Festas universitárias ‘open bar’ não terão patrocínio de cervejarias


Um grupo de cervejarias decidiu interromper o patrocínio a festas universitárias “open bar” em todo o País. A Associação Brasileira da Indústria da Cerveja (Cerv Brasil), que representa a Ambev, a Brasil Kirin, o Grupo Petrópolis e a Heineken Brasil, deu início a uma campanha nacional para que os distribuidores não participem desse tipo de evento.

“Na nossa visão, isso acaba estimulando o consumo abusivo, nocivo, que o setor não quer de seus consumidores”, disse o diretor-executivo da Cerv Brasil, Paulo Petroni. A associação também promoverá ações em diversos municípios para conscientizar distribuidores sobre o combate ao consumo de bebidas alcoólicas por adolescentes.

“A partir de agora, festas com esta característica não receberão apoio ou patrocínio por meio de fornecimento de material promocional – o que inclui mesas, cadeira, coletes, guarda-sol, etc – nem mesmo poderão exibir marcas de cervejas em seu material de promoção, o que inclui flyer, convite, site e publicidade interna e externa”, diz o grupo, em nota.

FormatFactory392-1024-1024

Episódios

A realização de festas com consumo de bebida alcoólicas já foi vetada pela Universidade de São Paulo (USP) no ano passado. Os eventos já estavam suspensos desde 2014, após a morte do estudante Victor Hugo Santos, que teve o corpo encontrado ao lado da raia olímpica da universidade. Na Faculdade de Medicina da USP, os eventos também chegaram a ser vetados após alunas denunciarem terem sido estupradas em festas em 2011 e 2013.

Em outro episódio, em março de 2015, um estudante de Engenharia Elétrica da Universidade Estadual de São Paulo (Unesp) morreu de coma alcoólico após participar de uma f esta universitária em Bauru, no centro-oeste paulista.

 

Halloween: Gostosuras ou travessuras?


No dia 31 de outubro, véspera do dia de Todos os Santos, é celebrado o Halloween  ou Dia das Bruxas. Uma comemorativa realizada em grande parte dos países ocidentais. Nos Estados Unidos, onde é muito popular, a celebração foi levada pelos imigrantes irlandeses, por volta do século XIX.

halloween

Dia das Bruxas

A comemoração desta data surgiu  há mais de 2.500 anos entre o povo celta. Eles acreditavam que no último dia do verão (31 de outubro), os espíritos saiam dos cemitérios para tomar posse dos corpos dos vivos. Para assustar esses fantasmas, os celtas colocavam, nas casas, objetos assustadores como, por exemplo, caveiras, ossos decorados, abóboras enfeitadas entre outros. O nome Halloween é inspirado na expressão “All hallow’s eve”, que significa a “véspera de todos os santos”.

Na Europa, durante a Idade Média, a festa, considerada pagã, foi condenada pela igreja, quando passou a ser chamada de Dia das Bruxas. Os que se atreviam a comemorar a data eram perseguidos e condenados à fogueira pela Inquisição. Para diminuir as influências pagãs na Europa Medieval, a Igreja cristalizou a festa, criando o Dia de Finados (2 de novembro).

No processo de ocupação das terras europeias, os povos pagãos trouxeram esta influencia cultural em pleno processo de disseminação do cristianismo. Inicialmente, os cristãos celebravam a todos os santos no mês de maio. Contudo, por volta do século IX, a Igreja promoveu uma adaptação em que a festa sagrada fora deslocada para o 1° de novembro. Dessa forma, os bárbaros convertidos se lembrariam da festa cristã que sucederia a antiga e já costumeira celebração do Halloween.

Por ter essa relação intrínseca ao mundo dos espíritos, o Halloween foi logo associado à figura das bruxas e feiticeiras. Na Idade Média, elas se tornaram ainda mais recorrentes na medida em que a Inquisição perseguiu e acusou várias pessoas de exercerem a bruxaria. Da mesma forma, os mortos também se tornaram comuns nesta celebração, por não mais pertencerem a essa mesma realidade etérea.

iphone-halloween-069

 

No Brasil

O Halloween chegou ao nosso país através da grande influência americana, principalmente vinda pela televisão. Os cursos de língua inglesa também deram sua contribuição, pois comemoram esta data como um forma de vivenciar com os seus estudantes a cultura norte americana.

