Ceará: o estado do futuro


A “Terra da Luz” é a terceira força do nordeste, e promete muito mais para o futuro, graças ao turismo e desenvolvimento da indústria

André Lucas

Em primeiro lugar, nós do Carvalho News damos os nossos parabéns ao Ceará e a todo o povo cearense. Pois, no dia 17 de janeiro, a “Terra da Luz” comemora 222 anos desde sua emancipação,  que ocorreu em 17 de janeiro de 1799, quando se tornou um estado livre. 

De lá para cá, muita coisa mudou e o Ceará se tornou um dos estados mais importantes do Brasil. Vamos conhecer um pouco mais desse estado rico em belezas naturais, história e cultura. 

Atualmente, o Ceará é uma das 27 unidades federativas do Brasil. Está situado no norte da Região Nordeste e tem por limites o Oceano Atlântico a norte e nordeste, Rio Grande do Norte e Paraíba a leste, Pernambuco ao sul e Piauí a oeste.

Tem como sua capital a cidade de Fortaleza. Sua área total é de 148 920,472 km 2 ou 9,37% da área do Nordeste e 1,74% da superfície do Brasil. A população cearense  é de 9 075 649 habitantes, conforme estimativas do IBGE, em 2018, sendo o oitavo estado mais populoso do país. 

História da emancipação 

O Ceará esteve ligado institucionalmente pela Coroa Portuguesa ao Estado de Pernambuco por 119 anos, entre 1680 e 1799. Neste período, tudo o que era produzido em solo cearense obrigatoriamente passava pela capitania pernambucana antes da exportação, aumentando os custos de frete, impostos e alongando também o tempo de distribuição. 

 Em 17 de janeiro de 1799, a Rainha Maria I decidiu pela emancipação do Siará – como se escrevia antigamente -, tendo sido ridicularizada pela escolha. 

A importância do povo Cearense para o Brasil

A importância histórica e cultural desse estado se dá por conta de pessoas incríveis que deixaram seu legado na história do país. Como por exemplo, Francisco José do Nascimento, o dragão do mar, símbolo da resistência contra a escravidão, e que ajudou ao cerara a ser a primeira província a abolir a escravidão quatro anos antes da leia áurea.

 Maria da Penha Maia Fernandes, líder de movimentos de defesa dos direitos das mulheres das mulheres, inspiração para a criação da lei Maria da Penha e um grande símbolo da luta contra o feminicídio. 

O Alberto Nepomuceno, cantor e compositor que fez parte de um movimento de nacionalização da música, e marcou seu legado com a frase “não tem pátria um povo que não canta em sua língua”. 

Além de Casimiro Montenegro Filho, o fundador do Instituto Tecnológico de Aeronáutica, e o Departamento de Ciências e Tecnologia Aeroespacial. 

Raquel de Queiroz não pode ficar fora dessa lista de nomes importantes que vieram do Ceará, ela foi a primeira mulher a entrar na academia de letras. 

O Ceará é o berço do humor brasileiro, por isso não podemos deixar de citar, Renato Aragão, Tom Cavalcante, Chico Anísio, Tiririca, Ceará, entre outros. 

Ainda temos a dona Francisca Celsa dos Santos, que foi validada pelo Gerontology Research Group (GRG), ou Grupo de Pesquisa em Gerontologia, em tradução literal, como a pessoa mais velha do Brasil e a terceira do mundo, fazendo com que o estado do Ceará ganhasse espaço na mídia mundial.

A economia atual do país

A economia cearense é a terceira mais forte do Nordeste, sua participação no Produto Interno Bruto (PIB) regional é de 14,5%, atrás dos estados da Bahia (31,5%) e Pernambuco (17,9%). Para o PIB nacional, o Ceará contribui com 1,9%. O PIB per capita cearense é de 6.149 reais.

O estado vem apresentando melhoras na economia, os incentivos governamentais para a instalação de indústria (isenção de impostos e doação de terrenos) e a mão de obra barata atraíram mais de 600 empresas nacionais e estrangeiras para o Ceará num período de seis décadas (1950 a 2010). 

Nos últimos anos o estado vem fazendo um bom trabalho na educação, que é o caminho da transformação e do desenvolvimento. O estado do Ceará tem uma das  melhores educação pública do Brasil, em 2018, o estado tinha 18 das 24 melhores escolas do Brasil, e 82 das 100 melhores pontuadas no estudo do INDEB. 

Ainda desfruta de ter o melhor IDH da região Nordeste do País. Boas condições de vida e a educação pública com qualidade existente hoje no Ceará, é o caminho para em um futuro próximo, o estado se transformar em uma grande potência.  

O turismo botou o Ceará no mapa do Mundo

Turistas do mundo inteiro visitam o estado todos os anos, as lindas praias e a paisagem maravilhosa são os motivos das visitas. Os principais cartões portais do país são: 

A Praia da Cona Quebrada não dá para dispensar. Situada em Aracati, distante 182 km de Fortaleza, a praia de Canoa Quebrada é aquele lugar que você vai uma vez e quer voltar sempre!  Se você quer mesmo se esquecer do mundo e relaxar, a Lagoa da Jijoca é o lugar perfeito. 

