O astronauta Marcos Pontes


Neste mês de março, há 12 anos, o tenente-coronel da Força Aérea Brasileira (FAB), Marcos Cesar Pontes, partia para a ISS (Estação Espacial Internacional) a bordo da nave russa Soyuz TMA-8. Atualmente na reserva, o primeiro astronauta brasileiro publicou livros, foi eleito uns dos 100 maiores brasileiros de todos os tempos, atua na NASA e também na ONU (Organização das Nações Unidas). Pontes recebeu gentilmente a reportagem do Carvalho News para falar sobre espaço, OVINs, Programa Espacial Brasileiro e muito mais. Quer embarcar nessa viagem com a gente? Então leia a entrevista abaixo. Boa leitura!

img_02
Marcos Pontes Fotos: Portally Eventos e Produções

Blog Carvalho News – Como foi a sua infância? Já sonhava em ser astronauta quando pequeno?

Marcos Pontes – Minha infância em Bauru foi muito feliz ao lado de minha mãe, D. Zuleika, meu pai, Sr. Virgílio e meus irmãos Rosa e Luiz Carlos. Nesta época eu tinha o sonho de voar, de ser piloto. Olhava para o céu e imaginava como seria viajar por aquela imensidão. Realizei esse sonho quando passei no vestibular da Academia da Força Aérea – AFA.

Depois de já possuir vasta experiência em voos, surgiu a oportunidade do Cncurso Público para o primeiro astronauta brasileiro, fui selecionado e, após muito treinamento e esforço, consegui realizar a Primeira Missão Espacial Brasileira. A realidade acabou se tornando maior que o sonho! Conto todos os detalhes em meu livro “Missão Cumprida”, que pode ser adquirido na loja virtual www.conexaoespacial.com.br.

Carvalho News Em março, a primeira missão espacial tripulada brasileira completou 12 anos. Quais as melhores lembranças que o senhor guarda desse período?

Marcos Pontes – A sensação de olhar a bandeira do Brasil no meu braço e ver a Terra do espaço pela primeira vez.

Carvalho News – Como anda o Programa Espacial Brasileiro? Quando teremos outras viagens suas ao espaço?

Marcos Pontes – No momento o Programa Espacial Brasileiro anda devagar, infelizmente. Aliás, todos os setores de C&T têm sofrido com as crises políticas e econômicas recorrentes no país. Isso é preocupante para o futuro do desenvolvimento nacional. Meu acordo com a AEB venceu no ano passado (10 anos após a missão). Sem renovação, continuo ligado aos projetos espaciais nos EUA e devo voltar ao espaço nos próximos anos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Carvalho News – Que tipo de atividades o senhor desenvolve no Centro Espacial Johnson em Houston (EUA)?

Marcos Pontes – Sou um astronauta com especialização (consultor técnico) em integração de sistemas e desenvolvimento de interfaces humanas. Além disso, junto ao KSC, na Flórida, sou escalado de tempos em tempos para representar a NASA com autoridades e visitantes em geral

Carvalho News – Qual a sensação que se tem ao olhar a Terra do espaço?

Marcos Pontes –  A sensação é maravilhosa e ao mesmo tempo preocupante. Do espaço, nós conseguimos enxergar a devastação de alguns lugares na Terra, causadas pelo desmatamento, guerras e etc. O planeta visto de cima é tão lindo que, se tivéssemos a consciência de que tudo aquilo faz parte de algo muito maior, talvez cuidássemos mais da nossa casa. Veja mais detalhes no capítulo 77 do meu livro “Missão Cumprida”.

Carvalho News – O senhor acredita na existência dos OVINs?

Marcos Pontes – Por definição, qualquer objeto voador ou efeito natural que não conseguimos identificar, deve ser chamado de OVNI. Portanto, não é questão de acreditar, por definição são um fato.

Carvalho News – Sabe de alguma história envolvendo extraterrestres?

Marcos Pontes – Existem centenas de estórias em torno do tema. O assunto faz sucesso na TV. Eu, particularmente, concordo com a equação de Drake, com a altíssima probabilidade de vida em outros lugares do universo. A questão é: defina “vida”.

Carvalho News – Em 2014, o senhor concorreu a ao cargo de deputado federal pelo PSB de São Paulo. O que o levou a tomar essa iniciativa? Ainda possui aspirações políticas?

Marcos Pontes – Literalmente, milhares de pessoas sempre me pediram para contribuir com meu conhecimento e experiência profissional no Congresso Nacional, em especial na legislação associada ao desenvolvimento econômico do pais pela Educação, Ciência e Tecnologia. Entre essas pessoas, estava o nosso saudoso Ministro Eduardo Campos, que era presidente do PSB e meu amigo pessoal de muitos anos. Atendi o pedido e me candidatei. Fiz uma pequena campanha, conforme a possibilidade e a lógica da relação “gasto de campanha x salário de deputado” (que muita gente parece esquecer), e consegui 43 mil votos. Um número expressivo, porém um pouco menor do necessário naquele ano para ser eleito. Para mim, foi uma experiência de vida interessante e a retirada de um peso das costas: ninguém pode dizer que não tive coragem de me apresentar para ajudar no Congresso. Eu fiz a minha parte. Quanto a pretensões políticas atuais, eu desejo aos eleitos sucesso e sabedoria. Se precisarem de um consultor, estou a disposição.

img_05

Carvalho News – O público pode aguardar alguma novidade do escritor Marcos Pontes?

