Agências do Trabalho de Pernambuco reúnem 325 vagas de emprego para a próxima terça-feira (29)


Ao todo, 17 municípios oferecem as oportunidades         

Marcelo Carvalho   

A partir desta terça-feira (29), 325 vagas de emprego para a população pernambucana estarão disponíveis, concentradas nas cidades de Araripina, Bezerros, Cabo, Caruaru, Garanhuns, Goiana, Ipojuca, Nazaré, Paulista, Pesqueira, Petrolina, Recife, Salgueiro, Santa Cruz do Capibaribe, São Lourenço da Mata, Serra Talhada e Vitória. Apenas em Paulista, estão 103 do total de oportunidades. No Cabo, estão disponíveis 87 chances.

As áreas de maior destaque no quadro de vagas são para caldeireiros de manutenção (35), com salário aproximado de R$2,5 mil, e encanadores industriais (30), com pagamento médio de R$ 2,5 mil. Os dois trabalhos estão sendo oferecidos no Cabo.

Dentre as vagas citadas, 80 correspondem a reservas para pessoas com deficiência, distribuídas pelas cidades de Igarassu, Paulista, Petrolina, Salgueiro e Recife. As opções para PCD têm ênfase em auxiliar de linha de produção (27) e operador de empilhadeira (20). Ainda, 21 das oportunidades são exclusivamente temporárias, estando o ofício de auxiliar operacional de logística (15) em evidência. Essas chances estão dispostas no Cabo e no Recife.

Para consultar presencialmente uma das unidades das Agência do Trabalho e se candidatar para uma vaga, é preciso realizar um agendamento prévio por meio do site da Secretaria do Trabalho, Emprego e Qualificação de Pernambuco (https://www.seteq.pe.gov.br/). Essa medida tem o objetivo de evitar aglomerações, protegendo os funcionários e a população do contágio com o vírus da Covid-19. A SETEQ solicita o uso de máscara durante a visita.

Os atendimentos presenciais nas instalações das Agências de Igarassu e Palmares estão suspensos temporariamente. É  possível estabelecer contato com qualquer uma das Agências citadas para tirar dúvidas, através de ligações e e-mais. Confira os telefones e endereços de e-mail de cada:

IGARASSU

(81) 3183-7276 / [email protected]

PALMARES

(81) 3661-8412 / [email protected]

Confira as vagas disponíveis: Agências do Trabalho de Pernambuco reúnem 325 vagas de emprego para a próxima terça-feira (29) – [email protected] – Gmail (google.com)

                                          

A técnica de usar fibras naturais do cerrado ajudou a artesã de 87 anos a se estabilizar


Julia Vitoria

Corria pelas ruas de Pernambuco um boato de que Antônia Lopes, de 87 anos, tinha olhos nas mãos. Na época ela tinha somente 20 anos e enquanto conversava com os vizinhos ela transformava novelos de lã em roupas, gravatas e muito mais. Seu talento como artesã  correu o País e seu trabalho foi reconhecido ela tem prêmios por causa das desenvolturas com os artefatos, suas obras integraram a exposição de artefatos promovidas pela Secretaria de Turismo do Distrito Federal; a última delas, a Mostra Pioneiros, na Casa do Chá, que a consagrou mestre artesã. Ela faz parte da comunidade de artesãos que possui 10,5 mil registrados no Distrito Federal. 

Flores, pétalas de rosa, figuras de animais e humanas estão  espalhadas pela casinha azul da artesã, ela possui quase 79 anos de carreira a  matéria prima que ela usa  está no alcance das mãos que ainda são firmes apesar da idade. A habilidade aprimorada ao longo de sua história foi apreendida ainda quando era criança e observava a mãe transformar brutos em produtos novos e Antônia absorvia a técnica de tecer. 

Começando na fazenda ela fazia bichinhos e bonecas para os próprios irmãos e se precisasse de material era só ir até a Fazenda e pegar um sabugo de milho ou palha de coqueiro ou maracujá, o traçado que aprendeu ainda criança virava diversão. Foi a habilidade do artesanato, adquirida ainda criança, que ajudou a pernambucana a se consolidar em Brasília como um dos expoentes no trançado com as fibras naturais.