Só ali você poderá apreciar um dos mais lindos picos do Nordeste, deitado em redes instaladas na fantástica lagoa do Paraíso e na Lagoa Azul. Pedra Furada em Jericoacoara.

A Pedra Furada é um fenômeno da natureza que atrai visitantes do mundo todo. Esculpida pelas ondas do mar, se transforma em uma obra de arte natural nos meses de julho e agosto, quando o sol se encaixa bem no meio do furo da pedra. 

A Praia de Ponta Grossa fica em Icapuí, na fronteira com o Rio Grande do Norte, a 50 km de Canoa Quebrada. Grutas e formações rochosas incríveis surpreendem o visitante. 

 Praia do Futuro, situada a 10 km da capital Fortaleza, possui 30 km de extensão muito agitados pelos inúmeros turistas que vêm de todos os lugares do mundo para conhecer suas maravilhas.

  Morro Branco em Beberibe. Um dos principais cartões postais do Ceará, a Praia de Morro Branco fica em Beberibe, a 80 km de Fortaleza.

Além das praias maravilhosas,  não podemos deixar de lado o Centro Dragão do mar de arte e cultura, o Teatro José de Alencar, referência na arquitetura lírica brasileira, o Parque do Ronco, e a Catedral Metropolitana. São esse os principais atrativos do estado, que dar ao Ceará as 10 primeiras colocações em ranking de destino de turistas gringos, a principal procura é a linda capital, Fortaleza.  

A cultura enraizada do estado

A culinária cearense é um dos aspectos culturais mais marcantes do estado. A cozinha do estado do Ceará já ganhou o Brasil inteiro, como resistir ao maravilhoso Baião de dois, e aquela suculenta carne de sol, ainda os peixes e frutos do mar, buchada de bode, panelaço, paçoca Cearense, tudo isso vem do Ceará eu sei, mas a principal exclusividade de culinária local, é o cream cracker com refrigerante Delrio. 

Além da culinária, a religiosidade do povo Cearense é muito tradicional. 78% da população cearense são católicas. Uma grande influência para o Estado do Ceará é o Padre Cícero. No ano de 1889, Padre Cícero ganhou notoriedade no Nordeste, quando  durante uma missa na igreja de Juazeiro (Ceará), a hóstia consagrada por ele transformou-se em sangue na boca de uma mulher.

A partir daí a população local passou a considerar este fato como um milagre atribuído ao Padre.

A Igreja Católica, no entanto não concordou, e  proibiu o padre de exercer o sacerdócio. Passados dez anos do episódio, padre Cícero viajou, em 1898,  para Roma onde conseguiu a absolvição do Papa Leão XIII. Porém, continuou proibido de celebrar missas. Esse enredo transformou o Padre em um grande influenciador da época, e o responsável pela grande tradição religiosa existente  hoje no estado. 

Os cearenses são mesmo apaixonados pela “Terra da Luz”.  O corretor de imóveis, Aurineudo Gomes é um deles. Segundo ele, o estado é sinônimo de tranquilidade. Sobre as belezas da região, Gomes destaca o litoral. 

O corretor de imóveis, Aurineudo Gomes. Foto: reprodução do Instagran

Uma das características que mais chama a atenção entre os nordestinos é o jeito caloroso e receptivo. E no Ceará não é diferente. “Nosso povo é muito acolhedor e divertido”, garante Gomes, que define seus conterrâneos como muito resistentes. “O povo resiste a tantas injustiças sociais. São vários trabalhadores e trabalhadoras que buscam a cada dia, apesar das adversidades, seu lugar ao sol”, orgulha-se.

Sobre o preconceito contra o Ceará e os demais estados nordestinos, o corretor de imóveis acredita que está menor. “ Já foi maior. Porém estamos mostrando que não só o cearense, mas como todo nordestino, temos fibra para irmos em busca dos nossos sonhos e isso podemos ver a cada dia. Exemplos: os primeiros lugares no ITA, nossos humoristas ganhando espaço, nossos artistas entrando no circuito nacional”.

Negros, mulheres e nordestinos são mais afetados pelo desemprego


A taxa de desocupação no Brasil caiu para 11,9% no terceiro trimestre de 2018, mas chega a 14,4% na Região Nordeste, a 13,8% para a população parda e a 14,6% para a preta – grupos raciais definidos na pesquisa conforme a declaração dos entrevistados. Quando analisado o gênero, as mulheres, com 13,6%, têm uma taxa de desemprego maior que a dos homens, de 10,5%.

Os dados foram divulgados hoje (14) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A taxa consta na Pesquisa Nacional Por Amostra de Domicílios Contínua Trimestral (Pnad Contínua Tri). É considerada desocupada a pessoa com mais de 14 anos que procurou emprego e não encontrou.

Quatro estados do Nordeste estão entre os cinco com maior desemprego: Sergipe (17,5%), Alagoas (17,1%), Pernambuco (16,7%) e Bahia (16,2%). Apesar disso, a maior desocupação verificada no terceiro trimestre de 2018 foi no Amapá, onde o percentual chegou a 18,3%.

