WhatsApp lança programa para capacitar gratuitamente 10 mil empreendedores


Iniciativa é uma parceria com o Centro Integrado de Estudos e Programas de Desenvolvimento Sustentável (CIEDS)

Thais Paim

O Centro Integrado de Estudos e Programas de Desenvolvimento Sustentável (CIEDS) e o WhatsApp lançaram uma grande oportunidade para quem busca uma capacitação. O programa Conecta+ Brasil pretende dar suporte a profissionais formais e informais de comunidades e periferias do país.

O lançamento foi realizado na última sexta-feira (23). Lembrando que as inscrições são gratuitas e estão abertas para empreendedores de todo o Brasil. 

Sobre a iniciativa 

O objetivo é apoiar a retomada econômica de um dos grupos mais afetados pela pandemia. O programa vai trabalhar conteúdos sobre empreendedorismo, boas práticas comerciais, além das ferramentas gratuitas do WhatsApp Business. A estimativa é de que cerca de 10 mil empreendedores sejam atendidos.

“Num momento em que já se discute o pós-pandemia, é muito importante levarmos em consideração os mais afetados pela crise. O Conecta+ Brasil tem esse objetivo de capacitar trabalhadores de todos os tipos, para que eles também sejam protagonistas nessa fase de retomada”, comenta Vandré Brilhante, presidente do CIEDS. “Acreditamos que o empreendedorismo vai além de abrir um negócio, tem também o potencial de ser um forte agente de mudança”, completa.

Além da capacitação para um uso mais abrangente das funcionalidades do WhatsApp Business, os participantes também vão poder participar de treinamentos exclusivos voltados para o cenário empreendedor como inovação, criatividade, finanças pessoais e finanças para negócios, a fim de otimizar o desenvolvimento destes pequenos negócios.

Dados e cenário atual 

Pesquisa realizada pela Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) mostra que 66% das micro e pequenas empresas brasileiras ainda estão em um nível analógico ou emergente, buscando tecnologias e melhorias para seu modelo de negócio.

 “Um programa como esse permitirá que as empresas tenham mais possibilidades para engajar-se com seus clientes, entrando no mundo tão importante da economia digital”, afirma Igor Calvet, presidente da ABDI.

Para o presidente do Sebrae Carlos Melles, o programa é importante para o cenário dos empreendedores no Brasil. “As pesquisas nos mostram a força do WhatsApp como ferramenta fundamental para os pequenos negócios nesta pandemia. O aplicativo ajudou os donos de micro e pequenas empresas a manter contato com clientes e fechar vendas. A utilização do WhatsApp pelo empreendedor foi transformadora e muito positiva”, ressalta Melles.

Fonte: IstoÉ 

Professor de história faz sucesso com audios de WhatsApp e cativa os alunos


Cenário de pandemia fez com que profissional precisasse se adaptar 

Thais Paim

O professor da rede estadual do Ceará, Octavianus Cesar, acabou se destacando pela forma que se adaptou e passou a lhe dar com os seus alunos através do WhatsApp. “Na escola que trabalho, cada turma ficou com um professor responsável como padrinho para encaminhar as atividades dos outros professores. Ou seja, esse professor assumiu o papel de intermediador entre os alunos e a escola, para a realização das atividades. Esse foi o meu caso e sentia que precisava otimizar os canais de comunicação com os estudantes”, explica ele. 

O desejo de mudar e inovar nessa comunicação veio da experiência do ano passado e que também precisou ser realizada de forma online. Segundo Cesar, ele teve a ideia de mandar áudios para os alunos todos os dias quando abria o grupo e no início, a intenção era somente começar as atividades com um áudio positivo, alegre e lembrando as atividades do dia, mas depois, tentando melhorar o formato, passou a fazer áudios com músicas e sempre tentando relacionar as músicas com os estudos ou com a época em que estavam: dia das mães, dia da mulher, dia dos namorados, músicas temas de filmes ou séries como “A Casa de Papel”, “Rock: o lutador”,  “Missão Impossível”, “A Pantera Cor de Rosa” e, por último, um mês inteiro com temas juninos.

