Prefeitura de Maceió anuncia que orla permanecerá aberta no Réveillon


A Secretaria Municipal de Segurança Comunitária e Convívio Social (Semscs) será responsável pela fiscalização 

Thais Paim

Recentemente algumas capitais do país anunciaram que as orlas teriam os seus acessos fechados durante a virada do ano, a fim de evitar aglomerações. Seguindo uma posição diferente, a Prefeitura de Maceió informou que, até o momento, a orla permanecerá aberta na noite de Réveilon. 

Ainda segundo a gestão, existirão algumas restrições e a Secretaria Municipal de Segurança Comunitária e Convívio Social (Semscs) fará a fiscalização por todo o espaço público para evitar aglomerações.

A informação é de que fiscais de postura e guardas municipais vão realizar o ordenamento na orla, garantindo que as restrições sejam cumpridas. Apesar de o espaço ficar aberto, a Prefeitura restringiu algumas atividades, como o aluguel de cadeiras e mesas. 

Além disso, também está proibida a instalação de tendas por parte da população e dos ambulantes, sob pena de apreensão no momento da constatação da irregularidade. As medidas foram adotadas devido ao aumento de casos do novo coronavírus em Alagoas, principalmente nas últimas semanas. 

A Semscs afirmou que a atuação de fiscalização durante o Réveillon terá foco principal no exercício de atividades econômicas desenvolvidas na área pública por permissionários e ambulantes, uma vez que não haverá queima de fogos. As informações foram confirmadas através de nota emitida pelo órgão. 

Rio de Janeiro e bloqueio da orla 

Como exemplo de capital que acabou escolhendo medidas mais restritivas, está a Prefeitura do Rio de Janeiro que vai bloquear toda a orla da cidade na noite do Réveillon, de quinta-feira (31) para sexta (1º). A intenção é evitar aglomerações. 

A medida na verdade não surpreende muito, já que estende a decisão que já estava prevista para Copacabana, onde, anualmente, acontece a tradicional queima de fogos da cidade, e, agora, vale, também, para as praias da Zona Sul (a partir do Flamengo) até o Recreio. 

Cedae divulga lista com 22 bairros que ficarão sem água até 20 de dezembro


 Cedae divulga lista com 22 bairros que ficarão sem água até 20 de dezembro

Por: André Lucas

O calor é normal durante o fim de ano, no Rio de Janeiro. As temperaturas oscilam entre 28 e 35 graus Celsius. Isso já é o suficiente para gerar muitos problemas de saúde. Imagine sem água. Pois, a Cedae divulgou nota com lista dos bairros da zona norte, zona sul, zona oeste, e baixada que sofrerão com a falta de abastecimento nas três primeiras semanas de Dezembro. 

O motivo é a necessidade de manutenção na elevatória do Lameirão. A 2 dias atrás, na segunda feira, dia 30 de novembro, uma das 5 bombas da estação apresentou problemas e teve que ser desligada para reparo. Dessa forma, com uma bomba a menos, a estação do Lameirão estar em atividade com 75% da capacidade. Apesar da bomba ter sido desligada só a 2 dias, moradores do Rio de Janeiro e Nilópolis reclamam da falta de água dês do dia 15 de novembro. A Cedae já reconheceu que a falta de eficiência da bomba danificada causava a falta do abastecimento, e informou que o prazo mínimo para a volta da atividade com 100% da capacidade é de 20 dias.

Veja abaixo os bairros atingidos: 

Zona norte : 

Tijuca
– Vicente de Carvalho
– Vila Kosmos
– Colégio
– Coelho Neto
– Cordovil
– Parque Columbia
– Costa Barros
– Pavuna
– Anchieta
– Guadalupe

Zona sul:

-Botafogo
– Leme
– Urca

Zona oeste

– Campo Grande
– Bangu
– Inhoaíba
– Cosmos
– Paciência
– Santa Cruz
– Sepetiba
– Pedra de Guaratiba

Baixada: 

Mesquita
– Nilópolis
– São João de Meriti

A Cedae passou a divulgar informações sobre a dificuldade do abastecimento depois de um acordo com a defensoria pública e o ministério público. A reunião concluiu que a melhor forma de lidar com essa falta de água, é informando as pessoas e orientando elas a se prepararem para os próximos 20 dias. 

O impacto desse período sem agua na segunda onda do covid 19

A pandemia do Covid 19 exige uma higiene pessoal e do ambiente muito rígida, lavar as mãos a todo momento, lavar as partes da casa mais tocadas (como por exemplo corrimãos e maçanetas) se tornaram mais necessários do que nunca é com a falta de água esse problema só aumentam. Nos últimos dias o números  de casos e mortes cresceram no Rio de Janeiro, a média móvel subiu 45% em relação a segunda feira, dia 30 de novembro. 357.982 pessoas já foram contaminadas e 22.683 já perderam a vida. Nas últimas 24 horas, mais 93 pessoas morreram, o Rio de Janeiro vem tendo muitas derrotas para o Covid 19, e sem água a tendência é piorar.

Por que a manutenção vai demorar tanto ? 

As bombas ficam a 64 metros de profundidade o que dificulta o acesso, e exige tanto tempo dos profissionais da Cedae, a manutenção deve ser feita de calculada e gradual para não danificar o motor.

Qualquer atualização ou nova notícia sobre o assunto, você encontra aqui no CN.