Ilhéus: Operação Verão Seguro tem início


A Prefeitura de Ilhéus (BA) lançou no último sábado (19), a Operação Verão Seguro. A iniciativa  é  estruturada com um centro de segurança no km 3 da Praia dos Milionários, em Ilhéus. As ações do projeto tiveram início por meio da iniciativa da Prefeitura em parceria com instituições como, por exemplo, as Polícias Militar e Rodoviária, Marinha do Brasil, Corpo de Bombeiros, SAMU, Guarda Civil Municipal, Sutram e Corpo de Salva Vidas.

Com a missão de conscientizar a população sobre o uso de máscaras, do álcool em gel 70%, distanciamento social e lavagem das mãos, a operação também inclui medidas de fiscalização nas praias e rodovias para que a estação mais quente do ano seja aproveitada de forma segura, inclusive com o alerta à população para prevenir contra o coronavírus. Medição de temperatura e testagem Covid-19 serão feitas no local com equipes de enfermagem e técnicos da secretaria de saúde do município.

O centro de segurança, que funcionará até o dia 21 de fevereiro também vai servir como base centralizada para o SAMU, que no local realizará atendimentos como acidentes, afogamentos e inclusive para crianças desaparecidas. “Além da conscientização contra o coronavírus, vamos distribuir pulseirinhas de identificação para as crianças não se perderem dos pais”, destacou o diretor Regional do Samu, Cyomar Dias. 

O corpo de salva vidas, está trabalhando com um efetivo de 80 homens na faixa litorânea da praia de Mamoan até Olivença, garantindo a segurança dos banhistas também por meio de sinalização nas praias sobre os locais e áreas de retorno e de risco. 

A Guarda Civil Municipal dará apoio nas praias para prevenir furtos, roubos e aglomerações, bem como orientando a população quanto ao uso da máscara. A segurança e fluidez no trânsito em Ilhéus fica por conta do policiamento nas vias pela Companhia Independente de Polícia Rodoviária de Itabuna e da Sutram, que também realizará a fiscalização redobrada dos condutores de veículos para um verdadeiramente seguro.

Itabuna: campanha da prefeitura alerta sobre os perigos das DST’s/Aids


A Prefeitura Municipal de Itabuna, através da Secretaria Municipal de Saúde/Coordenação Municipal IST/AIDS Itabuna está realizando a Campanha de Mobilização Nacional “Dezembro Vermelho”. Esta campanha tem o objetivo de intensificar as ações de prevenção e diagnóstico do HIV-AIDS e demais infecções sexualmente transmissíveis.

Entre as ações a serem realizadas: palestras educativas, rodas de conversas, distribuição de insumos de prevenção e materiais informativos.

No domingo, dia 06, haverá o Pedal da Prevenção – evento que será realizado com o objetivo de conscientizar a população sobre a importância da prevenção. O ponto de concentração será a Alameda da Juventude, às 08h.

Itabuna: dia “D” de Vacinação para crianças e adolescentes será amanha


Sábado (17) será o dia “D” de vacinação para crianças e adolescentes com foco nas Campanhas contra a Poliomielite e de Multivacinação. Estas campanhas acontecem nacionalmente mas são executadas pela Prefeitura Municipal de Itabuna, através da Secretaria Municipal de Saúde/Coordenação de Imunização. As crianças com idade entre 01 e 05 anos são convocadas para vacinação contra a pólio. Já os maiores têm a oportunidade de atualizar o esquema vacinal.

A imunização ocorre em todas as unidades de saúde da cidade. Vale ressaltar que no bairro Santo Antônio, onde o posto de saúde está em reforma, a vacinação ocorrerá no Grupo Escolar Luiz Viana Filho, situado na avenida José Monstans. Importante lembrar que após o dia “D” a campanha de imunização prosseguirá até o dia 30 de outubro. Pais e responsáveis devem comparecer ao posto de saúde mais próximo de sua residência, munidos de caderneta de vacina e cartão do SUS.

Ilhéus: prefeitura instala pias para higienização das mãos em espaços públicos


O coronavírus é uma ameaça real, que vem prejudicando a saúde da população de maneira global. Em Ilhés (BA), por exemplo, já são 217 casos com cinco mortes confirmadas. Buscando formas de reforçar as ações de combate ao novo coronavírus (Covid-19), a Prefeitura de Ilhéus instalou pias em locais com maior circulação de pessoas no município. Já foram implantados quatro lavatórios na Central de Abastecimento do Malhado. Os equipamentos permitem que a população mantenha a higienização das mãos quando precisar ir às ruas.

Na próxima semana serão instaladas mais seis pias, distribuídas nos seguintes pontos: duas na Feira do Guanabara; uma na porta da agência dos Correios e a outra na sede da antiga Secretaria da Fazenda, ambas na Rua Marquês de Paranaguá; uma na Praça Coronel Pessoa, no Centro; e outra disponível na Central de Abastecimento do bairro Hernani Sá.

