Na Bahia, golpista acaba sendo enganado pela vítima e deposita dinheiro


Erica Soledade já tinha passado por outras duas tentativas de golpe através do WhatsApp

Thais Paim

Um novo caso de tentativa de golpe aconteceu com a Erica Soledade, na Bahia. Um criminoso tentou por um aplicativo de mensagens roubar mais de R$ 2 mil de uma mulher, enquanto se passava pelo filho dela.

O que o golpista não sabia é que a baiana já havia sido abordada por outros bandidos que tentaram fazer a mesma coisa com ela. Assim, já experiente na lida com essa tentativa de golpe por WhatsApp, ela decidiu interagir com o suspeito — e até conseguiu que ele depositasse crédito no seu celular.

“Por coincidência meu filho estava em casa. A gente começou a dar assunto e a alimentar a situação para tentar pegar ele, porque estava sendo muito corriqueiro. Tentamos reverter a história e decidimos pedir dinheiro para o criminoso”, conta Erica.

O filho de Érica, Lucas Soledade, disse que o intuito era fazer o criminoso ter confiança de que a mãe faria a transferência que foi pedida. “Ela ficava falando que estava sem crédito, que precisava de dinheiro para botar crédito, pois só conseguiria fazer a transferência quando chegasse em casa”, comenta.

Ainda segundo Lucas, o golpista acreditou na história contada por Érica e decidiu colocar crédito no celular da mãe dele para poder roubar os R$ 2.350,00 que havia solicitado na tentativa de golpe. “Ele fez o depósito do crédito e ficou esperando que minha mãe transferisse o dinheiro”, completa o jovem.

Tentativas de golpe

Essa foi a terceira tentativa de golpe, em menos de dois meses, que Érica e o filho sofreram. Segundo ela, em outro momento, a foto do filho foi copiada de uma rede social e usada pelo criminoso que tentou se passar pelo jovem.

Com um número desconhecido, o suspeito fingiu ser o filho e começou uma conversa com a mulher dizendo que havia trocado o número do telefone. O desconhecido pediu para ela fazer um depósito no valor de mais de R$ 2 mil.

“Quando você vai abordar ele dizendo que é um golpe, ele começa a usar seus dados pessoais, o que te deixa muito vulnerável. Ele fala o nome da gente, endereço antigo, endereço atual. Eu entrei em um quadro de pânico muito grande e percebi, ali naquele momento, que qualquer pessoa é capaz de ceder ao que eles pedirem”, relata a vítima.

Fonte: G1 

Polícia apresenta duas suspeitas de estelionato


A Polícia Civil apresentou na manhã de hoje, (24/09), em sua sede, na Piedade, duas mulheres suspeitas de aplicar golpes em um site de vendas. A dupla foi presa em um shopping de Salvador, por volta das 16h, nesta segunda-feira, 23.

No flagrante, Rosemeire Cruz Casaes, 49 anos, estava fechando um “contrato” com uma vítima, um homem de aproximadamente 30 anos. De acordo com Cármen Dolores, titular da 14ª Delegacia Territorial (DT/Barra), Rosemeire e Suiane dos Santos Casaes, 25, faziam anúncios através da plataforma OLX e mantinha contato com as vítimas através do WhatsApp.

As suspeitas anunciavam a venda de imóveis e quando a vítima demonstrava interesse em adquirir, elas pediam um determinado valor em espécie para “assegurar” o imóvel. Normalmente os anúncios eram destinados ao bairro da Barra.

Uma terceira pessoa está sendo investigada por participar do grupo e seu nome não será divulgado no momento. Segundo a delegada, essa pessoa pode ser a mentora dos crimes. A plataforma OLX não se manifestou sobre o ocorrido.

Ex-vereador de Itabuna é preso no Costa do Cacau


Acusado de cobrar R$ 1 mil para agilizar a cirurgia de uma paciente, Clóvis Loiola, ex-presidente da Câmara de Vereadores de Itabuna, foi preso na terça-feira, 2, no Hospital Regional Costa do Cacau, em Ilhéus (a 462 km de Salvador), no sul da Bahia.

De acordo com informações do site Ubaitaba Urgente, no momento da prisão, o político estava com R$ 500,00, o que seria metade do valor cobrado da mulher.

Um mandado de prisão já havia sido aberto por estelionato contra o vereador. Loiola responde a processos por crimes do período que presidiu a Câmara, entre 2009 e 2010.

No período, ele foi acusado de comandar esquema de desvio de dinheiro conhecido como “Loiolagate”, com mais de R$ 2 milhões desviados, segundo a Polícia Federal.

