding, produção multimídia, fotografia, áudio, roteiro, edição, tráfego Online e ferramentas do Facebook e de Produtividade. O curso também ficará gravado para quem desejar assistir em outras ocasiões. Ao final, os inscritos receberão um certificado de conclusão digital.

Para se inscrever basta acessar o link: https://bit.ly/3iudHp4

Fonte: A Cidade ON 

Cantor Marcos Val participa de Live Solidária


O objetivo do evento é arrecadar a maior quantidade possível de alimentos para serem doados aos artistas da cidade, que há mais de um ano estão impedidos de fazer shows.

Marcelo Carvalho

No próximo sábado (29), a partir das 21h, Marcos Val estará participando da Live Solidaria. O show contará com a participação de mais de 25 artistas no palco principal, e será transmitido pelas redes sociais do cantor @marcosvaloficial , TV Opinião, OMB, Tôa toa, a transição internacional será feita pela Skyline.

Para esse grande espetáculo o cantor já vem se preparando juntamente com sua banda e equipe que prometem uma grande performance na apresentação.

Detalhe, o mês de maio é muito importante para Marcos Val, pois é o mês de seu aniversário! “Desde criança sempre tive a vida ligada à arte, na adolescência participava de teatro na Escola e praticava o canto na Igreja a qual frequentava”, lembra.

Atualmente, o novo trabalho artístico do cantor foi a gravação do clip ‘Não mexe comigo’. Para assistir clique no link ao lado. https://youtu.be/jUmcdjTsz-w

 “Estou muito feliz em poder levar alegria através da música, ainda mais em tempos tão difíceis que estamos vivendo… Só em saber que irei contribuir com o alimento na mesa de outras pessoas já me sinto totalmente realizado”, diz o cantor.

Um bom compositor precisa estar com a antena ligada 24hs


Também é preciso estudar a vida, as pessoas, os acontecimentos

Marcelo Carvalho

Ele é um dos responsáveis pelo sucesso de uma música. Seja ela do idioma que for. Estamos falando do compositor. Este músico, atua com a criação artística e publicitária. Sim ele pode criar jingles para comerciais.

Compor pode ser uma habilidade nata, mas há cursos específicos! Tanto a nível universitário, bacharelado em composição. Quanto em especialização – lato sensu, nível técnico e ainda cursos livres.

O cantor e compositor, Marcelo Mira, um dos fundadores da banda Alma Djem, defende que o compositor tem que estudar o tempo todo. “Não é estudar no banco de uma escola. É estudar a vida, as pessoas, os acontecimentos. Ele deve estar com a antena ligada 24 horas”, esclarece.

Cantos e compositor Marcelo Mira, da Banda Alma Djem. Foto: divulgação

Mira também destaca a importância de estudar música e o seu instrumento. Além de ler, que é fundamental para aprimorar a escrita. “Também é muito bom estar sempre cercado de bons compositores com quem se aprende bastante”, garante.

A primeira composição do músico foi aos sete anos de idade. Depois disso, Mira ficou um bom tempo sem criar nada. Mas esse panorama iria mudar mais cedo ou mais tarde. “Sempre tive o sonho de me tornar um artista. Daí quando montei a minha banda, a Alma Djem, percebi que teria de voltar a compor… Então aos 23 anos compus ‘Amar Novamente’, que até hoje é um dos grandes sucessos da banda”, conta Mira, que a partir daí não parou mais.

Sobre processo de composição, Mira é direto. “Ou vem a inspiração ou eu paro o que to fazendo para compor, ou a gente marca um dia com os parceiros e vai na transpiração mesmo”. Segundo o músico, geralmente com parceiros se consegue compor duas ou três músicas numa sessão. “Gravo muitas ideias no celular também. Aí vou ouvindo de vez enquanto”, revela ele, que já compôs para Wanessa Camargo, Cláudia Leitte, Ricky Martin, Natiruts, Falamansa, Biquini Cavadão, Jorge e Mateus, Marcos e Belucci, Thiago Brava, Gabriel Elias, Planta e Raiz, Maskavo entre outros.

Feliz Dia Mundial do Compositor 

Hoje, 15 de janeiro, é comemorado o Dia Mundial do Compositor. Trata-se de uma homenagem mais do que justa para esses artistas que utilizam de sua técnica, criatividade e sensibilidade para escrever canções que emocionam e animam multidões de pessoas.

A comemoração surgiu no México, em comemoração à fundação da Sociedade de Autores e Compositores do México (SACM), em 1945.  No entanto, esta data somente foi oficialmente celebrada no mundo a partir de 1983.

Dia do Compositor Brasileiro

Segundo Marcelo Mira os compositores que mais o impressionam são Chico Buarque, Tom Jobim, Gilberto Gil, Caetano Veloso e Herbert Viana. Nosso país é mesmo um verdadeiro celeiro de excelentes compositores e música de qualidade. Para homenagear esses gênios da música nacional, se comemora em 7 de outubro o Dia do Compositor Brasileiro. O Carvalho News felicita a todos os compositores!

Você sabia? A critica gosto musical de usuários; veja como usar


Algoritmo avalia informações do Spotify 

Thais Paim

Se você gosta de música e está procurando algo diferente para se distrair, essa novidade pode ser interessante para você. Agora, além de tocar um solo de baixo infinito no YouTube, exibindo todo o seu talento artístico, a inteligência artificial (IA) também está avaliando o gosto musical dos usuários do Spotify. 

Segundo avaliações, apesar de possuir uma forma irônica e até mesmo cruel em alguns momentos, o algoritmo é montado com uma base em comentários de críticos especializados e publicações de música.

Desenvolvido pelo site The Pudding, o algoritmo é intitulado de “How Bad Is Your Spotify?” (algo como “Quão ruim é o seu Spotify?”, em tradução livre) e foi treinado em uma base de dados composta por mais de dois milhões de indicadores de “música objetivamente boa”, segundo informações fornecidas pela própria empresa.

As informações usadas no treinamento da IA foram obtidas de fontes como a plataforma americana Pitchfork e o jornalista, crítico musical e youtuber Anthony Fantano. Ela também se baseou em recomendações de lojas de discos e outras fontes de análises musicais, para produzir combinações e criar as suas próprias avaliações.

Durante a análise das canções e artistas mais tocados das suas playlists, o programa pode fazer algumas perguntas em tom sarcástico, como por exemplo “Você está bem por escutar tal artista?”, sempre zombando das suas preferências. 

Se você não leva críticas muito a sério e gosta de algo divertido e sarcástico, pode ser interessante fazer o teste. Após avaliar suas músicas, gêneros e outros indicadores, a ferramenta apresenta a crítica ao perfil do usuário, com muitas piadas e ironias.

Quão ruim é o seu Spotify?

Apesar de ser em inglês, o serviço é gratuito e qualquer usuário do streaming de música pode entrar na brincadeira e ter as suas preferências sonoras avaliadas pela inteligência artificial. 

Se você ficou curioso e quer testar, basta acessar o site How Bad Is Your Spotify, clicar em “Find Out” e fazer login com os dados do serviço.

Ainda segundo a empresa, o bot terá acesso apenas às informações referentes ao que você ouve na plataforma, sem autorização para publicar e nem fazer qualquer tipo de modificação na conta do usuário.

É válido lembrar que a ferramenta só tem o idioma inglês disponível no momento.