Justiça da Bahia intermediará atendimento médico de bebês com microcefalia


O surgimento de diversos casos de bebês com microcefalia doados para adoção levou a 1ª Vara da Infância e Juventude do Tribunal de Justiça da Bahia (TJBA) a intermediar o atendimento médico dessas crianças, junto com a Secretaria de Saúde do estado (Sesab).

De acordo com o juiz Walter Ribeiro, titular da Vara do TJBA, as crianças com microcefalia que serão encaminhadas para adoção em Salvador ainda não estão disponíveis oficialmente, já que continuam em tratamento nas unidades hospitalares em que nasceram e foram deixadas pelos responsáveis.

Como as crianças com microcefalia ainda não entraram na lista oficial de adoção da capital, o número pode aumentar e a dificuldade de encontrar famílias para elas, também.

“Já existe uma resistência em relação às crianças com aids e deficiências físicas e mentais. Com a microcefalia, pode acontecer algo parecido. Diante disso, teremos uma senha que dará acesso ao Serviço de Atenção Básica com a Sesab, que vai fazer agendamentos e buscar os auxílios aos quais a criança tem direito e haverá mais ferramentas que facilitem sua volte à família de origem ou seu encaminhamento a uma nova família”, disse Ribeiro.

microcefalia

“Pensando nessa situação [de crianças deixadas pelos pais], deslocamos equipes técnicas, com psicólogos, fisioterapeutas e assistentes sociais aos locais de acolhimento onde elas estão. Em meio a essas discussões, surgiu a parceria com a Sesab, que será um diálogo com a preocupação de que a criança tenha um atendimento diferenciado e mais rápido”, acrescentou o juiz.

Segundo Ribeiro, somente em Salvador, existem 48 crianças disponíveis para adoção e 320 famílias que pretendem adotar. A conta não fecha porque os adotantes preferem crianças do sexo feminino, brancas, com até 2 anos de idade, mas a realidade de Salvador é de crianças do sexo masculino, entre 5 e 17 anos, e negras. Esse fato alertou a unidade judicial, que buscará a garantia na prioridade do atendimento aos bebês (diagnóstico e tratamento) com microcefalia e mais segurança às famílias que vão cuidar deles, ou aos abrigos que os acolherão enquanto não são adotados.

“A maioria dos responsáveis que deixam os bebês nos hospitais e maternidades, ou até mesmo nas ruas, são pessoas que vivem em situação de vulnerabilidade, como usuários de drogas, álcool ou sem condições de criar uma criança com microcefalia. Com essas facilidades no atendimento que vamos mediar, pode ser que melhore a forma de adoção dessas crianças ou o retorno delas às famílias biológicas”, afirmou Rodrigues.

De acordo com a Sesab, o estado da Bahia registrou, entre outubro de 2015 e 14 de maio deste ano, 652 casos de microcefalia, dos quais 210 já foram confirmados e 99 descartados. O número leva em conta os novos critérios estabelecidos pelo Ministério da Saúde, que determina a microcefalia em bebês do sexo masculino com perímetro cefálico menor ou igual a 31,9 centímetros. No caso dos bebês do sexo feminino, a microcefalia é diagnosticada com perímetro igual ou abaixo de 31,5 centímetros.

Na Bahia, 141 municípios já registraram casos da malformação, dos quais 25 resultatam na morte dos bebês. O maior número de óbitos, seis, foi em Salvador.

A Sesab informou que ainda não dispõe do número de bebês com microcefalia que estão nos hospitais e poderão ser adotados.

Itabuna: núcleo de tecnologia promove inclusão digital na escola


Professores da rede municipal participam de curso Excel no NTM - Foto Divulgação 1
Professores da rede municipal participam de curso Excel no NTM – Foto Divulgação

Promover a inclusão digital de educadores e estudantes da Rede Pública Municipal de Ensino, bem como a capacitação de professores para o uso pedagógico das Tecnologias de Informação e Comunicação (TICs). Estes têm sido os principais objetivos das ações e programas desenvolvidos pelo Núcleo Municipal de Tecnologia (NTM), mantido pela Prefeitura de Itabuna, por meio da Secretária Municipal da Educação (SEC).

Neste ano, o Núcleo está propondo a capacitação de secretários escolares, gestores e professores para utilização e suporte do Sistema e-Polis, cursos de noções básicas de informática e rotinas administrativas para alunos das escolas públicas municipais. Também oferece oficinas de vídeo para alunos que serão capacitados para atuar como monitores em suas unidades escolares.

 

Segundo a coordenadora do Núcleo de Tecnologia Municipal, Maria Elizabete Pereira de Almeida, o trabalho pedagógico especializado na divulgação com capacitação para o uso das TICs nas escolas da Rede Pública Municipal de Ensino tem registrado números significativos. Ela lembra que no ano passado vários eventos foram realizados, focados na proposta de capacitação, formação e treinamento dos servidores da Secretaria Municipal de Educação, como também cursos e oficinas aos alunos de escolas municipais.

“Ao todo, foram mais de 300 atendimentos nas diferentes modalidades ofertadas. Essas formações são orientadas por critérios de qualidade que garantem aos professores adquirir as competências essenciais para iniciar ou continuar a suprir as demandas crescentes do público-alvo para a melhoria da qualidade do ensino”, disse Maria Elizabete. Atualmente, o NTM está em recesso, acompanhando o calendário da rede municipal de ensino, cujas atividades neste momento são apenas de matrículas. O ano letivo começa no dia 18 de maio.