Marcos Pontes – Sim! Estou com um livro técnico sobre “Erro Humano” na prevenção de acidentes a 70% do final. Além disso, estou trabalhando em outros projetos literários para livros infantis e na área de Coaching.

Carvalho News – O que significou ser eleito um dos “100 maiores brasileiros de todos os tempos”?

Marcos Pontes – Foi uma honra ter meu trabalho reconhecido e uma motivação para inspirar mais jovens para a conquista dos seus sonhos. Basta lembrar que meu pai era “servente de serviços gerais” para entender o que eu sinto sobre isso. O que pouca gente sabe é que, em se tratando da minha carreira, o melhor resultado, ou mais impressionante em termos de legado, ainda está por vir… mas não vou adiantar nada por enquanto.

Carvalho News – Como é o seu dia a dia? O que costuma fazer nos períodos de folga?

Marcos Pontes – Minha vida se divide em agendas intensas com a atividade na NASA, na ONU (sou embaixador para desenvolvimento industrial), nas minhas empresas e na função de formar pessoas, seja como “life coach”, mentor, ou ministrando centenas de treinamentos corporativos e palestras (coisas que adoro fazer). Interessante que não vejo nada disso como “trabalho”. Eu adoro o que faço. Ou seja, eu ganho a vida fazendo o que gosto, e isso é muito bom. Portanto, nos períodos de folga…eu faço as mesmas coisas, com algumas extras: ler bastante, escrever, desenhar, fotografar, música, etc. No meu site www.marcospontes.com.br existem mais detalhes sobre minhas atividades.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Histórias de ETs


Conheça alguns relatos de aparições que ocorrem em terras brasileiros.

Pânico no céu

“Um tripulante de um avião comercial brasileiro, em voo noturno, rota São Paulo/Teresina relatou que a tripulação passou um tremendo aperto diante da súbita aparição de algo do formato de uma arraia gigante ( mais de 100 m de envergadura) que chegou a menos de 100m de teto do avião. O Centro Integrado de Aérea e Controle de Tráfego Aéreo (CINDACTA) não detectou o objeto e a tripulação foi aconselhada a ficar de boca fechada. Ele então desabafou num blogspot onde sua identificação não é clara. Identifiquei de forma detetivesca o nome completo do tripulante, companhia, horário e tudo mais, mas ele morre de medo de perder o emprego e o CMA, certificado médico aeronáutico”

 Antônio Francisco do Carmo

ilustração disco voador
Fotos ilustrativas

 

Olhem para o céu

“Numa tarde de verão de 1998, estava numa praça da localidade de Mar Grande na Ilha de Itaparica, na Bahia. Era por volta de umas 16h30, talvez mais um pouco, quando meu irmão Ricardo, que estava comigo e alguns amigos sentados nesta praça e, de repente, meu irmão se levantou e me chamou sorrateiro e falando baixo no meu ouvido: ‘André, eu acho que estou vendo um disco voador’. No momento não me preocupei, mas como ele tinha me chamado reservadamente, então lhe perguntei: onde?. Ele apontou para o horizonte sobre a copa de vários Iotizeiros gigantes, e lá ao fundo, bem distante havia algo que se assemelhava há uma nuvem solitária. Considerando a distância que a aparente nuvem se encontrava então considerávamos algo realmente gigantesco. Pois bem, eu olhava, olhava, olhava e aquela aparente nuvem não se mexia mas de repente ela começou a se movimentar lentamente em diversas direções, o que me fez realmente crer ser um OVNI. O que me chamou atenção também é que acontecia um fenômeno engraçado quando observávamos, simplesmente quando olhávamos direto para o objeto, ele sumia, mas quando olhávamos levemente para os lados, víamos claramente o seu contorno, e não mais uma aparente nuvem. Eu fiquei em êxtase com meu irmão e até chamei alguns dos amigos para ver também, mas eles acharam que se tratava de uma brincadeira e não se importaram. Esta observação durou aproximadamente uns 2 minutos, quando de repente o objeto veio numa velocidade incrível na nossa direção passando por cima da gente, e neste momento, até os nossos amigos viraram rapidamente a cabeça tentando acompanhar o movimento por ter percebido um vulto passar pelo céu de Mar Grande em uma velocidade que nem sei mensurar ou comparar com algo da terra. Foi uma grande experiência, mas não foi a única.”.

André Rocha      

disco voador gigante

 

 O dourado reluzente

“Tive muitos aviltamentos. O primeiro deles é um dos mais interessantes que presenciei. Foi a curta distância quando vi um objeto no formato esférico todo dourado reluzente com alguns metros de diâmetro flutuando bem silenciosamente o sobre à casa da minha vó na época no interior do Paraná era uma região sem luz sem energia elétrica em nada então era tudo escuro e eu tinha saído de casa para urinar na frente de casa aquela casinha longe da casa principal. Quando me virei para voltar para casa, avistei um objeto que estava em cima da casa de minha vó e ficou um tempo parado, depois sumiu numa velocidade muito alta em direção ao céu e daí desapareceu”.

Jackson Luiz Camargo