Estupro coletivo no Rio de Janeiro choca o Brasil


Um estupro coletivo de uma jovem de 16 anos chocou o Rio de Janeiro e causou comoção nas redes sociais após imagens do crime terem sido divulgadas pelos próprios suspeitos dele no Twitter.

O vídeo que foi amplamente compartilhado nas redes sociais tem cerca de 40 segundos de duração e mostra a garota deitada e desacordada enquanto os rapazes conversam ao fundo. “Engravidou de 30”, diz um deles. Em uma das fotos divulgadas também pelo Twitter é possível até ver o rosto de um deles, que posa para a câmera em frente à menina.

O fato é ainda mais chocante porque revela a certeza da impunidade de estupradores, segundo a promotora de Justiça e coordenadora do Grupo Especial de Enfrentamento à Violência contra a Mulher (GEVID), do Ministério Público do Estado de São Paulo, Silvia Chakian, que é especialista no tema.

“Mostra a certeza total da impunidade desses criminosos, que agem em grupo e que gravam e publicam a própria prova do crime que praticaram. Mostra o descaso pra eventuais responsabilizações, descaso com a Justiça”, afirma à BBC Brasil.

“Um deles revela até a autoria, o rosto. Qual é a mensagem que ele está passando? É de ‘eu não acredito na lei, na polícia, na Justiça, eu não tô nem aí’. Essa mensagem não pode ficar para sociedade.”

Chakian opina que a maneira como o vídeo foi compartilhado pelos suspeitos do estupro, que mostravam “orgulho” pelo crime praticado, é um sinal de como a “violência contra a mulher é naturalizada no Brasil”.

“O (episódio) mostra que praticar crime dessa natureza é motivo de vaidade, de ser ostentado”, diz.

“Não tem 30 monstros juntos. Não tem patologia nisso. É uma questão cultural. São 30 pessoas que participaram do crime e nenhuma delas agiu para evitar que aquele crime acontecesse. Isso revela uma sociedade criminosa e violenta contra a mulher. Que enxerga que o corpo da mulher é feito para o homem usufruir.”

O crime foi bastante agravado, segundo a promotora, pela exposição das imagens da garota na web.

“A impunidade anda de mãos dadas com a violência. Precisa haver uma punição exemplar e essa punição tem que ser divulgada para que a sociedade saiba. Temos que conscientizar essa sociedade de que quem compartilha, quem faz piada, (está agindo de modo) tão grave quanto ao do estuprador.”

estupro

Comoção
O vídeo começou a ser compartilhado nas redes sociais na noite da última quarta-feira e logo despertou uma enxurrada de comentários – alguns em tom de comoção e revolta, e outros em tom jocoso.

A exposição do caso na web, porém, também fez com que centenas de pessoas se mobilizassem para reportar os autores do vídeo ao Ministério Público do Rio de Janeiro. Até a manhã desta quinta-feira, o órgão já havia recebido mais de 800 denúncias relacionadas ao episódio.

“O lado positivo nesse mar de crueldade é que foi graças à revolta da internet, dos usuários, que as denúncias chegaram em um número muito grande ao Ministério Público”, o que pode ajudar a polícia na identificação de responsáveis, disse Chakian. Segundo a TV Globo, a polícia civil do Rio já identificou um suspeito do crime e outros dois de terem divulgado as imagens online.

“A internet não pode ser encarada só no aspecto negativo. Ela também é usada como veículo de empoderamento das pessoas para denunciar. As pessoas conseguiram denunciar com a mesma velocidade com que o vídeo foi divulgado.”

Além da busca pelos suspeitos, a polícia do Rio de Janeiro está identificando também as pessoas que compartilharam o vídeo e endossaram o crime nas redes sociais. Segundo a promotora de São Paulo, não existe tipificação específica para o ato de compartilhar vídeos íntimos na internet, mas casos assim podem ser encaixados em “apologia ao crime” ou “crime contra a honra”.

“É bem verdade que a nossa legislação não acompanhou a evolução tecnológica. Mas esse caso pode se encaixar em violação da privacidade, que é crime mais grave no Estatuto da Criança e do Adolescente. É apologia ao crime, é crime contra a honra.”

