Capital de Alagoas será sede para a primeira Escola Nacional de Turismo


Prefeito e gestores discutiram implementação do projeto

Thais Paim

Após a posse do prefeito João Henrique Caldas (JHC) , a intenção do gestor é transformar Maceió em uma cidade inteligente, criativa e sustentável. Seguindo esses planos, foi anunciado na última terça-feira (19) que a capital alagoana vai sediar a primeira Escola Nacional de Turismo. 

De acordo com as informações da prefeitura, essa novidade é um projeto do Governo Federal e tem como objetivo qualificar ainda mais o turismo local, garantir o desenvolvimento sustentável e reafirmar os valores socioculturais do município. 

Além do prefeito, a Secretaria Municipal de Turismo, Esporte e Lazer (Semtel), representantes do Ministério do Turismo, o reitor da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), o Sebrae e órgãos de turismo no estado estiveram reunidos para discutir a implementação desta escola. 

Cursos para Qualificação Profissional

A ideia é oferecer cursos como atendimento ao público, camareira, garçom, guia de turismo, idiomas, turismo acessível, sustentabilidade, marketing, entre outros. JHC falou sobre a grande expectativa e afirmou que sua implantação em Maceió vai servir de modelo para as demais no país. “Vamos colocar a mão na massa. Como gestor, quero ser um instrumento facilitador e dou todas as garantias”, afirmou ele.

O objetivo é que a experiência de Maceió sirva de referência para a construção de outras escolas no país. “Estamos com uma expectativa muito boa, com uma equipe muito competente para que a gente possa fazer um projeto que atenda e que seja de qualidade, não só aqui, mas que ele possa servir de exemplo para o país todo”, comentou Débora Barbosa, secretária nacional de desenvolvimento e competitividade do Ministério do Turismo. 

Na tarde da segunda-feira (18), as equipes técnicas do município e do Governo Federal realizaram visitas técnicas. O diagnóstico da atividade turística em Maceió e articulações de parcerias fazem parte das primeiras etapas para a implementação do projeto.

“Este é um grande sonho que nós temos há muito tempo que é ter um centro formador e de qualificação de mão de obra para as nossas estruturas”, destacou Marcelo Marques, presidente do sindicato dos representantes de bares, hotéis e restaurantes de Alagoas.

Amazonas sofre com falta de oxigênio


Pacientes morrem asfixiados e situação comove o país inteiro

André Lucas

Desde o fim do ano passado o estado do amazonas tem altas nos números relacionados ao coronavírus. A capital sofre com todos os leitos de UTI (unidade de tratamento Intensivo) lotados, tanto nos hospitais públicos quanto nos hospitais particulares. 

Na semana passada o estoque de cilindros de oxigênio dos hospitais da capital esgotou, o que piorou a situação e colocou Manaus em estado de alerta. Pacientes internados morreram por falta de oxigênio, segundo médicos que trabalham na cidade. Familiares de pacientes estão comprando cilindros de oxigênio próprio para que os parentes não morram asfixiados dentro das UTIs. 

Layla Mariana Batista de 27 anos é vendedora de salgados, e tem enfrentados dificuldades para conseguir comprar Cilindros de oxigênio para  o tio Rosivaldo Azevedo Marinho, 57 anos, e a tia Maria Madalena Santos de Araújo, 43 anos, internados em estado grave em um dos hospitais da capital com estoque vazio. 

Layla conta que conseguiu um contato para adquirir o cilindro por 2500 reais, quando entrou em contato para comprar o vendedor simplesmente cobrou 5.000 reais, quando ela retornou o contato no fim do dia para acertar a compra o vendedor informou que o preço agora é 7.000 reais. 

“É desumano você ouvir alguém te pedir R$6 mil num cilindro e tu não ter da onde tirar para salvar o teu parente”, Layla ainda explica que o oxigênio de seu tio acabou na noite do último sábado e que aguarda a empresa que ela contratou para fazer a recarga e que o serviço não tem data para acontecer. 

