Nova mutação do covid-19 é detectado em 5 países diferentes, Brasil é um deles


Reino Unido, Dinamarca, Holanda, Austrália e Brasil estão na lista.

André Lucas

O Reino Unido divulgou que detectou uma nova variante do covid-19, o diretor médico da Inglaterra, Matt Hancock, disse a imprensa que essa nova variante é muito mais contagiante do que o anterior. 

“Não há nenhuma evidência atual que sugira que a nova cepa cause uma taxa de mortalidade mais alta ou que afete vacinas e tratamentos, embora um trabalho urgente esteja em andamento para confirmar isso”, disse ele em um comunicado.  Além disso o Ministro ainda falou sobre a preocupação em relação ao novo vírus.

“Esta nova variante é altamente preocupante porque é ainda mais transmissível e parece ter sofrido mais mutação do que a (primeira) nova variante descoberta no Reino Unido”, o país vive um medo de que a nova variante venha ser pior que as anteriores. Outros países enxergam a situação da mesma forma e por conta disso proibiram a entrada de voos vindo do Reino Unido.

Matt disse ainda que estar sendo feito um “trabalho urgente” para saber se o novo corona vírus é mais letal ou não que o covid-19. O ministro  Hancock afirmou ainda aos deputados da Câmara dos Comuns do Reino Unido que, ao longo da última semana, houve aumentos agudos e exponenciais no número de infecções pelo coronavírus em Londres, Kent, partes de Essex e Hertfordshire. Após a divulgação das informações o Primeiro Ministro da Inglaterra Boris Jhonson informou que as medidas de isolamento serão retomada em nível de rigor maior. Nesse período de natal as restrições seriam relaxadas mas o governo voltou atrás e resolveu aplicar restrições para as reuniões familiares.  Os governos dos países vizinhos, Escócia e País de Gales, também adotaram medidas mais rigorosas por conta da aproximação.

Os casos do novo corona vírus não são exclusividades na Inglaterra, outros países também registraram casos do novo corona vírus. A Austrália por exemplo anunciou que registrou dois casos do novo covid em instalações de quarentena. A OMS confirmou que tem registros de casos na Dinamarca e Holanda do novo vírus, o que mostra que estar havendo propagação do novo Covid.

“Sabemos que essa variante foi identificada também na Dinamarca, na Holanda e houve um caso na Austrália e não se espalhou por lá, É preocupante que o vírus esteja se espalhando e tenha tantas mutações. Compreendemos que o vírus não causa infecções mais graves com base nas informações preliminares que o Reino Unido compartilhou conosco, embora esses estudos estejam em andamento para examinar pacientes hospitalizados com esta variante. Quanto mais tempo esse vírus se espalhar, mais oportunidades ele tem de mudar. Portanto, realmente precisamos fazer tudo o que pudermos agora para evitar a propagação”. Disse Maria Van Kerkhove, líder técnica da Organização Mundial dos médicos, nesse domingo, dia 20 de dezembro. 

Infelizmente as mutações do covid já foram registradas no Brasil, mas especificamente no Rio de Janeiro. Cientistas da UFRJ analisaram 180 genomas virais e detectaram mutações em 38 desses. Apesar da notícia ruim, o cientista Amilcar Tanuri, esclarece que “não há motivo para pânico”.

“Salientamos que não há motivo para pânico. Vírus estão sujeitos a mutações. A identificação dessa linhagem mostra que devemos intensificar a testagem e a vigilância genética. A descoberta também evidencia a importância das medidas de distanciamento social e o uso de máscara”.

Hospitais lotados no Rio de Janeiro e número de contágio continua subindo


Com filas nas UTIs, número de infectados sobe e preocupa especialistas

André Lucas

O Estado do Rio de Janeiro estar em uma situação grave, além de ser um dos estados mais afetados pelo covid 19, agora sofre com hospitais lotados e leitos de UTI com filas enormes de mais de 400 pessoas. Se a situação já era complicada com os hospitais de campanha sem eles a situação ficou desesperadora.  Especialistas dizem que com as festas de fim de ano o cenário só vai piorar.

Em entrevista à ”BBC”, alguns especialistas comentaram a situação. Para o infectologista Alberto Chebabo, vice-presidente da Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI) e diretor do Hospital Universitário Clementino Fraga Filho, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), disse que o principal fator para a retomada da gravidade da situação é a flexibilização das medidas restritivas.

