Empreendedorismo digital: veja o que você precisa saber para começar o seu negócio


Detalhes podem fazer toda a diferença na hora de colocar os planos em prática

Thais Paim

Para quem sonha em abrir o próprio negócio, talvez esse seja um ótimo momento. Com o atual cenário, o Brasil encerrou 2020 com o maior número de empreendedores de sua história: foram registrados cerca de 11.316.853 MEIs no Portal do Empreendedor. 

Esses números podem indicar um cenário positivo para o setor, especialmente para o empreendedorismo digital. Devido ao distanciamento social e a aceleração digital dos negócios, as empresas passaram a focar suas operações de vendas e relacionamento com o cliente pelos canais online, uma das únicas formas de conciliar a manutenção de seus negócios sem colocar em risco a saúde de seus funcionários e consumidores. 

Dados importantes 

Um levantamento realizado pela Big Data Corp., divulgado em agosto do ano passado, o comércio online cresceu 40,7% de 2019 a 2020, chegando a 1,3 milhão de lojas virtuais. A alta é relativamente maior do que o crescimento de 37,6% reportado de 2018 até o ano consecutivo.

Além disso, a curva ascendente de acessos à internet pelos brasileiros também tem estimulado a abertura de novos negócios online, bem como a migração de serviços que, até então só existiam em pontos físicos, para os canais digitais.

É importante ter em mente que além de uma boa ideia e um projeto que seja promissor, é importante se ambientar com as ferramentas para empreender no meio digital. Questões como ter o seu próprio site, contratação de hospedagem e domínio, otimizações de SEO, entre outros, são imprescindíveis para que o negócio seja bem sucedido. Especialmente para os novos empreendedores.

Tenha seu próprio site 

Por mais que as redes sociais estejam em alta, a criação de um site próprio não só ajuda na meta de ganhar mais visibilidade no meio online, como também passa mais credibilidade à empresa.

Basta se colocar no lugar de um consumidor: é muito mais seguro (e confiável) contratar um serviço de uma empresa que tenha uma página própria na web do que uma companhia presente apenas no Facebook, não é mesmo?

De acordo com um levantamento do Sebrae, 40% das empresas têm perfis em redes sociais e 70% usam WhatsApp, mas somente 27% possuem site (e domínio) próprio.

As redes sociais são grandes aliadas 

Após a criação do seu próprio site, a participação nas mais diversas redes sociais pode ser uma grande aliada para o empreendedorismo digital.

Vale ficar atento às novas tendências e investir na produção de conteúdo voltada para o seu segmento. Os engajamentos no setor também são úteis: como os algoritmos das plataformas costumam direcionar assuntos de interesse dos usuários, a chance de expandir o seu alcance ao participar das tendências do setor também serão grandes.

Domínio e hospedagem

O domínio virtual nada mais é do que o endereço físico de uma página de web — sim, aquele digitado na URL dos navegadores. É ele que vai ajudar na fidelização de sua empresa com o consumidor.

As terminações mais populares são “.com”, “.net” ou “.org”, por exemplo. Mas existem diversas opções personalizadas como “.tech” ou “.design”, que podem ser um diferencial em meio à concorrência do empreendedorismo digital.

Esses domínios personalizados também ajudam o usuário a identificar mais facilmente sobre o que é o seu negócio: se é sobre produtos de arte, por exemplo, há a opção “.art”; se for uma agência, há o “.ag”; se for um comércio, há o “.biz” – do inglês “business”; entre outros.

Já a hospedagem são os servidores responsáveis por manter a sua página ativa na internet e possibilitar o armazenamento de todos os seus dados, como fotos, vídeos, textos, arquivos, páginas de web e diversos outros.

Certamente essas dicas te ajudarão a impulsionar o seu negócio, mas claro, isso também dependerá de todo o planejamento feito — além de demandar muito esforço e uma “pitada” de paciência.

Mudança de regime jurídico garante direitos aos servidores municipais de Itabuna


O Projeto de Lei de nº 15/2018, que altera o regime jurídico único dos servidores públicos do município de Itabuna, de Celetista para Estatutário, assegura direitos e garante benefícios aos servidores municipais de Itabuna. O projeto, que visa atender Legislação Federal (nº 8.112), que determina o Regime Estatutário, e que em sua elaboração atendeu mais de 150 emendas propostas pelos sindicatos, contempla ainda uma série de medidas que darão segurança e estabilidade aos funcionários.