Mas a princípio a costura e o traçado não eram um fim, mas uma forma de conseguir algo a mais, no caso da casa onde ela poderia fazer seus trabalhos do jeito que ela quisesse sem que alguém reclamasse. Ela conta que isso só ocorreu quando se casou com José de Oliveira. Ela fala que quando o conheceu seu coração disparou, mas o chavão velho e feio, seu noivado não foi lindo e logo estava casada e em sua casa.

Depois do casamento foi morar na cidade de Correntes que fica em Pernambuco ganhando fama de boa bordadeira. Mas ali era difícil e o marido decidiu que se mudaram dali para procurar condições melhores. Quando estavam indo ela foi presenteada pelo marido com sua primeira máquina de costura, indagando pode colocaria aquela máquina ele prometeu que teriam  uma casa para morar e compram uma pensão em Alagoas 

Dividindo o tempo entre a pensão e o curso de costura, ela aprendeu a mexer naquele aparelho que estava na moda, o ano era 1954 e na época ela abordava mais saia longa e miçangas. Mas o pai de Antônia não estava satisfeito, e pediu para que o marido dela cuidasse do gado com ele em Pernambuco. Quando tinha 5 anos de casada ela teve seu primeiro filho. Nos vinte anos seguintes a família morou em 6 estados, Antônia o marido e os filhos viajaram de caminhão e viajaram com entre os gados, ao chegar no interior uma vizinha falou que em Brasília o trabalho dos artesãos eram valorizados e ela pegou seu filho e foi na frente.

Depois de deixar seja trabalhos na torre de TV ela começou a vender os artesanatos em feiras livres e também ensinava arte para as pessoas, foi ficando conhecida pela qualidade dos produtos, ela conta que um dia um aluno de 80 anos ficou com as mãos sangrando de tanto trançar e então ela achou lindo se perguntando  se também chegaria naquela idade.

O tempo provou para ela que iria bem longe, ganhando prêmios e reconhecimento. Ela fala que o médico disse que ela sentada pode trabalhar a vida inteira, fala que sua bengala é a secretaria e a leva para todo lugar.

Hoje ela mora sozinha e como todo brasileiro ela espera o fim da pandemia para poder voltar a vender seu artesanato.

SETEQ oferece mais de três mil vagas EAD para trilhas de capacitação profissional e empreendedorismo


Marcelo Carvalho

A Secretaria do Trabalho, Emprego e Qualificação de Pernambuco (SETEQ), em parceria com o Serviço Social da Indústria (SESI/DN), oferece mais de três mil vagas em trilhas de educação profissional e empreendedorismo na modalidade EAD. A atividade faz parte do “Projeto Educação Livre”, que tem a intenção de desenvolver as competências dos participantes através do uso de novas tecnologias.  

Ampliar o acesso da população ao mercado de trabalho e capacitar os cidadãos para o universo do empreendedorismo são objetivos da SETEQ, como explica o secretário Alberes Lopes. “Mesmo diante da pandemia do novo coronavírus e das medidas de isolamento social, continuamos oferecendo possibilidades tanto para as pessoas que desejam se inserir no mercado de trabalho e buscam as Agências do Trabalho como também para aquelas que almejam empreender, ou procuram o trabalho autônomo, a inclusão social e o resgate da cidadania. A parceria com o SESI/DN contribui neste processo, fazendo com que as pessoas busquem capacitação”. 

Educação Livre é um programa do SESI/DN no qual oferece educação divertida e aplicada ao mundo real, especialmente para jovens que procuram oportunidade de trabalho e estudo, tendo como principal ferramenta a plataforma online (https://www.edulivre.org.br/) que oferece conteúdos em habilidades como: trabalho em equipe, planejamento e organização, educação financeira, matemática, inteligência emocional e muito mais.

Temas atuais e de grande relevância no universo do Trabalho e do Empreendedorismo são vivenciados nas trilhas. Durante a experiência, além do acesso ao conteúdo audiovisual, os participantes responderão um Quiz relacionado ao assunto abordado. Ao final do processo, um certificado digital é gerado pelo sistema. Confira as vagas: 

Passos para se tornar um empreendedor – 800 vagas 

Período: 04/01/2021 até 08/01/2021

Processos Seletivos – 800 vagas

Período:  18/01/21 a 31/01/21 

Tenha a profissão dos seus sonhos! – 800 vagas

Período: 01/02/21 a 14/02/21

A grama do vizinho é mesmo mais verde – 800 vagas – 

Período: 15/02/21 a 28/02/21

Para se inscrever, basta acessar o link  (sistemas.seteq.pe.gov.br/sima/inscricao_login/), realizar o login ou fazer o cadastro e selecionar a trilha.