“As pessoas têm que entender que os que compartilharam são tão criminosos e conduta deles foi tão violenta quanto à do estupro em si”, opinou Chakian.

‘A Índia é aqui’
Além do episódio no Rio de Janeiro, vieram a público recentemente também outros dois casos de estupro coletivo – ambos no Piauí, um no ano passado e outro na última semana. A promotora de São Paulo explicou que crimes graves contra a mulher como esses tendem a ser mais comuns em países onde a desigualdade de gênero é mais acentuada.

“As pessoas falam da Índia e se chocam a cada caso de estupro lá, mas a Índia é aqui. Gerou repercussão o caso de lá, mas a nossa realidade é similar”, disse.

No Brasil, uma mulher é estuprada a cada 11 minutos, segundo os dados divulgados pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública no final do ano passado. Em 2015, o país registrou 47.646 casos de estupros.

“Por tudo isso, esse caso precisa de uma punição exemplar. E acima de tudo, precisamos fazer um trabalho de educação de gênero, de respeito ao corpo da mulher e aos direitos dela.”

Dirceu é condenado a 23 anos de prisão por corrupção e lavagem de dinheiro


O juiz federal Sérgio Moro, responsável pela Operação Lava Jato, condenou o ex-ministro José Dirceu a 23 anos e três meses de prisão pelos crimes de corrupção, de lavagem e de pertinência à organização criminosa. A pena deverá ser cumprida inicialmente em regime fechado. Cabe recurso da condenação.

No mês passado, o Ministério Público Federal (MPF) pediu à Justiça Federal do Paraná a condenação do ex-ministro José Dirceu, do ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto, e de mais 13 réus da ação penal decorrente da 17ª fase da Operação Lava Jato, batizada de Pixuleco. O pedido foi feito nas alegações finais.

No pedido, o MPF acusa Dirceu dos crimes de organização criminosa, corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Na decisão, o juiz lembrou que o ex-ministro já foi condenado anteriormente pelo Supremo Tribunal Federal (STF), por corrupção passiva, na Ação Penal 470, o caso do mensalão. Com relação à Lava Jato, a decisão diz que “a prática do crime corrupção envolveu o recebimento de cerca de R$ 15 milhões em propinas, considerando apenas a parte por ele recebida”.

“O mais perturbador, porém, em relação a José Dirceu de Oliveira e Silva consiste no fato de que recebeu propina inclusive enquanto estava sendo julgado pelo Plenário do Supremo Tribunal Federal na Ação Penal 470, havendo registro de recebimentos pelo menos até 13/11/2013. Nem o julgamento condenatório pela mais Alta Corte do País representou fator inibidor da reiteração criminosa, embora em outro esquema ilícito. Agiu, portanto, com culpabilidade extremada, o que também deve ser valorado negativamente”, diz a decisão.

DF - MENSALÃO/JOSÉ DIRCEU/PRISÃO DOMICILIAR - POLÍTICA - O ex-ministro da Casa Civil José Dirceu, condenado no processo do mensalão, é visto saindo do Centro de Progressão Penitenciária (CPP), em Brasília, rumo ao seu trabalho em um escritório de advocacia. O ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), autorizou que Dirceu passe a cumprir em casa a pena a ele imposta. Condenado a 7 anos e 11 meses de prisão, ele cumpre a pena desde 15 de novembro do ano passado no regime semiaberto, em que tem permissão para sair durante o dia para trabalhar e retornar à noite para a prisão. 29/10/2014 - Foto: DIDA SAMPAIO/ESTADÃO CONTEÚDO
José Dirceu Foto: Dida Sampaio

“Entre os crimes de corrupção, de lavagem e de pertinência à organização criminosa, há concurso material, motivo pelo qual as penas somadas chegam a vinte e três anos e três meses de reclusão, que reputo definitivas para José Dirceu de Oliveira e Silva. Quanto à multa, devem ser convertidas em valor e somadas”, diz a sentença de Moro.