Pazuello diz que a situação pode se repetir em outros estados do Nordeste

Em entrevista coletiva ao lado do governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC), Pazuello disse que é preciso estar preparado porque a segunda onda da doença está ocorrendo neste momento na Europa. 

Segundo ele, o inverno europeu que coincide com as chuvas intensas na Amazônia e em parte do Nordeste. 

O ministro explica que nessa época chuvosa no Amazonas a população tem dificuldades para respirar, por isso nesse período tem o agravamento das síndromes respiratórias agudas graves, no período chuvoso do Amazonas, e é o que está acontecendo agora.  

Com tudo o ministro informa, “Isso sim pode se replicar para outras cidades agora do Norte e do Nordeste ao longo do ano e pode se replicar, quando nós chegarmos mais perto do inverno, para a região centro-sul nossa, sul do Centro-Oeste, Sudeste e Sul.” 

A mobilização de Whindersson Nunes

O humorista mobilizou empresas e artistas para doar cilindros respiratórios aos hospitais da capital do amazonas, com a ajuda de Felipe Neto mobilizam Fábio Porchat, Bruno de Luca, Pedro Sampaio, Hugo Gloss, Simone, Kaka Diniz, Magazine Luiza, Movida e Matheus Tomoto foram alguns dos doadores. Toda a ação foi coordenada por Nunes e sua equipe. Os hospitais beneficiados foram SPA Joventina Dias, SPA São Raimundo, Instituto Saúde da Criança, SPA Alvorada, Policlínica da Redenção e SPA Galileia, a internet enalteceu demais os dois e chamou de heróis.

Ceará: o estado do futuro


A “Terra da Luz” é a terceira força do nordeste, e promete muito mais para o futuro, graças ao turismo e desenvolvimento da indústria

André Lucas

Em primeiro lugar, nós do Carvalho News damos os nossos parabéns ao Ceará e a todo o povo cearense. Pois, no dia 17 de janeiro, a “Terra da Luz” comemora 222 anos desde sua emancipação,  que ocorreu em 17 de janeiro de 1799, quando se tornou um estado livre. 

De lá para cá, muita coisa mudou e o Ceará se tornou um dos estados mais importantes do Brasil. Vamos conhecer um pouco mais desse estado rico em belezas naturais, história e cultura. 

Atualmente, o Ceará é uma das 27 unidades federativas do Brasil. Está situado no norte da Região Nordeste e tem por limites o Oceano Atlântico a norte e nordeste, Rio Grande do Norte e Paraíba a leste, Pernambuco ao sul e Piauí a oeste.

Tem como sua capital a cidade de Fortaleza. Sua área total é de 148 920,472 km 2 ou 9,37% da área do Nordeste e 1,74% da superfície do Brasil. A população cearense  é de 9 075 649 habitantes, conforme estimativas do IBGE, em 2018, sendo o oitavo estado mais populoso do país. 

História da emancipação 

O Ceará esteve ligado institucionalmente pela Coroa Portuguesa ao Estado de Pernambuco por 119 anos, entre 1680 e 1799. Neste período, tudo o que era produzido em solo cearense obrigatoriamente passava pela capitania pernambucana antes da exportação, aumentando os custos de frete, impostos e alongando também o tempo de distribuição. 

 Em 17 de janeiro de 1799, a Rainha Maria I decidiu pela emancipação do Siará – como se escrevia antigamente -, tendo sido ridicularizada pela escolha. 

A importância do povo Cearense para o Brasil

A importância histórica e cultural desse estado se dá por conta de pessoas incríveis que deixaram seu legado na história do país. Como por exemplo, Francisco José do Nascimento, o dragão do mar, símbolo da resistência contra a escravidão, e que ajudou ao cerara a ser a primeira província a abolir a escravidão quatro anos antes da leia áurea.

 Maria da Penha Maia Fernandes, líder de movimentos de defesa dos direitos das mulheres das mulheres, inspiração para a criação da lei Maria da Penha e um grande símbolo da luta contra o feminicídio. 