O ex-vereador também foi preso em 2012 no Hospital de Base de Itabuna, após tentar escapar de audiência por meio de atestado médico.

Seguranças envolvidos na morte de jovem em supermercado no Rio são denunciados


O Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) denunciou os dois vigilantes envolvidos na morte de Pedro Henrique de Oliveira Gonzaga,  — o jovem não resistiu após ser estrangulado na porta de um supermercado na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio, em fevereiro deste ano. A acusação é de homicídio qualificado e o órgão divulgou a informação nesta quinta-feira.

Segundo a denúncia, Davi Ricardo Moreira Amancio estrangulou o jovem. As lesões provocaram sua morte. Edmilson Felix Pereira, também vigilante, observou a ação do colega, quando “deveria ter tentado impedir o crime cometido pelo primeiro denunciado”, ainda de acordo com o MP. Os dois prestavam serviço para o supermercado Extra, na ocasião.Davi Ricardo Moreira Amâncio define em sua rede social que “ser um segurança é conviver com a morte e não se abalar”.

Ainda conforme a denúncia, o crime foi praticado com o emprego de asfixia. Davi continuou a aplicar o golpe que impedia a vítima de respirar, mesmo após ela já ter sido dominada. O laudo de exame de necropsia apontou que as lesões foram as responsáveis pela causa da morte do jovem. O documento do MP requer que ambos respondam pelo crime de “homicídio qualificado com emprego de asfixia”. A pena prevista pode chegar a até 30 anos de prisão.

Tio de Michelle Bolsonaro é miliciano


Tio da primeira-dama do Brasil, Michelle Bolsonaro. Sim. O 1º sargento João Batista Firmo Ferreira, um dos sete policiais militares presos ontem, (29/05) por integrarem uma milícia com atuação na região do Sol Nascente, em Ceilândia, foi um dos alvos da Operação Horus, que investiga PMs por crimes de loteamento irregular do solo, extorsão e até homicídio, relacionados à grilagem de terras. O militar reformado é irmão de Maria das Graças, mãe de Michelle. Vale destacar que a família de Michelle reside na região do Sol Nascente.

Os sete sargentos presos são lotados ou já atuaram no 8º e no 10º Batalhão da Polícia Militar, unidades responsáveis pelo policiamento ostensivo na região do Sol Nascente. Além de Jorge Firmo Ferreira, foram presos e denunciados pelo Ministério Público do DF os sargentos Jorge Alves dos Santos, Agnaldo Figueiredo de Assis, Francisco Carlos da Silva Cardoso, José Deli Pereira da Gama, Paulo Henrique da Silva e Jair Dias.

A operação foi realizada pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público do Distrito Federal, em parceria com a Coordenação Especial de Repressão à Corrupção, ao Crime Organizado e aos Crimes contra a Administração Pública e contra a Ordem Tributária da Polícia Civil DF e com a Corregedoria Militar do Distrito Federal.

As investigações começaram em 2011, mas avançaram graças à participação de um colaborador, que integrou e liderou a quadrilha, mas resolveu ajudar na apuração para receber o benefício da redução da pena. Ele procurou a Delegacia de Repressão ao Crime Organizado da PCDF e detalhou o funcionamento da organização criminosa. 

Com autorização judicial, as ligações telefônicas dos suspeitos foram interceptadas e as conversas revelaram a forma de atuação dos policiais militares responsáveis pela grilagem na região do Sol Nascente.

O 1º sargento entrou na reserva da Polícia Militar em 16 de janeiro de 2017. Conforme o Portal da Transparência, a remuneração mensal dele é de R$ 8.227,68, fora benefícios.

Acusada de tentar vender filho é indiciada


Acusada de tentar vender o filho de 12 anos por R$70 mil, Maria Rocha Roque foi indiciada por tráfico de pessoas. O inquérito, realizado pela Polícia Civil, foi concluído nesta terça-feira, 22.

Ela irá responder pelos crimes de abandono de incapaz e comunicação falsa de crime. O resultado do inquérito foi enviado pelo delegado responsável pelas investigações, Leyvison Rodrigues, ao Ministério Público da Bahia (MP-BA). O órgão terá até cinco dias para oferecer a denúncia a justiça.

O homem apontado como comprador da criança, identificado como Sivaldo Lenes Vieira, 71 anos, também foi indiciado por tráfico de pessoas. Os dois suspeitos permanecem detidos a disposição da justiça.