Os áudios são curtos, a maioria não passa de dois minutos e contém mensagens que misturam bom humor e motivação, sem esquecer de salientar que os alunos devem entrar na plataforma do Google Sala de Aula e fazer as atividades, mantendo o foco nos estudos. 

O professor explica como essa interação dinâmica tem desempenhado um importante papel no desempenho da turma: “Perguntam sobre o que falei, sobre as atividades, riem, comentam, e, dos 35 alunos da turma, com exceção de dois com necessidades educacionais especiais que não interagem muito e um desistente, todos os outros 32 entregam as provas parciais e bimestrais – sendo que a maioria entrega as atividades propostas pelos professores”, pontua ele.

De acordo com Cesar, a iniciativa trouxe resultados tão positivo que com o passar dos meses, outros professores começaram a querer utilizar os seus áudios em outras turmas também. Atualmente, ele todos os dias dois áudios pela manhã, um para a sua turma e outro mais geral, para ser usado indistintamente por outros professores. 

“Isso sem falar nos parentes de outros estados que também envio para reforçar o vínculo, já que a presença física ainda está difícil. Acredito que nessa pandemia todos tivemos que nos reinventar, mas o principal foi reaprender a utilizar os nossos sentidos. Ver quem gostamos ao vivo, ficou sendo pelo celular ou pela tela do computador, beijar, também ficou mais difícil, um abraço, o toque, esse também não pode, mas o que mais foi exercitado, foi o escutar”, conclui ele. 

Fonte: Por Vir 

Na Bahia, golpista acaba sendo enganado pela vítima e deposita dinheiro


Erica Soledade já tinha passado por outras duas tentativas de golpe através do WhatsApp

Thais Paim

Um novo caso de tentativa de golpe aconteceu com a Erica Soledade, na Bahia. Um criminoso tentou por um aplicativo de mensagens roubar mais de R$ 2 mil de uma mulher, enquanto se passava pelo filho dela.

O que o golpista não sabia é que a baiana já havia sido abordada por outros bandidos que tentaram fazer a mesma coisa com ela. Assim, já experiente na lida com essa tentativa de golpe por WhatsApp, ela decidiu interagir com o suspeito — e até conseguiu que ele depositasse crédito no seu celular.

“Por coincidência meu filho estava em casa. A gente começou a dar assunto e a alimentar a situação para tentar pegar ele, porque estava sendo muito corriqueiro. Tentamos reverter a história e decidimos pedir dinheiro para o criminoso”, conta Erica.

O filho de Érica, Lucas Soledade, disse que o intuito era fazer o criminoso ter confiança de que a mãe faria a transferência que foi pedida. “Ela ficava falando que estava sem crédito, que precisava de dinheiro para botar crédito, pois só conseguiria fazer a transferência quando chegasse em casa”, comenta.

Ainda segundo Lucas, o golpista acreditou na história contada por Érica e decidiu colocar crédito no celular da mãe dele para poder roubar os R$ 2.350,00 que havia solicitado na tentativa de golpe. “Ele fez o depósito do crédito e ficou esperando que minha mãe transferisse o dinheiro”, completa o jovem.

Tentativas de golpe

Essa foi a terceira tentativa de golpe, em menos de dois meses, que Érica e o filho sofreram. Segundo ela, em outro momento, a foto do filho foi copiada de uma rede social e usada pelo criminoso que tentou se passar pelo jovem.

Com um número desconhecido, o suspeito fingiu ser o filho e começou uma conversa com a mulher dizendo que havia trocado o número do telefone. O desconhecido pediu para ela fazer um depósito no valor de mais de R$ 2 mil.

“Quando você vai abordar ele dizendo que é um golpe, ele começa a usar seus dados pessoais, o que te deixa muito vulnerável. Ele fala o nome da gente, endereço antigo, endereço atual. Eu entrei em um quadro de pânico muito grande e percebi, ali naquele momento, que qualquer pessoa é capaz de ceder ao que eles pedirem”, relata a vítima.