De acordo com o projeto, medidas que tratam da aposentadoria dos servidores, bem como vantagens pecuniárias, a exemplo de ajuda de custo, diárias, gratificações, adicionais e abono família, apresentam-se em acordo com as leis vigentes e com os direitos dos servidores. Tais pontos, como o que prevê a implementação da Gratificação Natalina, nos moldes do 13º salário, atendem à preocupação do Prefeito Fernando Gomes com o funcionalismo municipal e comprovam que o Estatuto não gera prejuízo ao servidor.

Segundo o Relator do Projeto, vereador Roberto Dourado (Beto Dourado), o legislativo vem analisando com atenção o texto, bem como realizando uma série de reuniões, inclusive com a presença dos sindicados, de modo a debater os principais pontos do Estatuto, atendendo a legislação e garantindo os direitos dos servidores. Beto Dourado aponta que, como resultado, foram pactuados ajustes que promoveram a inserção de emendas para contemplar exigências dos sindicatos. (Foto: Wilson Oliveira)

Servidores defendem mais democracia no Ministério Público


Em reunião com o procurador-geral de Justiça, Francisco Dirceu Barros, o Sindicato dos Servidores no Ministério Público de Pernambuco (Sindsemppe) apresentou uma carta aberta dirigida aos procuradores do Estado de Pernambuco reivindicando mais participação dos servidores e da sociedade civil na estrutura do MPPE. O encontro ocorreu na última terça-feira (24), na sede da Procuradoria, no Recife.

Os servidores querem ter assento permanente no Colégio de Procuradores, onde as decisões mais importantes da instituição são tomadas. Também querem votar na eleição do procurador-geral de Justiça e ter o direito de concorrer à vaga de Ouvidor da instituição.

O MPPE enviou para a Assembleia Legislativa no último dia 5 de julho o Projeto de Lei  Complementar 1.984/2018, que promove diversas mudanças em sua estrutura, aumentando a participação dos promotores de justiça em diversas áreas. Aproveitando o momento oportuno de debates, o Sindsemppe apresentou três emendas, por meios da deputada estadual Teresa Leitão (PT) e do deputado estadual Edilson Silva (Psol), para abrir ainda mais as portas do MPPE para a população.

No resultado final da reunião, ficou acordado que os deputados retirariam as emendas ao Projeto, a fim de sanar o vício de iniciativa, com o compromisso de o procurador reapresentá-las após discuti-las no Colégio de Procuradores. Dirceu avaliou como muito viável a inclusão de um assento dos servidores no Colégio e se comprometeu em apresentar aos seus pares as demais propostas. (Foto capa: Tempus Comunicação)

Confira a lista dos servidores estaduais que ficaram fora da folha de outubro


Uma surpresa desagradável ao conferir seu contra cheque. Isso foi o que ocorreu com aproximadamente quatro mil servidores públicos da do Estado da Bahia.  Eles tiveram seus nomes retirados da folha de pagamento do mês de outubro por não realizarem o recadastramento de servidores ativos, ferramenta pela qual o governo do estado valida os dados cadastrais dos funcionários públicos que ainda estão atuando.

Segundo informações da Secretaria de Administração do Estado (Saeb), foram convocados todos os 150 mil servidores da ativa para o recadastramento. A Saeb disponibilizou a relação dos servidores que foram retirados da folha de pagamento.

recadastramento

Apesar da retirada da folha, os servidores ainda podem regularizar o cadastro. Eles devem preencher os formulários de recadastramento que estão nos sites do Portal do Servidor e no Recadastramento 2017 e entregar no setor de recursos humanos da unidade onde trabalha.

O formulário físico de recadastramento deve chegar à Saeb até o dia 6 de novembro, para que o funcionário receba o salário na folha de pagamento complementar, na segunda quinzena de novembro. O recadastramento foi iniciado em 17 de julho deste ano e os servidores tiveram dois meses para atualizar os cadastros através da internet. Para quem perdeu o prazo, o recadastramento passou a ser feito apenas presencialmente, a partir do dia 18 de setembro.