É óbvio, que há críticas em relação a comemoração. Há justificativa é que nosso folclore é muito rico e deveria ser mais valorizado. Tanto que em 2005, o governo instituiu o Dia do Saci, que também é comemorado no dia 31 de outubro. Setores religiosos também são contrários ao Halloween. O próprio Vaticano criticou a celebração em 2009. O argumento é que a festa dissemina, principalmente entre crianças e jovens, idéias e imagens que não correspondem aos princípios e valores cristãos. Objeções à parte, o Halloween é uma festa que movimenta pessoas e também o comércio e aos poucos vem conquistando mais admiradores.

 

Ong garante: nove pessoas são mortas por policiais a cada dia


Todos os dias, ao menos nove pessoas morrem em decorrência de intervenção policial no Brasil. E ao menos um policial é morto, durante o expediente ou fora dele. Os números constam do 10º Anuário de Segurança Pública, elaborado pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública (ONG que reúne especialistas do setor) com base em dados de 2015. Esse relatório evidencia que, ao combater violência com violência, o Estado brasileiro tem colaborado com o aumento dos índices já recordistas de homicídios.

Isso porque, entre 2014 e 2015, apesar de ter havido uma pequena queda de 1,2% (de 59.086 para 58.383) no total de mortes violentas no país -considerada como sinal de estabilização do indicativo-, as vítimas da violência policial cresceram 6,3%, para 3.345. Já o número de policiais mortos diminuiu 3,9%: foram 393 mortos em 2015.

“Falta hoje uma política de Estado que combata a violência”, aponta a socióloga Samira Bueno, diretora executiva do fórum. “Os Estados precisam fazer o controle de armas, e as polícias Militar e Civil devem ter um sistema de metas de redução de homicídios compartilhado”.

Para Renato Sérgio de Lima, sociólogo e diretor-presidente da ONG, “o Brasil precisa discutir o modelo de uso da força de suas polícias”. “A razão de existência das polícias é o uso da força, mas tem de ser controlado e gradual.”

posse-e-porte-de-arma-de-fogo

Segundo a pesquisadora Tânia Pinc, major da reserva da Polícia Militar de São Paulo, “os discursos do Executivo e do Judiciário estimulam ações letais abusivas porque sugerem que o que se espera do policial é que mate o criminoso”. “É uma covardia porque quem assume essa morte depois é o soldado e sua família, e não essas instituições.”

Esta prática tem respaldo social: metade dos brasileiros concorda com a frase “bandido bom é bandido morto”.

Para o deputado estadual Álvaro Camilo (PSD), ex-comandante da PM paulista, no entanto, a explicação é outra: “O aumento de sensação de impunidade levou os infratores a serem mais audazes, o que aumenta o confronto com a polícia, logo, a letalidade”.

Policiais mortos

Policiais morrem três vezes mais em folga do que em serviço, segundo dados do anuário. De acordo com especialistas no tema, isso se deve a múltiplos fatores: os chamados bicos, o porte de arma e suposto envolvimento em atividades criminosas.

“Discutimos pouco essas mortes porque é um tabu falar daquilo que o policial está fazendo fora do serviço e qual é a responsabilidade do Estado nisso”, sugere Lima.
Ele se refere ao chamado bico, atividade ilegal exercida pelo policial em seu horário de folga, em geral no setor da segurança privada.

“Por terem salários inadequados, os policiais se lançam nesta atividade, diferente do seu ofício regular, quando raramente são surpreendidos ou emboscados”, explica o consultor José Vicente da Silva, coronel reformado da PM.