Além do ex-ministro, a decisão de Moro traz também a sentença para mais 13 pessoas entre elas, João Vaccari Neto, ex-tesoureiro do PT, por corrupção passiva. Vaccari foi condenado a 9 anos de prisão. A pena será cumprida inicialmente em regime fechado.

“A prática do crime de corrupção envolveu o pagamento de R$ 46.412.340,00, um valor expressivo. Um único crime de corrupção envolveu pagamento de cerca R$ 28 milhões em propinas. Mesmo considerando que João Vaccari Neto não recebeu esses valores, os acertos se faziam com sua participação. Consequências também devem ser valoradas negativamente, pois o custo da propina foi repassado à Petrobras, através da cobrança de preço superior à estimativa, aliás propiciado pela corrupção, com o que a estatal ainda arcou com o prejuízo no valor equivalente”, diz a decisão de Moro.

Fonte: Agência Brasil

Quadrilha é capturada com armas e drogas em Itatim


Através de denúncia, policias da Delegacia Territorial de Itatim, município distante 132 quilômetros de Salvador, prenderam no último dia 4, Junival Brito, Alex Brito, Érico Lima e Érica Lima, integrantes de uma quadrilha que vinha cometendo assaltos em cidades da microrregião de Feira de Santana, no Centro Norte baiano.

Fotos: SSPBA
Fotos: SSPBA

Ao realizar buscas na residência onde se encontrava o quarteto, os investigadores encontraram cinco espingardas de fabricação artesanal adaptadas para o calibre 12 com grande quantidade de munição, um revólver 32 com numeração parcialmente suprimida, além de 54 pedras de crack, quatro aparelhos de telefone celular, duas facas tipo peixeira e R$ 385,00.

A quadrilha foi apresentada e autuada em flagrante pelo delegado titular da DT de Itatim, Alex Wendel, e já. se encontra recolhida na carceragem da unidade, à disposição da Justiça.

SP divulga novas cartas Baralho do ‘Crime’


Brinque e também colabore com o trabalho da polícia. Viu ou conheceu a imagem de alguma das cartas? Ligue para o (71) 3235-0000.

A Secretaria da Segurança Pública divulgou, na tarde desta terça-feira (19), as novas imagens que estampam o ‘Baralho do Crime’, ferramenta lúdica criada pela SSP para que a população fixe na memória a fisionomia dos criminosos mais procurados do estado e colabore com o trabalho policial.

Foram substituídas as cartas Quatro de Espadas, Seis de Paus, Dois de Paus e Seis de Ouros. O novo Quatro de Espadas é o homicidaTarcísio Antônio Silva Itaparica, o “Bibiu”, que atua na Cidade Baixa, na capital baiana, Ele substitui Mizael Siva Santos, o “Miza”, já custodiado.

O naipe de Paus ganhou duas novas cartas: Lázaro Raimundo Dantas da Silva Junior, o “Maré”, homicida e traficante de drogas, é o Seis e o homicida Ânderson Souza dos Santos, o “Baço”, o Dois. Enquanto Maré, que atua no Lobato, substituiu Edmário Lima Cunha, com punição extinta, Baço, conhecido por agir no Pau Miúdo, ocupa o lugar de Everaldo Rocha dos Santos,o “Everaldinho”, morto em confronto.

Thiago Adílio da Silva, o “Coruja”, indiciado por homicídio qualificado e procurado também por tráfico de drogas, irá substituir Rogério de Jesus Santiago, o “Rogerinho”, já preso, como Seis de Ouros.

Criado há cinco anos, o ‘Baralho do Crime’ tem dado resultados positivos. Já foram atualizadas 99 cartas e 65 dos procurados presos, Ao entrarem em confronto com a polícia, 19 criminosos acabaram mortos. Já 15 bandidos tiveram o mandado de prisão revogado ou punição extinta.

Caso você tenha visto um destas imagens, entre em contato com a polícia e colabore para fazer uma Bahia mais segura. O número do Disque-Denúncia é (71) 3235-0000.