O Alberto Nepomuceno, cantor e compositor que fez parte de um movimento de nacionalização da música, e marcou seu legado com a frase “não tem pátria um povo que não canta em sua língua”. 

Além de Casimiro Montenegro Filho, o fundador do Instituto Tecnológico de Aeronáutica, e o Departamento de Ciências e Tecnologia Aeroespacial. 

Raquel de Queiroz não pode ficar fora dessa lista de nomes importantes que vieram do Ceará, ela foi a primeira mulher a entrar na academia de letras. 

O Ceará é o berço do humor brasileiro, por isso não podemos deixar de citar, Renato Aragão, Tom Cavalcante, Chico Anísio, Tiririca, Ceará, entre outros. 

Ainda temos a dona Francisca Celsa dos Santos, que foi validada pelo Gerontology Research Group (GRG), ou Grupo de Pesquisa em Gerontologia, em tradução literal, como a pessoa mais velha do Brasil e a terceira do mundo, fazendo com que o estado do Ceará ganhasse espaço na mídia mundial.

A economia atual do país

A economia cearense é a terceira mais forte do Nordeste, sua participação no Produto Interno Bruto (PIB) regional é de 14,5%, atrás dos estados da Bahia (31,5%) e Pernambuco (17,9%). Para o PIB nacional, o Ceará contribui com 1,9%. O PIB per capita cearense é de 6.149 reais.

O estado vem apresentando melhoras na economia, os incentivos governamentais para a instalação de indústria (isenção de impostos e doação de terrenos) e a mão de obra barata atraíram mais de 600 empresas nacionais e estrangeiras para o Ceará num período de seis décadas (1950 a 2010). 

Nos últimos anos o estado vem fazendo um bom trabalho na educação, que é o caminho da transformação e do desenvolvimento. O estado do Ceará tem uma das  melhores educação pública do Brasil, em 2018, o estado tinha 18 das 24 melhores escolas do Brasil, e 82 das 100 melhores pontuadas no estudo do INDEB. 

Ainda desfruta de ter o melhor IDH da região Nordeste do País. Boas condições de vida e a educação pública com qualidade existente hoje no Ceará, é o caminho para em um futuro próximo, o estado se transformar em uma grande potência.  

O turismo botou o Ceará no mapa do Mundo

Turistas do mundo inteiro visitam o estado todos os anos, as lindas praias e a paisagem maravilhosa são os motivos das visitas. Os principais cartões portais do país são: 

A Praia da Cona Quebrada não dá para dispensar. Situada em Aracati, distante 182 km de Fortaleza, a praia de Canoa Quebrada é aquele lugar que você vai uma vez e quer voltar sempre!  Se você quer mesmo se esquecer do mundo e relaxar, a Lagoa da Jijoca é o lugar perfeito. 

Só ali você poderá apreciar um dos mais lindos picos do Nordeste, deitado em redes instaladas na fantástica lagoa do Paraíso e na Lagoa Azul. Pedra Furada em Jericoacoara.

A Pedra Furada é um fenômeno da natureza que atrai visitantes do mundo todo. Esculpida pelas ondas do mar, se transforma em uma obra de arte natural nos meses de julho e agosto, quando o sol se encaixa bem no meio do furo da pedra. 

A Praia de Ponta Grossa fica em Icapuí, na fronteira com o Rio Grande do Norte, a 50 km de Canoa Quebrada. Grutas e formações rochosas incríveis surpreendem o visitante. 

 Praia do Futuro, situada a 10 km da capital Fortaleza, possui 30 km de extensão muito agitados pelos inúmeros turistas que vêm de todos os lugares do mundo para conhecer suas maravilhas.

  Morro Branco em Beberibe. Um dos principais cartões postais do Ceará, a Praia de Morro Branco fica em Beberibe, a 80 km de Fortaleza.