Fonte: G1 

WhatsApp testa nova versão web e promete grande diferencial


Anúncio foi feito na última quarta-feira (14) 

Thais Paim

O WhatsApp trouxe uma notícia aguardada por muitos e informou que está realizando um teste que muda o funcionamento de sua versão web. Com a novidade, alguns usuários poderão usar o aplicativo no computador, por exemplo, sem depender do celular, como acontece hoje.

Apesar dessa informação, o smartphone segue sendo o dispositivo principal da conta, mas para usar o WhatsApp no computador, não será mais necessário que o telefone esteja conectado à internet e nem mesmo ligado.

De acordo com as informações fornecidas, será possível acessar o app em até quatro PCs e, em cada um, o WhatsApp funcionará de forma “independente”. No smartphone, no entanto, a conta continua sendo limitada a um só aparelho.

Confira algumas informações importantes sobre essa atualização 

Já está funcionando?

Por enquanto, o teste será restrito a um pequeno grupo de usuários da versão beta do aplicativo, em todo o mundo. Ainda não há previsão para a função ser liberada para todos.

Como era

Antes do teste, ao enviar mensagens do WhatsApp pelo computador, a máquina funcionava somente como um tipo de interface, como se o aplicativo fosse apenas espelhado no PC.

Quem cuida do envio e recebimento de mensagens é o smartphone. Ele é que é responsável pela função de criptografia que embaralha as mensagens e só permite que remetente e destinatário tenham acesso ao conteúdo, por exemplo.

Uma grande dificuldade para quem utiliza esse meio é que quando o celular é desconectado da internet ou fica sem bateria, não é possível continuar usando o aplicativo pelo computador.

Como fica

No teste, o WhatsApp vai usar um sistema para sincronizar as mensagens entre o celular e outros aparelhos conectados, se transformando em um app “multiplataforma”.

Para usar o WhatsApp em um computador, continuará sendo necessário escanear um QR Code a partir do telefone, como acontece atualmente.

Mas haverá um passo a mais antes disso: para vincular o WhatsApp Web ou Desktop à conta do app, será solicitado o desbloqueio biométrico (com reconhecimento facial ou impressão digital) no smartphone.

O objetivo é impedir acessos indesejados, como os que acontecem em clonagem ou roubo de contas.

Fonte: G1 

WhatsApp se defende após polêmicas sobre compartilhamento de dados com o Facebook


Aplicativo anunciou novos termos de uso e tem provocado insatisfação dos usuários

Thais Paim

Após as diversas polêmicas envolvendo os novos termos de uso do WhatsApp, o mensageiro foi ao Twitter para se defender. A plataforma decidiu publicar um posicionamento a respeito dos novos termos de uso e compartilhamento de dados do aplicativo. 

A publicação contém um infográfico feito para indicar o que o WhatsApp pode e não pode fazer, além de apontar os poderes do usuário. Entre essas possibilidades apresentadas, está a opção de baixar os dados quando quiser e colocar uma “data de validade” em mensagens consideradas importantes, mas que devem sumir até mesmo do seu dispositivo.

Em trecho da publicação, o aplicativo de mensagem instantânea afirma: 

“Nós gostaríamos de abordar alguns rumores e ser 100% claros, nós continuamos a proteger as suas mensagens privadas com criptografia ponta-a-ponta. (…) Nossa atualização nas políticas de privacidade não afeta a privacidade das suas mensagens com amigos ou família”.  

Na rede social, o público está dividido nos comentários, especialmente após notícias de que concordar com os novos termos seria obrigatório. Até mesmo um órgão brasileiro de defesa do consumidor pode intervir.

Análise sobre o posicionamento da plataforma 

O site Android Authority avaliou as mensagens e, ao comparar com as atuais políticas do WhatsApp, encontrou algumas incompatibilidades. Apesar de negar a troca de conteúdos de chats com o Facebook, o FAQ atualizado da plataforma lista uma série de informações paralelas que acabam nas mãos da companhia de Mark Zuckerberg — incluindo o vago “informações sobre como você interage com outras pessoas”.

Além disso, alguns trechos do tweet foram considerados contraditórios. A questão sobre coleta de dados de localização, por exemplo, está bem sinalizada nos termos de uso e indica que o mensageiro de fato se apropria de algumas dessas informações.

