A redação do Enem pode ser o diferencial


Com regras bem específicas a redação do Enem pode ser o terror dos candidatos

Julia Vitoria

Além das perguntas que serão respondidas os candidatos que farão a prova do Enem  neste domingo dia 17 os estudantes também irão encarar a redação, que com critérios de correção bem específicos pode ser o diferencial na nota dos alunos. O professor e fundador do Laboratório de Redação, Adriano Chan fala que não terá grandes mudanças na redação, os estudantes devem partir do tema pressuposto junto aos textos motivadores que não poderão ser copiados e então fazer uma redação dissertativa argumentativa, com uma proposta de intervenção para o problema apresentado no texto.

O professor  fala que é um equívoco o estudante pensar que precisa saber bem o tema, para ele o aluno deve saber ler bem e intérpretar o que está sendo pedido nos textos motivadores e na proposta principal do tema. 

Segundo a professora Tatiana Nunes Câmara, de língua portuguesa e produção textual do Colégio Mopi, a estrutura não altera, o que muda são os argumentos que o estudante usará para compor o texto, ela acredita que quando o estudante sabe a estrutura do texto ele consegue condiz melhor com a redação.

Alguns professores ressalta a importância dos estudantes treinaram a redação de de forma manuscrita, devido a pandemia do coronavírus, este ano as aulas foram onlines e os alunos entregaram a redação de forma digitada não treinando a função motora, é importante que o estudante treine bastante para conseguir administrar o tempo, este ano também os estudantes deverão usar máscaras, um dos itens obrigatórios para fazer a prova devido às condições do país. Para a professora  Tatiana escrever de máscara é diferente e os estudantes devem revisar as redações já feitas e pesquisar sobre os temas que estão sendo comentados. 

Os estudantes podem acessar a cartilha de redação do Enem 2020 publicada pelo Inep, nesta cartilha estão os critérios de correção e exemplos de degradação que tiraram nota mil no exame de 2019. As relações passam por cinco competências na hora de serem corrigidas elas são: demonstrar domínio da modalidade escrita formal da língua portuguesa; compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo em prosa; selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista; demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação; e elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos. 

Cada prova é avaliada por todos corretores e se a diferença de pontos for muito alta um terceiro corretor é acionado caso ainda haja muita diferença uma banca de corretores avaliam o texto.

Para participar dos programas do governo com a nota da prova os alunos não podem zerar a redação, os critérios que podem anular a nota são: 

fuga total ao tema;

não obediência ao tipo dissertativo-argumentativo;

