Cheo Yong vale uma boa conferida


Engraçado. Eu ainda não havia assistido a nenhuma série coreana. Há algumas que já foram apresentadas na Rede Brasil e uma, se não me engano, que foi ao ar na Band. Mas nunca bateu aquela vontade de ver. Claro, que, como a maioria dos brasileiros, já assisti a várias séries japonesas e até alguns filmes de terror indonésios. E não é que outro dia me deparei com “Cheo Yong” e decidi avaliar.

Oh Ji Ho é Cheo Yong Foto: divulgação
Oh Ji Ho é Cheo Yong Foto: divulgação

A trama é bem legalzinha. Um policial, Cheo Yong, interpretado pelo ator sul coreano Oh Ji-ho, nasceu com a habilidade de ver e ouvir fantasmas que ainda vagam pela terra. Esses seres costumam ter assuntos inacabados. Yong também enfrenta dramas pessoais. Ao seguir esses fantasmas ele acaba perdendo seu parceiro. Por isso, desiste de atuar como detetive, passando a trabalhar como uma policial normal. Alguns anos depois Cheo Yong, que é meio pavio curto, diga-se de passagem, volta a atuar como um detetive, agora com uma nova parceira, a doce e intuitiva detetive Ha Sun Woo, interpretada pela atriz Oh Ji-eun.

E a trama se desenvolve a partir dai. Ah! Tem também uma fantasminha engraçada, Han Na-young, interpretada pela cantora sul coreana, Jun Hyo-seong. O programa foi produzido em duas temporadas com 10 episódios cada, com aproximadamente 60min. Trata-se de um ótimo entretenimento, principalmente para quem gosta dessa ‘mistura’, drama, policial e sobrenatural. Não chega a ser terror, digo isso para não espantar os que não curtem esse estilo.  A série está disponível na web e também no catálogo da Netflix. Se você for lá conferir, me diz depois o que achou.

 

A Sabrina voltou


O mundo sombrio de sabrinaNova série da Netflix e Warner dá uma

repaginada numa personagem

bem conhecida da gente

É incrível como a programação da TV Aberta está ruim e desinteressante. Poucos programas se salvam, o que nos leva a procurar refúgio nas tvs por assinatura, que também deixam a desejar em vários aspectos e na Netflix. Está última tem nos oferecido várias opções, a maioria delas bem interessantes. E, felizmente, é isso que tem salvado os que não têm condições de fazer um programinha fora de casa.

Algumas séries estrearam nesta plataforma esta semana, entre elas: “Chilling Adventures of Sabrina” ou no português “O mundo sombrio de Sabrina”. Podemos dizer que este programa é um remake de “Sabrina, the Teeenage Wich”, para nós “Sabrina, aprendiz de feiticeira”, que teve como estrela a atriz americana Melissa Joan Hart. A bruxinha já havia sido retratada na telinha, através do desenho produzido pela Filmation, Sabrina. Essa produção fez um enorme sucesso na década de 1970 e é considerada um spin-off do seriado de Melissa.

Mas, vamos ao “O mundo sombrio de Sabrina”, que é, desculpe a expressão, ‘trevoso mesmo’. A atração foi idealizada para ser uma espécie de irmã da elogiada Riverdale. A personagem principal ganha traços mais realistas, bem diferente das suas antecessoras. Temas como bullying, discriminação, adultério e segredos familiares são utilizados como ingredientes para enriquecer o já denso enredo. O perfil psicológico dos personagens também chama a atenção. Em especial os das tias de Sabrina, Hilda e Zelda, sendo a primeira doce e quase infantil. Já a segunda, dominadora e um tanto cruel. Há também o primo afro americano, Ambrose, que é bissexual. E o gato Salem, que abandonou de vez aquele ar fofinho. A série vale com certeza uma conferida, entretanto, pode chocar um pouco aos religiosos de plantão. Fotos: divulgação