Para Pinc, outro fator decisivo neste dado se deve ao fato de policiais andarem armados mesmo quando estão de folga. “Isso é uma cultura. Mas, fora de serviço, ele é vulnerável como qualquer pessoa. E, se ele está armado, a tendência é reagir.”

Mortes violentas

As mortes violentas intencionais tiveram maior taxa de crescimento no Rio Grande do Norte: 39,1%. Foram 48,6 pessoas a cada 100 mil habitantes em 2015. A taxa só é menor que a de Sergipe (57,3) e Alagoas (50,8). Para Bueno, a explicação está na melhoria do registro de informações e na onda de violência que atingiu o RN, por exemplo -o Estado chegou a decretar calamidade pública.

Cartão de confirmação do Enem deve ser acessado


Até a manhã desta quinta-feira (28/10), 3.384.940 candidatos do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) ainda não tinham acessado o cartão de confirmação de inscrição no exame, que contém o local de prova, de acordo com balanço do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). O acesso é de responsabilidade do candidato. A recomendação é que os participantes conheçam o trajeto com antecedência para evitar atrasos no dia da prova que, neste ano, será nos dias 5 e 6 de novembro.

O cartão está disponível pela internet, na Página do Participante, e também no aplicativo do Enem, nas plataformas Android, iOS e Windows Phone. De acordo com o Inep, responsável pelo exame, 5,2 milhões do total de mais de 8,6 milhões de candidatos já sabem onde farão as provas. O número equivale a mais de 60% dos candidatos.

enem

Para lembrar os estudantes, o Inep faz uma campanha de alerta, enviando SMS e e-mail a cada três dias para quem ainda não acessou o cartão. No dia da prova, não é obrigatória a apresentação do cartão.

Além do local, data e horário de prova, o cartão de confirmação traz o número de inscrição do estudante, a opção de língua estrangeira e, quando for o caso, a indicação de atendimento especializado e específico e a solicitação de certificação do ensino médio.

Para obter o cartão, o participante deve acessar o site do Enem na área destinada ao participante. É preciso informar CPF e senha. Segundo o Inep, a Página do Participante é a principal fonte de acesso, com 5.021.742 consultas. O aplicativo Enem 2016 foi utilizado por 126.101 estudantes com a mesma finalidade. Além disso, 94.412 inscritos acessaram o Cartão de Confirmação nos dois ambientes.

 

Pele negra também requer atenção especial


Quem possui pele negra ganhou uma ajudinha da genética, já que esse tipo de cútis apresenta um alto nível de melanina e colágeno, deixando-a mais resistente ao sol e ao envelhecimento. No entanto, essa pele merece atenção especial para que não sofra com problemas como manchas no rosto, excesso de oleosidade e foliculite. O Blog Carvalho News conversou com a dermatologista Suzy Sheyla Oliveira, especialista no assunto, do Rio de Janeiro. A profissional deu dicas e falou da importância do uso do filtro solar.

atores-negros-mais-lindos-do-cinema-06

Quais as características da pele negra?

Segundo Dra. Suzy, a pele negra possui um nível alto de melanina, o que promove uma proteção natural ao sol. Além disso, possui mais colágeno que as outras cútis, deixando-a mais elástica e resistente aos efeitos do tempo, como rugas e linhas de expressão. E, por ser mais espessa e firme, demora mais a ficar flácida e, dificilmente, apresenta celulite. “No entanto, o diferencial da pele negra pode ser, também, o seu maior mal. Devido a hiperpigmentação, há mais propensão à manchas de pele, como melasma. Já o alto nível de colágeno, por exemplo, pode resultar em queloides”, explicou.

A pele negra é, necessariamente, oleosa?

De acordo com a médica, a pele negra pode apresentar todos os tipos: normal, mista, seca e oleosa. No entanto, a oleosa é a mais comum, já que a secreção das glândulas sudoríparas é maior nesse tipo de pele, tornando-a assim por natureza. Sendo assim, favorece o surgimento de acne e foliculite.