Navegar

Busca

Geral

Entretenimento

Economia

Saúde

Trabalho

Polícia

Política

Esportes

Vídeos

Colunas

Cidades

Blogs

ECONOMIA

MAIS NOTÍCIAS 

ESPECIAL

Carreiras e Profissões

Caminhos do Desenvolvimento

Transformação Digital

Nova Previdência

Especial Mercado Imobiliário

Saque do FGTS

Marcas Ícones 2020

SAÚDE

MAIS NOTÍCIAS 

ESPECIAL

Especial Mente e Corpo

POLÍTICA

MAIS NOTÍCIAS 

TRABALHO

MAIS NOTÍCIAS 

FV Currículos

GERAL

MAIS NOTÍCIAS 

Instituto Américo Buaiz

Publicidade Legal

ESPECIAL

Tragédia em Brumadinho

Riquezas de Norte a Sul

Especial Mulher

Especial Torta Capixaba

Especial Educação

Adote uma Causa

Chuva no Espírito Santo

Meio Ambiente

Conflito EUA X IRÃ

Coronavírus

Cidades: O Novo Normal

Helio Dórea – 65 Anos De Colunismo Diário

MULTIVERSO CORPORATIVO

Quero Ser

Quero Ter

Quero Aparecer

Quero Voltar a Vencer

ENTRETENIMENTO

MAIS NOTÍCIAS 

HOTSITES

Mais Doce

ESPECIAL

Conexão Verão

Carnaval 2020

POLÍCIA

MAIS NOTÍCIAS 

ESPORTES

MAIS NOTÍCIAS 

ESPECIAL

Geração Gamer

Circuito Rede Vitória de Tênis

Circuito Rede Vitória de Golf

VÍDEOS

MAIS VÍDEOS 

TV VITÓRIA

ES no Ar

Balanço Geral

Fala ES

Cidade Alerta

Jornal da TV Vitória

FOLHA VITÓRIA

De Olho no Poder

ELEIÇÕES 2020

Pesquisa eleitoral: análise de cenário

COLUNAS

SOCIAIS

Helio Dórea

Andrea Pena

ECONOMIA

Mundo Business

Imóvel Para Você

ENTRETENIMENTO

Resenhando

BLOGS

GERAL

Livre Pensar

Empregos e Concursos

Mídia & Mercado

Pet Blog

Vem Ler Comigo

Direito ao Direito

Bem Pensado

Viva Mais

Educatech

Momento Décor

Gente e Gestão

Virginia Pelles

Português em Dia

Priorize Você!

Economia Circular

Radar

ENTRETENIMENTO

Na Balada

Espaço Gourmet

Folhinha Kids

ECONOMIA

Carro, Moto e Cia

Gestão e Resultados

Faz a Conta

SAÚDE

Mente Sã

Em Forma!

POLÍTICA

De Olho no Poder

Esplanada

Guia Eleições 2020

ESPORTES

Corrida de Rua

Louca por Esportes

No Pique

CIDADES

Domingos Martins

Guarapari

CLICARROS

IR PARA O SITE 

GERAL

Enem: conheça os critérios de correção da redação

Com regras específicas de correção, redação pode ser o diferencial

Redação Folha Vitória

13 de Janeiro de 2021 às 06:06

Atualizado 13/01/2021 06:06:33

Foto: Divulgação

No domingo (17), milhões de estudantes de todo o país farão a primeira prova da edição impressa do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020. Além de responder às questões objetivas de linguagens e ciências humanas, os participantes farão a prova de redação, a única parte subjetiva do exame. Com critérios específicos de correção, a redação pode ser o diferencial na nota dos estudantes.

“A primeira coisa é que a prova não vai ter grandes mudanças na redação”, diz o professor e fundador do Laboratório de Redação, Adriano Chan. Na prova, os estudantes devem, a partir do tema proposto e dos textos motivadores – que não podem ser copiados – escrever um texto em prosa do tipo dissertativo-argumentativo. Os participantes devem defender uma tese, ou seja, uma opinião a respeito do tema proposto, apoiada em argumentos consistentes. Devem também elaborar uma proposta de intervenção social para o problema apresentado no desenvolvimento do texto.

“É um equívoco o aluno acreditar que precisa saber bem do tema. Tem que saber ler bem o que está na proposta, identificar os desafios que estão na proposta em relação ao tema principal. Isso é muito importante. Não é achar qualquer problema, mas um problema dentro do universo proposto e relacionar esse desafio com o conteúdo adquirido e aprendido”, afirma Chan.

“A estrutura não muda, o que vai alterar é a argumentação que o estudante vai ter que construir em função do tema. Eu acredito que quando o aluno conhece bem a estrutura da redação, o tema que vier ele vai conseguir fazer”, diz a professora Tatiana Nunes Câmara, de língua portuguesa e produção textual do Colégio Mopi.

Para os professores, os estudantes devem, na reta final para a aplicação do exame, treinar a escrita, em papel, como será feito no dia da prova, usando máscara de proteção facial, item obrigatório este ano por causa da pandemia do novo coronavírus. “[Com as aulas sendo realizadas de forma remota], geralmente o estudante tem de entregar a redação digitada e não está treinando a questão do exercício motor de escrever a redação. É importante que o aluno faça o treino da escrita no papel, até para que não seja pego de surpresa em relação ao tempo”.

“Escrever de máscara é diferente. Recomendo treinar a redação de máscara, contando o tempo”, acrescenta Tatiana. “Seria interessante agora revistar as redações que fizeram e foram corrigidas pelos professores, para que possam dar uma olhada na estrutura e nas orientações. Acho que também vale a pena observar temas que as pessoas têm falado ou assuntos que estão mais em voga, fazer uma espécie de retomada desses enfoques temáticos”, sugere.