Além das praias maravilhosas,  não podemos deixar de lado o Centro Dragão do mar de arte e cultura, o Teatro José de Alencar, referência na arquitetura lírica brasileira, o Parque do Ronco, e a Catedral Metropolitana. São esse os principais atrativos do estado, que dar ao Ceará as 10 primeiras colocações em ranking de destino de turistas gringos, a principal procura é a linda capital, Fortaleza.  

A cultura enraizada do estado

A culinária cearense é um dos aspectos culturais mais marcantes do estado. A cozinha do estado do Ceará já ganhou o Brasil inteiro, como resistir ao maravilhoso Baião de dois, e aquela suculenta carne de sol, ainda os peixes e frutos do mar, buchada de bode, panelaço, paçoca Cearense, tudo isso vem do Ceará eu sei, mas a principal exclusividade de culinária local, é o cream cracker com refrigerante Delrio. 

Além da culinária, a religiosidade do povo Cearense é muito tradicional. 78% da população cearense são católicas. Uma grande influência para o Estado do Ceará é o Padre Cícero. No ano de 1889, Padre Cícero ganhou notoriedade no Nordeste, quando  durante uma missa na igreja de Juazeiro (Ceará), a hóstia consagrada por ele transformou-se em sangue na boca de uma mulher.

A partir daí a população local passou a considerar este fato como um milagre atribuído ao Padre.

A Igreja Católica, no entanto não concordou, e  proibiu o padre de exercer o sacerdócio. Passados dez anos do episódio, padre Cícero viajou, em 1898,  para Roma onde conseguiu a absolvição do Papa Leão XIII. Porém, continuou proibido de celebrar missas. Esse enredo transformou o Padre em um grande influenciador da época, e o responsável pela grande tradição religiosa existente  hoje no estado. 

Os cearenses são mesmo apaixonados pela “Terra da Luz”.  O corretor de imóveis, Aurineudo Gomes é um deles. Segundo ele, o estado é sinônimo de tranquilidade. Sobre as belezas da região, Gomes destaca o litoral. 

O corretor de imóveis, Aurineudo Gomes. Foto: reprodução do Instagran

Uma das características que mais chama a atenção entre os nordestinos é o jeito caloroso e receptivo. E no Ceará não é diferente. “Nosso povo é muito acolhedor e divertido”, garante Gomes, que define seus conterrâneos como muito resistentes. “O povo resiste a tantas injustiças sociais. São vários trabalhadores e trabalhadoras que buscam a cada dia, apesar das adversidades, seu lugar ao sol”, orgulha-se.

Sobre o preconceito contra o Ceará e os demais estados nordestinos, o corretor de imóveis acredita que está menor. “ Já foi maior. Porém estamos mostrando que não só o cearense, mas como todo nordestino, temos fibra para irmos em busca dos nossos sonhos e isso podemos ver a cada dia. Exemplos: os primeiros lugares no ITA, nossos humoristas ganhando espaço, nossos artistas entrando no circuito nacional”.

Com setor em crise, Alagoas é o único estado do Nordeste que mantém cinemas fechados


Atividades estão paralisadas desde março do ano passado

Thais Paim

Tendo se destacado no início da pandemia pelas medidas adotadas para prevenção do novo coronavírus, agora Alagoas segue uma marcha lenta para a retomada e é o único estado do Nordeste que ainda não reabriu as salas de cinema. 

Alguns setores da economia ainda não retornaram às atividades, desde a suspensão em março de 2020, provocada pela pandemia da Covid-19.  Por essa razão, representantes do ramo se reuniram com a coordenação geral do Gabinete Integrado de Prevenção à Covid-19, da Prefeitura de Maceió, para cobrar medidas da gestão. 

De acordo com eles, as dificuldades financeiras os obrigam a demitir funcionários. Além disso, a crise fez com que custos com aluguel, energia, taxas e folha salarial ficassem ainda mais pesados. 

Negociações 

Durante reunião nesta terça-feira (5), foram discutidos os protocolos de segurança para o retorno dos cinemas na capital. Mesmo não possuindo uma data precisa para a reabertura, o processo corre em celeridade. 

