Itabuna: reordenamento do comércio informal de Itabuna está na pauta


Marcelo Carvalho

Com o objetivo de discutir a necessidade de reorganizar  o comércio informal no centro da cidade e a busca por alternativas que atendam ao comércio como um todo, representantes da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), Associação Comercial e Empresarial de Itabuna (ACI), Sindicato do Comércio Atacadista e Varejista (Sindicom) e Associação dos Vendedores Ambulantes (AVAI) se reuniram com o secretário de Indústria, Comércio, Emprego e Renda, Ricardo Xavier.

Segundo Xavier, a proposta do prefeito Augusto Castro é criar um Plano de Ação que possa reorganizar o comércio, em especial com a realocação dos vendedores ambulantes que vendem produtos ao longo da Avenida do Cinquentenário e transversais. Ele disse estar satisfeito com os avanços das discussões não apenas pela participação, mas, pelas sugestões apontadas pelos representantes do comércio.

Um novo encontro do grupo já está agendado, para a próxima quinta-feira, dia 22. Para o secretário municipal de Indústria e Comércio, o diálogo tem sido importante desde o início, porque tanto o poder público quanto o comércio de forma geral buscam a mesma coisa: o reordenamento do setor informal e a liberação de calçadas, passeios e das vias públicas para os transeuntes.

O presidente da Câmara dos Dirigentes Lojistas, Carlos Leahy, disse que está a favor do comércio informal, desde que ocorra a fiscalização e ordenamento que todos buscam. O presidente da Associação dos Ambulantes de Itabuna, Márcio Higino, também se mostrou favorável à proposta da Administração pública em reordenar o comércio informal e se disponibilizou a colaborar. “Com a regulamentação e o reordenamento todos nós seremos beneficiados”, disse. De acordo com ele, atualmente existem 95 vendedores ambulantes trabalhando na área central da cidade, enquanto outros 35 atuam no Shopping Popular, um imóvel locado com acessos pelas avenidas Inácio Tosta Filho e Amélia Amado, no centro.