Proteção solar é essencial para a pele negra

Apesar de ser mais resistente ao sol, apresentando um fator de proteção natural de 13.4, a médica recomenda o uso do filtro solardiariamente, inclusive em dias nublados ou em ambientes fechados. “Normalmente, indico sabonete específico para a pele do paciente e o filtro solar com FPS 15, no mínimo, com reaplicação a cada três horas”, recomendou. Outros produtos, como anti-idade, serum antioxidante e tônicos faciais, também podem ser indicados pelo dermatologista.

Manchas: um problema comum em peles negras. Descubra o motivo

A abundância de melanina pode acelerar o surgimento de manchas, pois durante a cicatrização a pigmentação é ativada. “Qualquer processo inflamatório ou que cause irritação pode gerar o escurecimento da pele”, comentou a Dra. Suzy, usando como exemplo as marcas causadas pela acne.

Como evitar as manchas na pele negra?

Para evitar as manchas, o paciente deve buscar tratamento preventivo. “Primeiro, é preciso evitar que a pessoa tenha a alteração cutânea e, consequentemente, uma inflamação que pode causar o escurecimento”, comentou. Para os pacientes que já possuem espinhas, as substâncias clareadoras e antiacne são aliadas ao tratamento. Além do protetor solar, a médica recomenda produtos compostas por vitamina C, kojico, ácido fítico e alfa-hidroxiácidos para a prevenção de manchinhas. Já para o tratamento na clínica dermatológica, uma das escolhas da médica é o laser fracionado.

Confira dicas para evitar a foliculite após a depilação

Outra dica da dermatologista é hidratar a pele após a depilação com cera ou lâmina de barbear, já que, assim, ela fica mais protegido contra agressões ambientais e a foliculite. A escolha de um sabonete esfoliante também contribui para o desaparecimento dos pelos encravados. Caso o problema persista, a depilação a laser pode resolver, definitivamente, o problema.

Primeira universitária paraense com síndrome de Down tem 17 anos


marina3-27-10-2016-14-31-29
Marina Viana Foto: arquivo pessoal

Marina Gutierrez Nunes Viana, de 17 anos é a primeira pessoa com Síndrome de Down a ingressar em uma faculdade no Pará.

Ela foi a 34ª colocada na aprovação do vestibular para Gestão de Recursos Humanos em uma faculdade particular de Belém.

Francisco Viana, pai de Marina, emociona-se ao ver a filha superando os obstáculos e conquistando seus sonhos.

“É uma vitória. É uma pessoa portadora de Síndrome de Down entrar em uma universidade concorrendo com pessoas ditas ´normais´”, comemora.

Os pais de Marina relembram que a chegada da menina foi um susto, mas que não se acovardaram e buscaram um jeito de estimular suas habilidades, conseguindo o que para muitos viam como impossível.

A família passou a adotar o Método de Reorganização Neurológica, feita em casa e pelas pessoas que compunham o ambiente familiar desde os três meses de vida.

“A minha esposa, quase que basicamente abandonou a profissão dela para poder se dedicar a Marina e hoje estamos tendo o retorno de todo esse trabalho”, afirma Francisco emocionado.

 

A Primeira Ordem muda de nome e equipe criativa


Ainda em produção, a HQ A Primeira Ordem, saga cósmica 100% nacional idealizada pelo roteirista Elenildo Lopes, já tem suas primeiras mudanças na estrutura. O coordenador do projeto, Augusto Velasquez de Brito, deixou a equipe criativa para dedicar-se a projetos pessoais.

Brito foi responsável pela parte de planejamento e marketing de Protocolo: A Ordem, revista em quadrinhos lançada este ano, cuja proposta é bastante parecida com A Primeira Ordem – uma trama que reúne vários super-heróis brasileiros contra uma mesma ameaça. A diferença é que, na nova HQ, a ameaça será de nível cósmico. Mas os acontecimentos serão após O Protocolo: A Ordem afirma Lopes.