Como consequência da atual crise, rivais como o Signal ou o Telegram, que não pertencem a uma gigante da tecnologia, dispararam em downloads e agora aproveitam a fama que pode ou não ser momentânea.

Aviso polêmico do WhatsApp provoca disparada de downloads do Signal


Novos termos de uso do aplicativo desagradaram alguns usuários

Thais Paim

Com o anúncio recente feito pelo WhatsApp sobre seus termos de uso, aplicativos como Signal e Telegram registraram um grande aumento no número de downloads. A polêmica tem provocado uma mudança na utilização dos serviços de mensagens instantâneas. 

O Signal, que lidera ou está muito bem posicionado em rankings tanto em lojas de app para Android quanto para iOS, está aproveitando a fama repentina. Atualmente, ele é considerado como uma das melhores alternativas para quem não deseja ter os dados das conversas compartilhados. 

De acordo com o site Android Police, o Signal lidera a lista de downloads da Google Play Store em diversas regiões, incluindo Estados Unidos, Reino Unido, Alemanha, Líbano e França. O mesmo acontece na App Store, do iPhone.

Já no Brasil, o aplicativo é o segundo colocado na lista de “Principais apps gratuitos” e na categoria “Em Alta” do Android. O Telegram também aparece, mas ocupa uma posição inferior. O Wire, outro mensageiro seguro com foco em utilização corporativa, também tem ganhado certo destaque. 

Sobre as listas, é importante lembrar que as lojas digitais de aplicativos fazem atualizações com frequência e indicam aplicativos com alta taxa de downloads em um determinado período. Por isso, o WhatsApp, já bastante popular, pode não estar tão bem posicionado. 

Qual o motivo? 

O que tornou o Signal popular de forma tão repentina foi o anúncio de que o WhatsApp vai obrigar usuário a compartilhar dados com o Facebook, inclusive bloqueando quem recusar o envio.

A sugestão de uso do mensageiro por celebridades como Elon Musk, ajudou a fazer os downloads do serviço dispararem. 

Você sabia? WhatsApp agora tem função com carrinho de compra; confira


Função para realizar pagamentos através da plataforma ainda não está disponível

Thais Paim

O WhatsApp anunciou um novo recurso que despertou a curiosidade de vários usuários: o ‘Carrinho de Compras’.  Com o foco no comércio digital, a intenção é que ele represente um complemento a atual função do ‘Catálogo’. 

Segundo informações do aplicativo, será possível que os usuários efetuem a compra de diversos itens enviando apenas uma mensagem ao vendedor, que vai facilitar o diálogo para ambas as partes. O anuncio foi feito nesta terça-feira (08). 

Apesar de ter como foco principal a troca de mensagens, o WhatsApp é cada dia mais usado comercialmente pelos usuários. E é justamente por esse motivo que a atualização também tem como objetivo popularizar o uso do mensageiro como um local digital de compra e vendas. 

Somente no fim de outubro, foram enviadas cerca de 175 milhões de mensagens por dia para contas comerciais, um crescimento significativo, levando em consideração os números de julho, que mal chegavam a 50 milhões.

A tendência é que novas facilidades comerciais cheguem ao WhatsApp, como a possibilidade de efetuar pagamentos diretamente pelo aplicativo. Recentemente houve uma tentativa de implementar a função no país, mas acabou sendo suspensa para análise. 

Tudo indica que a função de pagamento pode retornar em breve com a popularização da nova forma de pagamento do Banco Central, o Pix. Além disso, as recentes atualizações indicam o interesse do Facebook em expandir ainda mais o WhatsApp e suas funções no campo comercial. 

Aprenda como usar essa função

Quando você entrar em contato com uma conta do WhatsApp Business, é só clicar no ícone de loja para conseguir ter acesso ao catálogo disponível.  O símbolo fica localizado no topo da tela nas conversas com empresas que usem a versão Business do aplicativo.

Com o catálogo disponível, é só escolher um produto e clicar na opção “Adicionar ao carrinho”. Se você tiver a intenção de adicionar outros produtos ao carrinho, toque em “Continuar comprando”. 