A Região Sul tem a menor taxa de desocupação do país, com 7,9%, e Santa Catarina é o estado com o menor percentual, de 6,2%. No trimestre anterior, a Região Sul tinha taxa de desocupação de 8,2% e o Nordeste, 14,8%.

Do contingente de 12,5 milhões de pessoas que procuraram emprego e não encontraram, 52,2% eram pardos, 34,7% eram brancos e 12% eram pretos. Tais percentuais diferem da participação de cada um desses grupos na força de trabalho total: pardos (47,9%), brancos (42,5%) e pretos (8,4%).

O IBGE informou ainda que, no terceiro trimestre de 2018, o número de desalentados somou 4,78 milhões de pessoas. O contingente ainda está próximo dos 4,83 milhões contabilizados no segundo trimestre, o maior percentual da série histórica. O IBGE considera desalentado quem está desempregado e desistiu de procurar emprego.

O percentual de pessoas desalentadas chegou a 4,3% e tem sua maior taxa no Maranhão e em Alagoas onde chega a 16,6% e 16%. O Maranhão também tem o menor percentual de trabalhadores com carteira assinada (51,1%).

No terceiro trimestre deste ano, 74,1% dos empregados do setor privado tinham carteira assinada, percentual que ficou estável em relação ao trimestre anterior.

Além de ter a menor taxa de desemprego do país, de 6,2%, Santa Catarina também tem o menor percentual de desalentados, de 0,8%, e o maior percentual de trabalhadores com carteira assinada, de 88,4%.

A taxa de subutilização da força de trabalho no Brasil foi de 24,2%, o que representa 27,3 milhões. Esse número soma quem procurou emprego e não encontrou, quem não procurou, quem procurou e não estava mais disponível para trabalhar e quem trabalha menos de 40 horas por semana e que gostaria de trabalhar mais.

A população ocupada somou 92,6 milhões de pessoas. Esse total tem 67,5% de empregados, 4,8% de empregadores, 25,4% de pessoas que trabalharam por conta própria e 2,4% de trabalhadores familiares auxiliares.

Construção do muro na fronteira com o México terá início


trump-president-of-bizarro-world--maybe-reggie-duffie
Donald Trump

De uma coisa ninguém pode acusar o presidente dos Estados Unidos Donald Trump: de não cumprir as polêmicas promessas de campanha. A mais recente idiossincrasia do “dono do mundo” foi a assinatura da ordem executiva para dar início à construção de um muro ao longo da fronteira com o México. E não parou por ai não. Mr. Trump congelou recursos públicos para as cidades que se negam a deportar imigrantes em situação irregular.

Quando a ignorância vence a solidariedade


O discurso de ódio fez uma mãe desistir do caminho mais eficiente para reencontrar a filha: a divulgação da informação e pedido de ajuda através dos meios de comunicação.

A menor de 15 anos desapareceu de casa no último dia 4. Desesperada, a família entrou em contato com o jornal e pediu ajuda. Imediatamente, o Extra publicou a notícia e os telefones para quem tivesse informações. A reação de parte dos internautas foi chocante: muitos leitores atacaram a menina pelo fato de ela ter uma namorada.

A mãe da garota fez um apelo:

“Boa tarde gente aqui é a mãe da adolescente,acho desnecessário os comentários de ofensa ela é uma menina de família criada na igreja,ela esta desorientada,ninguém sabe o que esta acontecendo sou uma mãe desesperada”.

Uma das leitoras do Extra sugeriu que o jornal suprimisse a informação de que a menina poderia estar com a namorada.

“Ana Clara Jabur Legal, Jornal Extra, expondo uma pessoa com menos de 18 anos pro Brasil inteiro com essa manchete em troca de um par de comentários criminosos que só disseminam ódio.”

É importante ressaltar: a leitora sustentou sua posição com argumentos e não com ofensas ou preconceito. Apenas discordou da linha editorial. O jornal, por sua vez, discordou da leitora. Entendeu que omitir a informação seria adotar o mesmo procedimento que está na raiz dos comentários que ofenderam a família, o preconceito. E mais: como a família sabe onde a suposta namorada mora, a informação poderia ser importante na localização. O jornal respondeu:

“Jornal Extra Oi, Ana Clara Jabur.  Tudo bem? Estamos expondo a foto e a história a pedido da família, para facilitar a busca. Nós noticiaríamos exatamente do mesmo jeito caso ela tivesse fugido com um namorado, ou com um amigo, ou com uma amiga, ou…. Enfim. Mas, infelizmente, não podemos conter o olhar homofóbico das pessoas.”

Muitos leitores apoiaram a postura da família em não ter vergonha ou preconceito em divulgar a informação. Mas no final da tarde, a mãe jogou a toalha. Assustada com os comentários agressivos a família pediu para tirar a reportagem que noticiava o desaparecimento do ar.

– Lamentamos ter que tirar a matéria do ar por causa de ataques de homofobia, por causa das agressões que estamos sofrendo – disse o padrasto.

O Extra, mais uma vez, atendeu ao pedido da família e retirou a matéria do ar.

Fonte: Jornal Extra