Risp/Sul tem maior redução de crimes violentos em números absolutos


De acordo com informações da Secretaria de Segurança Pública da Bahia, a  Região Integrada de Segurança Pública do sul (Risp/Sul) alcançou o maior índice de redução nos Crimes Violentos Letais Intencionais em 2015, em comparação com o ano de 2014, em números absolutos.  No total, 117 vidas foram poupadas no ano passado, quando o número de mortes caiu de 1201 para 1084, uma redução de 9,7%, ultrapassando a meta estabelecida de 6%. Em porcentagem, a Risp/Sul teve a segunda maior redução do estado.

O secretário da Segurança Pública, Maurício Teles Barbosa, apresentou os índices estatísticos da região na manhã desta sexta-feira (8), durante reunião realizada em Ilhéus, com a participação de comandantes e delegados responsáveis pelos municípios envolvidos.

Foto: SSPB
Foto: SSPB

Barbosa parabenizou as equipes que conseguiram ultrapassar a meta de redução no número de CVLIs e cobrou mais esforços aos profissionais das Áreas Integradas de Segurança Pública (Aisps) que não conseguiram reduzir os índices dentro do esperado.

Policiais integrantes das Aisps da Rips/Sul que conseguiram atingir a meta receberão o Prêmio por Desempenho Policial (gratificação destinada aos profissionais pelo alcance da redução de CVLIs). No sul, as Aisps de Ilhéus, Itabuna, Eunápolis alcançaram as reduções.

No total, 9884 servidores receberão a premiação em todo o estado, um investimento de R$15 milhões. O secretário da SSP acredita que a gratificação funciona como um grande estímulo para os profissionais da área.  Ainda durante a reunião da Risp/Sul, Barbosa chamou a atenção sobre a dinâmica da criminalidade e a necessidade de o policiamento trabalhar com a prevenção de crimes.

 “É uma disputa que não tem trégua. Mesmo com o resultado positivo, temos que continuar trabalhando para melhorar ainda mais o panorama atual e encerrarmos 2016 com índices de redução ainda maiores”, ressaltou. Outro destaque do policiamento realizado na região foi o aumento no número de mandados cumpridos, que cresceu de 558 em 2014 para 719 em 2015.

Professora é assassinada após terminar relacionamento


Uma professora, identificada como Marilene Silva, de 37 anos, foi morta pelo ex-namorado, no município de Maiquinique, localizado no sul da Bahia, neste último domingo (3). Segundo informações da delegacia da cidade, a mulher havia terminado o relacionamento com Adenildo Ferreira de Aragão, 27 anos, no dia anterior ao crime.
De acordo com a polícia, os dois já haviam morado juntos, porém há quatro meses viviam em casas diferentes. No sábado (2), Marilene optou por terminar o relacionamento definitivamente, mas, no dia seguinte, a mulher foi surpreendida por visita do ex-namorado.
Professora-morta (1)
Depois de uma breve discussão pela janela da casa onde ela morava com o filho caçula de 17 anos, Adenildo invadiu a residência e esfaqueou a professora em diversas partes do corpo. Ela não resistiu aos ferimentos e morreu no local. Já o adolescente de 17 anos, que presenciou o momento do assassinato, não foi ferido. De acordo com a polícia, o criminoso não tentou atacar o jovem.
Após golpear a professora, o homem tentou se matar usando a mesma faca. Vizinhos chamaram a polícia e o homem foi socorrido e levado para o Hospital Base de Vitória da Conquista. Ele recebeu alta na segunda-feira (4), e foi encaminhado até a delegacia de Maiquinique, onde segue preso nesta terça (5). Adenildo, prestará depoimento à polícia e está à disposição da Justiça. Depois do assassinato, o corpo da professora foi removido por uma equipe do Departamento de Polícia Técnica (DPT), que fará a necropsia.

Crimes violentos têm redução de 9,8% na Risp Atlântico


A Região Integrada de Segurança Pública (Risp) Atlântico, que engloba sete Áreas Integradas de Segurança Pública (Aisp), totalizando 45 bairros de Salvador, teve em 2015, numa comparação com o ano anterior, uma redução de 9,8% os Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLI). Foram 29 cidadãos que deixaram de ser vítimas de homicídio, latrocínio (roubo seguido de morte) e de lesão corporal seguida de morte.