Quase 250 mil mulheres estão envolvidas na geração de um negócio em Pernambuco


A Lei estadual 16.241, artigo 309, estabelece o dia 8 de outubro como o Dia Estadual da Mulher Empreendedora.

As mulheres estão cada vez mais envolvidas na geração do próprio negócio. No Estado pernambucano, 234.289 são sócias, representantes legais, empresárias, titular de eireli ou administradora de empresas, segundo dados da Junta Comercial de Pernambuco. Os números representam 34,49% do total, mas, desde o dia 14 dezembro de 2017, a Lei de número 16.241, artigo 309, é mais um estímulo ao empreendedorismo feminino em Pernambuco. O Dia Estadual da Mulher Empreendedora é comemorado nesta quinta-feira (08).

Empreendedora Amanda Bezerra (E) e multiplicadora do Ela Pode pela SETEQ, Lúcia Costa Foto: Carolina Romão/SETEQ
Empreendedora Amanda Bezerra (E) e multiplicadora do Ela Pode pela SETEQ, Lúcia Costa
Foto: Carolina Romão/SETEQ

 No Estado, 330.394 (48,73%) empresários ou empreendedores se identificam como homens e mais 114.535 (16,78%) não estão com o sexo definido. Apesar de os números das mulheres ainda serem menores em relação ao dos homens, o empreendedorismo feminino cresceu nos últimos anos e a expectativa é de aumento para os próximos. Empreendedoras demonstraram maior agilidade e competência durante a crise econômica causada pelo novo coronavírus, segundo pesquisa encomenda pelo Sebrae.

  “A Secretaria do Trabalho dá auxílio à mulher empreendedora de forma que elas possam crescer ainda mais com cursos e programas disponíveis ao seu favor. Somente este ano, pela SETEQ, três mil mulheres foram capacitadas pelo Ela Pode. Existe, também, a nova plataforma on-line o Compre Pe, que tem, como objetivo, aproximar as comerciantes e clientes, sendo uma alternativa a mais para população feminina devido à pandemia da covid-19”, disse o secretário do Trabalho, Emprego e Qualificação, Alberes Lopes.

  Uma das mulheres que participou de cursos promovidos pela Seteq, como o Ela Pode, e também cadastrada no Compre PE foi a Amanda Bezerra, 32. Ela comentou que, além de se tornar empreendedora, começou a entender o papel da mulher na sociedade, especialmente em meio à maior crise da nossa geração, uma pandemia. “Hoje, me sinto uma mulher empoderada, por contribuir com a renda dentro da minha casa e poder ser exemplo para outras mulheres.”

  Amanda é casada e mãe de dois filhos. Atualmente, ela tem sua empresa e trabalha com doces e salgados “Delícias de Doce Damanda”. Ela ainda conta que foi a realização de um sonho “Sempre quis ter meu próprio negócio e ter mais tempo para ficar com minha família”. Hoje sua empresa tem quatro meses e ela ressaltada que é só o começo do seu grande sonho.

