Parceria entre a Prefeitura de Itabuna e Senai Ilhéus oferece 100 vagas para curso de Assistente Administrativo


Com a chegada do coronavírus no Brasil, a juventude tem papel fundamental, tanto na disseminação de informações verdadeiras, quanto na mudança de comportamento.

Assim, a Secretaria da Assistência Social por meio da Divisão da Juventude realizará a III Semana da Juventude de Itabuna no período de 17 a 22 de agosto de 2020, com o tema norteador “Conectados contra o coronavírus”.

Em tempos de pandemia é preciso se qualificar. Por isso, o SENAI Ilhéus, parceiro do projeto desde 2018, traz para esta edição 02 cursos de qualificação gratuitos na modalidade remota, utilizando a Plataforma MEU SENAI https://meusenai.senai.br/ de aprendizagem com a tecnologia do GOOGLE, com aulas sendo transmitidas ao vivo para a juventude de Itabuna.

As aulas serão ministradas totalmente pela internet, por meio da Plataforma MEU SENAI, de forma síncrona (ao vivo). Para que o aluno acompanhe as aulas (ao vivo) é preciso dispor de computador com acesso à internet e pacote Office.

O resultado do processo seletivo será divulgado no dia 19 de agosto e a matrícula dos selecionados deverá ser feita no período de 20 a 21 de agosto. A convocação para matrícula obedecerá à classificação geral, por ordem de inscrição, limitada ao número de vagas ofertadas por unidade, curso e turno.

As aulas terão início no dia 24 de agosto de 2020 nos turnos matutino e vespertino. E o processo seletivo acontecerá através do site https://www.even3.com.br/curso_gratuito_senai_itabuna/

Sara Winter terá de usar tornozeleira eletrônica


O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes mandou soltar a extremista Sara Fernanda Geromini, a  Sara Winter. Ela está presa no presídio feminino do Distrito Federal desde a semana passada. Sara Winter é líder do grupo 300 do Brasil, de apoio ao presidente Jair Bolsonaro.

Moraes acatou o pedido da Polícia Federal (PF) e da Procuradoria-Geral da República (PGR) para substituir a prisão por medidas cautelares, como uso de tornozeleira eletrônica, proibição de manter contato com outros investigados e manter um quilômetro de distância do Congresso Nacional e do STF.

Na segunda-feira (15), Sara foi presa pela PF por determinação do ministro Alexandre de Moraes, a pedido da PGR na investigação que apura ataques a instituições, como pedidos de intervenção militar e o fechamento do Congresso e do Supremo.

A ativista já foi denunciada pela Procuradoria da República no Distrito Federal pelos crimes de injúria e ameaça ao ministro.

A ministra Cármen Lúcia na semana passada negou um habeas corpus para libertar a ativista. Na petição, a defesa alegou que houve abuso de poder e ilegalidade na decretação da prisão. Para os advogados, Sara é vítima de perseguição política.

“Se pessoas condenadas por tráfico de drogas podem ser beneficiadas por HC [habeas corpus] para ficarem em prisão domiciliar com seus filhos menores, qual o motivo a ora paciente deverá, duplamente, permanecer encarcerada, se não cometeu crime algum, não é condenada, não é autoridade com foro de prerrogativa, e possui um filho de 5 anos de idade?”, questionou a defesa no STF.