A expectativa é de que as medidas discutidas sejam apresentadas aos órgãos sanitários, e as empresas vão precisar que se adequar às exigências estabelecidas pela prefeitura.

O coordenador geral do Gabinete Integrado de Prevenção à Covid-19, Claydson Moura, falou sobre o encontro e garantiu que a gestão municipal vai fiscalizar e adotar as medidas necessárias para garantir o cumprimento das normas. 

“O prefeito quer que a gente encontre um caminho seguro, mas a tônica dele é tudo para já”, afirmou o coordenador. Moura também destacou que o novo decreto vai ser construído de forma integrada, em consonância com outras secretarias.

A presidente da Fundação Municipal de Ação Cultural (FMAC), Mirian Monte, também participou da reunião e destacou a necessidade de ampliar os cuidados visando à saúde mental da população. 

“O cinema representa um cuidado com a alma, não podemos deixar a população maceioense desamparada nesse sentido, mas claro, vamos tomar todos os cuidados necessários para impedir o curso de contaminação do vírus”, afirmou ela. 

Salvador está entre as dez maiores economias do Brasil, mas perde liderança no Nordeste


Capital baiana é ultrapassada por Fortaleza

Dados divulgados pelo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apontam que Salvador está entre as dez economias mais importantes do país. Atualmente, a capital baiana ocupa a 9ª posição entre as capitais com o maior Produto Interno Bruto (PIB), equivalente a R$ 63,5 bilhões, mas acabou perdendo o posto para a capital do Ceará.

Os dados usados para o levantamento são referentes ao ano de 2018 e foram divulgados nesta quarta-feira (16). Mesmo não tendo mais o maior PIB do Nordeste, a capital ainda concentra boa parte de toda a riqueza produzida na Bahia, com 22,19%, seguida por Camaçari (8,32%) e Feira de Santana (5,13%). 

Segundo o titular da Secretaria de Turismo do Estado da Bahia (Sedur), Sérgio Guanabara, os dados não retratam os investimentos estruturantes realizados pela Prefeitura no âmbito do programa Salvador 360 e que foram imprescindíveis para a transformação da cidade. 

“A Prefeitura criou o maior e mais robusto plano macroeconômico desenvolvido em nossa capital, voltado para a ativação da economia e geração de emprego. Os reflexos desse programa serão revelados mais à frente, no PIB de 2019/2020. Novos vetores de desenvolvimento foram criados em nossa cidade, a exemplo do HUB Salvador, Centro de Convenções e do inovador Polo de Economia Criativa”, afirma Guanabara. 

O motivo para a perda da posição se explica por causa da retração da indústria em Salvador, com a queda de participação do setor de serviços soteropolitanos na Bahia, no Nordeste e no país, segundo o IBGE. 

Outros dados apontados pelo IBGE e que exibem um bom desempenho são: 

Os maiores valores do setor agropecuário em 2018, com destaques para o algodão e a soja, foram registrados nas cidades de São Desidério (R$ 2,5 bilhões) e Formosa do Rio Preto (R$ 1,8 bilhão). 

Quase três em cada 10 cidades baianas tiveram a administração pública representando mais da metade do produto interno bruto: 109 cidades das 417, ou 26,1% do total.

Elevador Lacerda completa 147 anos nesta terça-feira


Equipamento é considerado patrimônio histórico nacional

Thais Paim

No dia de Nossa Senhora da Conceição, o primeiro elevador que serviu de transporte público no mundo e um dos cartões-postais mais populares do Brasil, o Elevador Lacerda, completa 147 anos nesta terça-feira (8).

Símbolo de Salvador e com capacidade para transportar 900 mil passageiros por mês, o equipamento já foi considerado o mais alto elevador urbano do mundo e, em condições normais (sem restrições de uso), tem capacidade para transportar cerca de 28 mil pessoas por dia.

Devido à pandemia do novo coronavírus, entre março e agosto deste ano, o meio de transporte ficou fechado. Em agosto, voltou a funcionar com 30% da capacidade.

