Palmeiras atropela River Plate e constrói uma vantagem gigante


Time aplica 3 a 0 fora de casa e segue firme no sonho de voltar a vencer uma Liberta

André Lucas

Na noite dessa terça feira, dia 6 de janeiro, o Palmeiras enfrentou o River Plate na Argentina e ganhou de 3 a 0. Eu um jogo que começou de um jeito e terminou de outro bem diferente, o Palmeiras construiu uma vantagem grande e importante fora de casa. 

O jogo começou com o River construindo muitas jogadas perigosas pelo lado esquerdo do ataque. O time do técnico Garllado que nesses últimos anos em que chegou na Simi final 5 vezes nos últimos6 anos, indo para 3 finais e sendo campeão duas vezes, tem como tradição dos estilo de jogo jogar muito pelos lados e com muito profundidade. 

Já no começo do jogo Marcos e Gabriel menino davam muito espaço pelo lado esquerdo, o que dava liberdade para a criação do time argentino. Já aos 5 minutos de jogo, Suáres ganho de Marcos Rocha na ponta esquerda e cruzou para  o meio campo Carrascal que ficou cara a cara com o goleiro Weverton, que fez uma defesa monumental e salvou o time alvo verde. 

Antes disso o atacante colombiano  Borre, recebeu uma bola dentro da área, que veio do  mesmo lada  esquerdo, cortou o zagueiro e acertou um foguete, porém a bola subiu e passou por ciam do gol. 

Depois ainda teve uma jogada em profundidade pelo lado direito que terminou em um cruzamento do lateral direito Montiel deixou  Borre na cara do gol, mas ele furou e a bola passou direto na área e foi para a linha de fundo. 

Um dos ditados mais comuns e verdadeiros do futebol é, quem não faz, leva. E foi assim no jogo do de ontem, aos 26 minutos de jogo, depois de uma grande intensidade nos ataque do River, e nenhum chute para o gol do Palmeiras, o time paulista subiu. Em jogada pela ponta direita, o meia Patrick de Paula deu um passe genial para Gabriel menino que ficou no mano a mano, cortou para dentro e cruzou, o goleiro afastou mal de mais essa bola, que sobrou no pé de Roni, que ajeitou e  citou com efeito, a bola ainda desviou no meio do caminho e mudou a trajetória, foi dentro do gol sem chances para o goleiro Armani. 

Ante do fim do primeiro tempo o jogador  do palmeiras Gustavo Escarpa ainda fez um bonito gol, dando um balãozinho no goleiro , porém o gol do meia foi anulado, o atacante Luiz Adriano  que recebeu essa bola e fez o passe para Escarpa, estava impedido na origem da jogada. 

Roni ainda teve mais um oportunidade na mesma ponta, no mesmo ângulo, ele dominou e bateu com o mesmo efeito, mas dessa vez a bola subiu e passou por cima da trave. 

Antes do segundo tempo o time do River ainda botou 2 bolas na trave, uma de cabeça e a outra foi o meia Inácio de falta na entrada da área, bateu bonito mas ficou só na trave. 

No segundo tempo o domínio do River foi grande o Palmeiras recuou de mais as linhas para esperar o time argentino e subir no contra ataque. A pose de bola no fim de jogo foi de 71% para o River e 29% para o Palmeiras o que deixa em evidência esse domínio. Porém o time paulista ganho na eficiência, subiu e marcou, simples assim. 

Primeiro na saída rápida para o contra golpe, uma ótima troca de pare entre, o meia Danilo e os atacantes Roni e Luiz Adriano, terminou em um Pivô de futsal de Luiz Adriano, que engatou a sexta macha, invadiu a área e fez o segundo do Palmeiras, isso aos 2 minutos do segundo tempo, o que já causa um impacto grande no time adversário.  

O terceiro e ultimo gol do Palmeiras saiu aos 67 minutos, 22 do segundo tempo, na bola parada, veio jogada ensaiada, Gustavo Escarpa cruzou e Viña cabeceou livre para completar o placar, Palmeiras 3×0 Tiver Plate. 

