Palmeiras usa e abusa da vantagem e se classifica a final da Liberta


No primeiro jogo o time paulista aplicou 3 a 0 no River, e mesmo perdendo de 2 a 0 na volta o time estará na final

André Lucas

O Palmeiras foi  salvo do céu ao “quase inferno” em uma semana. Primeiro na noite de terça feira no dia 5, o Palmeiras teve uma partida dos sonhos, fez 3 a 0 no River Plate, fora de casa e construiu uma vantagem muito grande suficiente para classificar o time até que perdesse dois gols de diferença. 

Na noite de ontem contra o mesmo River Plate, o time quase viveu um pesadelo, o River aplicou 2 a 0 só no primeiro tempo e dominava o jogo completamente, apesar do Palmeiras ainda conseguir sair no contra  ataque, as melhores chances era do time argentino. O Palmeiras no primeiro tempo não deu nenhum chute ao gol do goleiro Armani.

O River construía jogadas pelos lados e infiltrava a área com facilidade, o Palmeiras assistiu uma bola na trave, e duas tirou em cima da linha fora as incríveis defesas de Weverton. Parecia questão de tempo até sair o terceiro e o jogo ir para os pênaltis. A pose era toda do River que chutava o tempo todo, e a cada chute um suspiro mais fraco dos torcedores do verdão.  

O Var 

O Var ainda teve um protagonismo importante no jogo, primeiro aos 54 minutos, no lance do terceiro gol, um impedimento na origem do terceiro gol do River Plate, começava aí a participação do Var no jogo.   Depois aos 78 minutos o var anula um pênalti marcado em campo, Alan derrubou Suáres o Juiz marcou e depois da revisão na tela do Var o pênalti foi anulado. 

Depois de mais um lance de pênalti contra o Palmeiras dessa vez o contato foi claro, e o jogador do palmeiras derrubou o atacante do River, o Var entrou em ação e viu impedimento na origem da jogada e anulou o pênalti. Ainda um jogador expulso no River Plate, o zagueiro Rojas foi expulso aos 73 minutos de jogo(28 minutos do segundo tempo).

A intervenção do Var não só chamou a atenção do público como gerou indignação de muitos. O renomado jornalista Mauro César escreveu em sua coluna na UOL, “VAR salva Palmeiras na noite de classificação à final em vergonhosa atuação. –  O gol anulado de Borré no começo do segundo tempo após o VAR “pesquisar” atentamente um impedimento na origem do lance em nada afetou o comportamento dos comandados de Marcelo Gallardo. O River seguia dominando, agredindo diante de um Palmeiras apático, tendo como única saída ofensiva lançamentos para Rony”. 

Abel fala sobre superioridade do Five Plate

Após ser criticado por falta de criatividade e recursos no jogo contra o contra o River, o técnico português, Abel Ferreira falou sobre o jogo contra os argentinos. “O River tem um treinador melhor do que eu. Tem também jogadores com grande experiência . Nos últimos cinco anos eles estiveram nas semifinais, e ganharam a competição duas, mas quer eu, quer meus jogadores, só há uma maneira de ganhar experiência e viver, passar por isso. Por isso, hoje subimos a montanha, vimos a vista lá de cima e é muito boa. Agora, vamos descer outra vez, recuperar nossos jogadores, ver o time que teremos para a próxima partida… Hoje, ficamos sem o Gómez e o Zé Rafael. Não tínhamos um volante sequer no banco para nos ajudar. Até deixei o Luan de fora na expectativa dele ter que entrar no meio, porque o Zé Rafael não jogava há muito tempo e podia não aguentar os 90 minutos. A vida do treinador é isso. Nosso adversário veio aqui com força máxima, e nós, com os jogadores que tínhamos, demos tudo, Tivemos que sofrer, sim, mas a classificação foi fruto do que fizemos na Argentina. Foi um jogo em que poderíamos ter feito mais gols, pois as mesmas oportunidades que eles tiveram aqui nós tivemos lá. Em duas mãos, deu 3 a 2 para nós”.