 

Pastor é preso suspeito de estuprar duas adolescentes


A Polícia Civil prendeu no último dia 4, na cidade de Itiruçu, o pastor evangélico Juvêncio Faustino dos Santos Filho, de 53 anos. O religioso é acusado de estuprar duas adolescentes, uma de 12 e outra de 13 anos. O crime teria ocorrido no ano de 2014, no mesmo município, mas só agora teve o pedido de prisão temporária cumprido.

De acordo com o delegado local, Arão Borges, as duas garotas são filhas de membros da igreja que ele pastoreava. O mandado de prisão preventiva foi expedido  na quinta-feira, 3.

“Os crimes aconteceram naquela cidade e assim que o mandado foi expedido pela Justiça, na quinta-feira, 3, nós o cumprimos”, explicou. Juvêncio será encaminhado ao sistema prisional. A polícia não divulgou maiores informações do caso.

Polícia divulga WhatsApp para denúncias sobre roubo a ônibus


A população pode ser uma parceira das polícias no combate aos assaltos a ônibus e a informação é uma arma fundamental paraWhatsdenuncia colaborar com os policiais que atuam nas unidades especializadas. Com esse objetivo, a Operação Gemeos, da Polícia Militar, e o Grupo Especial de Repressão a Roubos em Coletivos (Gerrc), da Polícia Civil, disponibilizaram os números 99705-4412 e 3117-6637.

Para o delegado Glauber Uchiyama, titular da unidade especializada, a nova tecnologia da informação tem colaborado muito com o trabalho de captura dos criminosos. “Recebemos muitas informações úteis, como o modus operandi, o horário, e local que bandidos embarcam e desembarcam e suas características”, explicou.

Fez ainda questão de lembrar que, apesar do WhatsApp do Gerrc ser um número fixo, funciona perfeitamente, pois fica vinculado a um celular. “Esse telefone fica específico para essa função em nossa unidade”, disse o delegado.

Homem que esfaqueou Bolsonaro é denunciado pelo MPF


O Ministério Público Federal (MPF) denunciou o agressor do candidato à Presidência da República Jair Bolsonaro (PSL), Adélio Bispo de Oliveira, por atentado pessoal por inconformismo político. Segundo a Procuradoria, o acusado colocou em risco o regime democrático ao tentar interferir no resultado das eleições ao buscar assassinar um dos concorrentes na disputa presidencial.

O procurador autor da denúncia argumentou que Adélio Bispo planejou o ataque com antecedência de modo a excluir Bolsonaro da disputa. O autor recorreu ao depoimento do acusado e a elementos obtidos na investigação, como rastros da navegação dele na internet, mensagens de celular e histórico de atuação política. A denúncia destacou elementos que indicam uma forte crítica de Adélio a Bolsonaro e a suas posições políticas.

Número de fraudes em cartão de crédito cresce no país


É bom ficar bem atento! Entre janeiro e agosto deste ano, já foram detectados mais de 6,7 milhões de golpes envolvendo bancos ou cartão de crédito no ambiente mobile. Ao todo, são 3,6 fraudes por minuto. Este levantamento foi realizado pelo laboratório de cibersegurança da Psafe,

Ao todo, foram detectados 920 mil golpes na internet com o objetivo de roubar dados financeiros de consumidores para clonar cartões de crédito neste ano. Os meses de junho e julho tiveram os maiores registros, com 343,5 mil e 388 mil respectivamente. Os menores índices foram registrados em março (10 mil ataques) e abril (6,5 mil ataques). Neste ano, já foram identificadas 5,8 milhões tentativas de golpes a bancos.

O levantamento foi baseado na coleta de dados de detecções e bloqueios de ciberataques aos aparelhos dos mais de 20 milhões de usuários com o aplicativo de segurança dfndr, nos referidos períodos.

Fique atento

Para evitar fraudes, a Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon) sugere que o usuário pesquise as opiniões dos clientes do estabelecimento antes de realizar transações em plataformas de venda on-line.

Além disso, o órgão aconselha os compradores a buscarem empresas que forneçam o endereço físico no site, CNPJ, e um telefone de atendimento ao consumidor; orienta ainda a desconfiar de ofertas muito generosas e a comparar produtos similares em outros fornecedores.

A Senacon oferece ainda a plataforma Consumidor.gov.br, que reúne reclamações e avaliações dos clientes. O sistema permite a interlocução direta entre consumidores e empresas para solução de conflitos de consumo pela internet. Segundo o ministério, 80% das reclamações registradas no sistema são solucionadas pelas empresas, que respondem às demandas dos consumidores em um prazo médio de sete dias.