Itabuna: Emasa investe para melhorar sistema de captação e distribuição


Com a regularização da vazão dos rios Cachoeira e Almada em função das chuvas que têm caído na região, o que permitiu suspender o racionamento em Itabuna, a diretoria da Empresa Municipal de Água e Saneamento –Emasa- vem investindo na aquisição de equipamentos visando reforçar a captação e a distribuição de água na cidade, que tem uma população superior a 200 mil habitantes. O presidente da Emasa, Jader Guedes, informa que nesta fase serão investidos R$ 500 mil em recursos próprios para a compra de equipamentos eletromecânicos e filtros.

Ele explica que na etapa inicial estão sendo adquiridos dois transformadores de 750 kva, sendo um deles já licitado e outro ainda em fase de licitação, complementados por um conjunto de motores e bombas, “que vão servir de reserva para a segurança do sistemas de captação de Ferradas e de Castelo Novo para Itabuna,” complementou.

material-novo-02

Jader Gouveia destaca ainda, que o projeto prevê ainda a aquisição de filtros e outros equipamentos voltados para a distribuição. Para ele, os técnicos da empresa e da Sedur estão atuando conjuntamente num projeto mais amplo e considerado prioritário: a implementação do plano municipal de saneamento básico, com a proposta para a implantação de saneamento básico em toda a malha urbana, numa cidade que concentra 98% da população do município. O projeto prevê o aporte de R$ 200 milhões a serem captados junto ao governo federal e à iniciativa privada.

 

O diretor técnico da Emasa, João Bittencourt, considera positivo a retomada de investimentos em equipamentos na empresa municipal, com foco na melhoria dos serviços prestados à população. Destaca ainda, que este ano está sendo concluída a barragem do rio Colônia, o que vai permitir a regularização do Cachoeira e uma garantir uma reserva de água para abastecimento de Itabuna nos períodos de estiagem prolongada.

São Paulo: João Doria é bem avaliado em pesquisa


Tudo indica que o mandato do prefeito de São Paulo João Doria (PSDB) começou muito bem. Quem comprova é a pesquisa do Datafolha divulgada neste domingo (12) através do jornal “Folha de São Paulo”.  De acordo com o estudo, 44%  da população avalia a gestão de Doria como ótima/boa, 33% como regular, 13% como ruim/péssima e 10% não sabem.

Foram ouvidas 1.092 pessoas com 16 anos ou mais. A margem de erro da pesquisa é de três pontos percentuais, para mais ou para menos. Esse estudo não permite comparações com prefeitos anteriores porque as pesquisas de avaliação dos últimos mandatos foram feitas apenas após os 100 primeiros dias de gestão, com exceção de Paulo Maluf, de quem Doria leva vantagem no mesmo período.

E não para por ai. Segundo o levantamento, entre aqueles com renda familiar mensal de até dois salários mínimos, a aprovação de Doria é de 35%. Entre os que têm renda familiar acima de 10 salários mínimos, a aprovação é de 66%.

Para 35%, Doria dá mais atenção a bairros ricos, e 20% acham que dá maior atenção aos pobres.

O instituto também pediu que fosse dada uma nota ao chefe do Executivo municipal de São Paulo. A média dada pelos paulistanos para o tucano foi de 6,2.

Para 71%, Doria é muito trabalhador, e 66% o consideram humilde.

Entre os adjetivos positivos, o prefeito é visto como muito inteligente (92%), moderno (83%) e decidido (84%).

joao doria
Prefeito de São Paulo João Doria é considerado humilde Fotos: divulgação

Programas

O levantamento do Datafolha constatou ainda que os paulistanos aprovam os programas de zeladoria Cidade Linda, de aumento de velocidade nas marginais e de mutirões de exames médicos Corujão da Saúde.

No caso da Cidade Linda, 59% consideram ótimo/bom, 20% regular, 11% ruim/péssimo e 9% não sabe. Em relação ao aumento da velocidade nas marginais, 57% defendem a decisão do prefeito e 37% a reprovam.

No caso do Corujão da Saúde, 67% o avaliam como ótimo ou bom. O maior índice de aprovação se dá entre pessoas com nível superior (69%) e com renda familiar entre 5 e 10 salários mínimos (71%). E para 52%, o prefeito tem dado a importância que o tema saúde merece.

Em relação ao uso de uniforme por Doria durante algumas atividades, 36% acham que a prática beneficia mais o prefeito que a cidade e 30% acham que é bom para ambos.

Sobre o costume de a prefeitura receber doações de empresas para diferentes programas da cidade, como zeladoria e segurança no trânsito, 73% acham que as companhias fazem isso porque têm interesse em negócios com a prefeitura. E 20% consideram que as doadoras querem ajudar a cidade e a própria imagem.