O time brasileiro pode perder de até dois gols de diferença que passa direto, e ainda tem a vantagem de ter feito dois gols fora de casa. O jogo de volta é na Allianz arena, em São Paulo, na próxima terça-feira, ás 21:30. 

Super quarta de futebol, Santos avança para a Semi e Fluzão se distância do G6


Quarta feira dia de futebol, o Santos atropelou o Grêmio e o Fluzão perdeu para o Atlético Goianiense em jogo feio em Goiânia

André Lucas

Santos

Na Libertadores da América o confronto entre brasileiros foi bem diferente de todas as previsões, nem o santista mais otimista acreditaria que no primeiro tempo o Santos já estaria ganhando de 2 a 0 com domínio total dentro de campo.

Aos 11 segundos do primeiro tempo, o Peixe já fazia o primeiro com Kaio Jorge, numa lambança da saga tricolor. Aos dois minutos, uma bola na trave do Santos. Até ai o Grêmio já estava abatido, sentiu o golpe, o psicológico e emocional falaram mais forte, aos 16 minutos. O peixe fazia o segundo com ele, Marinho o astro do time o 11 que deveria usar a 10, o ex artilheiro do time paulista na libertadores.

O Grêmio ainda se recuperava do golpe, o time desligado e perdido em campo, o experiente Renato Gaúcho não conseguia organizar o time, somente no intervalo depois de uma provável conversa aos berros, Gaúcho ajeitou o time para o segundo tempo. 

O Grêmio igualou o jogo ao decorrer do segundo tempo, recuperou a posse e ficou mais intensivo, passou perto do gol duas vezes com Diego Souza, mas não acertou nenhuma, teve quase 70% da posse de bola teve mais que o dobro dos passes de bola, igualou os chutes a gol estava ficando competitivo dentro de campo. Mas, aos 54 mais um golpe, o alvinegro praiano fazia o terceiro. Mais um dele Kaio Jorge, agora o novo artilheiro do time na libertadores, o 5 dele na competição, o 3 do Santos e o segundo dele no jogo. Ainda deu tempo do tricolor de Porto Alegre fazer um aos 80 minutos, o meio campo Thaciano descontou, dois minutos depois o cruel e impiedoso Santos fez mais um, o zagueiro Laércio entrou no segundo tempo e fez o quarto gol, para acabar com qualquer esperança de reação do time gaúcho, se caso existisse alguma. O time do sul voltou para casa com um sentimento de frustração e humilhação, é a segunda vez em 2 anos que o time chega na semifinal e toma uma goleada no segundo jogo. Já o time do litoral de São Paulo ver o sonho do tetra bem próximo, o time estar na semifinal e pega o Racing ou Boca Jr na semifinal da liberta. 

Fluminense

O Fluminense vive um ano de altos e baixos, título no carioca, eliminação na sul americana, entrou no G4, caiu na copa do Brasil, ganhou bem do Inter e do Atlético Paranaense e já estava quatro jogos sem perder nessa temporada de Brasileirão, agora perde para o  Atlético Goianiense em jogo sem criatividade e sem vontade nenhuma. Ontem quem não dormiu assistiu um jogo feio do Fluzão e uma derrota que afasta o tricolor de jogar a liberta no ano que vem. O time com essa derrota se mante em sétimo lugar com 40 pontos 1 a menos que Grêmio, Inter é Palmeiras respectivamente. Palmeiras e Grêmio tem 24 jogos, dois a menos que o time carioca já o Inter tem 25, um jogo a menos. O jogo de ontem era importantíssimo para o Flu voltar ao G4, mesmo que simbolicamente já que os outros times tem jogos a menos, ainda colocava o time vivo para brigar pelo G6, alvo que virou Objetivo do clube na temporada, mas a irregularidade do time se mostra um grande desafio. O Flu segue em frente na campanha rumo a liberta 2021, porém só tem pedreira nos próximos jogos.

Flu x São Paulo – sábado 26/12 – 21:00 

Flu x Flamengo – quarta-feira –  06/01 –  21:30

Flu x Corinthians – quarta-feira – 13/01 – 21:30