“Uma das recomendações dos órgãos de saúde para prevenir a Covid-19 é a lavagem frequente das mãos. Instalamos os equipamentos em áreas com maior concentração de pessoas visando conter a disseminação do vírus. Aproveito para agradecer aos comerciantes que auxiliam as ações com a doação de diversos materiais para combate à doença. Mas lembrando que a melhor prevenção é ficar em casa”, ressaltou o prefeito Mário Alexandre.

Lavar as mãos evita que o vírus entre em mucosas, como olho, boca e nariz. Por isso, é fundamental manter as medidas de higiene, dentro e fora do lar. Não esqueça. O uso de máscara é obrigatório e indispensável à proteção.

Ministério da Saúde prevê ampliar isolamento com fechamento de escolas


No último dia 28, o Ministério da Saúde distribuiu a secretários estaduais de saúde e gestores do Sistema Único de Saúde (SUS) no país um plano de ação de quarentena que recomenda o fechamento de escolas e universidades no mês de abril, com a possibilidade de estender a medida para o mês de maio, como meio de combate à pandemia do coronavírus.

O documento foi elaborado pela equipe técnica da pasta, o documento tendo data de sexta-feira (27), sugere uma estratégia de transição para os meses de abril, maio e junho, como o distanciamento social para idosos e pessoas abaixo de 60 anos com doenças crônicas. Também defende que, nesse período, pessoas que apresentem os sintomas da doença fiquem isoladas em casa, assim como os demais moradores do local.

O plano incentiva ainda a adoção de reuniões virtuais, teletrabalho (home office) e extensão do horário para diminuir a quantidade de pessoas no mesmo espaço físico. Além disso, propõe o distanciamento social no ambiente de trabalho.

No período de três meses, ficaria proibida a realização de qualquer evento de aglomeração, como shows, cultos, jogos de futebol, cinema, teatro e casa noturna.

Para bares e restaurantes, o documento sugere reduzir em 50% a capacidade instalada e reforço das regras de prevenção, com o uso de álcool e intensificação da limpeza.

O documento defende a contratação de trabalhadores informais como promotores de saúde durante a crise de saúde no país.

O objetivo é que eles orientem as pessoas na rua, identifiquem idosos que estão fora do isolamento para enviá-los para casa e façam a limpeza de superfícies.

Itabuna: Cerpat promove ação preventiva contra hepatites virais


O Centro de Referência em Prevenção, Assistência e Tratamento – Cerpat, da Secretaria de Saúde (SMS) de Itabuna promove na próxima terça-feira, (21), à tarde, uma capacitação sobre prevenção das hepatites virais, destinada aos profissionais que trabalham em salões de beleza (masculino e feminino) e estúdios de tatuagem no centro da cidade.

A hepatologista Suely Cistina, junto com a equipe do Cerpat visitará os salões onde fará palestras sobre o tema, orientado, esclarecendo dúvida e destacando a importância da higienização de utensílios como alicates de unhas, tesouras e agulhas utilizadas para fazer tatuagem. “O vírus da hepatite é um dos mais resistentes e, em situações normais de temperatura, pode sobreviver até uma semana“, explicou a coordenadora do Cerpat, Fabrícia Moura Costa.

Ela lembra que as hepatites virais representam uma questão de saúde pública e por isso mesmo o Centro de Referencia em Itabuna tem trabalhado na prevenção e na capacitação permanente de profissionais de saúde e de outras áreas como a de cabeleireiros, manicures e tatuadores, além de participar de eventos com a participação de grandes públicos onde são feitos testes rápidos. Também são distribuídos, gratuitamente, preservativos e folders informativos que orientam a comunidade sobre cuidados e a prevenção desse tipo de doença.

Itabuna: Sesau conscientiza população sobre LER


Com o objetivo de identificar e auxiliar trabalhadores atingidos por estas doenças, a Prefeitura de Ilhéus, por meio do Núcleo Saúde do Trabalhador da Secretaria Municipal de Saúde (Sesau), realizou uma manhã de conscientização ativa e orientações de prevenção das doenças relacionadas ao esforço repetitivo no trabalho, nesta quinta- feira (28). A ação contou com a parceria da Faculdade Madre Thais, cujos alunos do curso de Fisioterapia realizaram atividades laborativas para detecção precoce das Lesões por Esforços Repetitivos (LER) ou Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho (DORT).

De acordo com o diretor municipal da Vigilância da Saúde, Gleidson Santana. A Sesau montou uma estrutura na sua sede e recebeu profissionais de diversas áreas. “Idealizamos essas atividades para marcar o Dia D de combate à LER/DORT em Ilhéus, proporcionando atenção especial aos participantes, que encontraram aqui orientações de prevenção e serviços de massagem, entre outros”, acrescentou.