História por trás desse patrimônio histórico

Localizado próximo à sede da Prefeitura de Salvador, o empreendimento foi criado para solucionar um problema de desnível existente na cidade. No início do Século 17, o único recurso para transportar cargas entre as chamadas “Cidade Alta” e “Cidade baixa”, em Salvador, era o uso de guindaste.

A locomoção era difícil e as pessoas se deslocavam em longas escadarias e ladeiras íngremes. Depois da fundação, além de um meio de transporte, o elevador se tornou um cartão postal e atração turística. Dos seus 72 metros de altura, é possível avistar a Baía de Todos-os-Santos e o Mercado Modelo.

O elevador já passou por várias reformas até chegar ao modelo atual. A primeira delas foi feita em 1906, aproximadamente 33 anos depois da inauguração, quando começou a funcionar movido à eletricidade e teve a base alargada. Uma segunda torre e mais duas cabines foram acrescentadas em 1930.

Atualidade

Dada a sua importância e destaque na capital, o Elevador Lacerda também é utilizado para chamar atenção para campanhas sociais.  

Este ano, voltando ao funcionamento depois das restrições da pandemia, o equipamento precisou passar por mais intervenções para implantação de climatização e estabelecimento de protocolos de segurança para ser utilizado pelos cidadãos.

O seu funcionamento é de segunda a sexta, das 7h às 22h, e aos sábados das 8h às 22h. Aos domingos, permanece aberto ao público das 8h às 15h. A tarifa custa R$ 0,15.

Em Maceió, dia de Iemanjá é celebrado na praia


Celebração acontece com adaptações devido à pandemia de Covid-19

Thais Paim

O cenário de pandemia tem provocado mudanças em diversas celebrações e esse ano o dia de Iemanjá foi celebrado diferente dos anos anteriores, em que milhares de pessoas se reuniam na orla de Pajuraça, em Maceió, para festejar.

Apesar das restrições, os devotos não deixaram com que o dia fosse esquecido. Religiosos da Umbanda celebraram a festa das águas neste 8 de dezembro com menos pessoas, além do uso da máscara e a adoção de medidas de prevenção ao coronavírus.

Enquanto na Bahia o dia da mãe dos Orixás é comemorado 2 de fevereiro, em Alagoas, a data é a mesma de Nossa Senhora da Conceição.  Os dias da celebração sofrem mudanças de um estado para outro por causa do sincretismo religioso.

“Hoje é o dia para eles cultuarem esse Orixá, eles fizeram uma correlação entre Nossa Senhora Conceição e Iemanjá, como fizeram com São Jorge e outros santos da igreja católica. E hoje, dia 8, é o dia de comemoração à Iemanjá, é o dia que nós comemoramos as águas, a nossa mãe da natureza. Nós adoramos à natureza, o rio, o mar, a água. Hoje o dia de oferendar a grande rainha do mar, que é Iemanjá”, explica o babalorixá Pai Célio.

As pessoas que faziam suas homenagens na praia, também fizeram  uso do álcool gel, para higienização das mãos. Grupos da capital e do interior levaram oferendas à Deusa das Águas e seguiram as recomendações sanitárias.

Os terreiros foram orientados que poucas pessoas de cada grupo levassem as homenagens para a praia e que a celebração fosse em pontos espalhados da orla. O intuito é evitar aglomerações.

A festa começou de madrugada e se estende durante todo o dia.

Maceió comemora 205 anos neste sábado; conheça mais sobre a história e as belezas da cidade considerada o Caribe brasileiro


Com mais de 1 milhão de habitantes, capital é um dos grandes destinos turísticos do país

Thais Paim

Maceió, conhecida como o Caribe Brasileiro, é a capital do estado de Alagoas e está localizada no litoral Nordeste do Brasil. Neste sábado (05) está comemorando 205 anos e, apesar do cenário de pandemia, é o segundo destino mais procurado para viagens em janeiro de 2021.