Cachoeira: um rio que pede socorro


Ele se forma no Município de Itapé, na confluência do Rio Colônia com o Rio Salgado. Se você acha que estou me referindo ao Rio Cachoeira, acertou! Esse curso de água é um dos mais importantes do Sul da Bahia, pois abastece a 12 cidades. Entretanto, sofre com o descaso de nossos governantes e com os maus tratos por parte de empresas e população.

Geógrafa Eliana Trindade avalia condições do Rio Cachoeira Foto: Eliane Trindade
Geógrafa Eliana Trindade avalia condições do Rio Cachoeira Fotos: Eliana Trindade

 

Segundo os especialistas, o Cachoeira sempre foi rico em diversidade de peixes, com destaque para robalos e pitú (um crustáceo raro que existe apenas em alguns rios do Brasil). Infelizmente, o panorama atual é outro. Em seu estudo a biogeoquímica, Maria Pinheiro Lima, alerta que as atividades ligadas ao manejo florestal e agrícola e a urbanização alteram os ciclos biogeoquímicos dos ecossistemas aquáticos. A especialista afirma que as principais atividades impactantes no Rio Cachoeira estão associadas às atividades agro-industriais e ao lançamento de esgotos domésticos e resíduos sólidos.

A geógrafa, Eliana Trindade, também lamenta a atual situação do Cachoeira. “Serviços de lavagem de veículos, construções nas margens do rio, ausência de mata ciliar, extração de areia, lançamento de lixo e esgoto in natura e outras ações ao longo dos anos são provas da desinformação e do descaso por parte da população e das autoridades locais com o rio”, justifica a também professora.

A especialista defende que o rio é um espelho de como a população cuida do meio ambiente. “O Cachoeira já foi caudaloso e limpo, servindo como fonte de renda e lazer para os habitantes do seu entorno. Hoje, após tantos maus tratos, ele teve o seu volume diminuído consideravelmente e está a cada dia mais poluído. As baronesas e os urubus presentes em suas  águas são evidências concretas de que a população itapeense e circunvizinha precisam de educação ambiental”, finaliza Eliana.

Ilhéus: novo PA amplia atendimento


Novo PA pode atender ate 300 pessoas ao dia em Ilheus - Foto Alfredo Filho Secom Ilheus (4)
Novo PA pode atender ate 300 pessoas ao dia em Ilheus – Foto Alfredo Filho Secom

 

A secretaria municipal de Saúde de Ilhéus instalou, no centro da cidade, mais um Pronto Atendimento (PA) específico para pacientes com sintomas de doenças transmitidas pelo Aedes Aegypti. Aberto na última quinta-feira, dia 3, o novo PA funciona no antigo prédio da Clínica Sacro, na Avenida Vereador Marcus Paiva (antiga Avenida Bahia), com capacidade para atender 300 pessoas por dia. O espaço possui 30 leitos para medicação e aplicação de soro, com salas climatizadas, e equipe formada por médicos, enfermeiros e técnicos de enfermagem.

Atualmente, a população de Ilhéus conta com duas unidades de Pronto-Atendimento (PA). O primeiro, aberto em fevereiro, funciona na travessa Santa Isabel, próximo ao Centro de Convenções, cuja equipe conta com supervisor, médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, além de salas de coleta de sorologia e de reidratação. Nesse PA, a média de atendimento diária é de 215 pessoas. As duas unidades funcionam de segunda a sábado,  das 7 às 17 horas, com ambulância de plantão.

Notificações – Segundo informação do diretor de Vigilância à Saúde da Secretaria de Saúde, Antônio Firmo, até o dia 29 de fevereiro, Ilhéus notificou 1.537 casos de dengue, 1.437 de zica e 703 de chikungunya. Porém, ele ressalta que as notificações estão sob investigação laboratorial. “As amostras de sangue seguem para o Laboratório Central de Saúde Pública professor Gonçalo Moniz (LACEN-BA), em Salvador, e como a demanda tem sido grande, o tempo de espera para confirmar os casos varia muito”. Mesmo assim, Firmo afirma que os bairros que demonstram um número maior de casos notificados das três doenças são a Conquista, Esperança, Malhado e alguns pontos da zona sul.

O secretário de Saúde de Ilhéus, Antônio Ocké, afirma que, embora o governo municipal se esforce no sentido de reduzir os casos de dengue no município, por meio de sua equipe de endemias, e agora oferecendo dois locais para atendimento à população com sintomas de dengue, zika vírus e chikungunya, “é extremamente importante que a comunidade faça a sua parte e promova, de forma rotineira, faxina nos quintais de suas casas, com o objetivo de acabar com focos de infestação no município”.