LOGOOFICIAL2

De acordo com Lopes, a separação foi amigável e não houve nenhuma discussão. “Houve uma necessidade de mudança nos rumos do projeto que já não casavam mais com aquilo que Brito acreditava. Portanto, ele preferiu sair para se dedicar a projetos particulares e eu continuarei com A Primeira Ordem e A Liga Apocalíptica“, conta ele. Outra mudança é o novo nome: ALFA – A Primeira Ordem e A liga Apocalyptica que agora foi acrescentado a letra Y.

O roteirista afirma que tem um grande carinho pelo ex-parceiro e espera que seja bem sucedido em seus trabalhos. Quanto à ALFA, Lopes revela que está a todo vapor e que, com a mudança da equipe, os trabalhos entrarão numa nova fase. “Espero que todos apreciem as melhorias”, torce.

Segundo o cronograma, a captação de recursos para a produção de ALFA – A Primeira Ordem começa em novembro, no site Catarse (www.catarse.me) e, se a meta for atingida, o lançamento da revista está previsto para o segundo semestre de 2017. A revista será impressa em formato americano (16 cm x 25 cm), capa cartonada com brilho e papel com gramatura de 170g.

Dependendo do valor arrecadado, o miolo pode ser colorido ou em preto e branco. Também estão previstos o lançamento de um jogo RPG (Role-playing Game) e a versão da HQ em língua inglesa.

ONU Mulheres lança documentário


Uma em cada três mulheres sofre violência de algum homem ao longo da vida. Entre as 500 maiores empresas do mundo, menos de 5% possuem CEOs mulheres. Dados como estes levaram a ONU Mulheres e o portal Papo de Homem, com viabilização do Grupo Boticário, a realizar uma pesquisa nacional para entender como os homens podem participar do diálogo pela igualdade de gênero.

 O resultado da pesquisa quantitativa e as entrevistas serão apresentados em Salvador em uma sessão exclusiva do documentário, no próximo dia 01 de novembro, das 10h às 13h, no Cinemark do Salvador Shopping. Em seguida, será realizada uma mesa-redonda que discutirá a pesquisa que deu origem ao filme.

 A mesa contará com a presença da Secretária de Políticas para as Mulheres da Bahia (SPM-BA), Olívia Santana; da Representante da ONU Mulheres no Brasil, Nadine Gasman; da Gerente de Programas da ONU Mulheres, Ana Carolina Querino; da Representante do Instituto Odara, Valdecir Nascimento; do Pesquisador em Gênero e Masculinidades do Instituto PAPAI, Benedito Medrado, e do sociólogo e pesquisador dos marcadores sociais da diferença, Gustavo Venturi.

 As inscrições estão sendo realizadas através do e-mail: [email protected]

Itapé: obras na Portelinha iniciam em breve


Os moradores da Portelinha, no bairro Luís Viana Filho, em Itapé, têm muito para comemorar. A região receberá, muito em breve, obras de pavimentação no valor de R$ 250 mil. Esses recursos foram uma reinvindicação do prefeito Pedro Jackson Brandão de Almeida, o Pedrão, feita através de emenda parlamentar do deputado estadual Adalberto Souza Galvão (Bebeto) PSB. De acordo com informações do prefeito Pedrão, tais recursos estarão em breve disponíveis. “De posse da verba daremos início as obras imediatamente”, garante.

portelinha
Foto: Eliudes Miranda

Itabuna: consumidores terão desconto da Emasa


A Emasa se comprometeu em dar 40% de desconto sobre a tarifa de água referente aos meses de dezembro de 2015 a agosto de 2016, período em que a população de Itabuna foi abastecida fora dos padrões de potabilidade estabelecidos pelo Ministério da Saúde, notadamente pelos elevados índice de cloretos na água proveniente da Estação de Tratamento de Água (ETA), do bairro São Lourenço. A medida consta do Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) assinado com o Ministério Público do Estado da Bahia, com a interveniência da Procuradoria Geral do Município.