Correção

Para ajudar no preparo para a prova, os estudantes podem acessar a cartilha da redação do Enem 2020, divulgada pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Na cartilha, estão detalhados os critérios de correção da redação e como é feita essa correção. Estão disponíveis também exemplos de redação que tiraram a nota máxima, nota 1 mil, na edição do Enem de 2019.

Este ano, o Inep divulgou também, de forma inédita, as apostilas de capacitação dos corretores de redação, elaboradas para a edição de 2019. Assim, é possível saber o que os corretores levam em consideração na hora de atribuir notas às provas.

As redações do Enem são avaliadas em cinco competências, cada uma vale 200 pontos: demonstrar domínio da modalidade escrita formal da língua portuguesa; compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo em prosa; selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista; demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação; e elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.

Cada prova passa por dois corretores. Caso haja uma diferença de mais de 100 pontos em relação à nota total da prova ou de mais de 80 pontos em relação a alguma das competências, o texto passa, então, por um terceiro corretor. Se a diferença persistir, a prova é avaliada por uma banca composta por três professores, que atribuiu a nota final do participante.

Motivos para nota zero

Para participar de programas como o Sistema de Seleção Unificada (Sisu), que oferece vagas em instituições públicas de ensino superior, e o Programa Universidade para Todos (ProUni), que concede bolsas de estudo em instituições privadas de ensino superior, é necessário não ter tirado zero na redação. A redação receberá nota zero se apresentar uma das características a seguir:

 fuga total ao tema;

não obediência ao tipo dissertativo-argumentativo;

extensão de até sete linhas manuscritas, qualquer que seja o conteúdo, ou extensão de até dez linhas escritas no sistema Braille;

cópia de texto(s) da Prova de Redação e/ou do Caderno de Questões sem que haja pelo menos oito linhas de produção própria do participante;

impropérios, desenhos e outras formas propositais de anulação, em qualquer parte da folha de redação;

números ou sinais gráficos sem função clara em qualquer parte do texto ou da folha de redação;

parte deliberadamente desconectada do tema proposto;

assinatura, nome, iniciais, apelido, codinome ou rubrica fora do local devidamente designado para a assinatura do participante;

 texto predominante ou integralmente escrito em língua estrangeira;

folha de redação em branco, mesmo que haja texto escrito na folha de rascunho; e texto ilegível, que impossibilite sua leitura por dois avaliadores independentes.

Neste ano, cerca de 5,8 milhões de estudantes estão inscritos para realizar a prova, devido a pandemia foram criadas duas provas, impressas e digitais, impressas serão aplicadas nos dias 17 e 24 de janeiro e as digitais nos dias 31 e 7 de fevereiro.

As medidas de segurança para a prova contará com o número reduzido se estudante por sala isso de máscaras obrigatórias sendo que o estudante pode ter risco de ser eliminado caso não use e o álcool em gel ficará disponível em todos os ambientes de aplicação da provas.

Prouni oferece 90 mil bolsas remanescentes


Uma boa notícia para quem tem planos de cursar uma universidade. A partir de hoje, estão abertas as inscrições para as vagas remanescentes do Prouni. São 90 mil bolsas não preenchidas no processo seletivo regular para o 2º semestre de 2020. O prazo de inscrição vai até 30 de setembro pela página do Prouni (prouniportal.mec.gov.br).

Nesta edição, o prazo de inscrição será único, tanto para candidatos não matriculados na instituição de ensino superior para a qual desejam se inscrever para disputar uma bolsa remanescente, como para candidatos já matriculados na mesma instituição para a qual querem fazer a inscrição.

Para concorrer às bolsas integrais (100%), o estudante deve comprovar renda familiar bruta mensal, por pessoa, de até 1,5 salário mínimo. Para as bolsas parciais (50%), a renda familiar bruta mensal deve ser de até 3 salários mínimos por pessoa.

