Greve dos funcionários do BRT transforma o Rio em um caos


Por: André Lucas

 Os trabalhadores que precisam usar o BRT, para chegar ao trabalho tiveram dor de cabeça nessa segunda feira. O motivo foi a greve dos corredores da Trans oeste, Trans carioca e Trans olímpica do BRT Rio em forma de protesto ao parcelamento do 13 salário.

O sindicato dos empregadores tenta negociar com os rodoviários em busca de um acordo. Os empregadores explicam que caso o parcelamento não for feito o BRT corre risco de parar definitivamente. O consórcio informou que pagou 20% dos salários nessa segunda feira.

A Prefeitura do Rio informou que município estar se mobilizando em função da greve, e também para a chuva forte prevista para essa noite.

Uma assembleia especial com o sindicato da categoria estar marcado para essa quarta feira, dia 2 de dezembro, para decidir os requisitos de um acordo bilateral.

Já no fim da noite, a empresa BRT Rio, decidiu pagar os outros 30% Que faltava na primeira parcela nessa terça feira, dia 1 de dezembro, totalizando assim 50% como previsto em lei, a empresa divulgou uma nota explicando a decisão:

“A fim de evitar novos transtornos aos passageiros, como os registrados na noite desta segunda-feira, dia 30, o BRT Rio utilizará os recursos de compromissos futuros e pagará os 30% restante da primeira parcela do 13º salário nesta terça-feira, dia 1º de dezembro”.

No termo, a empresa diz que a greve foi instalada ilegalmente e que os motoristas atuaram de forma irresponsável, por terem paralisado o serviço de forma repentina. A BRT Rio também exige providências imediatas ao sindicato para regularizar a operação do sistema.

O presidente do sindicato  dos rodoviários, Sebastião José, afirmou:

“Estamos apenas aguardando que esse compromisso firmado pela empresa nos seja encaminhado por escrito. Assim que estivermos com o documento em mãos, a paralisação será encerrada”.

Com o BRT parado a prefeitura orientou a usar o metro, porém a concessionária Metrô Rio afirmou estar trabalhando no limite da sua capacidade funcional:

“A concessionária já opera no limite da capacidade e com os mesmos intervalos do período pré-pandemia. O MetrôRio ressalta que o serviço da concessionária segue sem problemas, com intervalos regulares nas linhas 1,2 e 4 nesta segunda-feira (30/11)”, dizia a nota da empresa”

Alguns usuários falaram sobre a situação do serviço no cenário de hoje:

“Eu moro em Pedra de Guaratiba e só Deus sabe o quanto que eu vou enfrentar agora”,

“Atrapalha bastante né. A gente conta com o ônibus para sair e chegar onde a gente precisa e quando chega aqui tem essa surpresa, que não está funcionando. E aí tem que pegar outro com um gasto muito maior”….

A notícia é boa com o pagamento dos 30% restante da primeira parcela feita pela manha da próxima terça feira, dia 1 de dezembro, o esperado é a volta da normalidade de circulação, e aqueles que precisam do transporte podem ficar aliviados.