Os dados foram anunciados na reunião da Risp/Atlântico, promovida nesta sexta-feira (1º) pela Secretaria da Segurança Pública, sob a coordenação do secretário Maurício Teles Barbosa e a participação da alta cúpula das polícias Militar, Civil e Técnica e do Corpo de Bombeiros.

4 5
De pé o Secretário da Segurança Pública, Maurício Teles Barbosa Foto: Jorge Cordeiro

O encontro foi realizado no auditório da Secretaria da Agricultura, Pecuária, Irrigação, Pesca e Aqüicultura e, em números absolutos no ano de 2015, a polícia contabilizou 274 CVLIs, contra 303 registros em 2014.

“Começamos a intensificar no ano passado os encontros com os comandantes e delegados das Risps de Salvador, com o objetivo de combater a dinâmica das organizações criminosas”, explicou o secretário da Segurança Pública, Maurício Teles Barbosa, ao lembrar que as reuniões “servem também para ampliar a aproximação das forças policiais, através da troca de informações e da formatação de operações”.

A RISP Atlântico é composta pelos seguintes bairros: Acupe, Boa Vista de Brotas, Brotas, Candeal, Comes de Farias, Engenho Velho de Brotas, Luiz Anselmo, Matatu, Santo Agostinho, Vila Laura, Alto das Pombas, Calabar, Engenho Velho da Federação, Federação, Ondina, Rio Vermelho, Boca do Rio, Costa Azul, Imbuí, Jardim Armação, Pituaçu, Stiep, Aeroporto, Alto do Coqueirinho, Bairro da Paz, Cassange, Itapuã, Jardim das Margaridas, Mussurunga, Nova Esperança, Patamares, Piatã, São Cristóvão, Stella Maris, Barra, Graça, Vitória, Amaralina, Chapada do Rio Vermelho, Nordeste de Amaralina, Santa Cruz, Vale das Pedrinhas, Caminho das Árvores, Itaigara e Pituba.

Fonte: Alberto Maraux SSP

Polícia Militar apreende 3.300 explosivos no município de Ibitiara


 

2

Quatro guarnições da 29ª Companhia Independente da Polícia Militar da cidade de Seabra, após denúncia anônima, apreenderam no povoado de Aguada, no município de Ibitiara, 3.300 artefatos explosivos. As “bananas de dinamite” foram encontradas na residência de Lildenir Vieira de Macedo da Silva, 42 anos. Durante depoimento, a mulher indicou que o material pertence a seu irmão José Vieira de Macedo, mais conhecido com “Zé Baiano” e a um homem de prenome Rogério. Ambos não estavam na residência na hora da ação policial.

A grande quantidade de explosivos estavam divididos em 81 sacos com artefatos granulados, 47 sacos emulsificados (cada um contendo mais ou menos 70 explosivos), além de 11 rolos de cordel (utilizado como estopim) e uma caixa com 1.000 espoletas de detonação. Lildenir e todo o material foram apresentados na 13ª Coordenadoria de Polícia do Interior (13ª Coorpin), com sede em Seabra.

“Agradecemos a população pela confiança na polícia, através da denúncia anônima. A questão da segurança pública é um dever de todos. Investigamos diuturnamente as quadrilhas especializadas na prática de roubos a bancos e chegaremos ao verdadeiros donos desses explosivos”, afirmou o secretário da Segurança Pública, Maurício Teles Barbosa.

O Departamento de Repressão e Combate ao Crime Organizado (Draco) auxiliará a 13ª Coorpin nas investigações, juntamente com a Superintendência de Inteligência da SSP. Outras informações podem ser transmitidas através do Disque-Denúncia (3235-0000).

 

Manutenção de blindados e helicópteros não está garantida para as Olimpíadas


Faltando pouco mais de quatro meses para as Olimpíadas, o uso de helicópteros e dos mais modernos blindados da Polícia Civil ainda não está garantido durante a realização dos Jogos, em agosto. Por conta da crise financeira do estado, a corporação ainda não sabe como vai pagar a manutenção das duas aeronaves usadas pelo Serviço Aeropolicial (Saer) após o fim do contrato atual, custeado pela Casa Civil. Já os dois caveirões Maverick, comprados pela Secretaria de Segurança em 2013 para os grandes eventos que o Rio iria sediar, terão a garantia expirada também até o fim do semestre. A Polícia Civil ainda não encontrou mecânicos capacitados para fazer a manutenção dos veículos, de fabricação sul-africana.