O procurador-geral do Município de Itabuna, Mateus Santiago Silva, informou que no TAC a Prefeitura e Emasa assumiram a obrigação de recalcular as contas dos consumidores aplicando o índice de abatimento. Para os consumidores que, após o novo cálculo houver crédito a receber, por terem pago as contas de água em sua totalidade, a devolução será feita em 18 meses em parcelas iguais e sucessivas, a serem incluídas nas próximas faturas a partir do mês de novembro, o que deve estar discriminado.

No caso de consumidor com débito a pagar, por inadimplemento, ou seja, contas em atraso, tal conta será cobrada em 18 meses também sobre as faturas que vencerão a partir do próximo mês. “Serão emitidas novas faturas, mas com a inclusão da cobrança” explicou o procurador, acrescentando que não haverá incidência de juros, correção monetária, multas ou quaisquer taxas correlatas.

Presidente da subsecção da OAB Edmilton Carneiro recebeu cópia do TAC do procurador Mateus Santiago SIlva - Foto Pedro Augusto
Foto: Pedro Augusto

DE FORA

O procurador disse que o ajuste firmado pela Prefeitura e Emasa não terá incidência sobre os consumidores da Estação de Tratamento de Nova Ferradas, na Zona Oeste, responsável pelo abastecimento dos bairros Brasil Novo, Campo Formoso, Ferradas, Ferradas II, Nova Esperança, Maria Matos, Morumbi, Nova Ferradas, Sinval Palmeira e Urbis IV. No prazo de 30 dias, nos autos da Ação Civil Pública, o município e a empresa de saneamento deverão comprovar que houve fornecimento de água sem índice de cloretos entre dezembro de 2015 e agosto de 2016, para que seja confirmada a exclusão.

“Mas para os consumidores das citadas localidades, com faturas em aberto no período objeto da TAC, será respeitada transição, com refaturamento, sem encargos e com prazo de 15 dias para pagamento”, explicou o procurador-geral do Município, Mateus Santiago Silva. Ele acrescenta que a Emasa poderá adotar medidas coercitivas após a vigência do TAC, excetuando-se o prazo de pagamento da primeira fatura no próximo mês.

Mateus explicou que o Município e a Emasa concordaram que, havendo a transferência dos serviços de água e esgoto para outro ente público ou privado, nos respectivos contratos, convênios, lei, etc., deverão constar os termos do TAC. Já no caso de descumprimento das obrigações ficou estipulada multa diária no valor de R$ 200,00 ou R$ 100, por consumidor prejudicado, limitado neste último caso a R$ 5 mil, sem prejuízo de sanções administrativas e judiciais.

OAB

O procurador Mateus Santiago apresentou hoje os termos do documento firmado com o Ministério Público do Estado da Bahia (MP-BA) ao presidente da subsecção da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-BA), Edmilton Carneiro. No TAC assinado pelo prefeito de Itabuna, Claudevane Leite, o presidente da Emasa, Abraão Riberio Filho, e o promotor Patrick Pires da Costa, há o compromisso de regularização do abastecimento de água nos termos do programa Vigiágua, conforme Portaria nº 2.914/2011, do Ministério da Saúde, além da apresentação no prazo de 30 dias, da documentação comprobatória de que o programa está sendo efetivamente executado.

Para o presidente da subsecção da OAB, o entendimento entre a Prefeitura, Emasa e o Ministério Público é boa medida para a sociedade, principalmente para os consumidores que foram penalizados com os efeitos da severa estiagem que comprometeu o abastecimento de água em municípios do Sul da Bahia. “Ao mitigar as consequências da crise hídrica, o TAC faz com que os consumidores sejam beneficiados, ao assegurar a volta da qualidade da água fornecida”, disse.

Com o Termo de Ajustamento de Conduta, estamos dando solução aos problemas causados pela crise no abastecimento de água potável e atendemos aos interesses da população e dos demais agentes envolvidos. “Com a assinatura do compromisso ficam suspensas as decisões de primeiro e segundo graus na Ação Civil Pública que impactou a situação econômico-financeira da Emasa pelos próximos 18 meses. Tal medida permitirá que se encontrem soluções definitivas para a grave questão que afetou a todos nós”, concluiu Mateus Santiago Silva.