Um Carnaval diferente


Júlia Vitória

Desde que a festa de Carnaval começou a ser comemorada aqui no Brasil, nunca foi deixado de comemorar antes da Quaresma, no mês de fevereiro ou no início de março, os festejos sempre acontecem, contudo no próximo ano, devido a pandemia que se alastrou pelo mundo pela primeira vez na história o carnaval pode ser cancelado.

Os governos das maiores cidades do país discutem como será o ano de 2021. Enquanto São Paulo já adiou a data por período indefinido, Brasília não realizará folia, Rio de Janeiro e Salvador, Olinda e Recife ainda discutem como devem agir.

O Carnaval do Brasil

Segundo os pesquisadores, a folia começou na época em que os portugueses chegaram no século XVI. Desde então nunca parou de ser comemorada, já existiram duas tentativas de adiar a festa Momo no país em mil oitocentos e noventa e dois devido a questões sanitárias pois o Brasil enfrentava sérias doenças como a febre-amarela. Em 1912, quando o barão de Rio Branco faleceu e foi dado como herói nacional, contudo nenhuma das tentativas deu certo. 

Buscando evitar a aglomeração na época de fevereiro devido ao calor, no século XIX os governantes decidiram com decreto passar a festa para o fim de junho coincidindo com os festejos de São João e também época de inverno. Porém quando chegou fevereiro todos foram para as ruas e mesmo com o decreto e controle de policiais nada adiantou e a festa de carnaval aconteceu. 

Na segunda tentativa devido a morte do Barão, o governo adiou a festa por dois meses por causa do luto, contudo no sábado de carnaval as pessoas foram para as ruas e o luto acabou, teve os dois festejos e o povo até inventou uma marchinha de carnaval falando sobre os festejos e a morte do Barão. 

Durante as duas guerras mundiais o carnaval também não parou, foi enviado alguns militares para a Europa, mas somente no fim da folia de mil novecentos e dezoito. Na época chegou a se discutir o cancelamento da festa, porém foi realizada mesmo assim. Já na segunda guerra mundial o Brasil teve mais participação e mesmo com as ordens do governo a festa aconteceu. 

A festa de mil novecentos e dezenove é tida como a maior de todos os tempos, a gripe chegou e matou milhões, mas com o fim dela o povo foi para as ruas comemorarem o fim daquela terrível era. 

A gripe espanhola ficou três meses no Brasil, diferentemente da covid-19 que ainda é uma ameaça para o mundo, o conselho dos especialistas é não ter folia em fevereiro de dois mil e vinte e um. Prefeitos de várias cidades recebem todos os anos muito fluxo de turistas para as festas de carnaval e tem tentado achar uma data em comum para que ninguém saia prejudicado. São Paulo foi a segunda capital a receber mais foliões no ano de dois mil e vinte e foi a primeira a confirmar o adiamento. 

Os pesquisadores alertam que devido ao histórico de não obedecer os decretos os Brasileiros podem sair às ruas para comemorar. 

Os prejuízos de não ter o carnaval em dois mil e vinte e um podem ir além dos financeiros, é claro que as cidades que mais recebem foliões podem sofrer mais impactos financeiros já que a festa rende bastante para esses locais. Mas o Brasil é conhecido como a terra do Carnaval desde a época colonial e sem ele isso pode gerar um grande impacto para a identidade do Brasil.