Vendedores ambulantes fazem protesto contra horário de restrição de vendas em Itapuã


Manifestação foi pacífica e não alterou o trânsito

Thais Paim

A manhã de hoje (21) começou agitada no bairro de Itapuã, em Salvador. Vendedores ambulantes que trabalham na localidade fizeram protesto na manhã desta segunda-feira, contra a medida de restrição de horário que foi determinada pela prefeitura.

A decisão da gestão determina que o comércio de qualquer tipo de bebida em espaços públicos está suspenso das 17h às 7h, entre os dias sexta a domingo. Segundo informações, a manifestação foi pacífica e não provocou interferências no trânsito. 

Nailton Sales, o representante da categoria, afirmou que a medida está prejudicando o faturamento dos ambulantes, já que se trata do maior horário de faturamento. Por causa da determinação de restrição da prefeitura, Sales destacou que a categoria pede um aumento do auxílio de R$ 270 para R$ 550. Além disso, está sendo solicitado também que haja prorrogação do benefício até 2022.

“A gente entende que a limitação do horário, até as 17h, está impossibilitando a gente de trabalhar no horário de maior faturamento. Os ambulantes não estão conseguindo pagar suas contas. Com a pandemia, com a dificuldade que se agravou, a gente entende que tem água, tem luz, tem outras contas que estão se juntando”, explicou ele.

Sobre o pedido de prorrogação do auxílio e mudança no valor, o representante declarou: 

“A gente solicita desde já, à prefeitura de Salvador, que faça a prorrogação do auxílio até 2022. Até porque o prefeito Bruno Reis já informou que vai até março de 2021. Porém a gente precisa que prorrogue até 2022. A gente pede também que aumente o auxílio emergencial para R$ 550, porque, sem sombras de dúvidas, a gente tem essa necessidade”. 

Decisão da Prefeitura de Salvador 

Após diversos episódios de aglomeração nos bairros de Itapuã e do Rio Vermelho, a prefeitura acabou por determinar a restrição de horários. Com isso, os locais passaram a ser fiscalizados e materiais serem apreendidos. O comércio e consumo de comidas está liberado.

O descumprimento dessa medida implicará na suspensão do alvará de funcionamento por tempo indeterminado.

Outra determinação foi a proibição, para bares e restaurantes, de vender comida e bebida para pessoas que estejam em pé, tanto nas áreas internas, quanto nas áreas externas dos estabelecimentos do Rio Vermelho e de Itapuã.

Fora as decisões mencionadas, o prefeito também determinou que os comerciantes façam a delimitação física de seus bares, para que fique explícito quais mesas e cadeiras pertencem a cada estabelecimento.