Segundo dados da Previdência Social, algumas das categorias profissionais mais atingidas são os bancários e trabalhadores dos setores de comércio e serviços, principalmente os caixas de supermercados e de bancos, metalúrgicos, jornalistas e todos aqueles que trabalham com esforços repetitivos. Alguns profissionais chegam a ignorar os sintomas da doença que é considerada silenciosa.

Sexo sem proteção esta ainda mais perigoso


Uma “superbactéria” batizada de Mycoplasma genitalium (MG) é a ameaça da vez para os adeptos as relações sexuais sem o uso de preservativo. Segundo informações da Associação Britânica de Saúde Sexual e HIV (BASHH, na sigla em inglês), esse mal pode atingi pessoas do mundo inteiro.

Por ser uma doença ainda pouco conhecida, nem sempre há testes para diagnóstico preciso e também medicamentos específicos. As informações sobre a superbactéria estão sendo reunidas e analisadas.

Um estudo divulgado pela BASHH alerta que, se medidas urgentes não forem tomadas, a MG pode se tornar uma “superbactéria” em dez anos. Atualmente, uma em cada 100 pessoas infectadas pode não responder ao tratamento.

Segundo a análise, os dados preocupam porque a não reação ao tratamento pode levar até 3 mil mulheres por ano a terem doença inflamatória pélvica (DIP) causada por MG e com risco de infertilidade.

Características

A “superbactéria” provoca sintomas semelhantes aos da clamídia – doença sexualmente transmissível também por bactéria que provoca dores, inflamação pélvica e corrimento -, mas é mais resistente ao tratamento e, se não tratada, pode levar à infecção da órgãos reprodutivos e causar infertilidade.

Há, ainda, mais semelhanças entre a contaminação por Mycoplasma genitalium (MG) e outras doenças sexualmente transmissíveis. No caso do homem, provoca ardência ao urinar e secreção, além de inflamação dos órgãos internos.

Nas mulheres, a superbactéria provoca dor ao urinar, inflamação de órgãos internos, secreção e infertilidade, em situações mais graves.

De acordo com especialistas, homens e mulheres correm risco de serem contaminados pela MG quando fazem sexo desprotegido, no caso, sem o uso de preservativo. A contaminação pode ocorrer por via oral, vaginal e anal.

Prevenção e Tratamento

O estudo informa que 72% dos especialistas em saúde sexual disseram que é preciso mudar as práticas sexuais para se tornem mais seguras. No caso, recomendam um alerta das autoridades públicas sobre as ameaças do avanço da superbactéria.

O porta-voz da BASHH, Paddy Horner, afirmou que a MG é tratada com antibióticos, mas até recentemente não havia testes disponíveis para diagnosticar a doença. Segundo ele, houve situações de diagnóstico e tratamento equivocados.

Para elaboração do estudo, foram ouvidos 169 especialistas em saúde sexual que atuam no Reino Unido. Entre as recomendações apresentadas estão o melhor controle da resistência aos antibióticos, a busca pelo diagnóstico mais preciso, a redução de custos do tratamento e o acompanhamento.

Se vai viajar, não esqueça de tomar sua vacina


Conhecer novas culturas é sempre muito bom não é mesmo? Mas, além dos cuidados com hospedagem, condições do tempo, cotação da moeda local. Há também outros infortúnios que podem tirar todo o brilho do seu esperado passeio. Por isso, é importante não se descuidar da saúde. Se você for, por exemplo, para países que exijam o certificado internacional de vacinação contra a febre amarela, emitido pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), deve tomar a vacina padrão, mesmo que tenha tomado a dose fracionada.

“A adoção do fracionamento das vacinas é uma medida preventiva que será implementada em áreas selecionadas, durante período determinado de 15 dias, informou o Ministério da Saúde.

De acordo com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), os viajantes internacionais fazem parte do grupo de pessoas não indicadas a receber a vacina fracionada – gestantes, crianças de nove meses a menores de dois anos e indivíduos com condições clínicas especiais (portadores de HIV/Aids, pacientes ao final do tratamento de quimioterapia e aqueles com doenças hematológicas, entre outras).

A campanha de vacinação contra febre amarela com doses fracionadas foi lançada esta semana pelo Ministério da Saúde e tem por objetivo aumentar a cobertura vacinal do país. A vacinação fracionada será adotada nos estados do Rio de Janeiro, de São Paulo e da Bahia.

Os moradores dessas cidades, caso recebam a dose fracionada, mas decidam viajar a um país que exija o certificado internacional de vacina contra a febre amarela, precisam tomar a dose padrão, segundo a agência.

A Anvisa alerta que não será emitido, “em hipótese alguma”, o certificado internacional a quem apresentar o comprovante de vacinação fracionada. É preciso tomar a dose padrão, em qualquer unidade de saúde. No entanto, é necessário apresentar um comprovante da viagem, por exemplo, o bilhete da passagem.