”O Rio de Janeiro nunca teve controle completo da transmissão do vírus. O estado foi flexibilizando as medidas de isolamento social quando os casos ainda estavam em alta. As pessoas voltaram a se reunir, fazer encontros, os bares voltaram a ficar lotados e houve muitos eventos com aglomeração… Se considerarmos que a curva de casos começou a subir há 3 semanas, é provável que os números de mortes, que estão estáveis, também subam. Muitas pessoas que contraem a doença e apresentam quadro grave acabam morrendo ao longo das semanas”

O Rio estar em uma alta constantes de casos, e com hospitais lotados e as filas nas UTIs o cenário fica caótico. A Prefeitura do Rio junto ao governo do estado decidiu voltar com as medidas de restrição. Foi anunciado nessa sexta feira dia 12 de dezembro, medidas para combate a proliferação do covid-19, as medidas determinadas foram: 

• Escalonamento dos horários de funcionamento da indústria (a partir das 7h); dos serviços (a partir das 9h); e do comércio (a partir das 11h), para evitar aglomeração nos transportes públicos.

• Proibição de estacionamento na orla nos fins de semana e feriados;

• Cancelamento das áreas de lazer nas orlas de Copacabana, Ipanema e Leblon e no Aterro do Flamengo aos domingos e feriados (as pistas, portanto, não serão fechadas ao trânsito de veículos);

• Proibição do uso de áreas comuns de lazer em condomínios, onde não são usadas máscaras, como saunas e piscinas.

. Permissão para shoppings e Centros Comerciais ficarem abertos 24 horas, para evitar aglomerações nos meios de transporte.

A prefeitura informa que as ambulantes legais que ficam na orla receberão cesta básica enquanto as medidas provisórias durarem.

 Na nota oficial fala também que o governador e prefeito estão preocupados com o alto índice de transmissão das ultimas semanas, incentiva a usar máscara e lavar a mão com álcool gel, a nota fala que as medidas postas em prática visa proteger os cidadãos sem por em risco a economia. 

Os números da doença no estado é grande, são 184 mil casos e 13.844 mortes, nas últimas 24 horas o estado registrou 3.298 casos e 84 mortes. Em relação ao combate a doença, o s números são mais graves,  93% das UTIs estão lotadas e 87% das enfermarias. 436 pacientes estao aguardando leitos.

Estudo revela que coronavírus é facilmente transmitido em fase inicial da doença


O coronavírus é transmitido com muita facilidade na fase inicial da doença, quando os sintomas são leves e às vezes nem incluem febre. Foi que constatou um estudo detalhado realizado com nove pacientes alemães que se infectaram com o novo vírus.

Essa análise acaba de ser publicada no site da revista cientifica Nature, reforçando a necessidade de evitar o contato entre pessoas com quaisquer sintomas e a população em geral para retardar o avanço da doença.

O estudo foi coordenado por Christian Drosten, do Charité Universitätsmedizin Berlin, um dos mais importantes hospitais universitários da Europa. Drosten e seus colegas acompanharam os pacientes a partir do fim de janeiro de 2020, quando a primeira onda de casos da covid-19 foi detectada em Munique. Todos os doentes foram acompanhados no mesmo hospital da cidade, capital do estado da Baviera (sul da Alemanha).

De modo geral, o grupo de pacientes teve manifestações brandas da doença, com sintomas como febre, tosse, dor de cabeça e, mais raramente, sinusite e diarreia. Um deles não manifestou sintoma algum, enquanto dois chegaram a ficar com pneumonia.

O resultado principal dessa bateria de análises foi a constatação de que há um pico de produção do vírus no organismo nos primeiros cinco dias de sintomas, com uma concentração do parasita nas vias respiratórias superiores (nariz e garganta). Também havia grande quantidade do vírus em amostras de escarro, o que significa que ele também é capaz de “descer” rumo aos pulmões, conforme indicado pelos casos de pneumonia desencadeados pelo Sars-CoV-2, causador da doença.

Uma possível boa notícia oriunda das análises é que o grupo não conseguiu detectar o Sars-CoV-2 no sangue e na urina dos pacientes alemães, e as fezes, embora contivessem grandes quantidades de material genético viral, não abrigavam a forma do vírus com capacidade de replicação (reprodução). Dos nove pacientes, quatro também tiveram perda temporária do olfato e do paladar, outro efeito relativamente comum da covid-19, conforme têm mostrado outros relatos.

Além de reforçar a importância do confinamento, os dados trazem indicações importantes para o trabalho dos hospitais e para o desenvolvimento de vacinas. Numa situação em que os sistemas de saúde do mundo ameaçam colapsar, a análise dos pacientes alemães sugere que, no décimo dia após o início dos sintomas, quase não há mais potencial para a transmissão do vírus, o que permitiria a liberação desses pacientes com relativa segurança (desde que não sofram complicações).

Além disso, foi possível acompanhar passo a passo a formação de anticorpos contra o vírus. Metade dos pacientes tinham desenvolvido boa quantidade de anticorpos no sétimo dia após o início da doença, e todos tinham chegado a esse estágio 14 dias após as primeiras febres e episódios de tosse.