Itacaré: vacinação contra sarampo irá até o dia 31 de agosto


Através da Secretaria Municipal de Saúde, a Prefeitura de Itacaré estará realizando até o dia 31 de agosto a Campanha de Vacinação contra o Sarampo. O público alvo são pessoas na faixa etária de 20 a 49 anos. O objetivo é imunizar um número cada vez maior de pessoas contra a doença. Em Itacaré a vacinação está disponível na Unidade Básica de Saúde Otto Alencar, no centro da cidade, e nos postos de saúde dos bairros da Passagem e Santo Antônio. Já no distrito de Taboquinhas a vacinação está sendo feita no Posto de Saúde Maria de Lourdes.
O sarampo é uma doença viral aguda, considerada uma das mais contagiosas, com potencial para ser extremamente grave, afetando principalmente crianças menores de 5 anos, especialmente as mal nutridas e bebês não vacinados, mas que pode acometer também pessoas em qualquer idade não vacinadas. A única medida efetiva de prevenção contra o sarampo é a vacina Tríplice Viral, distribuída gratuitamente nos postos de saúde e que também imuniza contra caxumba e rubéola.
 Os sintomas iniciais apresentados pelo doente são: febre acompanhada de tosse persistente, em geral seca e irritativa, irritação ocular (sensibilidade à luz), corrimento do nariz, dores pelo corpo e manchas vermelhas na pele. Entre as complicações da doença, que podem advir da doença, estão: infecções respiratórias, inflamação nos ouvidos, encefalite com dano cerebral, surdez e lesões severas de pele. Em gestantes, o sarampo pode provocar um aborto ou um parto prematuro.

Surto de sarampo ataca Amazonas e Roraima


Um surto de sarampo atinge os estados do Amazonas e de Roraima. Até o último balanço, divulgado hoje (2) pelo Ministério da Saúde, já haviam sido registrados nos dois estados perto de 500 casos da doença no ano. O surto na região colocou em alerta autoridades estaduais e o Ministério da Saúde.

No total, já foram confirmados 263 casos de sarampo no Amazonas, além de 1.368 ainda em investigação pelos órgãos de vigilância e 125 já descartados. Do total, 82% das ocorrências foram registradas na capital, Manaus.

Em Roraima, os casos confirmados chegaram a 200, com 177 em investigação e 35 já descartados. Em duas situações, ocorreram mortes em decorrência da doença. No estado, a disseminação da doença é associada por autoridades à chegada de venezuelanos, vindos fugindo do país natal.

Vacinação

Segundo o Ministério da Saúde, foram encaminhadas aos dois estados mais de 700 mil doses da vacina tríplice viral, usada para sarampo, caxumba e rubéola. Deste total, 487 mil foram para o Amazonas e 224 mil para Roraima.

No Amazonas, a campanha de vacinação foi adiantada para o mês de abril. O foco foi estabelecido na região metropolitana de Manaus, nas cidades com mais de 75 mil habitantes e nas áreas de fronteira.

Em Roraima, a campanha de vacinação ocorreu em 15 municípios entre os meses de março e abril. Foram administradas 112 mil doses.