Tombamento do Museu Mestre Vitalino, em Caruaru, foi deferido


Casa é um símbolo do Nordeste e representa artista que reproduziu, no barro, a expressão do seu povo
A Secretaria de Cultura do Estado de Pernambuco deferiu, ou seja, aceitou, o pedido de Tombamento relativo à Casa Museu Mestre Vitalino, feito pela Secretaria do Trabalho, Emprego e Qualificação de Pernambuco. O Museu se localiza no município de Caruaru, no Agreste estadual, e vem apresentando risco de desabamento. O local é um patrimônio histórico do Estado e do Brasil, e representa um artista que retratou, no barro, o sentimento do povo do Nordeste.
O Museu é um espaço que abriga toda a geração de artistas da família do Mestre Vitalino, mas está fechado desde o início da pandemia. As demais casas de artesanato de Caruaru – muitas inspiradas no mestre – já foram abertas, mas o a de Vitalino, um símbolo da região nordestina, toda de barro, está fechada.
“Por isso, apresentamos o pedido de Tombamento, que foi aceito. Agora, vamos seguir os tramites. Precisamos saber se a família vai concordar. Seja qual for o resultado, o importante é que esse patrimônio histórico, símbolo do Nordeste, seja preservado e cuidado”, disse o secretário do Trabalho, Emprego e Qualificalção, Alberes Lopes.
Com o deferimento do Tombamento, o processo é aberto e encaminhado à Gerência de Preservação Cultural (GPCULT), que aciona o setor jurídico. Ambos, elaboram o Edital de Tombamento e publicam no Diário Oficial e nos jornais de grande circulação da cidade. Logo após, o proprietário será notificado e terá 15 dias para anuir ou contestar a ação.
Entre outras coisas ao longo do tombamento, assim que a publicação é feita no Diário Oficial, o bem já se encontra protegido contra destruição e/ou descaracterizações, até que haja a homologação do tombamento com inscrição no Livro do Tombo específico e averbação em cartório de registro de imóveis onde esse bem estiver registrado.
Uma equipe técnica da GPCULT/Fundarpe vai produzir uma pesquisa longa com levantamento histórico, gráfico e fotográfico, objetivando o embasamento técnico e documental para o tombamento do bem em questão, lançando um parecer sobre o valor histórico cultural do mesmo, que é encaminhado ao CEC. Caso o pedido de tombamento receba parecer favorável do
órgão, ele o emite o e encaminha à Secult-PE para conhecimento e encaminhamento ao governador do Estado, que homologa o tombamento do bem, através de decreto com publicação no Diário Oficial do Estado. O bem é escrito no livro de tombo competente ao fim do processo, e cabe à Fundarpe/GPCULT o arquivamento e demais providências.

Programa incentiva a valorização da pele da tilápia e ao couro do Sertão


A Secretaria do Trabalho, Emprego e Qualificação de Pernambuco (Seteq), em parceria com o SEBRAE e a Prefeitura de Petrolândia, concluíram, nesta quinta-feira (10), a última etapa do programa sertanejo que incentivou a produção e a comercialização de produtos derivados da cadeia produtiva da ovinocaprinocultura e da tilápia do Estado: o Valorizando a Pele.

O evento restrito se realizou no município de Petrolândia, a 404 quilômetros do Recife. O projeto beneficiou diretamente 28 empreendimentos e indiretamente 140 pessoas, entre artesãos e pequenos fabricantes de calçados, que se profissionalizaram desde a confecção à venda de produtos derivados do couro.

A cerimônia restrita ocorreu num espaço aberto e ventilado, no Centro de Informações Turísticas de Petrolândia, com a presença do secretário do Trabalho, Emprego e Qualificação, Alberes Lopes, da gerente de empreendedorismo da Seteq, Irenilda Magalhães, e do chefe de gabinete da SETEQ, Roberto Galvão. Entre outros nomes, também estiveram na cidade, a diretora técnica do Sebrae, Adriana Corte Real, o gerente regional do Sebrae, José Henrique, a diretora de administração e finanças do Sebrae, Roberta Correia, e o secretário de Desenvolvimento Econômico municipal, Marcos Rogério Viana.

Fotos: divulgação
Fotos: divulgação

Os municípios que participaram desse programa foram Petrolândia, Floresta e Tacaratu, todos no Sertão. Os participantes do Valorizando a Pele aprenderam a aperfeiçoar, aprimorar, comercializar e inovar seus produtos, fortalecendo a cultura do couro, seja ela do bode ou da tilápia. De acordo com o secretário Alberes Lopes, o projeto coloca mais uma vez o Sertão na vitrine, mostra o potencial da região, incentiva o emprego e os empreendimentos locais.

Os artesãos participaram de cursos, palestras e oficinas e, nesta fase final, também puderam receber uma consultoria do SENAI de “Assistência Técnica em Design e Desenvolvimento de Novos Produtos”.

A PARCERIA – De acordo com o secretário de Desenvolvimento Econômico municipal, Marcos Rogério Viana, a parceria entre o Governo do Estado, a prefeitura e o Sebrae foi um grande diferencial. “O Sebrae ousou em sair na frente, transformando o que é analógico em digital. Para nós é um espelho”, disse Viana, mencionando todas as etapas do projeto, que envolveu a inclusão digital dos artesãos.

