Prefeito de Itapé se pronuncia sobre protesto no Entroncamento


A Prefeitura de Itapé encaminhou uma nota de esclarecimento em resposta ao protesto ocorrido no Distrito de Entroncamento. Abaixo reproduzimos o documento na íntegra:

Em atenção à comunidade Itapeense, em virtude do protesto realizado nesta manhã de segunda-feira (16) no distrito do Entroncamento, a Prefeitura Municipal de Itapé, através do prefeito Naeliton Rosa Pinto, vem publicamente esclarecer:

O governo municipal tem realizado todos os esforços para atender as demandas da população, com obras de melhorias, serviços essenciais, mantendo às contas rigorosamente em dia e incessantes buscas por recursos e investimentos junto ao governo do estado para realizar demais avanços que – há anos – tem sido reivindicado pela população.

Com relação ao distrito do Entroncamento, além das várias ações que já beneficiaram a comunidade local – a exemplo da disponibilidade de um médico fixo na unidade de saúde, recuperação de ruas, serviços básicos disponibilizando uma equipe de limpeza para atividades diárias, unidade itinerante do CRAS para atender às famílias em vulnerabilidade, parceria pública-privada com instalação de uma fábrica que tem gerado dezenas de empregos, dentre várias outras – a Prefeitura segue aguardando, para o primeiro semestre deste ano, verbas reivindicadas ao estado, para promover obras de pavimentação e esgotamento que também vai beneficiar vários outros bairros de Itapé.
Outras conquistas recentes destacamos também a recuperação do trecho Entroncamento – Itapé, serviços adquiridos com o apoio de deputados e que em breve será revitalizada por completo. Já nas próximas semanas,* vamos inaugurar mais uma fábrica, a segunda, que também vai gerar ainda mais empregos para os moradores.*
Ainda no Entroncamento, com relação ao médico, que por decisão pessoal resolveu deixar a unidade Evangelino dos Santos, importante esclarecer que o Ministério da Saúde, nestes casos, disponibiliza outro profissional no prazo máximo de até 3 meses, mas a Prefeitura tem realizado esforços para antecipar a contratação para dar sequência aos atendimentos.

Importante ressaltar também que, para que Itapé receba recursos federais e emendas que vão possibilitar a realizar de todas as obras que vão beneficiar o Entroncamento, Estiva e em todos os bairros da cidade, a gestão tem realizado um grande trabalho de pagamento de antigas dívidas acumuladas, a exemplo do parcelamento junto ao INSS, prestações de contas e etc., com a finalidade conseguir a certidão negativa de débito, e com isso, limpar o nome de Itapé junto ao CAUC – Serviço Auxiliar de Informações para Transferências Voluntárias do Tesouro Nacional.

Em apenas pouco mais de um ano de governo, é impossível acabar com todos os problemas, que há muitos anos, são reivindicados pela comunidade, principalmente considerando às oscilações dos repasses federais e por falta de recursos próprios, captados através de cobranças de IPTU, comum em todos os municípios. Mas que todos os esforços continuarão sendo realizados para atender a população.

Para finalizar, o prefeito destaca que nesta terça-feira (17) em viagem a Salvador, estará solicitando, mais uma vez, a liberação imediata dos recursos para dar sequencias às obras, reforço policial da segurança pública do estado para atender todos os distritos e seguirá lutando dia-a-dia para que até o fim de seu governo, realize todos os projetos que por fim vai levar mais qualidade de vida a todos Itapeenses.

Itapé, 16 de abril de 2018
Prefeitura Municipal de Itapé

Protesto de moradores no Entroncamento de Itapé


A segunda-feira iniciou agitada no Entroncamento de Itapé (BA). Moradores do Loteamento Nelson Mandela, localizado no Distrito do Entroncamento, fecharam a principal via acesso ao Centro do município com pneus e troncos de árvores, o que impediu a livre circulação dos veículos. Segundo informações de um dos manifestantes, que não quis se identificar, entre as reivindicações estão o saneamento básico e o calçamento da rua que abriga o Loteamento. O movimento, que iniciou na noite do dia 15 (domingo), também contou com a adesão de moradores de outras partes do bairro, que se queixam do estado do abandono do local, bem como, do número elevado de assaltos.

 

Ato em defesa da democracia e contra o impeachment na Bahia


Em toda a Bahia, categorias trabalhistas participaram, na manhã de hoje (15), do Dia Nacional de Mobilização em Defesa da Democracia. As ações, contrárias ao processo de impeachment da Presidenta Dilma Rousseff, foram organizadas por integrantes da Central Única dos Trabalhadores da Bahia (CUT), movimentos como a Frente Brasil Popular e a Frente Povo Sem Medo, além de centrais sindicais.

Os rodoviários da capital baiana fizeram uma paralização entre 4h e 8h, reivindicando pautas da categoria e criticando o processo de impedimento que corre na Câmara dos Deputados contra Dilma.

As opções de transporte para parte da população de Salvador foram os veículos clandestinos, como as vans, que chegaram a cobrar R$ 5 a passagem. Nas redes sociais, usuários se quixaram da superlotação dos poucos veículos que circulavam e dos preços considerados abusivos.

bloqueio_rodovia_bahia

Na região metropolitana da capital baiana, trabalhadores da Petrobras (petroleiros e químicos) paralisaram as atividades, durante três horas, de unidades da estatal, como o Pólo Petroquímico de Camaçari.

Comerciantes e lojistas também paralisaram e fizeram uma passeata na Avenida Sete de setembro, com mais de 200 trabalhadores. Alguns trabalhadores da limpeza urbana da capital também paralisaram as atividades no início da manhã.

Segundo o Partido dos Trabalhadores da Bahia, que também também promove mobilizações contra o impeachment e pela democracia, mais de oito mil trabalhadores de categorias representadas pelo Sindicato dos Trabalhadores da Construção Civil e o Sindicato dos Petroleiros participaram do movimento de hoje.

Rodovias

Militantes da CUT, demais entidades sindicais e o Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST) fecharam algumas vias de acesso a Salvador, como a BR-324, a Avenida Paralela (que corta parte da cidade), além de rodovias em todo o estado, em cidades como Feira de Santana, Santo Antônio de Jesus, Camaçari, Catu, Itamarajú, Juazeiro, Senhor do Bonfim, Vitória da Conquista, Teixeira de Freitas, Ilhéus, Itabuna, Pojuca, Candeias e Araçá.

Segundo a Frente Brasil Popular Bahia, diretores do Sindipetro, Sindiquímica, Sindap, CUT e Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil encerraram o ato na BR-324 com uma carreata, que saiu em direção à entrada do município de Simões Filho, na região metropolitana de Salvador.

De acordo com a CUT, 22 categorias e 143 municípios se mobilizaram nas ações desta sexta-feira. Ainda como parte da agenda de mobilizações, para a tarde de hoje está previsto um ato popular no Campo Grande, centro de Salvador.