Lista de espera do ProUni aceita inscrições até amanhã


Começa hoje (15) e vai até amanhã (16) o prazo para participar da lista de espera do Programa Universidade para Todos (ProUni). A adesão deve ser feita através da página http://siteprouni.mec.gov.br/ .

Podem participar da lista de espera os candidatos que não foram selecionados na primeira opção de curso feita na hora da inscrição em nenhuma das duas chamadas regulares do programa.

Além disso, podem participar aqueles que foram selecionados para a segunda opção, mas cuja turma não foi formada. Esses estudantes concorrem a vagas para a primeira opção de curso.

Podem concorrer a vagas para a segunda opção de curso aqueles cujas turmas da primeira opção não foram formadas ou as bolsas da primeira opção não foram disponibilizadas. A relação dos candidatos em lista de espera será divulgada no dia 18.

Todos os candidatos participantes da lista terão que comparecer, entre os dias 19 e 22 de julho, às respectivas instituições para apresentar a documentação para comprovação das informações prestadas na inscrição.

A lista de espera será usada pelas instituições de ensino para preencher as vagas que, após a primeira e a segunda chamadas, permanecerem disponíveis. Ao todo, serão ofertadas para o segundo semestre deste ano 169.226 bolsas de estudos em instituições particulares de ensino superior, sendo 68.087 bolsas integrais, de 100% do valor da mensalidade, e 101.139 parciais, que cobrem 50% do valor da mensalidade.

As bolsas integrais são destinadas a estudantes com renda familiar bruta per capita de até 1,5 salário mínimo.

As bolsas parciais contemplam os candidatos que têm renda familiar bruta per capita de até 3 salários mínimos. O ProUni é voltado para  candidatos que não tenham diploma de curso superior e que tenham participado do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2018.

Além disso, os estudantes precisam ter cursado o ensino médio completo em escola pública ou em instituição privada como bolsistas integrais.

É preciso ter obtido ainda nota mínima de 450 pontos na média aritmética das notas nas provas do Enem. Também podem se inscrever no programa estudantes com deficiência e professores da rede pública.

ProUni recebe inscrições


Na próxima terça-feira (11) serão abertas as inscrições para o Programa Universidade para Todos (ProUni) do segundo semestre de 2019. O programa oferta bolsas de estudo em instituições particulares de ensino superior.

O prazo para participar da seleção vai até 14 de junho. A inscrição deverá ser feita pela internet, no site do ProUni. É preciso informar o número de inscrição no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2018 e a senha.

Podem se inscrever candidatos que não tenham diploma de curso superior e que participaram do Enem 2018. É necessário ter obtido uma nota mínima de 450 pontos na média aritmética nas provas do Enem. Outra exigência é a de que o aluno não tenha tirado zero na redação.

Cada estudante precisa ter cursado o ensino médio completo em escola pública ou em instituição privada como bolsista integral. Também podem participar do programa estudantes com deficiência e professores da rede pública.

Bolsas

As bolsas de estudo ofertadas são parciais e integrais. Sendo as últimas destinadas a estudantes com renda familiar bruta per capita de até 1,5 salário mínimo. Já as bolsas parciais contemplam os candidatos que têm renda familiar bruta per capita de até 3 salários mínimos.

Resultado

A divulgação do resultado da primeira chamada está prevista para 18 de junho deste ano. Já a segunda chamada será no dia 2 de julho. O candidato pré-selecionado deverá comparecer à respectiva instituição de ensino superior para comprovação das informações no período de 18 a 25 de junho, caso tenha sido selecionado na primeira chamada e de 2 a 8 de julho na segunda. A lista de espera, caso as vagas não sejam ocupadas, fica disponível no site para consulta pelas instituições de ensino no dia 18 de julho.

 

ProUni recebe inscrições até o dia 9


Os estudantes interessados em obter uma bolsa de estudos por meio do Programa Universidade para Todos (ProUni) já podem fazer sua inscrição na página do programa na internet. O prazo para as inscrições começou nesta terça-feira (06/02) e vai  até sexta-feira (09/02).