Para Henrique Malaquias, do Sebrae, a parceria foi essencial. “Tudo isso só acontece porque a Secretaria do Trabalho chega a ser um grande parceiro do Sebrae. A Secretaria entendeu o processo, interagiu e foi o elo fundamental do processo produtivo do Valorizando a Pele”, destacou o gerente regional.

Coronavírus impacta geração de empregos em Pernambuco


As estatísticas de emprego formal divulgadas pelo Caged, nesta quinta-feira (28), mostram que houve perda de 860.503 empregos celetistas no Brasil, no mês de abril, sendo 24.965 em Pernambuco. Estes números revelam o saldo total entre desligamentos e admissões de trabalhadores com carteira assinada. Tanto para o País como para o Estado, este foi o pior mês de abril desde o início da série histórica do CAGED.
A comparação de um ano para o outro apresenta o impacto do coronavírus no País e nos estados. Em Pernambuco, por exemplo, em abril de 2019, foram gerados 425 postos de trabalho, o que naquele período era uma reação positiva porque interrompia o padrão de sazonalidade da economia. Em abril do ano passado, o Estado teve um saldo positivo na geração de empregos mesmo na entressafra da cana-de-açúcar.
No acumulado de 2020, de janeiro a abril, o Brasil perdeu 763.232 empregos, enquanto no mesmo período do ano passado, houve um saldo positivo de 129.601 postos de trabalho. O levantamento expressa, ainda, que nos primeiros meses deste ano, Pernambuco teve um saldo negativo 53.550 postos de trabalho. Neste idêntico período, em 2019, o Estado teve um acumulado negativo de 25.698, mas este dado não é revelado na pesquisa deste ano, é baseado em arquivos passados.

Esta é a primeira divulgação do Caged após o preenchimento de informações da base de dados passar para o Sistema de Escrituração Fiscal Digital das Obrigações Fiscais Previdenciárias e Trabalhistas (eSocial). Até então, as unidades da federação estavam sem dados oficiais do número de empregos formais.
No Brasil, o setor que enfrentou mais desligamentos em abril foi o de serviços, com 362.378 demissões, seguido do comércio, com um total de 230.209 desligamentos, e da indústria geral (-195.968 empregos). Porém, nesta quinta-feira, o Caged ainda não divulgou os dados detalhados por setor dos estados brasileiros. Ao contrário de anos anteriores, os números de Pernambuco não foram detalhados por municípios.

 

Segundo dados do Caged, entre abril e maio, 8.154.997 tiveram os trabalhos preservados no Brasil pelo Programa Emergencial de Preservação do Emprego e Renda. Em Pernambuco, neste mesmo intervalo de tempo, houve a preservação de 247.007 postos de emprego por acordo – seja suspensão, redução de salários (de 25% a 70%) ou intermitente.
De acordo com o secretário estadual do Trabalho, Alberes Lopes, todos os secretários do Trabalho do Nordeste se reuniram nesta semana para discutir políticas públicas em comum que possam combater os efeitos da crise econômica causada pelo coronavírus, que é mundial. Eles criaram um grupo de trabalho para aprofundar o assunto, querem criar protocolos para fazer aberturas graduais do comércio – o que vai depender da curva do coronavírus – e estão ouvindo sugestões de entidades sindicais para encontrar saídas para o cenário o pós-pandemia.

 

Pernambuco cresce mais do que o Brasil em geração de empregos


O segundo estado que mais gerou emprego com carteira assinada no Brasil neste mês de setembro foi Pernambuco. Segundo dados do Caged, houve a geração de 17,6 mil empregos formais neste mês em Pernambuco, uma variação positiva de 1,43%, maior que a do Brasil (0,40%). Em termos quantitativos, a indústria de transformação pernambucana foi a que mais gerou empregos neste mês, 10.781 (5,69%). Essa área envolve a indústria de alimentos, bebidas e álcool etílico; a metalúrgica; a mecânica; a de material elétrico e de comunicações; a química e farmacêutica, entre outras.

 

A agropecuária propiciou outro bom desempenho nos postos de trabalho, com a criação de 4.580, uma variação de 7,97 pontos percentuais neste mês, especialmente na área do corte da cana-de-açúcar e da fruticultura.