De acordo com a empresa de vendas Decolar, a cidade subiu três posições no ranking, no comparativo com o levantamento do mesmo período de 2019, deixando para trás grandes concorrentes no mercado nacional como Recife (PE), Natal (RN), Salvador (BA) e Porto Seguro (BA).

Com mais de dois séculos, desde que Dom João VI assinou carta régia elevando o povoado de Maceió a Vila, em 1815, o município segue encantando os visitantes com suas belezas naturais e culturais encontradas no seu território.

Conheça mais sobre a história desse lugar

Nada melhor para compreender ainda mais uma história, do que começar pelo nome dado a ela. Sendo assim, é importante lembrar que os primeiros índios que habitaram a cidade deram ao riacho que banhava o sítio maceioense, o nome de Massayó ou Massai-ó-k, o seu significado pode ser entendido como “o que tapa o alagadiço”. Algum tempo depois, o nome “Maceió” acabou sendo escolhido para nomear a cidade.

Em 1815, há mais de dois séculos, a Vila de Maceió foi desmembrada da então Vila de Santa Maria Madalena da Alagoas do Sul, atualmente nomeada como Marechal Deodoro. Por este motivo, o dia 05 de dezembro é a data em que se celebra o aniversário da capital.

Historiadores apontam a grande herança indígena da região, como é o caso dos bairros Pajuçara, Ponta Verde, Jatiúca, Guxuma, Jacarecica e Ipioca, que compõem a orla da capital, e teriam sido nomeados pelos ancestrais indígenas.

Conhecida como cidade-restinga por muitos estudiosos, está localizada entre a Lagoa Mundaú e o Oceano Atlântico. Com mais de 1 milhão de habitantes, se apresenta em constante evolução, principalmente quando o assunto é o turismo.

Economia

A capital alagoana é considerada a principal produtora brasileira de sal-gema e se apresenta como o mais importante centro comercial do estado. O porto de Jaraguá é utilizado desde o século XVII para escoar a produção agrícola e mineral da região.

O município conta com um importante polo cloroquímico. Além disso, a maior indústria produtora de clorossoda da América Latina também está em Maceió.

Mas a economia da cidade não para por aí e a produção de açúcar, plásticos, cimento e alimentos fazem parte desse cenário. Além disso, Maceió também possui plantações de cana-de-açúcar na área rural da cidade e produção de cocos e de frutas como caju, manga e jaca.

O turismo recebe um lugar de destaque na economia da capital, principalmente após o ano de 2005, quando foi inaugurado o Aeroporto Internacional Zumbi dos Palmares, o que facilitou ainda mais o acesso de turistas. Com uma diversidade ampla de belezas naturais, praias com águas cristalinas e uma culinária particular, a região tem se apresentado como a primeira opção de muitas pessoas na hora de escolher onde passar as suas férias.

Pontos turísticos e curiosidades

Para os amantes de praia, opções de lugares para visitar não faltam. Pajuçara, Ponta Verde, Jatiúca e Cruz das Almas possuem cenários encantadores, com águas cristalinas e piscinas naturais. Além disso, é possível desfrutar de hotéis, restaurantes, bares, pizzarias, cervejarias e ciclovia. No calçadão, você vai encontrar uma feira de artesanato e muitos lugares com comidas típicas.

A noite é bastante agitada na capital e permite que cada turista escolha uma programação de acordo com suas vontades. Tomar água de coco, comer tapioca, experimentar sorvetes de frutas da estação, conhecer a imensa variedade de barzinhos em diversos estilos diferentes ou simplesmente relaxar ao som das ondas do mar na orla são algumas das atividades que podem ser feitas.

As lagoas de Mundaú e Manguaba também são ótimas opções para momentos mais relaxantes e tranquilos, já que oferecem passeios ao pôr do sol e também possuem bares, restaurantes e lojas de artesãos. Atividade considerada obrigatória para muitos turistas, o ‘Passeio das Nove ilhas’ permite visita a oito ilhas na capital e uma na vizinha e histórica Marechal Deodoro.