O ProUni oferece bolsas de estudo integrais e parciais (50%) em instituições privadas de educação superior, em cursos de graduação e sequenciais de formação específica. Podem concorrer brasileiros sem diploma de curso superior que tenham participado do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em 2017 e não tenham zerado a prova.

 É necessário, ainda, que o candidato atenda a pelo menos uma das seguintes condições: ter cursado o ensino médio completo em escola pública ou em instituição privada como bolsista integral, ter alguma deficiência, ser professor da rede pública ou estar enquadrado no perfil de renda exigido pelo programa. A bolsa integral é oferecida a candidatos com renda per capita mensal de até 1,5 salário mínimo e bolsa parcial para candidatos cuja renda familiar mensal seja de até três salários mínimos.

O processo seletivo é composto por duas chamadas sucessivas. O resultado com a lista dos candidatos pré-selecionados na primeira chamada deve ser divulgado no dia 14 deste mês. A divulgação do resultado da segunda chamada está prevista para 2 de março.

MEC abrirá nos vagas para Fies


O ministro da Educação, Mendonça Filho, informou que garantirá novas inscrições para o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) a partir de junho – e não mais para o fim do ano, conforme previsão inicial revelada pelo jornal “O Estado de S. Paulo” nesta segunda-feira, 23.

Mendonça afirma que encontrou o programa sem recursos, mas que conseguiu negociar com o Ministério do Planejamento orçamento para novas candidaturas. “Com a garantia de recursos, a equipe técnica do MEC está trabalhando para, até o final de junho, anunciar o processo das novas inscrições do Fies”, disse o ministério, em nota.

o-PILE-OF-BOOKS-facebook

O jornal apurou que o novo ministro assumiu compromisso de dar continuidade aos programas educativos iniciados ou fortalecidos na Era PT (Fies, ProUni e Pronatec), mas que novas vagas dependeriam exclusivamente de um balanço financeiro que, segundo interlocutores do MEC, não seria otimista para este ano.

Mendonça confirma, por exemplo, que o orçamento do Pronatec já está zerado para 2016. Porém, afirmou que o programa não será interrompido. “O MEC está buscando outra solução junto ao Sistema S, o que vai assegurar as novas vagas do Pronatec”, disse a nota.

Prouni tem bolsas remanescentes


As inscrições para as bolsas remanescentes do Programa Universidade para Todos (Prouni) começam nesta quarta-feira (23), e devem ser feitas pelo site do programa. O prazo vai até o dia 31 deste mês. O MEC não divulgou o total de bolsas que restaram e serão disponibilizadas. Neste primeiro semestre foram ofertadas 203.602 bolsas de estudo em universidades particulares – uma queda de 4% em relação ao ano passado.
prouni
No total, mais de 550 mil pessoas se inscreveram. De acordo com o ministério, as bolsas remanescentes não terão efeito retroativo, ou seja, são válidas a partir da data de emissão do correspondente Termo de Concessão. Podem participar estudantes egressos do ensino médio da rede pública; estudantes egressos da rede particular, na condição de bolsistas integrais da própria escola; estudantes com deficiência e professores da rede pública de ensino, no efetivo exercício do magistério da educação básica, integrantes de quadro de pessoal permanente de instituição pública.
Neste último caso, não é necessário comprovar renda. É necessário ter participado do Enem 2015 e obtido no mínimo 450 pontos na média das notas do exame. Não é permitido se inscrever caso a nota da redação tenha sido zero. Os estudantes serão classificados de acordo com as notas obtidas no Enem – e selecionados para apenas uma das opções de curso em que se inscreveram, respeitando a ordem de preferência. Em caso de empate, será classificado aquele com maior nota, nesta ordem: em redação, linguagens, matemática, ciências da natureza e ciências humanas. Para concorrer às bolsas integrais, o candidato deve comprovar renda familiar bruta mensal, por pessoa, de até um salário mínimo e meio. Para as bolsas parciais (50%), a renda familiar bruta mensal deve ser de até três salários mínimos por pessoa. (Agência Brasil)