CDDM realiza debate sobre mulher e democracia


Foi realizado, ontem (18), na Reitoria da Universidade Federal da Bahia, o debate “O empoderamento das Mulheres, a Mídia e a Luta pela Democracia”, realizado pelo Conselho Estadual de Defesa dos Direitos das Mulheres da Bahia (CDDM).
Juristas, jornalistas, mulheres que exercem cargos públicos e ativistas dos movimentos sociais deram o tom ao debate, que teve como objetivo analisar a crise nacional, o estado democrático e de direito, tendo foco nas manifestações de machismo e misoginia que têm ganhado expressão nos meios de comunicação e no debate político entre grupos que se confrontam em torno da pauta do impeachment da presidenta Dilma Rousseff.
 Imagemparasite_Debate_18.04.16
Isto porque os permanentes ataques à Presidenta da República tem forte viés de violência de gênero, que atinge a todas as mulheres. São inúmeras as situações de tratamento misógino, mas destacamos os exemplos da recente publicação da capa e da reportagem da Revista Isto É, de 06 de abril de 2016, ou mesmo o artigo “Uma pessoa para namorar a Dilma”, do jornalista Joaquim Mota. São abordagens que transformam questões políticas em um problema de sexualidade e de incapacidade das mulheres, o que fortalece estereótipos que dificultam ou afastam as mulheres dos espaços de Poder.
Estarão presentes: Olívia Santana, Secretária Estadual de Políticas para as Mulheres da Bahia e Presidenta do CDDM; Nadja Vladi, jornalista e professora da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia; Fátima Oliveira, articulista do Portal Geledés e Conselheira da Rede de Saúde das Mulheres Latino-americanas e do Caribe; Daniela Portugal, Mestra em Direito Público e Professora da Universidade Federal da Bahia (UFBA); Rosangela Araújo, Coordenadora do Núcleo de Estudos Interdisciplinares sobre a Mulher (NEIM), Anna Carvalho, professora de Literatura.
O debate, que foi aberto ao público, foi coordenado por Cássia Virgínia Maciel, Pró- Reitora de Ações Afirmativas e Assistência Estudantil da UFBA, e contou com o apoio da Secretaria Estadual de Políticas para as Mulheres da Bahia (SPM-BA) e da UFBA.