Após fazer as suas escolhas e decidir concluir a compra, basta tocar no círculo com uma seta, semelhante ao botão para enviar mensagens.

Quando esse botão for pressionado o pedido será enviado à loja e ficará aguardando que o pagamento seja realizado. A informação fica registrada na conversa, para que tanto o vendedor quanto o consumidor tenham acesso. O WhatsApp informou que “um pedido não é finalizado até o vendedor confirmar o pagamento” .

Fonte: Tecmundo

São Paulo cria canal de informações sobre Coronavírus via Whatsapp


Uma força a mais no contra a proliferação do Covid 19. O Governo do Estado de São Paulo anunciou no dia de ontem  (31) o lançamento de um canal de comunicação para esclarecer dúvidas sobre o novo coronavírus por meio do aplicativo Whatsapp, além do site e das redes sociais oficiais do governo.

Para utilizar o SP Perguntas – Covid 19, o cidadão deve salvar no seu celular o contato com o número +55 11 95220-2923. Depois, basta abrir uma conversa no Whatsapp e mandar um oi para receber informações oficiais de como prevenir, se cuidar e também combater fake news (notícias falsas).

“Compartilhe nos grupos da família, de amigos e também do trabalho. Nos ajude a disseminar informações verdadeiras sobre o coronavírus”, diz nota do governo.

Eis o passo a passo para ter acesso a informações via Whatsapp:

1- Envie uma mensagem com oi

2- Receba uma lista de opções

3- Escolha a dúvida e envie o número

4- Aguarde a resposta

Outros canais

Os outros canais de informações oficiais do governo estadual paulista são os seguintes:

twitter.com/governosp

instagram.com/governosp

facebook.com/governosp

tiktok.com/governosp

saopaulo.sp.gov.br/coronavirus

t.me/spcoronavirus

youtube.com/governosp

Polícia divulga WhatsApp para denúncias sobre roubo a ônibus


A população pode ser uma parceira das polícias no combate aos assaltos a ônibus e a informação é uma arma fundamental paraWhatsdenuncia colaborar com os policiais que atuam nas unidades especializadas. Com esse objetivo, a Operação Gemeos, da Polícia Militar, e o Grupo Especial de Repressão a Roubos em Coletivos (Gerrc), da Polícia Civil, disponibilizaram os números 99705-4412 e 3117-6637.

Para o delegado Glauber Uchiyama, titular da unidade especializada, a nova tecnologia da informação tem colaborado muito com o trabalho de captura dos criminosos. “Recebemos muitas informações úteis, como o modus operandi, o horário, e local que bandidos embarcam e desembarcam e suas características”, explicou.

Fez ainda questão de lembrar que, apesar do WhatsApp do Gerrc ser um número fixo, funciona perfeitamente, pois fica vinculado a um celular. “Esse telefone fica específico para essa função em nossa unidade”, disse o delegado.

Usuários do WhatsApp podem sofrer golpes


Criminosos voltaram a agir focando usuários do WhatsApp. Eles tentam atrair vítimas usando como isca falsos cupons para as lojas McDonald’s. A empresa de segurança digital PSafe descobriu e alertou para o golpe.
O usuário recebe a mensagem de um contato conhecido ou de um de seus grupos no aplicativo, sendo convidado a participar de uma promoção. Quando se clica no link do falso cupom de R$ 500, a vítima é levada até uma página que tem a imagem do McDonald’s e pede que se compartilhe a url com pelo menos 10 amigos pelo WhatsApp.
enviodewhatsapp06
A partir daí, o usuário é orientado a se cadastrar em sites maliciosos que fazem cobranças indevidas e baixas apps que podem prejudicar o smartphone.
Ao Uol, Marco DeMello, CEO da PSafe, disse que é preciso estar atento para golpes. Ele também sugere instalação de antivírus no aparelho, que alertariam para ameaças em casos de páginas maliciosas.
Outros conselhos incluem estar com sistema operacional sempre atualizado, não abrir anexos executáveis (final .exe) e desconfiar de links. Ibahia