Amazonas sofre com falta de oxigênio


Pacientes morrem asfixiados e situação comove o país inteiro

André Lucas

Desde o fim do ano passado o estado do amazonas tem altas nos números relacionados ao coronavírus. A capital sofre com todos os leitos de UTI (unidade de tratamento Intensivo) lotados, tanto nos hospitais públicos quanto nos hospitais particulares. 

Na semana passada o estoque de cilindros de oxigênio dos hospitais da capital esgotou, o que piorou a situação e colocou Manaus em estado de alerta. Pacientes internados morreram por falta de oxigênio, segundo médicos que trabalham na cidade. Familiares de pacientes estão comprando cilindros de oxigênio próprio para que os parentes não morram asfixiados dentro das UTIs. 

Layla Mariana Batista de 27 anos é vendedora de salgados, e tem enfrentados dificuldades para conseguir comprar Cilindros de oxigênio para  o tio Rosivaldo Azevedo Marinho, 57 anos, e a tia Maria Madalena Santos de Araújo, 43 anos, internados em estado grave em um dos hospitais da capital com estoque vazio. 

Layla conta que conseguiu um contato para adquirir o cilindro por 2500 reais, quando entrou em contato para comprar o vendedor simplesmente cobrou 5.000 reais, quando ela retornou o contato no fim do dia para acertar a compra o vendedor informou que o preço agora é 7.000 reais. 

“É desumano você ouvir alguém te pedir R$6 mil num cilindro e tu não ter da onde tirar para salvar o teu parente”, Layla ainda explica que o oxigênio de seu tio acabou na noite do último sábado e que aguarda a empresa que ela contratou para fazer a recarga e que o serviço não tem data para acontecer. 

Pazuello diz que a situação pode se repetir em outros estados do Nordeste

Em entrevista coletiva ao lado do governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC), Pazuello disse que é preciso estar preparado porque a segunda onda da doença está ocorrendo neste momento na Europa. 

Segundo ele, o inverno europeu que coincide com as chuvas intensas na Amazônia e em parte do Nordeste. 

O ministro explica que nessa época chuvosa no Amazonas a população tem dificuldades para respirar, por isso nesse período tem o agravamento das síndromes respiratórias agudas graves, no período chuvoso do Amazonas, e é o que está acontecendo agora.  

Com tudo o ministro informa, “Isso sim pode se replicar para outras cidades agora do Norte e do Nordeste ao longo do ano e pode se replicar, quando nós chegarmos mais perto do inverno, para a região centro-sul nossa, sul do Centro-Oeste, Sudeste e Sul.” 

A mobilização de Whindersson Nunes

O humorista mobilizou empresas e artistas para doar cilindros respiratórios aos hospitais da capital do amazonas, com a ajuda de Felipe Neto mobilizam Fábio Porchat, Bruno de Luca, Pedro Sampaio, Hugo Gloss, Simone, Kaka Diniz, Magazine Luiza, Movida e Matheus Tomoto foram alguns dos doadores. Toda a ação foi coordenada por Nunes e sua equipe. Os hospitais beneficiados foram SPA Joventina Dias, SPA São Raimundo, Instituto Saúde da Criança, SPA Alvorada, Policlínica da Redenção e SPA Galileia, a internet enalteceu demais os dois e chamou de heróis.

Hblem recebe equipamento de ressonância magnética de última geração


Marcelo Carvalho

O Hospital de Base Luís Eduardo Magalhães (Hblem), localizado em Itabuna, na última terça-feira, 23 de dezembro, um aparelho de Ressonância Magnética, que auxiliará nos exames de rotina e também no diagnóstico dos médicos, seguindo os mais rígidos protocolos de segurança e de qualidade.
Nos últimos quatro anos, o Hblem passou por uma profunda transformação, com inúmeros avanços, tornando-se a principal referência hospitalar do sul da Bahia. A unidade teve quatro enfermarias completamente reformadas, adquiriu equipamentos como Raio-x digital, Tomógrafo, além de novos Centros Cirúrgicos. Para o conforto dos acompanhantes, 160 poltronas reclináveis foram adquiridas e colocadas nos leitos. Mais recentemente, o Hospital ampliou a capacidade da usina de oxigênio instalou leitos clínicos e de UTI exclusivos para pacientes com a Covid-19.

Hospitais lotados no Rio de Janeiro e número de contágio continua subindo


Com filas nas UTIs, número de infectados sobe e preocupa especialistas

André Lucas

O Estado do Rio de Janeiro estar em uma situação grave, além de ser um dos estados mais afetados pelo covid 19, agora sofre com hospitais lotados e leitos de UTI com filas enormes de mais de 400 pessoas. Se a situação já era complicada com os hospitais de campanha sem eles a situação ficou desesperadora.  Especialistas dizem que com as festas de fim de ano o cenário só vai piorar.

Em entrevista à ”BBC”, alguns especialistas comentaram a situação. Para o infectologista Alberto Chebabo, vice-presidente da Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI) e diretor do Hospital Universitário Clementino Fraga Filho, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), disse que o principal fator para a retomada da gravidade da situação é a flexibilização das medidas restritivas.

”O Rio de Janeiro nunca teve controle completo da transmissão do vírus. O estado foi flexibilizando as medidas de isolamento social quando os casos ainda estavam em alta. As pessoas voltaram a se reunir, fazer encontros, os bares voltaram a ficar lotados e houve muitos eventos com aglomeração… Se considerarmos que a curva de casos começou a subir há 3 semanas, é provável que os números de mortes, que estão estáveis, também subam. Muitas pessoas que contraem a doença e apresentam quadro grave acabam morrendo ao longo das semanas”

O Rio estar em uma alta constantes de casos, e com hospitais lotados e as filas nas UTIs o cenário fica caótico. A Prefeitura do Rio junto ao governo do estado decidiu voltar com as medidas de restrição. Foi anunciado nessa sexta feira dia 12 de dezembro, medidas para combate a proliferação do covid-19, as medidas determinadas foram: 

• Escalonamento dos horários de funcionamento da indústria (a partir das 7h); dos serviços (a partir das 9h); e do comércio (a partir das 11h), para evitar aglomeração nos transportes públicos.

• Proibição de estacionamento na orla nos fins de semana e feriados;

• Cancelamento das áreas de lazer nas orlas de Copacabana, Ipanema e Leblon e no Aterro do Flamengo aos domingos e feriados (as pistas, portanto, não serão fechadas ao trânsito de veículos);

• Proibição do uso de áreas comuns de lazer em condomínios, onde não são usadas máscaras, como saunas e piscinas.

. Permissão para shoppings e Centros Comerciais ficarem abertos 24 horas, para evitar aglomerações nos meios de transporte.

A prefeitura informa que as ambulantes legais que ficam na orla receberão cesta básica enquanto as medidas provisórias durarem.

 Na nota oficial fala também que o governador e prefeito estão preocupados com o alto índice de transmissão das ultimas semanas, incentiva a usar máscara e lavar a mão com álcool gel, a nota fala que as medidas postas em prática visa proteger os cidadãos sem por em risco a economia. 

Os números da doença no estado é grande, são 184 mil casos e 13.844 mortes, nas últimas 24 horas o estado registrou 3.298 casos e 84 mortes. Em relação ao combate a doença, o s números são mais graves,  93% das UTIs estão lotadas e 87% das enfermarias. 436 pacientes estao aguardando leitos.