Muito além das praias, conhecer o centro histórico de Maceió é uma parada obrigatória. Os principais pontos de visitação ficam no bairro Jaraguá e essa programação pode ser completada durante um único dia. Memorial à República, Museu Théo Brandão e a Catedral Nossa Senhora dos Prazeres fazem parte do roteiro para conhecer um pouco mais sobre a história e cultura da região. 

Para além do turismo, culinária, cultura e muita história. A capital alagoana também é cheia de fatos curiosos e detalhes que deixam a visita ainda mais interessante. Uma das curiosidades de maior relevância é que em Maceió também existe uma Estátua da Liberdade, localizada no bairro histórico de Jaraguá. Mas se você pensa que é simplesmente uma réplica, está enganado. Construída pela fundição Val D’osne, a mesma empresa que construiu a Estátua da Liberdade famosa, a figura é uma das três Estátuas da Liberdade existentes no mundo.

Outra curiosidade é de que a famosa escritora Clarice Lispector morou um curto período de tempo em Maceió e a passagem pelas terras alagoanas foi tão inspiradora que a personagem principal de um dos seus livros mais famosos,  “A Hora da Estrela”, é alagoana e decide se mudar para o Rio de Janeiro em busca de uma vida melhor.

Mulheres são nota mil em redação no Enem 2018


 

meninas no enem
Das redações nota mil 76% são escritas por mulheres Foto: George Magaraia

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), responsável pelo Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) informou que 55 redações obtiveram no 1000 no último exame. Segundo o instituto, 42 destes textos foram produzidos por mulheres.

O Enem foi aplicado nos dias 4 e 11 de novembro a mais de 4,1 milhões de estudantes em todo o país. O tema da redação foi Manipulação do Comportamento do Usuário pelo Controle de Dados na Internet.

A maior parte dos estudantes com a nota máxima é da Região Sudeste, que concentrou 33 dos melhores textos – 14 eram do Rio de Janeiro e 14 de Minas Gerais. A Região Nordeste aparece em segundo lugar, com 14 textos nota mil. Em relação aos municípios, o Rio de Janeiro lidera com cinco redações, seguido por Fortaleza, com quatro.

 

Cordel é patrimônio imaterial brasileiro


Agora é definitivo. O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) reconheceu hoje (19) a literatura de cordel como Patrimônio Cultural Imaterial Brasileiro. A decisão foi tomada por unanimidade pelo Conselho Consultivo, que se reúne no Forte de Copacabana, no Rio de Janeiro. 

“Poetas, declamadores, editores, ilustradores, desenhistas, artistas plásticos, xilogravadores, e folheteiros, como são conhecidos os vendedores de livros, já podem comemorar, pois agora a Literatura de Cordel é Patrimônio Cultural Imaterial Brasileiro”, anuncia o Iphan. 

A reunião contou com a presença do Ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão, da presidente do Iphan, Kátia Bogéa e do presidente da Academia Brasileira de Literatura de Cordel, Gonçalo Ferreira.  

O gênero literário é ofício e meio de sobrevivência para inúmeros cidadãos brasileiros. Segundo o instituto, apesar de ter começado no Norte e no Nordeste do país, o cordel hoje é disseminado por todo o Brasil, principalmente por causa do processo de migração de populações. 

História

O cordel foi inserido na cultura brasileira ao final do século 19. O gênero resultou da conexão entre as tradições orais e escritas presentes na formação social brasileira e carrega vínculos com as culturas africana, indígena e europeia e árabe. Tem ligação com as narrativas orais, como contos e histórias; à poesia cantada e declamada; e à adaptação para a poesia dos romances em prosa trazidos pelos colonizadores portugueses. 

Originalmente, a expressão literatura de cordel não se refere em um sentido estrito a um gênero literário específico, mas ao modo como os livros eram expostos ao público, pendurados em barbantes, em uma especie de varal.  De acordo com o Iphan, os poetas brasileiros no século 19 conectaram todas essas influências e difundiram um modo particular de fazer poesia que se transformou numa das formas de expressão mais importantes do Brasil.

Fonte: Agência Brasil