No último dia 10, o governador Luiz Fernando Pezão publicou, no Diário Oficial, um despacho transferindo da Casa Civil para a polícia a “responsabilidade pela execução da manutenção de todas as aeronaves que integram a sua frota”. Entretanto, segundo Rodrigo Oliveira, delegado da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core) — à qual o Saer é subordinado — a Polícia Civil não tem condições financeiras de manter o contrato.

carro2
Contrato de manutenção de aeronaves vai passar a ser custeado pela Polícia Civil Foto: Fernando Quevedo / Agencia O Globo

— Sem manutenção, as aeronaves não voam. Até o fim do semestre, com o contrato atual, os voos estão garantidos. Depois disso, será a Polícia Civil que vai ter que arcar as despesas, mas não temos verba — afirma Oliveira.

Já a manutenção dos blindados é feita por mecânicos sul-africanos, que vão morar no Rio até acabar o prazo da garantia. Depois, voltam para seu país. Enquanto a corporação não encontra uma saída, os blindados, que são os mais modernos da polícia, seguem na garagem, enquanto os mais antigos são usados.
A Polícia Civil possui dois helicópteros operacionais: um Huey ll blindado e outro do modelo Esquilo. Segundo agentes ouvidos pelo EXTRA, as aeronaves são as únicas no estado que fazem voos baixos, fundamentais em grandes operações. “Sem os helicópteros, vamos cancelar 90% das nossas operações. Não vou colocar meus homens em risco”, afirma o delegado Ronaldo Oliveira, diretor do Departamento Geral de Polícia Especializada.
Já os caveirões Maverick custaram R$ 6,65 milhões, ou R$ 831 mil por unidade, à Secretaria de Segurança. Ao todo, oito foram comprados em 2013: quatro para o Batalhão de Operações Especiais (Bope), dois para o Batalhão de Choque (BPChq) — com torre com jato de água, para controle de distúrbios — e dois para a Core. É capaz de transportar 12 homens e resiste a disparos de metralhadoras calibre ponto 30 e fuzis 7.62 mm.

 

Polícia reduz roubos a bancos em 2016


hqdefault
Imagem de Internet

O trabalho integrado das polícias Militar e Civil, juntamente com o suporte da Superintendência de Inteligência da Secretaria da Segurança Pública e o monitoramento das câmeras através do Centro Integrado de Comando e Controle Regional (CICCR), resultou na diminuição em 63% dos roubos a bancos (explosões de caixas eletrônicos, arrombamentos, dentre outras modalidades) em 2016 na Bahia, numa comparação com o mesmo período do ano passado.

Os dados foram anunciados na reunião de avaliação semanal, realizada na tarde desta segunda-feira (14), na sede da SSP, coordenada pelo secretário Maurício Teles Barbosa. Foram 17 casos registrados em janeiro e fevereiro deste ano, enquanto em 2015, no mesmo período, tinham sido computadas 46 ações criminosas contra estabelecimentos financeiros. A utilização de explosivos nos roubos também teve diminuição: no ano passado foram 35 casos, ao passo que, em 2016, as quadrilhas usaram deste tipo de artefato em 13 ocasiões.

“Reúno a cúpula da polícia baiana toda semana para analisarmos os índices criminais no estado e hoje estamos também comemorando a atuação das unidades especializadas no combate ao crime organizado. As ações integradas de inteligência e a parceria com o Exército na fiscalização da venda de explosivos nos renderam esse excelente começo de ano”, ressaltou Barbosa.

Ele acrescentou que os encontros com representantes dos bancos também resultaram em atitudes para ampliação dos sistemas de seguranças das instituições financeiras. “Estamos com novos efetivos capacitados nas academias das polícias Militar e Civil e colocaremos alguns desses servidores para reforçar o interior”, informou o secretário.