Palmeiras atropela River Plate e constrói uma vantagem gigante


Time aplica 3 a 0 fora de casa e segue firme no sonho de voltar a vencer uma Liberta

André Lucas

Na noite dessa terça feira, dia 6 de janeiro, o Palmeiras enfrentou o River Plate na Argentina e ganhou de 3 a 0. Eu um jogo que começou de um jeito e terminou de outro bem diferente, o Palmeiras construiu uma vantagem grande e importante fora de casa. 

O jogo começou com o River construindo muitas jogadas perigosas pelo lado esquerdo do ataque. O time do técnico Garllado que nesses últimos anos em que chegou na Simi final 5 vezes nos últimos6 anos, indo para 3 finais e sendo campeão duas vezes, tem como tradição dos estilo de jogo jogar muito pelos lados e com muito profundidade. 

Já no começo do jogo Marcos e Gabriel menino davam muito espaço pelo lado esquerdo, o que dava liberdade para a criação do time argentino. Já aos 5 minutos de jogo, Suáres ganho de Marcos Rocha na ponta esquerda e cruzou para  o meio campo Carrascal que ficou cara a cara com o goleiro Weverton, que fez uma defesa monumental e salvou o time alvo verde. 

Antes disso o atacante colombiano  Borre, recebeu uma bola dentro da área, que veio do  mesmo lada  esquerdo, cortou o zagueiro e acertou um foguete, porém a bola subiu e passou por ciam do gol. 

Depois ainda teve uma jogada em profundidade pelo lado direito que terminou em um cruzamento do lateral direito Montiel deixou  Borre na cara do gol, mas ele furou e a bola passou direto na área e foi para a linha de fundo. 

Um dos ditados mais comuns e verdadeiros do futebol é, quem não faz, leva. E foi assim no jogo do de ontem, aos 26 minutos de jogo, depois de uma grande intensidade nos ataque do River, e nenhum chute para o gol do Palmeiras, o time paulista subiu. Em jogada pela ponta direita, o meia Patrick de Paula deu um passe genial para Gabriel menino que ficou no mano a mano, cortou para dentro e cruzou, o goleiro afastou mal de mais essa bola, que sobrou no pé de Roni, que ajeitou e  citou com efeito, a bola ainda desviou no meio do caminho e mudou a trajetória, foi dentro do gol sem chances para o goleiro Armani. 

Ante do fim do primeiro tempo o jogador  do palmeiras Gustavo Escarpa ainda fez um bonito gol, dando um balãozinho no goleiro , porém o gol do meia foi anulado, o atacante Luiz Adriano  que recebeu essa bola e fez o passe para Escarpa, estava impedido na origem da jogada. 

Roni ainda teve mais um oportunidade na mesma ponta, no mesmo ângulo, ele dominou e bateu com o mesmo efeito, mas dessa vez a bola subiu e passou por cima da trave. 

Antes do segundo tempo o time do River ainda botou 2 bolas na trave, uma de cabeça e a outra foi o meia Inácio de falta na entrada da área, bateu bonito mas ficou só na trave. 

No segundo tempo o domínio do River foi grande o Palmeiras recuou de mais as linhas para esperar o time argentino e subir no contra ataque. A pose de bola no fim de jogo foi de 71% para o River e 29% para o Palmeiras o que deixa em evidência esse domínio. Porém o time paulista ganho na eficiência, subiu e marcou, simples assim. 

Primeiro na saída rápida para o contra golpe, uma ótima troca de pare entre, o meia Danilo e os atacantes Roni e Luiz Adriano, terminou em um Pivô de futsal de Luiz Adriano, que engatou a sexta macha, invadiu a área e fez o segundo do Palmeiras, isso aos 2 minutos do segundo tempo, o que já causa um impacto grande no time adversário.  

O terceiro e ultimo gol do Palmeiras saiu aos 67 minutos, 22 do segundo tempo, na bola parada, veio jogada ensaiada, Gustavo Escarpa cruzou e Viña cabeceou livre para completar o placar, Palmeiras 3×0 Tiver Plate. 

O time brasileiro pode perder de até dois gols de diferença que passa direto, e ainda tem a vantagem de ter feito dois gols fora de casa. O jogo de volta é na Allianz arena, em São Paulo, na próxima terça-feira, ás 21:30.