 

O Nordeste apresentou o maior saldo positivo de postos de emprego em setembro, com a oferta de 57.035 postos. Em segundo lugar ficou o Sudeste (+56.833 vagas) e em terceiro, o Sul (+23.870). O Centro-Oeste ficou em quarto lugar em setembro (+10.073 vagas) e o Norte, em quinto (+9.352). Os Estados que mais geraram empregos em setembro foram São Paulo (+36.156 postos), Pernambuco (+17.630) e Alagoas (+16.529).

 

De acordo com o secretário do Trabalho, Emprego e Qualificação, Alberes Lopes, o crescimento se deve ao empenho do governo Paulo Câmara em trazer novos empreendimentos para Pernambuco e também reflete a safra do período da cana-de-açúcar, o que os números do Caged mostram destacando municípios da Mata entre os que mais fizeram contratações, como Sirinhaém, Moreno e Ribeirão.

Maria da Penha inaugura sede do IMP


A Secretaria do Trabalho, Emprego e Qualificação de Pernambuco (Seteq) abre as portas, nesta quinta-feira, 05/09, para receber, de forma inédita, a primeira unidade do Instituto Maria da Penha (IMP) do Estado,  um espaço que visa acolher, orientar e também inserir a mulher vítima da violência doméstica no mercado de trabalho. A promessa de abertura da sede foi anunciada pelo secretário Alberes Lopes à co-fundadora do IMP, Regina Célia, no dia 2 de julho passado. E o sonho está se tornando realidade nesta semana, em evento para convidados às 14h30, no mesmo prédio onde se localiza a pasta estadual, na Avenida Marquês de Olinda, 150. O IMP do Recife será o segundo do Brasil. O primeiro funciona atualmente em Fortaleza (CE).

A cerimônia em Pernambuco será prestigiada pela própria Maria da Penha, que inspirou uma das principais leis do País de combate à violência doméstica contra as mulheres após sobreviver a duas tentativas de homicídio, cujo protagonista, na época, foi o próprio marido. Também estarão presentes no evento a vice-governadora do Estado, Luciana Santos, bem como representantes da sociedade, da Polícia Civil e da Justiça estadual que apoiam o enfrentamento dos abusos contra as mulheres. Nomes ilustres como o de Luíza Brunet e Edna Vasselo Goldoni, presidente do Instituto Vasselo Goldoni, são aguardados na nova sala que ocupa o segundo andar do prédio da Seteq.

Segundo o secretário Alberes Lopes, a demanda da sede foi atendida após uma solicitação da deputada estadual Gleide Ângelo e da própria Regina Célia, concretizando-se após um processo de consulta à assessoria jurídica da Seteq. Até então, o Instituto Maria da Penha em Pernambuco não tinha um espaço físico para atender ao público alvo.

Em reunião de trabalho com o secretário Alberes Lopes, Regina Célia ressaltou o papel do IMP na conscientização sobre a violência contra a mulher, por meio do recrutamento de voluntários. O público-alvo são servidores públicos, setor privado/corporativo, meio acadêmico, comunidades e até mesmo crianças, que são as vozes e os influenciadores do amanhã.

Dia da Visibilidade Lésbica foi assunto da ação oferecida pela Agência do Trabalho


1A Agência do Trabalho realizou no último dia (28), um dia especial em alusão ao dia da Visibilidade Lésbica, que vem trazendo desde 1996 discussões pertinentes frente à uma sociedade marcada pelo conservadorismo, tendo o dia 29 de agosto um marco histórico para o movimento lésbico no Brasil. A data celebra o 1ª seminário Nacional de Visibilidade Lésbica, que abordou temas englobando a violência sofrida devida à orientação sexual das mulheres.
Para ajudar no fortalecimento de um cenário ainda invisibilizado, a Agência do Trabalho trouxe na sua programação a palestra sobre: Os desafios enfrentados pela mulheres lésbicas e bissexuais no mercado de trabalho, bem como o documentário, CHARQUE ATTACK – episódio do programa “Coletivos Jovens” do Canal Futura, produção da coletiva de mesmo nome, e conduz reflexões sobre os desafios e as possibilidades de utilizar a comunicação visual como estratégia de articulação política e fortalecimento em rede para mulheres lésbicas e bissexuais, além de oferecer serviços como 15 fichas para emissão da CTPS (Carteira de Trabalho e Previdência Social) para mulheres e atendimento preferencial à trabalhadoras. O evento oferecido foi aberto ao público em geral das 8h às 13h30, na Agência do Trabalho da Boa vista.